"Os mais excitantes contos eróticos"

 

FANTASIANDO SE PARA SALVAR O C


autor: Amora
publicado em: 01/05/15
categoria: aventura
leituras: 5647
ver notas


Vou contar um fato nos tempos que ainda era casada!
Meu casamento começava a entrar em crise, eu tentava de todas as formas salva lo, mas não estava fácil, meu então marido era um homem de gênio forte, não dava nunca o braço a torcer.
Começamos a namorar ainda quando eu tinha 19 anos ele 15 anos mais velho que eu era quem dava as cartas no relacionamento.
Jovem eu tinha um fogo entre as pernas mas era um tanto tímida, havia tido apenas um relacionamento sexual completo aos 16 anos com um ex namorado, antes disso por volta dos 13, 14 anos apenas provocava os garotos da cidade do interior que morava, cheguei a chupar um ou outro mas nada além disso.
Sempre gostei de brincar de provocar, mas com meu primeiro namorado e quando fiquei noiva de meu ex sempre fui mais recatada, tanto que com meu primeiro namorado transei apenas duas vezes em um ano e meio de relacionamento.
A pedido de meu noivo passei a usar roupas curtas coisas que não usava desde que comecei a namorar com meu primeiro namoradinho, enquanto eramos noivo para ele quanto mais curto melhor!
Aos 22 anos me casei e no quesito sexo era procurada quase todo dia pelo meu marido e sempre o correspondia.
Após o segundo ano de casamento as coisas começavam a mudar, estava terminado minha faculdade tínhamos acabado de se mudar para São Paulo e minhas roupas curtas passavam a incomoda lo.
Com quatro anos de casamento as coisas estavam cada vez mais frias, recebia inúmeras cantadas e sempre me davam tesão consequentemente procurava meu marido que as vezes correspondia e as vezes não!
Quando nos mudamos para Santos para que meu marido ficasse mais próximo de sua família, assim que mudamos ele comprou um jet sky, e aos finais de semana sempre íamos a marina e la eu era constantemente assediada principalmente por que sempre antes de meu marido me levar com ele no jet ele saia só e dizia que era para testar para ver se estava tudo ok.
Nesses seus testes que levavam pelo menos meia hora eu era totalmente bombardeada com convites para passeios em lanchas e outros jet´s, muitas vezes quando meu marido chegava para me buscar assim que montava no jet eu sempre que tinha tesão masturbava ele enquanto pilotava.
Uma certa vez o fiz me comer no jet mesmo, paramos no meio do mar afastado da costa, coloquei a parte inferior do biquini de lado e sentei gostoso, fazíamos poucas loucuras mas quando fazíamos eu tinha orgasmos maravilhosos!
Mais houve algo que passou de loucura, com seis anos de casada, nossa vida sexual ia de mal a pior, muitas vezes subia pelas paredes, mas em uma noite as coisas poderiam ter começado a mudar.
Ao me buscar no trabalho na volta para casa, passávamos por uma rua em que havia diversas garotas de programa, notei que sempre que tinha possibilidade ele olhava para as garotas.
Vi ali uma oportunidade de apimentar a relação e fui direta ao assunto, perguntando se alguma garota daquela havia dado tesão a ele?
Rapidamente me respondeu que não e na verdade achava de certa forma aquilo ridículo, vender o próprio corpo.
Em casa na cama tentei ainda voltar ao assunto, perguntando se ele nunca tido vontade ou até mesmo feito com alguma garota de programa, sempre em tom arrogante respondia que ele não era homem para pagar e que a mulher tinha que desejar estar com ele e não com a carteira dele!
Ainda insisti dizendo que no tempo que eu fazia faculdade tinha uma amiga que fazia programas e contei algumas coisas que ela havia me falado algumas na verdade eram fantasias minha!
O papo pareceu que o animou e ele conseguiu me satisfazer depois de meses.
Naquela semana fiquei com muitos pensamentos eróticos, em um dia sai do serviço e fui direto a um sex shop, comprei uma micro calcinha, um topzinho e uma micro saia, eu iria me fantasiar de garota de programa, sai de lá com um plano na cabeça mas sem saber como executa lo.
Havia dias que eu ia trabalhar com meu carro e seria em um desses dias que colocaria meu plano em pratica, após o expediente com minhas roupinhas guardadas no carro mais um super salto que já tinha sai do escritório, parei em uma padaria comprei um maço de cigarros andei mais um pouco e parei o carro em uma rua de pouco movimento, me troquei dentro do carro mesmo, fiz uma maquiagem super carregada e liguei para meu marido.
Disse a ele que o pneu do carro havia furado, com sua sutil ignorância disse que eu aciona se o seguro pois ele não era borracheiro, para convence lo precisei dizer que não tinha pago o seguro, logicamente ouvi um baita sermão, mas o convenci a me ajudar.
Pronto estava tudo certo, eu fantasiada de prostituta, meu marido indo me buscar nada poderia dar errado, mas eu não conseguia me aquetar, decide sair do carro que não tinha pneu furado nenhum e esperar meu marido do lado de fora.
