"Os mais excitantes contos eróticos"

 

54 - Presente de aniversário


autor: bernardo
publicado em: 26/02/17
categoria: hetero
leituras: 1962
ver notas
Fonte: maior > menor


Gisele e Edu estão indo para um motel, finalmente o sonho deles irá se realizar. Como prometido Edu está dando o seu presente de aniversário, levando-a para um negrão come-la enquanto ele fica só olhando. A expectativa deles é imensa e mal conseguem disfarçar a tensão e o nervosismo.

Gisele está deslumbrantemente gostosa e vestida conforme ele havia pedido, com uma minissaia jeans deliciosa, uma blusinha solta sem sutiã, e com aquele sapatinho preto que deixa seu pezinho sujinho e com aquele chulezinho maravilhoso.

Ao chegar e ao entrarem na suíte solicitada, Edu logo se senta na poltrona e já vê o negrão que estava esperando-os se aproximar da esposa e encoxá-la. Gisele ainda meio tímida corresponde e o deixa chegar bem perto enquanto Edu, o marido, só observa e começa a ficar excitado. O negrão levanta a blusa dela e começa a acariciar seus seios, e ela então começa a se soltar mais e vai ficando também muito excitada.

A cada vez que Gisele olhava para o marido com aquela cara linda de safada parece que os dois ficavam ainda mais com tesão um pelo outro, nisso o negrão contratado começa a chupar os peitos dela ao mesmo tempo passa a mão na sua bunda, apertando com força com as mãos grandes e ásperas. Num ímpeto de tesão Gisele começa a apalpar o pênis dele por cima da calça, e Edu mal pode acreditar que está vendo aquilo bem na sua frente, sua querida esposa sendo chupada, encoxada e ao mesmo tempo acariciando outro pau, que não era o seu, e sentindo muito tesão.

Nessa hora ele não consegue mais se conter e começa a mexer no seu pau, já duro como pedra, e um sentimento estranho e extremamente forte toma conta dele, ao mesmo tempo que não consegue acreditar no que vê, sua esposa sendo comida por por negrão safado.

Gisele cada vez mais solta e excitada, desabotoa a calça do macho contratado e pega na pica, batendo uma pequena e leve punheta, enquanto ele não para de apertar sua bunda e chupar seus seios. Edu quase gozou quando a viu puxar para fora da cueca a rola, já dura e lustrosa e com um imenso cabeção. Ver a mãozinha da esposa punhetando bem de leve aquele cacetão foi foda e muito forte a sensação, à medida que ela ia punhetando o negrão ela olha para ele e diz:

- Esta vendo que rolão amor? Está quente e muito dura, você quer que eu ponha ela na boca?

Enquanto isso ele já arrancou sua calcinha e enfia o dedo na buceta dela que está molhada pra cacete.

Gisele então vai na direção do marido e começa a beijá-lo de língua. Edu, quase explodiu de tesão, entre um beijo bem molhado e outro, ela diz:

- Amor, tá vendo essa linguinha e essa boquinha? Eu agora vou chupar a rola dele, vou engolir aquele cacetão e você vai ficar aqui só olhando tá bom?

Ele acena com a cabeça enquanto nota o negrão olhando para eles punhetando a vara negra bem devagar. Gisele com a mão traz aquela rola para bem perto de onde ela e o marido está, ajoelha e fica punhetando e olha como uma putinha para Edu. Ele pode vê-la bem de perto com aquela rola próxima do seu rosto e seu olhar de puta no cio vai deixando-o louco. De tão perto, que estava ele pode até sentir o cheiro, que a essa altura já é um cheiro de sexo. E assim pode vê-la lentamente dar um beijo bem molhado e gostoso na cabeçorra dele, e ver também que ele de tão excitado já tinha o líquido viscoso na ponta. Ela então abre bem a boquinha e numa investida enfia o quanto pode daquela vara na boca, fecha e por alguns segundos parece saborear a pica dele. Com a boca fechada, Edu ainda pode notar que a língua dela percorre toda glande e o resto do pau, como se estivesse saboreando um sorvete de chocolate. O negrão safado não se aguenta de tesão e mexe a cabeça para cima, louco de tesão....

Daí Gisele começa uma sequência de chupadas maravilhosas, o som da sua boca engolindo aquele varão é para seu marido uma sensação extraordinariamente maluca. A cada estocada dele em sua boca, ela parece querer engolir mais e mais aquele imenso pedaço de carne negra. Depois de um tempo já com a boca toda molhada ela tira a pica da boca, chega perto do marido e lhe dá um beijo de língua fantástico... Ele ainda se lembra do gosto salgado e molhado daquele beijo e nessa hora gozou como louco na cueca, não queria que ela parasse de lhe beijar pois aquele gosto estava sensacional e o deixava com muito tesão.

Ela então vira e diz:

- Ah amor, já gozou né. Agora você fica aí olhando que ele vai me comer gostoso. Estou louca para receber esse pauzão na minha xoxotinha.

