"Os mais excitantes contos eróticos"


Dei pro pai e pro filho.


autor: nady
publicado em: 02/02/17
categoria: grupal
leituras: 11202
ver notas
Fonte: maior > menor



Desde meus 16 anos sempre tive preferencia por meninos mais novos. Enquanto minhas amigas queriam saber do rapazes da faculdade, minha atração era por caras mais novos.

Confesso que a virgindade do meu cuzinho e da minha buceta foram perdidas com caras mais velhos, no entanto, sempre curti um novinho.

Apesar disso, teve um momento em minha vida que senti a curiosidade de provar homens mais velhos. E sobre quando tive essa oportunidade que será a história de hoje.

Cerca de dois anos atrás conheci Fábio, 1,86 de altura, malhado, 22 anos. Nos conhecemos na academia onde treino.

De inicio ele era apenas um cara da academia. Logo nos tornamos colegas e quando percebi tava metendo com ele todos os dias.

Fábio era sensacional. Me comia no vestiário da academia, no carro, na rua... na casa dele quando seu pai não estava...rs
Faziamos de tudo, mas a preferencia daquele novinho sempre foi por anal. Ele amava quando cavalgava nele com meu cuzinho.

Certa vez, combinamos em ir a festa de um amigo da academia. Como Fábio estava com seu carro no mecânico, combinamos que eu o buscaria em casa.

Escolhi um look arrebatador: vestido vermelho, com decote profundo. Sem calcinha. Sem sutiã. Salto alto. Pronta pra matar (o Fábio de tesão no caso).

No horário combinado, eu estava lá. Assim que cheguei, liguei e Fábio pediu para que eu descesse, pois não estava pronto.

Ao bater na porta, fui recebida pelo pai de Fabio.
Tive a visão do paraíso: Marcelo, 42 anos, 1,87 de altura, barbudo, porte atlético. Aquele “coroa” era mais bonito que o filho novinho. Fiquei com a bucetinha molhadinha.

Marcelo me recebeu sorridente, pediu para que eu entrasse.
-Fábio se atrasou, mas entre, fique a vontade.
-Muito obrigada pai do Fábio- sorri maliciosamente.
-Pode me chamar de Marcelo. Vou buscar uma bebida para nós.
-Estou de motorista Marcelo, hoje não posso beber.
-Uma dose de whisky não faz mal pra ninguém.

Marcelo saiu e voltou com dois copos de whisky. Entregou um em minhas mãos.
Começamos a conversar enquanto bebíamos. Notei que o Marcelo não tirava os olhos do meu decote. Gostava de saber que aquele macho estava me desejando. Percebi um volume em seu short branco. Minha bucetinha encharcou novamente.

-Como o Fábio esta demorando.
-ele tem que caprichar guria. Porque você merece. Apesar que duvido que ele fique a sua altura.
-nossa, assim fico sem graça- sorri maliciosamente.

Já se passavam mais de meia hora e nem sinal do Fábio. Marcelo me trouxe mais uma dose. Bebemos ela toda. Papo vai, papo vem, sentamos no mesmo sofá. Já nos aproximamos bem mais que no início da conversa. Marcelo ousa e coloca sua mão nas minhas coxas. Apenas as pousa ali. Percebe minha anuência e decide ser mais ousado. Começa a aperta-las. Sorrio, concordando com o ato que fizera. Ele sobe mais as mãos, vai até minha virilha. Percebe que estou sem calcinha.

Olho para sua bermuda e vejo aquele volume enorme. Não resisto e coloco minhas mãos. Começo a massagear por cima da bermuda. Marcelo enquanto isso enfia os dedinhos na minha bucetinha. Nos beijamos. Que beijo maravilhoso desse coroa. Cheio de língua. Molhado. Parece que vai me devorar. Fico mais excitada.

Marcelo abaixa sua bermuda e fica de frente pra mim. Começo a chupar aquele cacete. Começo pelas bolas. Pego na base do pau e enfio as bolas com delicadeza em minha boca. Babo elas todinha. Passo a língua em cada uma. Engulo de novo. Ouço gemidos. Subo pelo corpo do pau até chegar na cabeça... passo a língua em volta dele todinho. Deixo bem babado. Dou uma cuspidinha e bato uma punheta deliciosa enquanto fodo a cabeça daquele pau.

Cansada de só chupar a cabeça, depois de minutos, decido engulir aquele pau inteiro. Sinto ele bater na minha garganta, mas continuo a engolir.
Sinto que estou sendo observada. Estou certa: Fábio nos ve ali.
- mas pai, de novo!
-Ah filho, não tenho culpa de você só sair com putinha gostosa.
- toda vez isso, puta merda. Não vou deixar ela só pra você não.
-Calma garotos. Tem Nady para os dois. Tenho dois buraquinhos.

