"Os mais excitantes contos eróticos"


Dupla penetração c/ marido e filho


autor: anamaria
publicado em: 05/01/17
categoria: incesto
leituras: 26338
ver notas
Fonte: maior > menor


Para quem não leu os meus contos anteriores aqui vai um resumo. Meu marido foi para Angola durante quatro meses. Durante esse tempo tive de ajudar meu filho adolescente e acabei por lhe tirar a virgindade. Depois disso já fudemos algumas vezes e agora que os quatro meses passaram e José voltou. As saudades eram muitas e tínhamos pouco tempo para recuperar o tempo perdido. Aproveitamos uma semana de férias para matar todas as saudades. Nosso filho ia para a escola e nós passávamos o dia inteiro a fuder. José sentia saudade da minha coninha mas mais ainda do meu cusinho. Como ainda estava algum calor aproveitávamos a piscina pra nadar e fuder. Nadávamos nus e fudia-mos. De seguida descansávamos até a vontade de fuder chegasse e fudia-mos de novo. Quando chegava a noite sentia-me dorida mas muito feliz. Meu cu já latejava de tanta piroca levar. Para acompanhar a piroca no cu por vezes ainda era penetrada por o meu vibrador xxl.
Quem sofria com isto era o nosso filho. Desde que meu marido chegou nunca mais fudemos. Ele ainda tentou mas agora não dava.
- Tens a tua namorada, aproveita para a satisfazer bem. – Disse-lhe eu uma vez que ele me abordou de pau feito na cozinha.
-Achas que o papá desconfia de alguma coisa?
- Não te preocupes com isso, já te tinha dito.
Mas mal ele sabia que já tinha contado a José. Eu não tenho segredos com meu marido. A princípio não gostou muito mas quando lhe expliquei por que o fiz ele entendeu e até começou a ficar excitado com a situação.
- E como se portou o meu filho?
- Muito bem. O nosso menino está a ficar um garanhão igual ao pai.
Fudemos e atingimos grandes orgasmos e José confessou que gostava de me dividir com o nosso rebento.
- Conseguias dividir-me com ele? Olha que eu não me importava. Afinal vocês são os meus homens.
Ficamos por ali.
Passado uma semana voltamos ao trabalho. José passou a chegar tarde e a trazer trabalho para casa. Á noite depois do jantar tinha qualquer coisa para fazer. Ligava o portátil e ficava do outro lado da sala. Eu e nosso filho ficávamos a ver televisão até á hora de ir dormir.
Houve uma noite que fui fazer conchinha e como as noites já estavam frescas pus uma mantinha para nos cobrir.
Não tardou muito e sinto o pau do meu filho ficar duro. Fiquei excitada, muito excitada pois meu marido não me estava a satisfazer como eu gosto. Com uma mão desvio a cueca para o lado e dou uma roçada. Não tardou e estava a ser fudida. Lentamente mas fudida. Sentia o pau de meu filhote entrar bem fundo em mim. Tive uma ideia… como o telemóvel estava mesmo ali á mão, mandei um SMS ao meu corninho.
- Não me ligas nenhuma, mas se quiseres ver, estou a ser fudida mesmo á tua frente.
José olhou para nós, pisquei-lhe o olho. Estava a ser delicioso. Muito lentamente sinto aquele caralho entrar e sair de dentro de mim o que fez aumentar o meu prazer.
Viemo-nos em simultâneo e em surdina. Meu corninho estava capaz de vir ter connosco mas não o fez.
Meu filho vai para o quarto e ficamos sozinhos na sala.
- Mas que putinha safada. A fuder com outro com o marido ao lado! Mostra lá a tua coninha. Mostrei a minha a cona cheia de esperma e molhei os dedos e lambi a seguir.
- Gostas-te? Gostas de ver a esporra do nosso menino na minha cona?
- Gostei e tive vontade de participar também. Como achas que ele reagia?
- Não sei mas acho que ia gostar.
- Vamos arriscar. Tive uma ideia.
Depois de explicar o que ia-mos fazer a seguir fomos para o quarto. Lavei-me e meu corninho deita-se na cama e eu sento-me enterrando o seu pau no meu cu. Curvada para trás minha cona fica exposta para quem entra na porta do quarto. Mando um SMS para nosso filho.
-Amor, vem ter com a mamã ao quarto. Vem de pau feito pois vais ter uma noite fantástica.
Não demorou muito e lá estava ele á porta. Levou um susto quando viu que não estava sozinha.
-O que é isto?
A visão devia ser fenomenal. Eu com um pau no cu e a minha cona pronta para ser fodida. Mas não veio logo. José falou.
- Anda filho. Junta-te a nós. Afinal somos uma família unida e já sei o que tu e a mãe fizeram. Vem e dividimos este corpo como já dividimos outras tantas coisas.
Agora sem hesitações aproxima-se de mim. Penetra-me sem dó. Fui ás estrelas com aqueles dois paus dentro de mim.
Fudemos muito. Iam introduzindo em simultâneo um no cu outro na cona. Por vezes sentia os dois bem lá no fundo o que me fazia ver estrelas. Vim-me várias vezes. Os meu machos continuavam sem parar.
- Estou a sonhar, os meus dois homens a fuder-me. Sou a mulher mais feliz do mundo. Fodam-me. Rebentem-me toda. Hummmmmmmmmm. Haaaaaaaaaaaaaaaa. Estou a virmeeeeeeeeeeeeee.
Estava exausta.
-Mamã pode chupar-me? Nunca o fizeste.
- Posso meu amor. Só não posso é dar-te o cusinho. Esse é só do papá.
Meu filho sai de dentro de mim e dá-me o pau para chupar. Chupo como ninguém. Agora tinha um pau no cu e outo na boca enquanto massajava o meu grelinho com os dedos.
Sinto que meu filho se vai vir.
- Posso me vir nas tuas mamas?
- Podes, podes, podes… vente, esporra-meeeeeeeeeee.
Não tardou a sentir aquele esperma quentinho nas minhas mamas. José também se vem bem no fundo do meu cú.
- Estou no céu. Digam que estou no céu.- Digo enquanto me masturbo e me venho de novo. Já sem forças caí na cama.
Os meu homens saíram para a casa de banho. José contou-me mais tarde que tiveram uma longa conversa mas não entrou em pormenores.
Hoje somos uma família feliz. Meu filho continua a namorar e por vezes dorme com ela cá em casa. Eu sou de meu marido mas de vez em quando dou para meu filho ou para os dois.

Gostaram?
Comentem e votem.
Beijos…
AnaMaria




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.