"Os mais excitantes contos eróticos"


Os deveres de uma professora


autor: Safadum
publicado em: 05/02/17
categoria: aventura
leituras: 3174
ver notas
Fonte: maior > menor


Eu odeio apresentações,sou um pouco tímido,mas não é hora para isso,então vamos ao que interessa. Eu sou Vinícius,tenho 16 anos, sou estudante do 2 ano do ensino médio,eu estudo em um colégio um tanto raro,mesmo sendo um colégio que permite a entrada de alunos de ambos os sexo,nessa escola só há 3 garotos,o resto só do sexo oposto,até professores são mulheres,é a diretora,eu não consigo chegar perto dela e quando isso acontece,bom,eu fico me tremendo muito.
Primeiro dia de aula,conheci Daniel,o bagunceiro da escola,o odiado, só depois de um mês ele começou a falar normal comigo,devia ser por eu ser um dos poucos garotos dá escola,por isso não considero ele amigo.
Agora vamos à parte dessa história que mudou para sempre a minha vida.

No meio do semestre,o dia estava quente,a sala em completo silêncio,apenas o bater de lápis nas carteiras,os alunos começam a sair,e derrepente a sala fica praticamente vazia,somente eu, Daniel,é a professora substituta,a Srt.Jessica que eu fui conhecer hoje pois estava de cama essa semana e não vi ela chegar. Daniel dá um soco no meu ombro,entrega sua prova e sai pela porta sorrindo como ele sempre faz,olho para a minha prova,vejo que não fiz nada,olho para o relógio e penso:

- meu tempo está acabando...

A professora baixa seus óculos de armação vermelha,se levanta e vem andando em minha direção,meus batimentos aceleram,minha respiração fica em total descontrole a cada toque de seu salto no chão,me arrepio ao sentir ela olhar para mim e minha prova,e ela diz em sua voz sensual:

- está com problemas?

Tento levantar a cabeça mas meu corpo não responde,suor desce pelas minha costa,e ela toca meu ombro o massageando de forma estranha,eu fico corado no mesmo momento,ela olha para o relógio,pega minha prova e vai caminhando até sua mesa,pega suas coisas e vai até a porta logo dizendo:

- quero você na minha sala no termino das aulas

Vejo ela fecha a porta,fico suando no meu lugar,logo depois vou correndo até o banheiro.
No fim da tarde, depois das aulas terminarem,como combinado eu vou até a sala da Srt.Jessica,os corredores vazios, provavelmente só há eu o zelador e ela no prédio agora;paro em frente a porta tentando absorver coragem para enfrentar o que está do outro lado,me sinto mau pois espero receber algo ruim depois dessa porta. Balanço a cabeça,tomo coragem,empurro a porta lentamente fazendo ela ranger,coloco meus pés para dentro da sala e fecho a porta atrás mim,olho para todos os lados não vendo ninguém por um momento,até que em um lugar escuro da sala ouço uma voz feminina:

- que bom que você veio

Com os olhos meus serrados vejo minha professora sair de seu canto escuro e vir caminhando em minha direção com uma langerie preta com detalhes vermelhos,aquilo me da arrepios,eu me apoio na porta com os olhos arregalados muito envergonhado,mas querendo que aquilo dure para sempre ela se aproxima e para com as mãos na cintura à 1 metro de distância de mim,e diz:

- eu andei vendo suas notas anteriores, você parece não se esforçar, você precisa motivação Vinícius,sorte a sua eu estar aqui,a partir de agora eu vou estimular esses neurônios a funcionarem,mas vai ser da minha forma

Ela olha para mim tirando seus óculos rindo para mim de uma forma estranha que eu nunca tinha visto em uma garota antes,tento mostrar que estou calmo me colocando de pé na frente dela e cruzando os braço,logo digo:

- c-como é,essa técnica Srt.Jessica?

Ela se aproxima tocando os seios em meu peito, pois somos praticamente da mesma altura;sinto sua respiração,seus batimentos,a sensação é muito boa,sentir algo tão macio e ao mesmo tempo rijo em mim e sensacional,quando estou tentando recobrar a consciência ela diz:

- chame como quiser,mas minha técnica você não pode usar com mais ninguém OK?

Aceno positivamente não entendendo muito bem o que ela disse,ela segura minha mão e me leva até a sua mesa onde se senta com as pernas abertas em direção a mim deslizando as mãos em seu corpo,logo dizendo com a voz entre gemidos:

- o dever de uma professora e ajudar seus alunos independente do que ela tenha que sacrificar,mesmo que isso seja sua virgindade

Olho para ela em estado de choque,e vou me aproximando lentamente tentando não fazer contato visual olhando para seus seios,digo:

- Srt.Jessica...

Ela olha para mim com seu olhar excitado,tira seu sutiã deixando seus seios amostra,me puxa para si enfiando meu rosto neles,fico sem respirar,e falo abafado:

- isso não é uma punição né?Se for eu quero ser punido mas vezes

Seguro os seios de minha sensei massageio sem jeito,ela revira os olhos arfando olhando para o teto,eu toco meus lábios neles e chupo como se eu dependesse deles naquele momento,ela aperta as pernas nas minhas costas,e diz seguido de gemidos:

- você está indo bem,mas eu quero sua boca em outro lugar agora

Ela ri de forma sádica para mim como se quiser me devorar,ela desliza uma mão sobre seu corpo passando entre seus seios,descendo na sua barriga até a sua calcinha onde ela dá três tapinhas,e morde seus lábios dizendo:

- quero que tire ela para mim...

