"Os mais excitantes contos eróticos"


Anna e seu aluno: Ménage


autor: Colecionador
publicado em: 20/03/17
categoria: grupal
leituras: 3895
ver notas
Fonte: maior > menor


A última aventura na praia deixara Pedro muito excitado. Ver o prazer estampado no rosto de Anna ao ser tocada por uma mulher lhe acendeu ainda mais o tesão que sentia por ela. Diante disso ficou imaginando e planejando uma nova aventura para fazer Anna ultrapassar mais limites.

Elaborado o plano, mandou que ela o aguardasse sábado à noite, pois iria ao seu apartamento. Quando a campainha tocou Anna já estava aguardando com uma calcinha fio dental de renda e um baby doll transparente, ambos pretos. A boca pintada de vermelho carmim e salto alto, do jeitinho que Pedro gostava. Atendeu a porta prontamente e ele com um olhar devorador mandou que fechasse os olhos, que imediatamente foram vendados, fazendo Anna sentir a bucetinha latejar de desejo, imaginando o que estava por vir. Pedro a conduziu até o quarto e ainda em pé ela começou a sentir beijos na boca, no pescoço, nos ombros e nos seios. Seus seios foram sugados de uma forma doce e intensa, fazendo Anna se acabar em gemidos. Foi quando ela sentiu outra boca tocando seus lábios, enquanto era chupada nos seios. Assustou-se.

- “Calma minha cadelinha, calma. Seu dono está aqui cuidando de você. Aproveite que temos muito prazer esperando por nós hoje”.

Dizendo isso voltou a beijar sua boca com malícia, enquanto a outra boca mamava em seus peitos.
Depois, a boca que ela sentia nos seus seios desceu até a bucetinha, procurando pelo grelo. Anna emitiu um gemido alto quando a boca de Pedro seguiu para seus seios. Que sensação indescritível! Ela tinha duas línguas percorrendo o seu corpo: uma desconhecida e a outra do amante que lhe dava tanto prazer e ambas a levavam à loucura. Não demorou muito para que Anna anunciasse seu gozo em espasmos, gritos, sussurros e gemidos.

- “Ai, Pedro, vou gozar. Sua cadelinha vai gozar! Ai, estou gozando feito uma puta!”.

Pedro beijou-lhe a boca longamente, estando Anna ainda ofegante. Quando a boca que havia chupado sua bucetinha aproximou-se dos seus lábios, Pedro cedeu a vez para que um longo e delicioso beijo se desse. Anna se deliciava ao sentir o sabor do seu gozo naquela boca que instantes antes a tinha feito gozar feito uma cachorra no cio. Pedro lentamente foi retirando a venda de seus olhos para que Anna se surpreendesse ao se deparar com uma mulher atraente, bonita e sedutora diante de seus olhos. Era Karina, a namorada de Pedro. Karina era branca, pele macia, olhos azuis e cabelos negros, caindo nos seios grandes. Era uma mulher lindíssima, aparentando ter por volta de 25 anos. No meio do espanto de Anna, Karina começou a explicar que descobriu o relacionamento que Pedro mantinha com Anna e ficou muito nervosa. Mas a raiva logo foi substituída pela curiosidade em conhecer a mulher que fazia seu homem sentir tanto desejo e que agora finalmente viu o motivo de tanto tesão.

Pedro se aproximou de Anna e a conduziu de volta para a cama. A professora, apesar de assustada, foi tomada pela lembrança do prazer que sentiu ao gozar na boca de Karina e se deixou levar.

Pedro sentou-se em uma cadeira de frente para as duas e ficou a observar a cena. Anna beijou a boca de Karina, lambeu seu pescoço, seus braços, seus ombros, suas mãos, seus dedos e se deteve naquele belo par de seios.

