"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Obedecendo e gozando...


autor: luah
publicado em: 16/12/16
categoria: hetero
leituras: 3809
ver notas
Fonte: maior > menor


É foda quando o homem fala a coisa certa na hora certa, foi assim que aconteceu, aquele homem determinado que sabe o que quer, tem pegada e adora seduzir, me mandou uma mensagem:


Me encontre amanhã às 16 horas no Motel Afrodite, aguarde próximas instruções.

O restante do dia fiquei a imaginar o que poderia acontecer, meu corpo aquecia e esfriava num total descompasso de tanta ansiedade e depois de ler a mensagem estava toda molhadinha e a cada instante que lia mas sentia escorrer aquele desejo ensopando a calcinha. Por momentos pensei em responder e dizer que não iria, e por outras inúmeras vezes tinha certeza que obedeceria a cada mensagem. Estava no jogo de sedução sem saber o que me esperava.


Adoro ser desafiada e ao seu encontro fui sem pensar, coloquei o vestido vermelho, quase sem nada por baixo pois não consigo andar nua, com a sandália alta e um batom vermelho. Depois de uma noite mal dormida de desejos e excitação que me fizeram brincar sozinha pra relaxar pensando naquela pica que nunca vi, imaginei de várias formas e me masturbei até gozar gostoso e conseguir dormir.


As mensagens indicavam o que eu deveria fazer e eu deveria obedecer sem alterações, era o que eu sabia e nada mais, indo para Afrodite parecia que todos que me olhavam sabiam que iria me submeter a jogos sexuais e me deixavam mais curiosas, olhavam as minhas pernas naquele vestido no meio das coxas e a minha bunda, sempre olham por ser suculenta, poucos olhavam a boca saliente radiante com o batom vermelho e mais uma mensagem chega:


Quarto 16, na anti-sala tem duas sacolas em uma deixe suas peças íntimas e a fechada traga pro quarto, sem nada dizer com o telefone na mão e com o volume ligado para ler as mensagens.


Já estava próxima, cheguei ao Afrodite e falei o número do quarto e quando cheguei na salinha estavam as duas sacolas, uma azul aberta que eu coloquei minha calcinha vermelha de renda com o meu sutiã os dois juntinhos, fechei a porta e notei que ele estava sentado numa poltrona na esquina do quarto e peguei a sacola fechada vermelha, deixando minha bolsa em cima da mesa.


Aguardei pois ele sabia que já estava ali, o ar estava ligado a luz forte estava ligada e assim ele envia:


Entre no quarto e senta na cama, abre a sacola e pega a caixa de número um, abra bem devagar com as pernas cruzadas. Sem olhar falar nada comigo.


Assim que entrei no quarto eu vi outra sacola no canto de um criado mudo,que era verde. Fiz o que ele mandou, abri a sacola vermelha e peguei a caixa 1 e abri que tinha um creme lubrificante comestível acho, de menta.


Se olha no espelho e tira bem devagar seu vestido e sua sandália e depois passe o creme nas suas mãos e espalhe pelo seu corpo todinho começando pelos pés até a nuca sem tocar na suas partes íntimas se seduzindo e imaginando que as mãos sãos minhas e ouvindo a música, movimente o corpo.


Era tanta informação que parecia que já estava digitada e ele recortou e colou, eu acabei gargalhando e me assustei quando ele mandou eu me calar e obedecer, foi tão sério que me concentrei no jogo.


