"Os mais excitantes contos eróticos"


Abusada pela madrasta


autor: becky
publicado em: 15/01/17
categoria: lésbicas
leituras: 20675
ver notas
Fonte: maior > menor


Aconteceu quando eu tinha 15 anos e frequentava a casa do meu pai nos finais de semana. Minha ex-madrasta era nova deveria ter uns 26 anos na época, era alta e tinha um corpo bonito.

Em uma sexta sai da escola e fui para a casa do meu pai como de costume, mas levei uma amiga, passamos o dia no meu quarto jogando conversa fora, ela foi embora depois do jantar e meu pai disse que ia precisar viajar cedo no outro dia mas que eu pediu para eu ficar na casa com a Marta, minnha madrasta.

Sábado acordei cedo mas o meu pai já havia ido, fiquei de pijama enquanto Marta preparava nosso café da manhã, ela também estava de babydoll.

- O que vamos fazer hoje, Giovana? - Ela perguntou

- Não sei, o que vai ter de almoço?

- Só pensa em comida, como consegue comer tanto e ter um corpo desses?

- Genética, eu acho. - Respondi rindo

- Aquela sua amiga que veio ontem, era muito bonita, vcs ficaram fazendo oq?

- Sim, nada, conversamos só. - Falei

- Você acha ela bonita, nunca se beijaram? - Me perguntou

- Claro que não, eu gosto de meninos e ela também.- respondi espantada

- Me desculpa, mas é normal sentir curiosidade, não acha? - Ela insistiu

- Não. - Respondi indo até meu quarto. Entrei e tomei um banho, vi que fazia sol e decidi colocar um biquíni para ficar na piscina. Desci até a piscina e fiquei um tempo tomando sol, quando vi que ela se aproximava entrei na água. Evitei falar com ela durante o quase todo o dia, nos falamos apenas no almoço mas ela nem tocou mais no assunto. Fiquei na sala vendo um filme, eu estava com um short curto e uma blusa regata, ela se sentou e assitiu o filme comigo em silêncio e voltou a puxar assunto.

- Você tem namorado? Pode falar eu não conto para o seu pai.- perguntou insistindo

- Mais ou menos, nós já ficamos e eu gosto dele mais meu pai não ia deixar a gente namorar - falei

- Ele é muito ciumento, não ia mesmo, vocês já ficam a bastante tempo?

- Tem uns 4 meses já, escondido, mas é segredo tá - falei

- Claro, não vou falar para ninguém. E vocês já fizeram algo a mais? - Perguntou curiosa

- Não, uma vez quase mas eu fiquei com medo. - Falei

- Medo porque? Você vai adorar. Você não se masturba? - Perguntou ela

- Claro que não, eu sou virgem. - Respondi

- Não tem nada demais em ser virgem, eu posso te ensinar. - Disse ela, já passando a mão na minha coxa, e subindo pelo short até minha barriga.

- Não, tira a mão, eu já disse que gosto de meninos e não vou me masturbar. - Falei saindo em direção para meu quarto. Ela veio atrás de mim e entrou junto no quarto, deixou a porta aberta mesmo e me segurou com força pelo braço, ela era forte e eu não consegui me soltar, me abraçou por de trás de colocou a mão dentro do meu short, passou a mão pela minha bucetinha ainda por cima da calcinha e me jogou na cama, me virou para que ficasse de frente para ela e se sentou no meu colo segurando as minhas mãos para cima, eu tentava me soltar mas já estava cansada.

- Fica quieta, você vai gostar minha enteada. Vai querer mais - ela dizia.

Tentava beijar minha boca, foi beijando meu pescoço e descendo até meus seios, eu respirava fundo sem ter para onde ir, ela soltou meus braços e disse para eu não me mexer, antes que eu pudesse ver já estava nua em baixo dela, que passava a língua pelos meus mamilos, mandou que eu ficasse de quatro mas eu não o fiz, então ela pegou minha blusa e amarrou nos meus pulsos, me jogou mais para o alto da cama e abriu minhas pernas revelando minha buceta ainda virgem,com dois dedos massageava meu clitóris e com a língua acariciava a antrada da minha buceta, depois de um tempo assim enfiou um dedo na minha buceta e depois dois de uma só vez, eu senti dor e pedi para que ela parasse mais ela continuou, fiquei paralisada sem fazer nada. Depois de um tempo assim ela soltou minhas mãos e me levou para o banheiro, ensaboou todo o meu corpo dando mais atenção para a buceta, ficou nua e mandou que eu a lavasse. Se ajoelhou e voltou a chupar minha buceta, dessa vez o atrito da água e sua língua me fizeram arrepiar, me encheu de tesão e minha buceta se lubrificou, ela percebeu e nós voltamos para a cama.

- Vou pegar algo e já volto, me espera- disse ela

Nua e molhada eu não estava aguentando esperar e comecei a me tocar, mal encostava o dedo no meu clitóris e me arrepiava toda, ela voltou e ficou olhando a cena por uns minutos, entrou no quarto com um pênis de borracha na mão.

- Boa garota, você quer? - Perguntou me mostrando o seu brinquedo. Não falei nada, apenas arraganhei minhas pernas e ela veio de encontro a mim, abocanhou o pênis e depois o enfiou com cuidado em mim, tímida comecei a gemer baixinho, enquanto o prazer tomava conta do meu corpo, senti algo que te sair de mim e explodi em êxtase no meu primeiro gozo com a minha madrasta má. O cansaço me venceu e eu dormi ali, no outro dia senti minha buceta arder ao acordar e fui para um banho demorado, quando sai ela me esperava nua na cama.

- Vou ter que te amarrar de novo? Ou você já aprendeu a lição. - Perguntou

-Aprendi, mas sinto minha buceta arder.- falei

- Se você tivesse colaborado antes seria melhor, agora eu quero ver se você aprendeu mesmo, chupa aqui. - Disse apontando sua buceta. Com um pouco de receio comecei a imitando, lambendo a entrada da buceta e massageando o. clitóris, tinha um gosto muito bom. Depois de um tempo ela parou e ficamos horas fazendo um 69 apenas, ela lambia e chupava minha bucetinha e eu a dela, intensamente e com carinho até que gozamos.

Ninguém nunca ficou sabendo das nossas aventuras que votaram acontecer até meus 18 anos, ela se separou do meu pai e vive em outra cidade.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.