"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Glaucia a crente puta de sorte.


autor: neiva
publicado em: 17/02/17
categoria: traição
leituras: 5399
ver notas
Fonte: maior > menor


Após minha primeira trepada com Dick meu cachorro, parece que aumentou meu fogo por pica, apesar do medo de ser pega ou contrair alguma doença sempre que possível dava umas chupadas naquela pica imensa de Dick e à noite descarregava em Luiz apesar de sua minúscula pica ainda assim dava pra ter algum orgasmo. Vejam vocês se sou ou não uma puta de sorte. Certo dia na oficina em que Luiz trabalhava, chegou um camarada com um problema no carro uma caminhonete dessas importadas, cujo defeito ele já havia levado em todas as autorizadas e ninguém conseguia descobrir o defeito e indicaram justamente Luiz. Acontece que esse cara trabalhava em uma multinacional e Luiz conseguiu resolver o problema dele. O camarada gostou tanto do serviço que deu-lhe o cartão dele e disse se Luiz tivesse interesse em trabalhar embarcado era para procura-lo. Luiz ao chegar em casa cotou-me o ocorrido e perguntou o que eu achava? respondi que profissionalmente era ótimo para ele e que deveria pelo menos tentar. Ele ficou na defensiva procurando desculpas pois estávamos casados a quase um ano e não queria me deixar sozinha numa cidade onde eu mal conhecia as pessoas, apenas o circulo de sua família e da igreja. Incentivei ele a pelo menos fazer um teste e se fosse aprovado ele resolveria se era vantajoso. Luiz meio relutante disse que iria pensar e ligar pro tal homem. Até ai tudo bem, deixando o cartão do cidadão sobre a cômoda, curiosa esperei ele ir pro banheiro e olhei o cartão, afim de saber o contato do cara (e-mail, celular, empresa) quase desmaio ao pegar o cartão; o cara era nada mais, nada menos Edvan o cara com quem dei corno em Luiz na minha lua de mel na pousada. Mundo pequeno esse. Não resistir nem hesitei em passar-lhe uma mensagem de texto. Me identifiquei e relatei os fatos pedindo a ele pra me ligar naquele numero para que possamos conversar. Luiz nessa noite ao irmos ao culto na igreja, pediu ao pastor para orientá-lo no que deveria fazer. O Pastor dissera que era um aviso de Jesus e ele deveria aproveitar a oportunidade desta dádiva, afinal de contas seria um dízimo maior pra sua igreja. Isso me deixou mais tranquila pois a opinião do Pastor favorecia em muito uma decisão de Luiz. Ao chegarmos em casa notei que havia uma mensagem no celular, entrei no banheiro e abrir, era de Edvan querendo saber onde eu morava que queria me ver. Respondi a ele que Luiz saia todos os dias às 7 horas da manhã. Edvan ao invés de responder ligou diretamente pro meu celular, aos cochichos recebi a ligação saudando ele que disse não ter me esquecido e nunca tinha comido uma putinha tão gostosa e safada como eu, e estava querendo me fuder de novo. Confidenciei que também não tinha esquecido dele mas estava numa situação que não podia me arriscar. Ele então me disse que no dia seguinte iria até a oficina a título de que Luiz desse uma olhada no carro e daria carona a ele até em casa, e assim saberia como me achar. Fiz uma proposta a ele: ele empregaria Luiz e colocaria ele na escala contraria a dele (Edvan) assim quando Luiz estivesse trabalhando ele estaria folgando e nós podíamos fuder a vontade. Assim foi feito. No dia seguinte Edvan foi à oficina e levou Luiz a dar umas voltas no carro testando e conversaram a respeito do trabalho. Luiz na defensiva disse que não cabia a ele decidi e sim a mim. Foi a deixa pra Edvan propor ir até nossa casa conversar comigo, o que fez. Quando vi meu corninho chegando com meu macho o cara que me fez cachorra com seus amigos na praia, minha buceta ficou toda melada, Edvan estava mais lindo ainda, óculos Ray Ban no rosto gostoso dos pés a cabeça. Entraram em casa fomos (sic) apresentados, e sentamos a conversar sobre o trabalho e tal, tudo acertado, Edvan fez uma ligação para o setor pessoal informou sobre Luiz e que ele iria pegar as guias de admissão pela manhã e que queria Luiz embarcado o quanto antes, assim na lata. Nos despedimos e Luiz se foi para a oficina resolver sua vida com seu tio. Não deu nem 15 minutos que Edvan saíra lá de casa já estava de volta parou um pouco à frente de minha porta e ligou-me. Queria me foder só que queria me levar a um motel, pra ficar mais a vontade. Respondi que era impossível naquele momento não teria desculpas nenhuma a dar, mas se ele quisesse