"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Um homem é bom, dois é demais!


autor: Sibila Markis
publicado em: 02/02/17
categoria: jovens
leituras: 8117
ver notas
Fonte: maior > menor


Às vezes me pegava pensando se era sonho ou se realmente que aquele moreninho existia! Seu cabelo pretinho, estilo moicano, era um charme. Eu viajava no corpo do jovem macho de dezoito anos. Seu jeito carinhoso me encantava e a sua pegada era de enlouquecer. Que beijo! Gabriel era tão gostoso!

Eu vivia um namoro perfeito até que...

Eu e Biel estávamos sentados numa pizzaria comendo uma pizza quando um amigo de Gabriel entrou. Vi quando passou pela porta e veio direto até nós. De longe senti o seu perfume. Não pude deixar de perceber como ele era bonito.

Dava pra ver o corpão malhado de academia através da camiseta branca agarrada no corpo. A bermuda marcava os músculos das coxas grossas. Tênis sem meia e um gingado de playboy. Todo estiloso! Um gato desses deixa qualquer uma desconcertada perto do namorado.

Contudo, não demorou muito pro gato mostrar sua ousadia. Sem ser convidado, sentou-se ao meu lado e logo mandou a letra sem graça:

-Mas olha isso!... Bielzinho de namorada!... Gostosa heim! Cara; onde tu arrumou?!

Percebi que Gabriel não gostou do comentário mas cumprimentou o colega com alegria. O amigo de infância do meu namorado que acabara de se abancar em nossa mesa tinha chegado todo espaçoso:

- Biel, Nunca ti vi com uma gata dessas... No dia que tu largar desse cara, me procura tá?!

Essa última frase ele disse pra mim, olhando bem nos meus olhos com cara de cachorro safado. Tão lindo e tão sem noção! O cara nunca tinha me visto e já chegou chegando, me cantando, todo folgado como se fosse o dono da mesa e falando pra mim o que vinha na cabeça.

Me bateu uma vergonha danada com as safadezas que ele começou a falar na frente do meu namorado. Pow! Fez meu sangue subir fervente pro rosto, queimando minha cara e me deixando vermelha feito um pimentão. Constrangedor!

Concordo que sou uma safadinha, mas a sós com meu namorado. Não em público pra todo mundo ouvir. O cara de pau queria saber o que eu fazia na cama com Biel perguntando tudo na maior altura e ainda olhava pra mim pra dizer coisas tais como: “O que essa boquinha linda não é capaz de fazer heim, Biel?!... Essa gatinha bebe leitinho?!...Aposto que é rosinha!...”

Não contive meu impulso e debaixo da mesa dei um pequeno beliscão na coxa de Gabriel, esperando que ele falasse alguma coisa.

- Para com isso, cara! Respeita minha namorada!

-Foi mal ae, só tava brincando! Tua namorada é tão gostosa que pirei!... Não precisa ficar vermelhinha não, menina!

Continuei em silêncio, só observando. Gabriel continuava sem saber o que fazer com o amigo que se mostrava embriagado. Fiquei impressionada com o tamanho da senvergonhice de David. Que cara safado!

Naquela pizzaria, em nossa mesa, rolaram piadinhas toscas o resto do jantar. David até que era divertido mas jogou pesado logo na primeira vez que me viu. Aos poucos fui entendendo que David era só um gozador, um debochado e comecei a achar suas brincadeiras mais ou menos engraçadas. Tinham momentos que eu ficava sem graça, envergonhada. Afinal eu ainda era uma menina inexperiente e com apenas dezesseis anos. Biel já estava acostumado com o jeitão do amigo e, mesmo bolado com algumas diretas que David lançava sobre mim, acabou levando tudo na brincadeira.

Daí por diante eu percebi como era intensa a ligação entre os dois amigos. Eles eram inseparáveis desde a infância. Demorei um mês de namoro para ver os dois juntos e ficar impressionada com “tanta” amizade...

Como David era folgado! Como ele se aproveitava da boa vontade de Biel! Puta que pariu! Meu namorado fazia tudo que o amigo queria e aquilo já estava começando a me incomodar.

Várias vezes, quando eu e Gabriel estávamos namorando, tranquilos em minha casa, David chamava Biel pelo celular e atrapalhava nosso namoro. Gabriel era praticamente o taxista particular de David. Parecia até que a namorada de Biel era o David ué!

Alguns meses depois do jantar na pizzaria, Gabriel e eu saímos para curtir uma balada. Não deu outra, David estava lá. Alguma coisa me dizia que a noite ia ser longa e muita coisa ia rolar...

No entanto, a balada foi demais, nos divertimos muito com nossos amigos e me acabei de tanto dançar. Sensualizei muito balançando meu bumbum! Chapei o coco na cerveja! Toda hora vinha um me trazendo uma latinha. A sede era demais e eu virava latinha por latinha.

