"Os mais excitantes contos eróticos"


“Masturbação” na casa do papai


autor: nady
publicado em: 27/01/17
categoria: hetero
leituras: 8217
ver notas
Fonte: maior > menor


Em um belo domingo de sol, sem nada pra fazer resolvi ir até a casa do meu papito para usar sua tv por assinatura. Não queria saber de nada relacionada a sexo.

Mas esse assunto me persegue.
Ligo a tv. Ela esta no canal da playboy. Meu deus, como meu pai é pervertido. Acho que sei a quem puxei rs
A cena que me deparo é a seguinte: uma loira peituda dando a buceta de quatro pra um cara, enquanto um mama até gozar na sua boca. Eu cena deliciosa. Não tive outra escolha. Fui no quarto no meu pai, fiquei peladinha e comecei a alisar minha bucetinha.
Passava o dedinho no grelo, misturava o melzinho dela de cima até embaixo. Passava no cuzinho. Que delicia.

Do nada, ouço os passos. Corro pra trancar a porta. Não deu tempo: João, amigo do meu pai adentra a porta.
Ele vê meu corpo nu, encolhido.

- o que vc está fazendo aqui João?
Seu pai pediu que viesse buscar sua chave reserva, ele trancou a dele no carro.
João, branco, cerca de 1,70 de altura, barrigudinha, nada atraente. No entanto era aquilo que eu tinha pro momento.
-nossa seu maluco, avise quando entrar na casa dos outros. Tava aqui batendo uma siririca e você me atrapalhou.

Sim, eu disse o que estava fazendo. Minha intenção era atiçar o João. Queria rola. Ele tem uma.

-Quer que eu te ajude?

Na hora deitei na cama. Vi aquele amigo safado do meu pai adentrar sua língua na minha buceta que já estava estupidamente molhada. Que língua gostosa que ele tinha. Não demorou muito já estava virando os olhos. Gozei rápido. Como nunca antes.

-que mel delicia Nady. Agora vem mamar no João, vem.

Puxei aquela pau pra minha boca como se fosse o ultimo da face da terra. Gosto muito de chupar a cabeça, o corpo e as bolas com minha língua quente e molhada, mas com esse fiz diferente: metia todo na minha garganta. Até engasgar com ele e minha baba.
João se contorcia de prazer.

-preciso fuder essa buceta. E rápido. Meu pau esta latejando. E seu pai me espera.

Me jogou na cama. Barriga pra cima. Colocou minhas pernas em seus ombros. E imitara o que eu fizera com ele: socara inteiro na minha buceta. Até o talo. Com força. Sentia suas bolas bater com violência na minha buceta.

-Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah gostoso... fode fodeeee fodeeee a delicia da filha do seu amigo.
-Que filha vagabunda que meu amigo tem, vagabunda gostosa. Vou te castigar.
E socou com muita força. Parecia que ia rasgar minha buceta.

-aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah... oooooooooooooooooooh gostoso.... delicia.... safadoooooooooooooooooooooooooooooooooo
Aaaaaaaaaaaaaaah que pau, que bolas!!!

E socava, e mais, cada vez mais. A cama rangia. Parecia que ia quebrar.
-Vou gozar nessa sua boca vagabunda.
Me sentei e senti aquela porra quente e grossa na minha garganta. Engoli todinha.

João se vestiu e foi embora. Continuei a li finalizando o trabalho interminado pelo amiguinho roludo do meu pai.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.