Brincou com a língua sobre o biquinho. Era tudo novo, mas instintivo para Anna. Karina gemia enquanto Anna bolinava delicadamente seu grelinho e mamava suas tetas gostosas. Anna se sentiu no controle (coisa nova até então) e se viu motivada a ir até a bucetinha. Ela nunca havia tocado em outra que não fosse a sua, mas o tesão que sentia era maior e mais forte que qualquer juízo de valor que pudesse estabelecer. Posicionou seu rosto diante da bucetinha molhada da amante e delicadamente tocou-a, abrindo os grandes lábios com as mãos enquanto com a ponta da língua tocou no grelo, fazendo movimentos circulares. Karina se abria toda, se esparramava, gemia, urrava... até segurar os cabelos de Anna e começar a gritar:

- "Ai caralho, que delícia... Que tesão a sua língua, Anna! Engole meu gozo, vai... Ai! Vou gozar!"

E gozou na boca de Anna, que se deliciava com o gozo de outra mulher pela primeira vez quando foi puxada por Karina, que queria provar seu sabor na boca da amante. Ficaram beijando e se namorando por longos minutos, entre suspiros e carinhos.

Após o beijo, iniciaram um 69 com Karina deitada sobre Anna. Pedro, que já estava com o cacete a ponto de explodir dirigiu-se até a cama e fez sua pica dura deslizar para dentro de sua namorada, que rebolava alucinadamente e em poucos minutos já anunciava um novo gozo, ao sentir a amante com a língua em seu grelo e o namorado comendo sua buceta feito um animal. Pedro retirou o pau da bucetinha da namorada e Anna logo entendeu o que ele queria e começou a lamber o cuzinho de Karina. Pedro levantou o rabinho de Karina e Anna voltou ao grelinho enquanto Pedro iniciava a penetração em Karina. Foi uma penetração lenta, que fazia sua namorada saborear cada centímetro do seu pau ao rasgar-lhe o cuzinho. Com o cacete dentro de Karina, Pedro começou movimentos de vaivém, que aumentaram a rapidez e a intensidade, até Karina gritar:

- "Ai meu macho, vou gozar. Vem comigo!"

Pedro não aguentou e inundou o cuzinho da namorada com seu jato quente de esperma. Retirou o pau do cu de Karina, o que foi suficiente para Anna sorver toda a porra que escorria. Não satisfeita Anna ainda limpou o cuzinho de Karina com sua língua, deixando-o limpinho.

- “Meu querido, eu finalmente entendi o motivo de você trepar com essa putinha, ela realmente é muito gostosa. Uma puta deliciosa!”.

Karina disse isso e foi na direção do cacete de Pedro, chamando Anna para compartilhar com ela. Anna ao ver aquela cena sentiu uma pontada de ciúme a doer-lhe no coração, mas logo lembrou-se que Pedro não era dela e se colocou no lugar, sentindo que era uma grande felizarda por ter um dono gostoso como ele e juntou-se a Karina no boquete. O pau de Pedro logo endureceu e Karina conduziu Anna para a cama, deitando-a de pernas abertas para Pedro, que começou a enfiar sua piroca dura na buceta da professora enquanto Karina beijava seus seios e bolinava seu grelinho duro. Anna foi à loucura, dominada pelo prazer começou a rebolar, xingar e gemer:

- "Ai caralho, vou gozar! AAAAAHHHHH!!!"

- “Já gozou, cadelinha? Gozou gostoso foi? Mas ainda não acabou, seu dono tem algo para você”.

Dizendo isso posicionou Anna de quatro e fez sinal para Karina lamber-lhe o cuzinho. Anna fechou os olhos, emitiu um gemido e foi ao céu com aquela língua no rabinho e logo depois começou a sentir a piroca de Pedro lhe penetrando, Anna rebolava e gritava que era cadela e que adorava ser enrabada pelo seu dono, seu macho querido. Karina por sua vez dedilhava o grelo da putinha de seu namorado até que Pedro gozou, jorrando esperma no cuzinho de Anna, que gozou junto. Pedro levantou-se e saiu do quarto, enquanto Anna caiu deitada na cama, ficando para Karina a tarefa de retribuir a limpeza do cuzinho da nova cadelinha do seu namorado. E assim como Pedro, Karina também tinha planos para Anna...



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.