O safado então a puxa para cama, põe a camisinha rapidamente e primeiramente num papai-mamãe começa a comê-la bem ali na sua frente. Edu até achou que ela ia reclamar de dor devido ao tamanho da rola dele, mas a buceta dela estava totalmente encharcada pois a cada estocada ela parecia estar acostumada com aquilo. Depois de várias estocadas, Gisele vira de bruço e pega o Ky e fala que está louca de vontade de dar o cú. Ela então vira de frente para o marido e o negrão por trás aponta a vara e começa a comer seu cuzinho. A expressão de dor e prazer que ela está sentindo o deixa novamente maluco e à medida que ele vai enterrando a vara no cú dela, seu tesão vai as alturas e ela parece ser agora uma puta descontrolada, louca por rola. Daí então o negrão senta na cama e ela senta no colo dele com a vara enterrada no cú. Como coqueirinho Edu pode ver claramente seu cú engolir toda rola dele, e nessa hora vem a surpresa ela tira seu sapato e chama Edu com os pés e diz:

- Vem amor, vem cheirar meu pé sujinho enquanto ele come meu cú, deixei meu pé do jeito que você gosta só para me ver fodendo com ele, assim enquanto eu esfrego meu pé na sua cara ele come meu cú! Vem meu putinho safado!

Edu chega mais perto e mal pode acreditar no cheiro e no estado do pé, bem sujinho e com aquele chulezinho azedo bem fortinho. As cenas se alternaram, ora ele vê o pé sujinho na cara, ora o vê enterrando a vara no cú da esposinha e quase goza pela segunda vez. Ela parece sentir também seu tesão e esfrega sem parar o pé na cara do marido e diz:

- Isso amor, deixa meu pé bem limpinho para eu poder dar bem gostoso para ele. Olha como ele come meu cú, ele merece uma putinha bem limpinha, aliás você pode também chupar minha buceta enquanto ele come meu cú....

Nessa altura Edu percebe que ela já perdeu completamente o pudor e virou uma puta das maiores. A medida que ele vai chegando perto vai sentindo aquele forte cheiro de sexo, uma mistura forte de cheiros, da sua buceta, seu cú, a rola dele, dos líquidos que a essa altura sobram em todo corpo....quando ele começo a chupar a buceta dela com gosto salgado e látex, ela imediatamente goza como nunca, uma explosão que quase a leva ao desmaio, e então grita:

- Caralho que tesão gozar com essa rola no meu cú!! Enterra tudo negão, enterra até o saco, eu sou sua puta e quero dar pra você, arrebenta meu cú, caralho....

Depois de alguns instantes Edu a vê em um delicioso orgasmo completo e absoluto....e ela então diz:

- Vem me beijar meu amor, eu te amo muito!! Adoro dar pra outro e você me olhando, eu sou tua mulherzinha que adora dar pra outro cara com rola grande!!

O beijo deles foi intenso, molhado e com solavancos devido as estocadas do negrão no cú dela. Edu pode até ver lágrimas caindo dos olhos da esposa que entre um beijo e outro diz safadamente:

- Vou te dar um presente, vou deixar ele gozar na minha cara pra você ficar louco de tesão....

O negrão então se levantou, tirou a camisinha, ela se ajoelhou bem na frente dele e bem perto do marido e alternadamente beija, com um selinho a boca do Edu e a rola do negrão. Edu pode sentir bem forte agora o cheiro e o calor da rola dele, que segura a cabeça dela por trás e numa punheta bem leve bate com a rola na cara dela e ela diz:

- Isso negrão bate na minha cara com essa rola deliciosa, bate e goza gostoso, enche minha cara de porra... você quer querido, que ver ele gozar na minha cara, quer?

Edu acenou novamente com a cabeça e por incrível que pareça mal pode esperar pra ver aquela porra saindo e pintando a cara da sua querida esposa. Poucos segundos depois saem dois fortes jatos, espessos e longos fazendo dois riscos brancos no seu rosto, indo do queixo até o cabelo, e logo depois como numa pintura de um belo quadro, mais quatro desses voam e desenham lindos traços de porra na cara dela, mal dá pra ver seus olhos, nariz e boca de tanta porra que agora cobrem quase rosto todo....

Inacreditavelmente Gisele começa a levar com o dedo toda porra que pode para a boca e como um churros bem melado e doce, chupa toda a rola do negrão e vai engolindo tudo que pode, sem a menor cerimônia e pudor...em pouco tempo Edu vê seu rosto ainda melado mas quase sem nenhum porra, toda ela já dentro da sua boca e estômago. O Negrão safado se deita na cama de tanto que gozou e ela como num último suspiro ainda insiste em colocar a rola dele até sua garganta para saborear tudo. Ela então se levanta, vai até ao marido e lhe dá mais beijo daqueles, só mesmo num momento como aquele em que estava louco de tesão é que ele pode aceitar aquilo, beijá-la com a cara melada de porra, cheiro de porra e a boca com gosto de porra, e enquanto a beijava ela observava aquele negrão deitado com a pica já meia mole e melada de porra.... por incrível que pareça seu pau ficou extremamente duro e ela logo observou:

- Nossa que delícia ver você excitado logo depois de eu dar pra outro, como ele me comeu gostoso né amor, eu te amo muito ! Quero dar sempre pra outro na sua frente, quero que você fique olhando eles me comerem e muito obrigado pelo presente, foi inesquecível.

Tomaram banho juntos enquanto o negrão ficou deitado na cama e logo depois se arrumaram e foram embora esperando o aniversário de casamento chegar.

*******************************
Ficou excitada com essa história? Então me dê uma nota e me anime a continuar escrevendo. Skype: bernard.zimmer3 ou e-mail. bernard3320@live.com ou WhatsApp: 11-944517878, agora com vídeo chamada.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.