"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Uma troca de casais muito desejada


autor: Leozinho
publicado em: 18/05/16
categoria: grupal
leituras: 24295
ver notas


Hoje, quem vai contar a estória sou eu, Beatriz. Sempre enxergamos Alexandre e Márcia com “maus olhos”...kkk. Conheço Márcia desde a faculdade (fizemos Direito na PUC de Porto Alegre, nos idos dos anos 90 e somos da mesma cidade, Horizontina-RS). Já fizemos muita loucura juntas. Nossa 1º tatuagem foi feita no mesmo dia, numas férias em Floripa. Após a formatura, cada uma seguiu seu rumo, mas nunca perdemos o contato. Ela se casou com o Alexandre no último semestre da facu. Ele, médico, levou minha amiga para São Paulo, para acompanhá-lo na residência. Depois de concluídos os estudos, foram morar em Fortaleza-CE. (Alex é cearense), onde ele tem uma conceituada clínica. Eles têm a mesma faixa etária nossa e 03 (três) filhos.
Anos mais tarde, me casei com Léo e nos mudamos para Teresina, após aprovação em concurso público. Como a distância entre as cidades não é muito grande (pouco mais de 50 minutos de vôo), nos reaproximamos e criamos uma forte amizade, tanto que já viajamos diversas vezes juntos, claro que sempre de maneira tradicional....kkk. Nunca tratamos de nossas fantasias sexuais com eles e nossas conversas, embora animadas, geralmente giram em torno de vinhos, viagens, filhos, cinema e política).
A coisa começou a mudar depois de umas férias que passamos na casa de praia deles, em Aquiraz-CE. Depois que nossos filhotes dormiram, ficamos algumas horas tomando vinho, na varanda da casa e jogando “buraco”, com casais trocados, pois sempre que jogo de dupla com o Léo termina em briga....kkk. Para minha surpresa, senti um pé roçando minha perna. Na hora, não me ocorreu nada malicioso. Pensei até que teria sido por acidente. Porém, Alex continuava roçando seus pés na minha perna. Amo meu marido e nunca pensei em traí-lo, porém, talvez devido à bebida, ou pelo fato de me sentir desejada por outro homem, aquela experiência me excitou muito e, à medida que o pé de Alex subia pela minha perna, sentia seus olhos me despindo toda e quando ele tocou minha buceta, por cima da calcinha, eu já estava encharcada, a ponto de abrir por completo minhas pernas e sentir o dedo dele pressionando minha vagina.
Porém, não passou disso. Naquela noite, completamente excitada, fiz um amor bem gostoso com o Léo e, mesmo com as portas fechadas, pudemos ouvir Alex e Márcia transando no quarto deles. Ela gemia muito e parecia que estava levando estocadas por trás, pois enquanto gemia, podíamos ouvi-la: “Ai que pau duro! Ai que delícia. Tá me rasgando, amor. Mete mais, mete mais. Delícia, delícia...”
Desse dia em diante, sempre que podíamos, incluíamos o casal em nossas fantasias. Me imaginava sendo devorada por Alex, enquanto chupava meu marido. Noutras vezes, me imaginava sendo penetrada pelos dois. Uma vez, sonhei que me masturbava na frente dos dois e depois os chupava, simultaneamente, como vi num filme.
Até que enfim, nossos sonhos se tornaram realidade. Alex e Márcia vieram passar o final de semana conosco. Ele veio para um Congresso de Medicina em Teresina e Márcia veio acompanhando. Nos dias do Congresso, enquanto Alex participava de seminários, Márcia e eu aproveitamos para matar a saudade das nossas conversas, fazendo compras e saindo para jantar todas as noites.
No sábado, saímos para nossa despedida. Ele viajariam no domingo. Decidimos sair para jantar num restaurante de frutos de mar. Após muitos risos e vendo que ainda era cedo, Léo deu a deixa: “Pessoal, temos que aproveitar essa noite, pois o nosso filho vai dormir na casa de um colega. Vamos pra balada?”. Eles imediatamente toparam. Fomos para um pub onde uma banda tocava clássicos dos anos 80 e 90. Nem precisa dizer que nos sentimos em casa. Uma hora, quando eles começaram algumas músicas dos Paralamas do Sucesso em ritmo de reggae, Alex me puxou para dançar. Pude então sentir a respiração de Alex e, como que fazendo uma coreografia, ele começou a deslizar as mãos pelo meu corpo. Senti um arrepio na espinha quando ele me apertou ainda mais contra seu corpo e pude sentir seu pênis. Fechei meus olhos e fiquei viajando na música, imaginando como seria o pau dele. Nisso vi que o Léo também dançava com a Márcia.
Pensei que Alex queria me beijar ali mesmo, pois ele colou seu rosto no meu e depois parecia que ele me cheirava. Embora assustada e querendo parecer uma dança inocente, não posso negar que o sentimento de se sentir desejada me inundou por inteiro. Toda mulher ama isso.
Depois nos sentamos os quatro na mesa e passamos a beber. Nisso, já estava completamente tonta. E embora o som estivesse muito alto, pude ouvir a Márcia e o Alex comentando com o Léo que eles queriam terminar a noite num motel, pois desde que tiveram filhos, a intimidade em casa acabou...kkk. Por fim, Alex me perguntou se conhecíamos algum. Falei que tínhamos ido poucas vezes em motéis, mas que tinha um próximo do local onde estávamos que gostávamos muito. Eles então pediram para que os deixássemos lá e que depois pegariam um taxi para voltar para nosso apartamento.
