"Os mais excitantes contos eróticos"


Fodida por um desconhecido no churrasco


autor: Katita
publicado em: 11/12/16
categoria: traição
leituras: 7427
ver notas
Fonte: maior > menor


Marcos olhou pro corpo dela jogado em cima da cama, estava nua, sonolenta exalsta como sempre, cansada da foda que levou de mais de uma hora, tomando rola com força e sem parar em baixo dele sempre a deixava assim quando a pegava, pegava pra arregaçar, diferente de seu marido que ia todo romântico quando fazia amor com ela, seu chefe só a fodia e fodia sem dó mesmo, ele a deixou descansar e Tais dormiu mais um pouco e já estava bem tarde quando acordou assustada olhando a hora quase 23h da noite, tinha que ir para casa levantou desesperada vestindo sua roupa correndo , Marcos foi a levar de carro, quando parou em frente à sua casa, seu marido que estava preocupado foi quem abriu a porta.

---- Anda vai embora.- disse para Marcos- não gosto quando vocês se vêem.

---- Espera deixa eu cumprimentar meu sócio afinal dividimos a mesma buceta não é mesmo.

Marcos deceu do carro e foi pra perto da porta.

---- Desculpe o horário,- disse ele apertando a mão de Ricardo- toda a equipe ficou até mais tarde hoje daí levei todos para comer alguma coisa no restaurante por minha conta e acabamos perdendo a hora por isso trouxe sua esposa em casa hoje porque esse horário às ruas são perigosas principalmente para uma mulher bonita como ela.

Tais estava vermelha, evitava olhar muito para Marcos na frente do seu marido, ver eles dois assim lado a lado , ficava com dó do Rick que nem imaginava o que seu amante tinha acabado de fazer com ela.

---- Bom já está tarde e o sr. Marcos precisa ir para casa sua esposa também já deve estar preocupada não é mesmo, outra hora vocês conversam e se conhecem melhor.

---- É verdade tenho que deixar vocês descansarem depois nos falamos- disse Marcos- Aliás que tal domingo, faremos um churrasco na chácara da empresa, e vocês estão convidados, vocês dois.

Tais olhou feio para Marcos pois não ia falar nada sobre a festa da empresa para seu marido, queria ir sozinha ele só ia atrapalhar, tinha planejado dizer pra ele que ia para casa de uma tia ou da sua avó um lugar que sabia que seu marido não ia querer ir, mas o que Marcos tinha na cabeça de chamar seu marido pra festa se tinha chance de rolar alguma coisa entre eles lá, tinha acabado agora, Tais continuou olhando feio e Marcos sorriu do nervoso da menina se despediram e ele foi embora.

No domingo dia da festa Tais escolheu um biquíni vermelho, fio dental pois lá tinha picina e ela queria arrasar, e também pra provocar seu marido pois ele não tinha nada de querer ir junto.

---- É uma festa pra funcionários amor você não trabalha lá.

----Mas seu chefe me chamou então eu vou.

Assim que chegaram na chácara Tais foi se trocar pois o biquíni, quando seu marido viu que era fio dental reclamou na hora.

---- Que isso Tais agora vai ficar todo mundo olhando pra sua bunda.

----- Deixa olhar, você não se garante não?
e você sabe que sou só sua não sabe?

Tais passou no meio de todos com aquela bunda sensacional os que mais secaram foram, Vitor e Gustavo seus colegas de trabalho que estavam sempre tentando dar uns pegas nela, seu chefinho que era quem mais queria provocar só deu uma olhadinha de leve pra ela, acho que já tava acostumado a olhar pra bunda dela e peladinha que era ainda melhor.

Marcos ficou perto da churrasqueira e Ricardo meio desolado de não conhecer ninguém ficou por ali também e os dois ficaram conversando de política de futebol, de vários assuntos, só faltava essa pensou Tais, estava tão brava por causa dessa amizadezinha de araque, só faltava agora eles conversarem sobre como cada um gostava mais de foder ela, estava muito brava então foi dar um mergulho na picina pra se acalmar, mergulhou atravessou de um lado a outro nadando e saiu do outro lado toda molhadinha, sentiu que tinha um carinha secando ela olhou discretamente, era jovem, bonito corpo malhado tatuagem no peito e no ombro não tirava os olhos dela secava sem parar. Tais deu uma viradinha de propósito para alegria do rapaz, que pode dar uma boa olhada naquele rabão gostoso dela, Tais olhou pro lado da churrasqueira seu marido e seu chefe continuavam conversando, então pensou num jeito, de se vingar deles dos dois e o rapaz tirou a sorte grande ia papar uma buceta de bandeja.

---- Oi , qual seu nome, gostei da tatu... - disse ela puchando conversa- eu tenho uma também... uma joaninha.

---- Que legal e onde é? que já olhei esse seu corpo maravilhoso todinho e não vi... Me chamo Johnny e você?

---- Tais, minha tatuagem fica escondida mas se quiser eu posso te mostrar... - disse ela num tom já meio safado estava sem tempo pra se fazer de difícil.

---- Claro que eu quero... - disse ele animado

---- Então vamos lá pra trás... tá muito cheio aqui, ai todo mundo vai ver minha joaninha e não pode, vou mostrar só pra você.