Fábio sorri e também tira suas roupas. Era tudo que eu queria: dois mastros enormes para me comer. Pai e filho. Um coroa e um novinho. Resolvi arrancar meu vestido. Fico de quatro chupando Marcelo. Fábio vem por tras e chupa minha buceta e meu cuzinho aos mesmo tempo. Que trenzinho mais gostoso. Trenzinho da putaria. Todos os três ali satisfeitos. Eu com dois machos só pra mim.

Estava super molhada. Também não era pra menos: um coroa pauzudo com seu pau na minha boca e um novinho tarado me chupando e me dedilhando. Era a garota mais feliz do mundo!

-Sua putinha senta no meu caralho que quero arregaçar essa buceta- disse Marcelo.
- Claro roludo, senta ai que sua arizona vai cavalgar bastante nesse cavalo.

Ele se deitou ali no tapete da sala. Eu encaixei minha bucetinha molhada no seu pau. Ele entrou sem dificuldade. Parece que aquele mastro tinha sido feito pra ser enterrado naquele buraco. No meu buraco. Meu buraco safado. Meu buraco sedento por pica.

Comecei a cavalgar daquele pau. Pulava com força... com muita vontade. Estava sedenta pra matar meu fetiche em ser comida por um coroa. E sendo esse coroa o pai do meu peguete o tesão era em dobro. Fábio se direcionou em minha frente, para que eu o fizesse um boquete.

Estava eu ali, satisfazendo pai e filho... um com o pau na minha buceta e o outro com o pau na minha boca. Tudo que fazia em cima, fazia embaixo. Engolia fundo. Engolia raso. Não queria ngm enciumado. A Nady era dos dois...rs

-Nady, sua safada, empina essa bunda que vou comer esse cuzinho que eu tanto amo- disse Fábio.

Na hora ainda com o pau do Marcelo em minha buceta, me deitei sobre seu corpo, mas sem desencaixar. Empinei meu bumbum para que o Fábio me comesse por tras e seu pai Marcelo pela frente.

Fábio cuspiu no meu cuzinho uma vez, passou o dedo. Cuspiu outra, passou o pau. Cuspiu mais uma e me adentrou de uma só vez. Parecia enciumado, que queria me rasgar. Mas eu amo quando um pau me deflora no cuzinho com violência.
-Você gosta disso né sua vagabunda, então aguenta. Achou que ia dar só pra o pai, mas o filho também vai participar, sua vadia, sua vadia deliciosa!!!

Estava eu ali... Marcelo me comendo pela buceta e seu filho Fábio me deflorando pelo cu. Os três eramos um só. O mesmo movimento. Suores misturados, gemidos intensos.
-Aaaaaaaaaaah seu gostosos, me comam. Isso, me comam bem gostoso. Sou a putinha de vocês.

Não aguentei aquela cena e fui a primeira a gozar.
Marcelo sentiu meu gozo e aumento as estocadas na minha buceta. Fábio seguiu o movimento no meu cuzinho. Eu estava amando. Senti meu cuzinho ficar quente. Senti três jatos de porra dentro dele. Fábio gozara. Depois, caira desfalecido no sofá.

O papai safado continuava ali, incansável. Tirou seu pau da minha buceta e me mandou ficar de quatro. Obedeci. Ele enfiou seu pau novamente na minha buceta.
-vem cá sua safada, achou que eu não te aguentava? Vou fuder sua buceta mais. E vou encher ela de porra.

Ele começou a me comer com muita força... e batia na minha bunda.
Socava profundamente seu mastro na minha buceta. Eu gemia alto. Ele gemia junto comigo. E socava cada vez mais forte e rápido. Era a melhor sensação do mundo. Me sentia devorada. Ele socava seu pau inteiro em mim. Adorava ouvir o barulho do seu saco batendo em minha bunda enquanto era penetrada profundamente.
Gozei novamente. Ele sentiu meu melzinho escorrer em seu pau e aumentou as estocadas dentro de mim.
Metia com mais profundidade. Até que senti seu leitinho dentro de mim. Ele tirou de dentro da minha buceta e socou na minha boca. Gozou um pouco na minha boca.

Foi a melhor foda pai e filho que tive até hoje.

Depois desse fato, Fábio não quis mais sair comigo. Mas seu pai, Marcelo continuou me comendo por muito tempo... só que só comia meu cuzinho. E eu adorava ser deflorada no cu por aquele coroa gostoso.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.