Na hora de ir embora, meu amor me disse que queria terminar a noite em grande estilo, fazendo amorzinho gostoso numa suíte luxuosa de um dos motéis cinco estrelas da região. Ouvir aquilo me deixou bastante excitada, afinal eu já estava assanhada só de ver Gabriel dançando. Ele rebolando era um tesão. Como ele era sexy!

Quando nos despedimos da galera para curtirmos o resto da noite sozinhos, David, querendo carona, mais que depressa, entrou no carro de Gabriel, rindo, cantando, chapadão de cerveja. Eu sentei no carona completamente lesada e tentando bancar a mocinha sóbria.

No meio do caminho, eles resolveram parar num trailer pra beber a saideira. Ficamos no carro dando aquele amasso gostoso, enquanto David comprava a cerveja. Levamos um susto quando David bateu no vidro do carro ao lado de Biel e gritou:

- Vai comer aqui mesmo ou quer que embrulhe?!

- Pow! Mas que empatada, cara!

Eu já estava no ponto sentindo minha xoxota molhar de tesão e o folgado nos perturbando. Porém, ainda tinha a tal saideira... Depois de alguns minutos jogando conversa fora, David nos surpreendeu com uma de arrasar:

- Tô ligado que vocês estão indo para o Saint Tropez... E daria tudo pra ir com vocês...

- Eu heim!! Tá doido! Respondi.

- Deixa eu ir com vocês? Não vou fazer nada... só olhar!

- Que isso, cara! Tu quer ir mesmo com a gente?!...Tá de sacanagem!...

- Não tem nada demais nisso... Só tô afim de ver vocês ué!

- Sinto muito, David! Sem chance!

- Pow! Biel, vai deixar seu parça na mão?!

- Sibila não quer, tu não tá vendo?!

- Sibila tomou todas, nem sabe o que tá falando, Biel! Deixa eu ir vai?!

Então, o amigo sem noção saiu do banco de trás e puxou Biel para fora do carro e o levou para uma distância onde eu não pudesse ouvi-los. Conversaram um pouco e depois voltaram. David ficou lá fora e Gabriel entrou no carro, sentou-se ao meu lado e começou a tentar me convencer de que não tinha nada a ver, que eu podia deixar David ir e blá blá blá... Ficou me enchendo o saco.

Foi difícil tomar uma decisão meio embriagada, mas eu amava Gabriel e faria tudo para lhe fazer feliz. Até mesmo aceitar um absurdo daqueles. No entanto, aquilo havia me intrigado demais. Não entendia como o danado tinha tanto poder sobre meu namorado. Como Biel aceitava numa boa a tudo que o amigo sacana queria. Eu ficava imaginando o que estaria por trás de toda aquela submissão de Gabriel, pois ele não se recusava a nada que vinha de David. Até levar o amigo pro motel junto com a namorada.

O meu problema é que sou tesudinha demais e estava muito afim de ir pro motel e fazer amorzinho gostoso com Biel. Tão a fim! Que depois de tanta insistência acabei aceitando a proposta indecorosa de David e fomos os três para o motel. Mas antes, eu já fui falando:

- David, tu vai ficar quietinho no escuro, eu não quero te ver ok!

Chegamos no motel e Gabriel veio subindo as escadas da suíte atrás de mim me dando umas encoxadas e beijando meu pescoço. David seguia atrás em silêncio.

Na suíte, antes de mais nada, mandei que David sentasse num sofá que tinha na frente da cama e que de lá não saísse. Não estava escuro como eu queria, dava pra ver tudo, principalmente que David estava ali nos observando.

Enquanto eu e meu amor nos divertíamos explorando os espaços e o luxo do quarto de motel íamos nos pegando e arrancando nossas roupas. Nada mais perfeito que um roça roça pra esquecer.

Quando eu e Gabriel voltamos para perto da cama e percebi que David estava completamente nu, sentado no sofá. O que tinha de chato, tinha de lindo. Fiquei quieta por alguns minutos, sem reclamar que ele tinha descumprido o acordo. Não posso negar que gostei quando o vi nu em pelo. Eu tinha no quarto dois machos "enfemeados" pela ninfetinha no cio aqui.

Não sei o que aconteceu comigo, mas aquilo realmente mexeu com minha libido e passei a me exibir para David agarrando Gabriel com volúpia, tocando e beijando todo o seu corpo. Discretamente eu olhava nos olhos de David, bem ali, sentado à minha frente e podia ver como ele como estava excitado ao me ver nua e acariciando o corpo de Gabriel.

Meu amor pedia para ser chupado, já que seu pau estava duro feito um rocha nas minhas mãos. Então ele se deitou na cama e eu fiquei de quatro, com o rabão bem empinado na direção de David e comecei a chupar Gabriel.

Eu rebolava enquanto ia lambendo as coxas, passando pelas virilhas de meu namorado até chegar com os lábios em suas bolas e chupar delicadamente. Ele se contorceu de tesão quando sentiu minha boca macia e quente abocanhando lentamente a cabeça de seu pau. Mamei com gosto só a cabecinha, friccionando a língua no cabrestinho abaixo da glande. Ele ficava louco de tesão quando eu fazia aquilo. Depois fui engolindo aos poucos todo aquele pau majestoso.

