"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Reforma prazerosa


autor: EnzoLopes
publicado em: 12/03/16
categoria: hetero
leituras: 2904
ver notas



Às vezes, algo que julgamos irrelevante... até mesmo desagradável, pode nos surpreender. Bem...vamos ao início. Trabalho numa escola que precisa de algumas melhorias para estar de acordo com algumas normas vigentes. E em plena sexta-feira, à tarde, recebo a grande notícia que eu deveria, no dia seguinte, vir a escola para que eu pudesse receber o engenheiro que viria ver o que poderia ser feito. Ficou combinado que sábado, às 10:00 horas ele estaria lá.
Pois bem, geralmente, não gosto de atrasos, mas por estar muito contrariada, acordei até atrasada mas não fiz questão de me apressar. Tomei um belo de um banho, me arrumei demoradamente, tomei café da manhã e fui trabalhar, muito desanimada e contrariada. Mas não havia escolha, sendo assim, fui dirigindo até o local e quando entro na rua da escola já observo que tem um carro parado no portão e um homem do lado de fora, olhando para o relógio. Na hora reparei na sua beleza, alto, aproximadamente 1,80 de altura, corpo bonito e rosto sério. Cheguei a sentir vergonha do meu atraso, e isso me deixou um tanto desconcertada. Estacionei e desci do carro. Me apresentei e me desculpei, alegando ter pego um pouco de transito. Ele, educadamente, segurou minha mão com firmeza, mão que quase escondeu a minha, nesse aperto seguro e demorado...logo meus olhos cruzaram com os dele...e um arrepio percorreu meu corpo. Soltei a sua mão, mas meus olhos não conseguiam se desviar daquele olhar...tudo nele me atraía…o olhar fixo…o perfume...a firmeza nos seus gestos.
Vou abrir o portão, e já fico a pensar no que fazer para evitar aquele tesão que percorria meu corpo inteiro, já que quando nós entrássemos, ficaríamos eu e ele...e meus pensamentos mais insanos. Abri…toda atrapalhada...o que faz aquele homem sério...mudar a expressão para um sorriso...Nossa...Ainda mais lindo!!!!
Entramos e vou apresentando o local a ele, explicando as alterações que foram requisitadas, ele com seu olhar penetrante, me ouve com atenção e também começa a sugerir alguns reparos que eu não havia pensado. Nessa conversa, ele se mostra muito simpático e inteligente e acabamos rindo em diversas situações...até começamos a falar de nossa vida particular, dizendo ele ser casado, assim como eu. Até que ele acaba soltando uma frase intrigante: “Prometo fazer tudo como você quer e gosta...pois pretendo deixa-la muito satisfeita.” Isso me surpreendeu. Será que estava se referindo ao serviço? Será que não? A única certeza que tive no momento, foi o calor no percorreu meu corpo e o meu rosto que ruborizou com essas palavras. Ele notou...,mas não disse nada.
Ele olha novamente no relógio, e dizia estar com fome. Se eu conhecia um lugar gostoso para almoçar. Eu digo que sim e explico a ele. Ele pergunta se não estou com fome, antes da resposta meu pensamento me traí (desde a hora que o vi me aguardando em pé ao lado do carro), mas digo que não, que ele pode ir, que espero tranquilamente. Então vou levar ele até o portão, e mais uma vez ele me instiga. “Tem certeza que não quer ir junto? Prometo ser uma companhia agradável.”
Eu não tinha dúvidas disso. Fiquei parada pensando se aceitava ou não. Ele diz: “Vamos...pare de pensar. Fecha o portão e venha. Prometo deixa-la “bem” aqui na volta”.
Não resisti. Fechei tudo. E fui com ele. No carro, ele fala de tudo, muito tranquilo e gentil, sorriu muitas vezes, e entre um sorriso e outro, nossos olhos de cruzavam.