Sai de dentro de meu carro com uma micro saia de um palmo de mão, um top minusculo.
Alguns minutos em pé na calçada e passou um carro que buzinou meu coração disparou nessa hora, mas ao invés de eu usar o bom senso e voltar para o carro fiz o contrario me afastei mais dele indo em direção a esquina a sensação do errado aumentava meu tesão!
Poucos minutos depois que o carro que havia buzinado passou outro carro se aproximou desta vez mais lento do que o primeiro, além de mais lento este parou próximo a mim, deu uma buzinadinha enquanto abaixava o vidro e me chamou para perto de sua janela, nesse momento eu deveria ter saído correndo, mas toda aquela loucura não deixava eu raciocinar e fui em direção ao carro sem me preocupar que ali poderia esta algum conhecido.
Quando me aproximei para minha sorte não era nenhum conhecido, porém dentro do carro havia um rapaz mais ou menos na minha faixa de idade por volta dos 26 anos, me lembro principalmente de sua boca com lábios bonitos e aparelhos nos dentes ao chegar a sua janela ele me perguntou quanto era o programa, dei uma engasgada na hora de responder e disse que já aguardava um cliente, ele apenas disse "HUM", não se fez de rogado e colocou sua mão na parte de dentro da minha coxa e subiu ate tocar minha calcinha, me molhei na hora!
Insistiu mais uma vez em querer saber qual era o preço e se eu estaria livre mais tarde, sem ter noção disse que custava 50 reais, pelo seu sorriso percebi que tinha passado um preço muito barato, terminou dizendo que mais tarde passava ali de volta enquanto ainda alisava minha coxa!
Era o terceiro homem que tocava por mais que por cima da calcinha minha amiguinha!
Poucos minutos meu marido chegou encostou seu carro atrás do meu, ainda estava totalmente molhada e com coração disparado, me aproximei de seu carro e ele levou um susto, "Que porra é essa?", esbravejou!
Então na maior cara de pau e com uma tranquilidade enorme falei é 100 reais o programa!
Sem acreditar ele tentava procurar palavras mas não conseguia, a unica coisa que conseguiu foi mandar entrar na merda do carro dele!
Já dentro do carro disse que queria pagamento adiantado, ele insistia em não querer entra na brincadeira, esbravejando perguntou sobre a roupa que eu havia saído para trabalhar e disse a ele que havia jogado fora e que só tinha aquela, retrucou dizendo como faria para que eu entrasse no prédio sem ser notada com aquelas roupas minusculas, respondi que não iria para casa dele pois ele tinha cara de ser casado, falei para ele me levar para um motelzinho barato e relembrei que queria ser paga adiantada e caso não quisesse era só me deixar na próxima esquina, aos poucos ele entrou na brincadeira, parou em um posto para sacar dinheiro e quando voltou eu estava fumando dentro de seu carro oque deixou ele doido da vida.
Esbravejou mas prosseguiu com a brincadeira, chegamos a um motelzinho simples não tão fuleiro mas que não fazia nosso estilo de vida.
Ao entrar no quarto já pedi logo meu pagamento, peguei uma camisinha oque gerou estranheza da parte dele que perguntou para que usar camisinha, respondi que era mais seguro para os dois pois não sabia da vida dos meus outros clientes nem sobre a dele, ele compreendeu que aquilo fazia parte da fantasia.
Após chupar seu pau e deixa lo em ponto me posicionei de quatro e fui penetrada como nunca havia sido por ele, gritava não por causa de uma personagem que interpretava ali, mas sim pelo prazer que ele me proporcionava a força que ele me comia e o tesão que eu sentia, junto com seus xingamentos tímidos me fez gozar mais rápido do que o normal.
Assim que gozou ele veio em minha direção para me beijar, mas neguei o beijo dizendo que era uma profissional.
Pedi um drinque para relaxar e ele me perguntou se ainda tínhamos algum tempo a mais para ficar ali no quarto respondi que imaginava que tínhamos pelo menos mais 1 hora, então ele disse que queria comer meu cuzinho, falei que daria por mais 80 reais, mesmo resmungando aceitou me pagar mais 80.
Em todo nosso casamento era raras vezes que liberava meu anus a ele, a primeira vez foi na lua de mel e foi dolorida de mais, não sentia prazer apenas dor, mas naquela noite o tesão falava mais alto e liberei pensando que talvez desta vez teria prazer, mas não tive!
Após nossos atos, saímos do motelzinho e ele me deixou no meu carro mas aguardou eu sair e veio me escoltando até nosso prédio.
Foi tudo perfeito, só não repeti mais vezes por que algumas semanas depois acabei escutando uma conversa entre ele e seu irmão aonde ele contava a maior vantagem, como se ele tivesse bolado tudo fora que expôs algumas intimidades desnecessárias, e o fato de contar vantagem como se ele tivesse dando a maior assistência para mim quando na verdade me deixava mais na mão!



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.