Depois de alguns minutos chupando meu namorado, senti David tocando minha bunda com as duas mãos, alisando-a até minha cintura. Na mesma hora, balbuciei tentando dizer que não, que David só podia olhar. Eu queria provocar David, queria vê-lo louco tesão sem ao menos me tocar. Aquilo estava me deixando muito excitada!

A princípio David obedeceu e continuou atrás de mim olhando eu mexer meu bumbum de quatro pra ele enquanto eu chupava o pau de Gabriel.

David continuou forçando a barra. Ele me segurou pelas ancas e me lambeu por trás do cuzinho até o grelinho. Eu juro que tentei escapar dessa, mas não consegui. Impossível impedir o safado. Depois ele colocou seu pau entre minhas coxas que deslizou facilmente. Minha bucetinha estava tão molhada que deixou tudo melado entre minhas coxas. Caraca maluco! Que tesão do cacete! Contudo, continuava resistindo. Eu era inexperiente e sabia que Gabriel sentia ciúmes. Foder com dois homens era demais pra mim. Mesmo sentindo a buceta latejar de vontade eu pedia:

-Nãooo, por favor não, David!

- Deixa eu botar só um pouquinho, Sibila!... Não tô aguentando de tesão!...

Gabriel segurou minha cabeça com seu pau na minha boca e disse:

- Cala boca e me chupa putinha!

Aquela insistência estava me deixando louca. Eu dizia que “não” mas minha bucetinha gritava um “sim” bem grande e se talvez ele me segurasse com firmeza...

De repente, David me segurou forte e conseguiu encaixar seu pau na minha buceta. O safado foi invadindo aos poucos o interior de minha grutinha quente e úmida. Senti rasgando. Aquele pau grosso foi entrando com atrito me fazendo arrepiar. Tenho que admitir. Ser fodida “quase que à força” por dois homens tesudos me causou um tesão que nunca tinha sentido antes. Minha xoxota estava babada, inchada e latejando.

Assim que David enfiou seu pau até o talo na minha xoxota, ele começou a meter bem lentamente e aos poucos ele foi aumentando o ritmo das estocadas até socar com vontade. Eu chupava freneticamente o pau de Gabriel que se contorcia de prazer. Abusei da maciez de minha boca molhada com lambidas e chupadas que iam das bolas, passando por toda a extensão daquela pica duríssima até caprichar numa mamada só na cabecinha.

Minha xoxota sinalizava que o clímax estava próximo e eu já estava quase gozando quando David começou a brincar com o dedo no meu cuzinho. O amigo sacana do meu namorado, metia o pau na minha xoxota e dedo no meu anelzinho.

O tesão foi ao extremo, não pude resistir. Gemi alto, exaltada, as deliciosas contrações vinham forte lá de dentro de minha xoxota e comecei a gozar. Minha bucetinha que amo de paixão trancava sequencialmente o pau de David, que também não aguentou o tranco e puxou o pau pra fora pra gozar feito um touro na minha bunda. Gabriel foi o próximo a jorrar sua porra quente na minha boca. Engoli tudo, não restou uma gota sequer.

Assim que acabamos de gozar, estávamos os três extasiados e jogamos na cama. Eu trêmula, exalando o aroma de buceta gozada estava deitada com as pernas pra cima de cada um dos machos ao meu lado. Eu poderia gozar o resto da madrugada com aqueles dois. O tesão ainda estava demais.

Mas a surpresa ainda estava por vir. Depois de algum tempo deitados, Gabriel se refez, levantou-se puto da cama todo arrependido.

-Pow! David! Olha o que tu me fez fazer!

- Que isso, cara?! O que foi?

- Logo com a minha namorada!

- Tu que deixou, brother! Qualé?!

- Tu vive me jogando na cara aquele maldito dia!...

- Agora eu quero saber qual é o segredinho das meninas aí!

- Sibila, quando a gente era muleque, nós pegamos a tia lesada e muda de Biel na sauna do sítio do pai dele!

- E o que vocês dois fizeram de tão grave com a criatura?

- Nós só pedimos pra ela tirar a calcinha e mostrar a buceta.... Depois a gente mexeu naquela coisa cabeluda e fedorenta. A mulé pirou! Disse Gabriel.

- E o pior que depois daquele dia, Biel... Sua tia não pode me ver! Vem logo querendo arrancar a calcinha pro meu lado! Tenho que disfarçar e sair voado!

- Então é por causa dessa palhaçada que tu é pau mandado de David?! É só por isso que tu deixou o cara me comer?! Pensei que fosse uma coisa grave, seu babaca! Já deu por hoje, quero ir embora agora, acabou a putaria!

E eu que já estava pensando que a madrugada iria ser longa e que eu ia ficar de buceta ardida de tanto foder... Olha só no que deu! ... Nos vestimos e fomos embora em silêncio.

Depois daquela noite não vimos mais David e o ciúmes de Biel ficou exagerado e nosso namoro foi desgastando até acabar...





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.