"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Realizando desejos antigos 2-


autor: Joãozão
publicado em: 17/08/15
categoria: coroas
leituras: 3980
ver notas
Fonte: maior > menor


Naquela tarde tinha ido a casa de um amigo jogar videogame com ele só que estava dormindo então decidi esperar e pra passar o tempo ajudei sua mãe a limpar a casa. Quando acabamos.
- Por que você veio passar o verão aqui? Você agora trabalha em escritorio pudia ter ido pra tanto canto vei parar nesse mesmo buraco de cidade. - Peguntou ela. Era uma quarentona que não sabia o corpo que tinha por que o mala do velho do marido dela sempre reclamava dele e por isso sempre achei que ele fosse viado por sorte isso fazia ela ficar em casa só de camisola e calcinha
- Vim pra cá por a cabeça pra esfriar é que minha namorada tinha me chifrado - Respondi.- Mas eu não sei o por que já que nunca faltei na cama e sempre fiz tudo que ela pedia. - Falei sem medo já que era intimo dela.
- Que diacho de mulher é essa que não aguenta levar rola. - Ela me olhou de baixo pra cima- Se fosse eu! (Suspiro)
Eu ri levando na brincadeira e disse:
- O que é que você tem hoje? Seu zé não ta mais comparecendo não?
- Nunca compareceu e se comparece faz mal. Acho melhor a gente sair desse tema que ele é ciumento e eu quero é minha paleta e minha pipoca. Eram 4:50 da tarde as cinco e vinte seu velho chegaria da escola com seu filho pequeno de 7 anos.
Ela fez a pipoca e ficou no sofá assistindo novela chata e chupando a paleta. Fui e me sentei do lado dela fingindo assistir a novela. O que eu estava realmente assistindo era ver aquela gostosa se enlambuzando com paleta deixando o creme escorrer até os peitos. Quando ela tentou pegar a pipoca eu tirei o pote das minhas pernas fazendo ela sentir meu pau eu esperei que ela fizesse e depois me chamasse de safado e que acabasse por ali, mas ela continuou esfregando o meu cacete que estava por dentro da calça.
- Hummm. Que paleta quente e grossa! - Disse ela. Que se sentou no meu colo de frente a televisão se roçando em mim. - E grande. Como é grande!
- Quer provar o creme? - Disse sedendo ao calor da buceta dela que sentia até debaixo da calça. Era outro chamado de socorro que eu iria cumprir só que dessa vez não foi o professor
- Já? Achei que você nunca faltasse.
- É que vem com recheio duplo.
- Segure esse recheio duplo que meu marido ta pra chegar são 5: 10
Achei que ela estava pedindo pra eu ir e voltar mais tarde, mas essa mulher não parava de me surpreender pois fui parado no meu pensamento com ela empinando encostando as mãos no chão oferecendo a buceta pra eu lamber. E lambi aquela vulva em chamas toda melada do seu mel bem devagar e com leves pinceladas do jeito que eu sempre fazia para as mulheres se entregarem a mim. Quando vi aquele cuzinho piscando sem nem ter sido tocado já me enchi de mais tesão e fiquei a masturbando pelos dois buracos com aquele cu piscando dando mordidas no meu dedo até ela gozar surpreendente mente pelos dois buracos ao mesmo tempo. E com ritmo de gemidos dela tomando aquele misto dos dois sucos. Ela se jogou no chão já sem folego e notou que meu membro permanecia duro.
- Ainda? - Ela perguntou com a respiração ofegante
- Você disse pra eu segurar o creme. - Respondi com sarcasmo.
Eu olhei o relógio ao lado da televisão e marcava 5:18 e eu me via morto de medo e tentei me levantar.
- Nada disso é hora do meu creme.
E me fez uma gostosa espanhola gelada da paleta - como eu amei esse gelado- recheada de lambidas daqueles lábios carnudos que envolviam todos o meu pau. O velho dela sempre reclamava de peitos murchos e caídos eu hoje acho que ele nunca fez ela sentir um orgasmo porque aqueles peitos eram os mais duros que eu já vi até hoje.
- Eu quero meu leite! - Pedia ela indignada pela demora.
- Já ta saindo- disse eu me contorcendo de tanto tesão. E foi tudo sincronizado eu gozei litros naqueles peitos chegando a doer meu saco e com minha boa audição ouvi o carro daquele velho se aproximando da casa.
- Seu filha da mãe desperdiçando leite morninho como esse. Disse ela lambendo a porra dos peitos e o que havia caído no chão. Eu me vangloriava com aquilo sentido como a cereja do bolo que foi aquela foda.
Eu guardei meu cacete e começamos um jogo de sussurros.
- Quero que você beije o viado do seu marido com esse gosto de porra na boca pra tu ver quem é teu macho de verdade. - Disse pondo a mão dela encima do meu membro de 20 cm que permanecia duro. - E se você pensa que eu não vi você tirando a calcinha quando fez a pipoca você ta muito enganada viu, freira. - Freira foi o apelido que eu tinha dado a ela por ser muito religiosa.
- Espertinho em? E se ele notar o gosto? pé de mesa.- Esse foi o que ela me deu creio que é auto explicatório.
- Diga que é o creme da paleta.
Ela riu e disse:
- O que eu ganho com isso?
- Se fizer direitinho toda semana eu venho entregar leite morno e fresquinho.
Ela lambeu os labios e disse:
- Com todo prazer.
Eu fui na cozinha peguei a calcinha cheirei mostrando a ela e pus no bolço e fiquei observando a chegada da quele viado que além de viado é corno. O cheiro do molhado da buceta permanecia fixo no ambiente, mas como meu amigo era virgem, o velho nunca deve sentido o cheiro. Fiquei lá sem alarmar suspeitas.
- Oi amores. - Ela disse aos filhos. O meu amigo acabou de acordar.
E abraçou seu viado e o beijou.
- Hum, que gosto é esse? - Disse o velho
- Creme da paleta.
- Como é bom acho que vou provar.
Eu fiquei enojado ao ver a reação dele, mas ela riu.
- E que beijo gostoso viu. - Disse o velho sem mostrar nenhuma emoção. - Hoje tém!
E não teve pelo menos com ele não, pois na noite do mesmo dia eu fui entregar a calcinha e levei outra mamada e me deu a calcinha como lembrança - Que até hoje guardo- aproveitei o tempo e comi aquela buceta quente e molhada tentei pegar aquele cu que descobri ser virjem só que ela não deixou e como iria tela o verão todo não insisti, mas fiz uma aposta que ganhei.
- Toda vez que eu te meter porra na boca tu vai beijar esse velho e até o fim do verão esse velho vai estar como viado. Se eu ganhar tu me da esse cu sem pestanejar agora se tu vencer eu faço o que você quiser.
E olha que eu já vou avisar que ganhei e o premio quem sabe eu faça um conto. Gostaria de agradecer ao usuário Sibila Makis. Pelo comentario sem ela não teria feito esse conto.
Peço que comentem o que acharam e avaliam conforme gozaram.








ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.