Me ajoelho deixando meu rosto na altura de seu sexo,beijos os pés dela e chupo os dedos também,deslizo minhas mãos pela perna de Jéssica, depósito minha boca por cima da calcinhas dela é a estimulo com minha língua,o cheiro dela é insuportável,desejo cada vez mais estar dentro de minha professora.Meus dedos seguram a borda de sua langerie é tiro ela deslizando pelas pernas dela,dou um sorriso ao ver a buceta de Srt.jessica na minha frente,e digo;

- eu não aguento ficar aqui olhando

Caio de boca na buceta dela,deslizo minha língua por toda a sua abertura parando no clitóris dela que já está duro de excitação,eu o mordo com força,sinto ela gemer alto e a retribuo atolando dois dedos na vagina dela fazendo movimentos giratórios a deixando louca.
Depois de alguns minutos ela goza em minha boca,sinto aquilo jorrar no meu rosto e sujando parte do meu uniforme;abrindo a sua buceta na minha frente ela fala ofegante:

- acho que já pode usar o seu brinquedo aqui

Meu pau já duro estava implorando para sair,eu desço o zíper,tiro minha calça e minha cueca fazendo meu pau saltar para fora,ela morde os lábios descendo da mesa e pega meu membro rijo em suas mãos o masturbando rápido enquanto olha para mim sorridente demonstrando seu lado mais pevertido,ela toca a língua na ponta tirando meu pré sêmen e se deliciando,logo com sua voz rouca ela diz:

- eu quero que goze para mim, não se preocupe,pode despejar sua porra em onde quiser

Sorrio para ela,,ela me chupa com bastante tesão,colocando tudo para dentro eu sinto ele toca a garganta dela,ela faz movimentos apressados - ela que ver minha porra logo, então vou dar tudo que tenho para agradar a Jéssica-senpai - meu pau com suas veias saltando dentro da boca dela lateja,dando sinais que estou chegando no meu limite,entre gemidos e digo com a voz saindo entre meus lábios apertados:

- Srt.Jess...!

Minha mente em branco,olho ela é vejo meu gozo sair pelo canto de sua boca escorrendo para seus seios desnudos,aquela cena me deixa tão excitado que meu pau percebe minha vontade ficando duro e pronto para a próxima,ela diz engolindo minha porra:

- foi tão rápido,mas isso aqui é tão grosso e pegajoso,eu sinto a luxúria me consumindo

No chão puxo a perna dela de encontro ao meu colo,e digo:

- ainda não acabou, quero sentir o seu gosto mais profundo

Ela se contorce gemendo após ouvir minhas palavras,seus lábios presos por seus dentes demonstram tamanha excitação - ela me deseja,e eu também desejo ela - com meu pênis em sua abertura,eu deslizo ele para cima e para baixo a irritando,logo diz manhosa:

- não faça isso, é uma tortura para mim,coloque logo ele e não me deixe esperando!

Sorrio de canto,e vou empurrando meu pau para dentro dela com dificuldade, Jessica arfando fecha os olhos,sinto ela se contrair,digo:

- você é tão apertada Srt.jessica...

Ela grita excitada:

- somente Jéssica,eu sou Jessica só para você

Com a metade do meu pau para dentro vejo a expressão de dor em seu rosto - me desculpe por isso sensei - empurro tudo para dentro sentindo seu útero beijar a ponta de meu pau,e cada vez que tento tirar ele pra fora e como se sua buceta me puxa-se para dentro,eu bombeio com dificuldade e vou acelerando gradativamente,ela geme e entre afagos grita meu nome,isso me deixa cada vez mais motivado,levanto o quadril dela indo mais fundo,o sangue de seu hímen aparecesse quando eu retiro meu pau para dar as estocadas,ela começa a rebola e diz:

- eu-eu-eu....estou me sentindo tão bem com você aqui, não vou aguentar, não pare!!!!

Ela goza seu néctar em um esguicho fascinante que respinga em mim,sem parar eu continuo as estocada colocando jéssica-senpai de quatro para mim apoiada a sua mesa,seguro o quadril de minha sensei apertando com força,ela geme cada vez que entro na sua vagina suculenta,ofegante ela fala:

- você é tão,mau,essa é minha primeira vez,deveria ser mais gentil...

Dou uma estocada forte e paro dizendo:

- você disse que daria tudo para ajudar seus alunos lembra?

Ela geme baixinho,eu arfo e fico em silêncio,seguro o cabelo dela a puxando para perto de mim é continuo fudendo ela na vertical,nossos corpos fazem sons obscenos a cada choque de nossos corpos,ela quica delirando em meu pau,perto do clímax eu latejo dentro dela,sinto as contrações dela ficarem mais fortes:

- jéssica...vou...!

Ela fecha os olhos e sentando na mesa sem tirar de dentro,ela rebola enquanto massageia seu clitóris e um de seus seios,grita alto mas eu não escuto - sorte estarmos sozinho - ela insiste dizendo:

- eu vou...gozar, faça isso comigo, vamos fazer isso juntos!!

A cada estocada ela grita meu nome dizendo palavrões,eu dou o último suspiro antes de gozar junto a ela,nosso liquido se misturam formando um só símbolo de prazer,ela cai sobre meus braços exausta,e no meu ouvido sussurra:

- amanhã quero você aqui denovo.



Em breve a continuação
Daniel não foi esquecido ainda....



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.