"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Festas de fim de ano em família II


autor: mrpr2
publicado em: 22/12/16
categoria: gays
leituras: 1908
ver notas
Fonte: maior > menor


Festas de fim de ano em família II

Meu nome é Maxuel eu estava na casa do meu namorado Thiago, estávamos deitados no sofá depois de transarmos. Eu estava por cima dele que estava acarinhando meus cabelos e me dando beijos na testa, acariciando minhas costas, eu por minha vez sentia o cheirinho do seu peito, beijava seu mamilo e sentia o calor que vinha do seu corpo amava ficar assim com ele.
_ Ai deu fome, que tal umas pipocas e um filme?
_ Já esta quase na hora do almoço.
_ Não queria cozinhar hoje.
Disse Thiago fazendo biquinho e eu sabia que aquilo era apenas charme para eu cozinhar.
_ Esta bem, mas a louça fica por sua conta!
_ Eba!!!! Comida do meu anjinho!!!!
_ Pode ser macarrão?
_ Você é o cheff você decide sabe que tudo o que você faz é gostoso ne?
_ Hummmm gracinha!!!!
Disse beijando aqueles lábios gostosos do meu Thi.
Levantei e então disse que precisava de um banho afinal estávamos sujos de porra. Fui ao banheiro seguido por Thiago e claro que ele quis mais que um simples banho em meio a muitos beijos e caricias Thiago me ensaboou e eu o seu corpo. Depois do banho tomado me vesti e fui para a cozinha. Thiago ali me acompanhando na cozinha contando suas piadas, suas historias, vez ou outra me agarrava por trás elogiando o cheiro bom que vinha das panelas.
Almoçamos e modéstia parte meu macarrão com molho de carne moída estava ótimo, e fui muito elogiado por meu namorado também e depois de uma breve pausa la estávamos novamente na cozinha. Thiago lavava a louça enquanto eu enxugava e guardava.
Coisa tão simples do cotidiano, mas que era tão bom de se fazer ao lado dele. Após lavarmos a louça fomos assistir a um filme e sim tive que fazer a pipoca kkk
_ Gostou do filme?
_ Muito bom, muita ação e olha que achei que não seria tão bom assim.
_ E gostou tanto assim porque? Foi por causa daquele loirão fortão foi?
Perguntou Thi me fazendo cocegas e em meio a lagrimas e risos eu disse:
_ Loiro? Tinha loiro no filme? Nem reparei kkkkk
_ Seu bobo!
_ Bobo é você porque sabe que so tenho olhos para você meu loirinho gostoso.
Nos beijamos e depois saímos para ir tomar sorvete. Thiago não tinha medo ou vergonha de sair comigo. Confesso que no começo eu tinha muito receio, mas agora já estou mais acostumado e é tudo tão natural que fui de boa.
Estávamos indo embora quando encontramos com meu irmão na rua. Jonas trabalha de vendedor para uma marca de laticínios.
_ E ai mano de boa esta indo para casa?
_ Oi Jonas não eu vou na casa do... do...
_ Do seu amigo?
_ Sim... é...
_ Thiago prazer.
_ Sou o Jonas tudo bem?
_ Tudo, vendendo muito?
_ Esta indo, a crise sabe como é?
_ Sei sim.
_ Fala para minha mãe que talvez eu chegue um pouco mais tarde, vou passar na casa da Livia.
_ Ok eu vou na casa do Thiago e depois vou para casa.
_ E vão fazer o que?
_ oi?
_ È que vou emprestar mangas para irmão.
_ Ok bom já vou indo que ainda tenho muito trabalho pela frente.
Meu irmão já tinha ido quando Thiago me disse:
_ Parece que você ficou um pouco nervoso por seu irmão nos ver juntos.
_ È foi, fui pego de surpresa.
_ Sei, mas se você ficou assim e sem ele nem saber que somos namorados como você vai me apresentar para sua família?
Parei olhei para a cara de Thiago eu não sabia o que dizer, ele estava certo quando eu vi meu irmão eu congelei, gaguejei não sabia o que fazer.
Thiago então me abraçou e estava tão bom aquele abraço ainda mais por ele ser maior que eu, me sentia amado e protegido dentro daquele abraço gostoso, mas então voltei a mim e percebi que estávamos no meio da rua e me afastei.
_ Esta vendo? Ainda não esta pronto.
_ Desculpa!
Disse eu saindo correndo com meu peito apertado e com lagrimas que teimavam em escorrer de meu rosto. Thiago correu atrás de mim, chamava por meu nome, mas eu não parava eu queria sumir dali, me sentia envergonhado, fraco por não conseguir ser forte para apresentar Thiago como meu namorado para meu irmão, era como se eu não merecesse seu amor, fiquei triste por estar me sentindo tão bem em um abraço tão carinhoso e ter que me afastar com medo do que poderiam dizer de alguém nos ver.
Infantil? Talvez, realmente foi um ato imaturo e sem pensar, mas naquele momento eu só queria fugir dali e de meus problemas. Entrei correndo em um terreno baldio e acabei tropeçando em uma raiz torci o pe e fiquei ali no chão chorando feito uma criança.

Continua...

Autor: Mrpr2





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.