"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Minha vida de putinha


autor: Carlinhaa
publicado em: 20/03/17
categoria: hetero
leituras: 4398
ver notas
Fonte: maior > menor


Hoje com 18 anos, quando olho pra trás parece que faz uma eternidade a primeira vez que me interessei por sexo.
Meu nome é Carlinha, cabelo preto, 1,61 Alt, 69 kg, olhos pretos, seios médio, rabo grande e uma bucetinha com um fogo que ninguém conseguiu apagar até hoje.
Desde novinha descobri como era gostoso ficar esfregando minha pererequinha,mas foi com um priminho a primeira vez que peguei em um pau, também foi com ele que aprendi a mamar, mas o maior tesão da minha vida eu senti na primeira vez em que ele chupou minha xaninha, como eu me contorcia e gemia naquela língua safada. Algum tempo depois que iniciamos nossas sacanagens ele já insistia muito pra me comer, mas consegui preservar meu selinho intacto, já não posso dizer o mesmo das preguinhas do meu rabinho.
Logo a noticia se espalhou para os outros priminhos, e eu não ficava um dia sequer sem levar no rabinho ou levar uma deliciosa gozada na boca ou na cara, bastava eu chegar da escola que logo algum primo chegava em minha casa. Com o tempo comecei a descobrir que podia ganhar alguns agrados para chupar uma pica ou dar meu rabinho.
Tinha um senhor que morava na minha rua que ficou sabendo que eu adorava sacagem e certo dia me parou na rua e perguntou se eu queria ganhar um dinheiro, disse logo que sim, ele então me mandou ir até a sua casa. lá chegando nem bem entrei ele fechou a porta e já veio pra cima de mim.
Eu usava um vestidinho desses bem soltinho e uma calcinha pequena que deixava minha xaninha bem marcada, aquele homem parece que não via uma mulher a muito tempo, suas mãos percorriam todo meu corpo me deixando doida de tesão, mas foi quando ele se encostou em minha bundinha que meu tesão foi a mil, aquela piroca encostada na minha bundinha deixou minha buceta toda melada, minha calcinha estava encharcada.
Ele muito safado e experiente tirou meu vestido me deixando apenas com a calcinha, sugou com volúpia meus peitinhos enquanto esfregava minha bucetinha sobre a calcinha, logo ele me colocou de joelhos me segurando pelos cabelos e esfregava meu rosto na sua pica ainda dentro das calças, que tesão eu sentia, nunca havia sido dominada assim pelos meus priminhos.
Como um macho dominador ele me mandou abrir sua calça e chupar sua pica, quando eu puxei sua cueca pra baixo saltou na minha cara uma pica enorme, que babava muito. Aquilo sim era uma pica, não aquelas minhoquinhas dos meus priminhos, chupei muito aquela tora, ele segurava minha cabeça empurrando sua pica na minha garganta me fazendo engasgar e em seguida retirava pra ver minha cara. Lambi aquele cacete como se fosse um sorvete e chupei por muito tempo.
Logo ele arrancou minha calcinha e caiu de boca na minha buceta, me fazendo ver estrelas, como eu gozei naquela lingua, aquilo parecia que queria me invadir, ele me chupava arrancando gemidos e grunhidos, mas eu fui mesmo a loucura quando ele me colocou de 4 e começou a chupar meu rabinho, eu já implorava por pica, meu corpo pedia por sexo.
Ele então encachou seu pau na entrada da minha bucetinha e nem precisou empurrar, eu mesma lancei meu corpo pra trás sentindo aquela tora ir arrombando meu cabaço, só parei quando senti suas bolas coladas ao meu corpo, ele me xingava me chamando de vadia, dizendo que eu era a putinha mais safada que ele ja tinha comido, que queria me comer todos os dias, eu apenas gemia e mandava ele bombar forte na minha buceta, após meter por algum tempo ele se deitou e me mandou sentar naquela pica.
Eu sentia aquela tora me deixar toda arreganhada, minha bucetinha estava toda preenchida, doia mas era muito gostoso, logo eu subia e descia com maestria naquela vara, enquanto ele apertava minha bunda e meus seios, ele então me colocou de 4 novamente e enterrou sua pica novamente na minha buceta me arrancando um grito, me segurou pelos cabelos e bombou forte, minhas pernas estavam bambas, eu estava toda doída, mas não queria que parasse, então ele me segurou forte e senti quando seu pau pulsou dentro de mim me enchendo de porra, ele ficou ali deitado sobre mim com seu cacete ainda enterrado.
Quando seu cacete saiu de dentro de mim fiquei assustada com a quantidade de porra e sangue que escorria pelas minhas pernas, ele então me levou até o banheiro me deu um banho demorado. Me vesti, mas ele não permitiu que eu coloca-se minha calcinha pois queria guarda-la de recordação, me deu R$ 50,00 reais e disse que quando eu quisesse mais dinheiro era só procura-lo.
Sai de lá toda assada, sentia minha bucetinha inchada de tanto meter, mas estava feliz e realizada. Assim foi que perdi meu cabaço.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.