Concordamos em levá-los. No caminho até o motel, parecia que eles transariam ali mesmo no carro, pois começaram a se beijar de forma tão ardente e a começaram a se tocar. Pode ver que o Léo reparava em tudo pelo retrovisor e que o pau dele já estava duro. Vi então Alex enfiar sua mão sobre a calça de Márcia e simular que a masturbava. Foi quando senti a mão de Léo pegar em minha xoxota. Eu já estava super molhada. Deliberadamente, afastei minha calcinha e deixei meu marido me penetrar com um dos dedos, enquanto acariciava seu pau por cima da calça.
Quando chegamos no Motel, um outdoor nos chamou a atenção. “Suítes Swing”. Nisso, Márcia começou a rir muito e disse: “Vamos pessoal? Vamos conhecer?” Achamos graça e decidimos entrar. Não foi nada combinado. Todos dizem que quando casais decidem fazer uma troca devem deixar bem claros os limites de cada um. Porém, como éramos todos amigos e nos conhecíamos há muito tempo, fomos mais pelo espírito de farra do que por desejar colocar uma fantasia em dia.
Uma vez lá dentro, pudemos perceber que o apartamento era composto de dois quartos, com decorações distintas, uma sala com um palco com um mastro de pole dance e uma área aberta com piscina. Márcia parecia que estava num parque de diversões, já descalça, se deixou cair na cama enquanto pedia para o marido abrir um espumante.
Léo foi ao banheiro com o pretexto de tirar “água do joelho”. Ao voltar de lá, já veio só de cuecas, o que arrancou palmas do casal amigo. Depois começamos a tirar selfies e fotos. Duas delas ilustram nosso álbum.
Logo em seguida, Léo segurou na minha mão e me levou para um dos quartos. Aquela situação tinha me deixado completamente a flor da pele. Ele passou a me beijar toda e depois de baixar a parte de cima do meu tomara-que-caia, começou a sugar meus seios e morder levemente meus mamilos. Quando ele pôs seu pau para fora, ele estava duríssimo. Aproveitei e abocanhei aquele pau com vontade. Nisso, pude perceber que Márcia também fazia o mesmo com Alex. Ele estava deitado e ela estava de quatro lhe chupando. Da posição de onde estava não deu para perceber o tamanho do pênis do Alex, porém, vi que Márcia, apesar da idade e dos filhos, ainda mantinha praticamente o mesmo corpinho da faculdade.
Nisso, Léo começou a bater uma punheta apreciando a cena de ver Márcia completamente nua, enquanto eu lhe chupava. Ele estava tão excitado que tive que lhe pedir para parar um pouco, pois queria que ele gozasse dentro de mim. Foi quando vi Márcia se deitar e pude ver Alex todo nu. O pau dele não era tão grande quanto o do Léo. Mas, era muito grosso. Sorri e imaginei aquele pau dentro de mim. Sentindo o peso daquele homem sobre mim. Ele me olhou, sorriu e começou a chupar a esposa. Léo me olhou nos olhos, sorriu e carinhosamente me deitou na cama ao lado deles e começou a me chupar também.
Foi quando senti a mão de Alex procurando meus seios e minha boca. Léo também não se fez de rogado e enquanto me chupava vi seus dedos apertando cuidadosamente os mamilos de Márcia.
Nessa hora, sem que nada fosse combinado, Léo se levantou, se dirigiu para a mesinha de cabeceira e pegou uma camisinha. Alex, percebendo a cena, deixou sua esposa e passou a me chupar. Ele me chupava de um jeito tão diferente, fazendo movimentos com a língua no meu clitóris e me penetrando com os dedos, que em poucos segundo gozei.
Nessa hora, vi que meu marido já estava penetrando a Márcia, fazendo um papai-mamãe. Ela se contorcia toda e beijava meu marido com tesão enquanto gemia: “Mete! Mete gostoso! Me come com força.”
Foi quando Alex me virou de costas e começou a lamber meu cuzinho e a morder minhas costas e minha nuca. Ele chegou ao meu ouvido e disse: “Eu sempre sonhei contigo, Bia. Sempre imaginei como seria te ter por inteira.” Ao terminar essa frase, ele me penetrou de forma da forte que gritei de dor. Ele começou comendo meu cuzinho. Eu, que já estava “chutada”, comecei a rebolar e a engolir aquele pau grosso inteiro. Ele começou metendo devagar, mas logo começou a imprimir um ritmo mais acelerado, dando a impressão que logo gozaria em mim. Eu só dizia: “Amor, o Alex tá me rasgando toda. Ele ta comendo minha bundinha. Vou gozar de novo”. Quando estava gozando, lembrei que Alex nem camisinha tinha colocado , mas nem liguei. Tínhamos confiança no casal. Foi quando Alex tirou o pau e gozou na minha bunda.
Depois te ter gozado duas vezes, minha vontade era dormir....kkk... Foi quando vi meu marido também gozar na Márcia. Ele tirou a camisinha, mas continuava com o pau duro. Ela então ficou de quatro para ele e o Léo não pensou duas vezes. Passou a penetrá-la de quatro, também sem camisinha. Ela urrava de prazer.O Alex deu o pau pra ela chupar. Eles ficaram assim, uns 5 minutos. Tempo para eu tirar uma foto pra nunca mais me esquecer daquela noite. Alex acabou gozando novamente, dessa vez na boca da esposa. Léo, sentindo que ia gozar também, deu seu pau para Márcia de modo que também pode se deliciar com sua porra.
No final, fomos os 4 pra piscina e ainda deu tempo para mais uma transa louca. Enquanto Leo me comia por trás, com a buceta molhada, urrando de dor, mamei desesperadamente o pau do Alex, até que a Márcia resolveu......Hummm....acho melhor deixar isso para cenas dos próximos capítulos.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.