Pronto na cara dura, mas direta que isso só passando a buceta na cara dele, o rapaz sorriu de orelha a orelha, ia levar a mina mais gata da festa lá pros fundos, os dois saíram na direção da casa da chácara passaram perto da churrasqueira mas Ricardo e Marcos estavam distraídos conversando e não os viram.

---- Ta vendo aquele cara ali? - disse Tais apontando o Rick- ... Aquele é o meu marido, mas ele não cuida de mim sabe.

---- Você é casada, ?! Nossa sério?? Ta afim de trair seu maridinho então? Não se preocupa não gata, que eu vou cuidar de você bebê, vou cuidar direitinho de você.

---- Hun que delícia - disse ela sorrindo - espera, olha lá, tá vendo aquele outro cara ali conversando com ele.... Aquele é o meu chefe, meu chefe e amante...

---- Nossa! Não acredito?! - O rapaz estava espantado- Nossa tá dando pra quantos caras mais aqui nesse churrasco?

---- Pra mais nenhum tá louco! não sou nenhuma puta, talvez pra você... se tiver sorte ... sabe eu meu chefe começou por acaso, ele deu de cima de mim, me secava no escritório, ficava sempre por perto e dava jeito de escorregar com a mão na minha bunda, me dava umas encoxadas de leve na cozinha onde íamos tomar café aproveitava que lá era apertadinho, eu fingia que não percebia, por medo de perder meu emprego, dai um belo dia me pediu pra ficar até mais tarde, ficamos só nos dois no escritório daí ele me ofereceu um aumento, se eu fizesse companhia pra ele até mais tarde de vez enquando... entendi na hora o que ele tava querendo, e acabei aceitando esse foi meu erro, ele não quis mais esperar arrancou a minha saia na mesma hora, não teve muita conversa, joguei a calcinha de lado e ele me comeu em cima da sua mesa, acabou comigo, nossa...

O rapaz escutava atentamente morrendo de tesão naquela safada, e Tais continuou desantibouo:

---- Daí naquela noite cheguei em casa e meu marido quis fazer sexo também fiquei morrendo de medo dele perceber minha xana mais aberta eu tinha acabado de dar, mas o trocha nem notou nada, aquela semana no escritório tive de dar mais algumas vezes ainda uma foi no meio do expediente meu chefe me chamou na sala dele fechou as cortinas e me pediu um boquete, depois do boquete ele quis comer meu cú, fiquei de quatro pra ele na mesa morrendo de medo, não costumava dar o cu, meu marido nunca fez questão de comer cú daí quase não rolava, achei que não ia gostar que ia doer sabe..

---- E não doeu?...

---- Nossa no começo doeu de mais ele enfiou minha calcinha na minha boca pra eu não gritar... Fiquei com muito tesão imagina como não é pra uma mulher dar o cucom a calcinha enfiada na boca pra não fazer barulho, vou te contar um segredo sobre nós mulheres mesmo as mais quietinha e românticas, adoram ser feitas de puta na hora do sexo, você tm namorada Johnny?

---- Não infelizmente não.

---- Quando tiver trate ela bem de flores seja romântico mas na cama pega ela de jeito, faz ela de puta na cama porque se não outro vai fazer e ela vai adorar... Dei o cuna sala do chefe de quatro em cima da mesa dele mordendo minha calcinha morrendo de medo de entrar alguém e no flagrar ali daquele jeito, foi bom de mais, aqueles são os dois únicos homens que me comem mas hoje estou brava com eles... Pra sua sorte.

---- É mesmo e o que eles fizeram de tão ruim?

---- resolveram ficar amiguinhos... Anda vamos que minha joaninha tá doidinha pra passear.

Os dois entraram em uma porta a primeira que viram, era um banheiro.

---- Anda tranca a porta .- pediu ela com pressa.

O rapaz trancou a porta depois já foi agarrando ela e dando vários beijos ela ficou soltinha nos seus braços.

---- Anda safada me mostra logo essa joaninha.

Tais puxou a parte de baixo do biquíni pro lado revelando sua tatuagem de joaninha bem perto da sua rachadinha.

---- Nossa que linda ...

---- E aqui é a casinha dela.... - disse ela bem safada alisando a entrada da buceta.

---- É mesmo deixa eu conhecer melhor essa casinha então.

O Rapaz tirou o pau de dentro da sunga estourando de tão duro de ter ficado ouvindo ela contar suas safadezas.

----- Ta fechada a casinha dela... - disse Tais mergulhando na brincadeira e transbordando de tesão.

---- Não tem problema eu abro.

O rapaz a segurou pelas coxas e ergueu do chão apoiou as costas dela na parede e Tais o abraçou pra ter mais apoio, Johnny foi empurrando de vagar o cacete nela e foi entrando que nem sabão ela também já estava molhadinha, a safadinha mordeu os lábios, e aguentou a pica toda dentro, gemendo baixinho sem reclamar.

---- Ahh.. Ahh...Ahh.. -.

---- isso putinha assim mesmo, geme gostoso pra mim geme.

Tais lembrou de Rick e Marcos conversando lá fora, agora podiam conversar a vontade ela tinha achado alguém pra lhe fazer companhia, o marido sempre foi corno mas era fiel ao seu chefinho que agora tava virando corno também, mais uma coisa para os amiguinhos ter em comum..



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.