Ao chegar no restaurante, ambiente gostoso e agradável, nos sentamos à mesa, e ele pede um vinho. Estranhei, afinal estávamos trabalhando. Mas ao mesmo tempo, isso me deixa ainda curiosa, o vinho tem alguma intenção implícita? Ou apenas uma gentileza, gosto, sei lá?! Não questionei, e pra ser sincera, aproveitei. Almoçamos e bebemos. Entre uma taça e outra, risadas e conversas, ele começa a falar sobre assuntos muitos íntimos, tipo posições sexuais. Ai ai....cada comentário, era necessário eu cruzar muito bem as minhas pernas...pois a cada palavra que saia daquela boca, na qual meus olhos não conseguiam se desviar, a excitação tomava conta de mim. Nem sabia mais como disfarçar. Ele percebeu, claro. Acho até que estava adorando me deixar naquela situação, naquele local público. O desejo era tinido. Principalmente da minha parte. Ele conversava, olhava nos meus olhos, e buscava com precisão, todo e qualquer movimento e expressão em mim. Isso me encantava e ao mesmo tempo me deixava aflita. Um misto de sensações me domina. Já nem estava mais prestando atenção no que ele me dizia, nenhuma palavra tinha importância mais. Muito nervosa, peço licença e vou ao banheiro. Preciso fugir dele. Vou acabar fazendo o que não devo, ou devo, não sei. No banheiro...eu lavo o rosto...as mãos...procuro me acalmar...me manter calma. Mas não conseguia....eu desejava sentir seu cheiro...eu queria sentir seu corpo..sua boca...ele inteiro em mim. Sai do banheiro, caminho vagarosamente até a mesa, onde aquele homem me aguarda, com olhar penetrante, eu mal conseguia decifra-los. Não conseguia saber ao certo, suas reais intenções. Me sento novamente, ele me pergunta se quero algo mais, digo que não. Ele pergunta se já podemos ir...afinal...estamos a trabalho.
Voltamos ao colégio. Ele continua a fazer seu trabalho. Eu o acompanhando. No caminho para a última sala, ele coloca a mão na minha cintura e me conduz até a porta. Eu fiquei sem ação...coração e tesão a mim. Na porta da sala, ele fala: “Chega professorinha...não vou embora, sem antes comer você todinha. (Quase gozei)...Ele beija minha boca com vontade. Me põe em cima de uma mesa...e me beijando..tira minha blusinha. Aperta meus seios. Ahhhhhhhhhh....era tudo o que eu queria...aquele homem me deseja também. Eu estava delirando...minhas pernas enlaçavam sua cintura e eu podia sentir seu pau rígido...Isso me provocava ainda mais. Eu o queria...na minha boca. Desço da mesa, abro sua calça e tiro aquela gostosura pra fora. Ahhhhhhh....Como era gostoso. Chupei...mamei...passei minha língua nele inteirinho...chupei o saco e entre uma chupada e outra eu buscava seus olhos...precisa ver aquele olhar de tesão...que me deixava ainda melada de tanto desejo. Ele me levanta. Me coloca em cima da mesa e tira minha calça... beija meus seios demoradamente, e vai descendo os beijos...as lambidas...chegando perto da minha calcinha. Eu gemia muito. Já não dominava mais meu corpo. Ele me possuía e sabia bem disso. Afastou minha calcinha de lado e me chupou. Que língua deliciosa. Eu delirava com aquela boca. Ele chupava minha bucetinha e deslizava sua língua até meu cuzinho. Eu não podia resistir mais. Gozei na sua boca como se nunca houvesse gozado. Meu corpo fica mole. Mas ele não para. Alterna sua chupada com dois dedos dentro da minha bucetinha encharcada. Eu continuo naquele clima de tesão intenso. Ele se levanta... tira a minha calcinha e direciona seu pau na minha entradinha. Que a essas horas....queria mais que tudo poder senti-lo. Ele penetra devagar...mas profundo...me tocando fundo e muito gostoso. Seus olhos hora olhavam os meus...hora fechavam...numa expressão de muito tesão. Ele aumenta a velocidade...me deixando a ponto de gozar novamente. Ele é delicioso demais. Ele faz mais...mais e mais...quando estou chegando ao clímax novamente, ele para...e diz: “ Ainda não.” Me tira de cima da mesa e se senta na cadeira. Eu sento no seu colo, e começo a cavalgar...Sensação ainda melhor. Nos beijamos...muito. Ele beija meu pescoço. Acaricia meus seios. Isso já muito a essas alturas....e gozo novamente. Ele me segura em seus braços. Me tira do seu colo...me vira de costas na mesa, dá um tapa na minha bunda, e volta a me penetrar...com força e muita vontade...segura forte na minha cintura e fazendo sem parar. Sinto seu desejo aumentar e sei que logo o seu prazer será derramado no meu corpo. Ele faz mais...mais...e mais....Meus gemidos e o barulho dos nossos corpos juntos preenchem aquela sala. Meu corpo quer mais e ele me proporciona esse prazer. Quando sinto suas mãos me apertarem a cintura, me entrego novamente a ele...dizendo vou gozar...Ele goza ao me ouvir...consigo sentir seu membro forte dentro de mim enquanto gozamos. Ele não tira seu pau de dentro de mim. Continua assim....parado até...até recuperarmos a força.
Ele tira...minhas pernas ficam meladas. Me beija intensamente. Colocamos as nossas roupas até chegarmos ao banheiro. Lá ainda tomamos banho juntos. Onde aproveitamos mais um pouquinho.
Mas...chega a hora de irmos embora. Nos despedimos com outros beijos. E ficou a promessa de um novo encontro.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.