entrar daríamos uma fodinha rápida pra matar a saudade. Edvan estava enlouquecido e queria passar a tarde toda fodendo. Acertei com ele para a manhã seguinte pois teria que fazer mercado ele me pegaria lá e ficaríamos até meio dia no motel. Luiz meu corno iria fazer os exames e só voltaria a tarde, teríamos todo tempo do mundo. À noite Luiz estava tão feliz que tudo estava correndo bem, que após voltarmos do culto se entusiasmou e me fodeu bem melhor que o normal ensaiou chupar minha buceta discretamente por respeito, afinal de contas mulher de crente deve ser comedida e respeitada, pela primeira vez em quase um ano gozei naquele pauzinho tamanha era a vontade que ele enfiava seu pintinho, agradecida beijei-lhe carinhosamente os lábios e ainda bati uma punhetinha de brinde, e dormimos tranquilamente. Pela manhã Luiz saiu cedo à base da Empresa e apressadamente liguei pra Edvan, o filho da puta já estava na esquina da rua estacionado, vendo meu corninho sair, disparei em direção ao seu carro olhei ao redor e embarquei rumo ao motel, enquanto estávamos chegando os casais iam saindo do motel, nem precisei me esconder pois estava entalada chupando meu macho engasgada com sua pica em minha boca. Entramos já nos agarrando loucos de fogo arrancando as roupas alucinadamente chupando sua língua, ele apertando meus peitinhos, enfiando os dedos em meu cu, uma loucura, me chamava de gostosa, vagabunda, safada, cachorra, crente puta, fizemos um 69 sensacional gozando diversas vezes em sua boca, e ele na minha engoli muita gala com gosto estava num tesão que minha buceta contraia sua língua sufocando ele, eu rebolava escorrendo meu gozo em sua cara, chamando ele de tarado, gostoso, safado, desfalecendo de tanto gozar. Não demorou muito estávamos entrelaçados de novo seu pau teimava em não amolecer enfiou em minha buceta profundamente socando com força, parecia querer atravessar meu corpo, até explodir em gozo dentro da minha buceta um rio de esperma, gozei múltiplas vezes enfiada naquela pica gostosa apertando em contrações vaginais seu pau faminta querendo prender sua pica dentro de mim, arrancando suspiros e gemidos, palavrões de todo calibre. Retirando seu pau de mim extasiado gemia baixinho falando que crente gostosa, puta de primeira, ouvindo isso não me contive segurei seu pau punhetando ele amolecido colei minha boca engolindo todinha que reagiu endurecendo aos poucos estava em minha garganta, lágrimas escorriam dos olhos, chupei o mais que pude, e cavalguei enfiando outra vez em minha gulosa buceta, quiquei, pulei, saltei, parecia estar possuída gozando feito louca ele chupando meus pequenos seios, apertando minha bunda dura e empinada, caímos de lado exausto, escorrendo esperma e suco vaginal, fomos ao banheiro e tomamos banho juntinhos, agarradinhos chupando língua, namorando, ofereci meu cu a ele abrindo as nádegas ele enfiou sua língua em meu cu abrindo e colocando dois três dedos dentro. escanchei minhas pernas em torno de sua cintura pendurada em seu pescoço beijando sua boca pedi pra ele meter em meu cu ele ajeitou seu pau e sem dó enfiou primeiro a cabeça e foi enfiando o resto, me fazendo ver estrelas me conduziu até a cama socou no cu primeiro devagar aproveitando a posição depois mais rápido e profundo acelerando as estocadas gozou mais uma vez enchendo meu cu de porra que depois de retirar sua pica lambeu e chupou seu esperma que escorria de meu cu. Foi uma manhã perfeita. Nos vestimos eram quase 11:00 da manhã precisava ir ao mercado comprar algo que justificasse minha demora caso Luiz meu corno chegasse. Edvan mais uma vez me surpreendeu; na mala do carro estava uma feira completa ele havia feito ontem depois de sair lá de casa. Do próprio motel Edvan ligou pra Empresa querendo saber de Luiz. A secretária lhe avisou que correu tudo bem ele já havia feito a ficha entregou os documentos necessários e foi fazer os exames admissionais, querendo saber em qual turno era pra coloca-lo. Edvan respondeu que um que não coincidisse com o dele pois pareceria que era um protegido. mentiu. Ela de pronto disse que enviaria via e-mail a tabela para que ele escolhesse. Retornei para casa de táxi após Edvan ligar pra um taxista amigo dele que me levou até em casa. Taxista este que deixou um cartão comigo pra alguma necessidade. Necessidade essa que eu tive porém não para pegar um táxi, mas pra pegar o taxista. Depois eu conto.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.