Tirei o vestido dançando bem sensualmente, sorrindo com cara de puta pois estava amando ser mandada, deitei na cama e dobrei as pernas e coloquei o creme nas mãos e espalhei, começando a passar pelo pé direito e subindo pelo tornozelo, panturrilha, joelho, olhando nos espelhos e me deliciando com.minha buceta aberta e lisinha ficando.molhada novamente enquanto parecia que vestia uma meia calça até chegar nas coxas e nao me contive olhando pra ele que permanecia imóvel e sério, voltei para o pé esquerdo, tornozelo, subindo no joelho e na coxa grossa e deliciosa, estava arrepiada pois a visão da minha buceta aberta e saber que aquele homem me olhava me deixava louca de tesão. Estava louca para me tocar, mas obedeci e fui passando a mão pela minha barriga que nunca me senti tão desejada e cheguei ao peito direito, espalhei mais creme e fui massageando o meu peito direito até o mamilo que estava rígido de tanta excitação e depois fui para o esquerdo e logo estava nos dois ao mesmo tempo, mas não fechei as pernas, sou má, fiquei olhando aquele meu descendo devagar e sentindo as contrações leves do canal da minha vagina enquanto contraia meu cuzinho e assim subi até meu pescoço e brinquei as mãos na minha nuca e sorri co. Cara de safada, era evidente pois estava delirando com os movimentos do meu corpo ouvindo as músicas de uma rádio de MPB.


Agora é a hora de se tocar, minha puta, abra as pernas na minha direção e se toca de fora pra dentro bem devagar e agora quem vai olhar sou eu, fecha os olhos.


A nova mensagem chegou, girei meu corpo em direção dele que estava na poltrona do canto do quarto. E fechei os olhos e abri as pernas bem devagar dobrei levemente os joelhos e comecei a passear as mãos com uma nova quantidade de creme lubrificante, a virilha em todo contorno de um lado e depois do outro, com a mão aberta apertei a testa da minha buceta aberta, descendo devagarinho abrindo os lábios e me tocando de cima a baixo enfiando levemente o dedo e voltando ao meu clitoris, isso mesmo, ao meu grelinho, apertando e mexendo com força e descendo e colocando um dedo, por vezes dois e assim espalhando meu mel e me contorcendo toda pois o corpo estava fervendo e os batimentos aumentando, aquele calor que faz suar e gemer, contrair o cuzinho, estava louca pra abrir meus olhos e ver se ele estava tocando aquele caralho pra mim, mas fui obediente e aguardei a próxima mensagem que nem me importava tanto mais.


Abra os olhos e pegue a caixa número dois e brinque olhando pra mim e imagine que é a minha pica.


Quando abri o segundo pacote e lá estava um vibrador mediano, parecia ter uns 16 cm, simplesmente me deitei com as pernas abertas e me tocando fui colocando o vibrador devagarinho na minha buceta e abrindo as pregas me fazendo gemer e fui enfiando até o fundo e comecei a colocar e tirar, dessa forma fui rebolando com o brinquedo dentro e quando meus gemidos foram aumentando demais e a respiração foi ficando ofegante uma nova mensagem chega:


Pega a última caixa da sacola, a três, esse é o brinquedinho pra você enfiar no seu cuzinho, recomece a se tocar e enfie os dois e ligue e se toque até gozar.


Me assustei com o brinquedo, eram bolinhas sobrepostas juntinhas todavia precisava continuar e fiz o que me pediu.
Toda molhadinha fiz o vibrador brincar na minha buceta enquanto enfiava o brinquedo no meu cuzinho aberto e aos poucos ia sendo arrombado deliciosamente e ele permanecia sentado mordendo os lábios e me olhando fixamente.


E quando não mais aguentei simplesmente explodi por dentro e gozei tão gostoso que as pernas tremiam e o corpo estava em êxtase, senti escorrer pelas pernas a delícia do sexo. Relaxei por alguns segundos pois não conseguia nem repor minha respiração que estava descompensada até me recompor e me reencontrar para começar a tirar o brinquedo e depois o vibrador, os coloquei ao lado e ali permaneci jogada e maravilhada com a nova experiência. O tempo passou um pouco quando o telefone tocou ao som de uma nova mensagem:


Ainda tem uma sacola verde, não terminou.




Meu coração parecia que ia sair pela boca, uma mistura de tara com medo, não fazia idéia do que teria na sacola. E você poderia me dizer ?? Comenta ai ...



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.