"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Me exibindo para a diarista


autor: ExibicionistaBa
publicado em: 21/09/16
categoria: hetero
leituras: 5103
ver notas


Olá, vou contar para vocês uma das minhas aventuras. Este conto é realmente verídico. Sempre gostei de me exibir, fisicamente me considero um cara normal. Tenho 1, 85 de altura, 85 kg, nem gordo nem magro, branco queimado pelo sol da minha assiduidade na praia, bonito de rosto, modéstia à parte sempre chamei a atenção da mulherada, mesmo sem ser um "modelo" de capa de revista.

Uma tara que sempre tive foi me exibir para as empregadas domésticas que trabalhavam aqui em casa e filmar a reação delas, para depois ficar assistindo. Pois é, vou contar o que aconteceu com a atual diarista. Minha esposa não estava satisfeita com a diarista antiga então procurou uma outra. Foi assim que Laura veio trabalhar aqui em casa. Laura está na casa dos 30 anos, casada, 2 filhas, loirinha, mais ou menos 1, 55 de altura, falsa magra, com um rabinho empinado, seios médios mas durinhos, apesar das duas filhas. Era meia judiada da rotina, porém não era feia nem bonita. Tinha um rosto comum.

Como não tenho escala fixa no trabalho, às vezes tô de folga o dia todo, às vezes trabalho pela manhã, às vezes pela tarde. Mas o fato é que logo de início não fiz nada com ela até que ela pegasse confiança em mim. Já fazia uns 3 meses que Laurinha trabalhava aqui em casa uma vez por semana. Então resolvi comecar a agir.

Quando ela chegava pela manhã eu fingia esquecer o celular no banheiro ou deixava carregando. E ligava o aplicativo de gravação secreta de vídeos. Quando ela chegava ia se trocar no banheiro. Tirava a bermuda e a blusa, ficando só de calcinha e soutien. Normalmente usava calcinhas simples e bem pequenas. Certa vez abaixou a calcinha para mijar, então pude ver sua bucetinha peludinha, com pelos não muito grandes, apenas levemente aparados. Mas o que mais me chamou a atenção é que ela era dona de um pinguelo enorme. Fiquei doido por aquela buceta linda. Então resolvi começar a me exibir para ela.

Certo dia cheguei em casa pouco depois do meio dia. Disse a ela que estava muito cansado e que ia tomar um banho e depois dormir um pouco. Disse também que não adiantaria me chamar, pois de dia eu dormia com um protetor auricular e não ouviria ela me chamar. Fui para o andar de cima, tomei banho e fui deitar no quarto de visitas que fica de frente para o corredor. Deixei a porta entreaberta de forma que quem passasse pelo corredor me veria nu apenas do peito para baixo. Coloquei o celular para filmar a reação dela quando me visse assim. Enrolei um lençol na cabeça e fingi estar dormindo. Fiquei levemente batendo uma punheta para o meu pau estar meio duro quando ela olhasse.

Quando ouvi os passos na escada fiquei imóvel fingindo estar dormindo. Ouvi os passos no corredor, passou várias vezes, até que de repente os passos pararam próximo à porta por alguns segundos. Então o celular dela tocou e pude ver ela falando com o marido no celular com a voz bem trêmula, ele percebeu que ela estava nervosa e deve ter perguntado à ela. Mas ela inventou uma desculpa qualquer. Depois disso ela passou várias vezes pelo corredor e parou novamente, agora por alguns minutos. Ouvi a respiração dela ficar mais ofegante, ouvi um barulho na porta. Ela agora estava dentro do quarto ficou por alguns segundo. Saiu, ouvi novamente sua respiração ofegante no corredor e um gemido baixinho e longo, seguido de um suspiro. Depois disso não ouvi mais os passos dela e adormeci.

Acordei algumas horas depois e fui olhar a gravação. E me surpreendi. Nas primeiras vezes que ela passou no corredor não percebeu a situação. De repente, já passando distraída ela olhou pra dentro do quarto, quando me viu daquele jeito, deitado de barriga pra cima com o pau a meia bomba. Ela tomou aquele choque, ficou paralisada olhando para o meu pau. Foi quando o celular tocou e ela foi atender longe da porta. Passou mais algumas vezes e parou em frente a porta, não tirava os olhos da minha casseta, mordendo levemente o lábio. Colocou a mão bem devagar dentro da bermuda da farda e começou a esfregar a xaninha, começou a ficar ofegante.

Mexeu na porta pra fazer barulho, como eu continuei imóvel, ela foi espiando pra ver se eu estava mesmo dormindo. Quando se certificou disso ela foi entrando no quarto bem devagar, ainda se masturbando. Olho fixo na minha vara que depois de ouvir o barulho na porta e perceber que ela estava no quarto ficou dura parecendo uma pedra. Para minha surpresa ela foi chegando perto, levou a mão em direção ao meu pau. Mas não teve coragem de pegar. Então voltou para o corredor e continuou se masturbando até gozar. Depois saiu e eu adormeci. Bati várias punhetas olhando aquele vídeo.

Continuei a me exibir pra ela nos serviços seguintes. O banheiro do andar de baixo fica de frente para a sala de jantar, entrei para o banho e deixei a porta aberta. E como o box é transparente pude notar que ela ficou enrolando e limpando o mesmo lugar um tempão pra continuar espiando. Fiquei de pau duro imediatamente. Decidi forçar a barra. Desliguei o chuveiro e fingi ter esquecido a toalha. Gritei: "Laura, você pode pegar a toalha por favor, que eu esqueci.

Quando ela vinha com a toalha, saí do box e a esperei já na porta do banheiro, de pau duro. Quando ela viu aquela cena ficou paralisada como na outra vez, com o olhar fixo no meu pau. Como se estivesse hipnotizada. Então na maior cara de pau agradeci e comecei a secar demoradamente o rosto deixando o pau à mostra. Quando tirei a toalha ela ainda estava de frente pra mim, atônita, sem reação alguma. Peguei levemente a mão dela que tremia feito vara verde e coloquei sobre o meu pau que pulsava. E comecei a fazer o movimento de vai e vem com a minha mão sobre a dela. Os olhos dela não desgrudavam do meu pau. Então dei um beijo na boca de lhe tirar o fôlego. E ela ficou toda mole em meus braços.

Levei ela até a sala e comecei a tirar a roupa dela. A deixei toda nua, a deitei no sofá, comecei a mamar naqueles peitinhos com os bicos durinhos e deliciosos. Desci lentamente por aquela barriguinha lisinha e cheguei até aquela bucetinha peludinha que já conhecia pelo vídeo. Ela não apresentava reação alguma. Que tesão aquela mulher deitada nuazinha no meu sofá. Com uma marquinha de bikini minúscula que não tinha quando a vi no vídeo. Então comecei a passar o rosto naquela bucetinha cheirosa, com os pelinhos um pouco aparados mas não tão pequenos e um pinguelo enorme. Comecei a passar a língua lentamente e colocar primeiro um dedo, depois dois, naquela rachinha procurando seu ponto G. Encontrei, acariciava e ao mesmo tempo lambia aquele pinguelo que já estava inchado e duríssimo. Ela gozou várias vezes.

Então sem tirar os dedos da sua xana, coloquei meu cacete, que não é tao grande mas é bem grosso, na noca dela. Ela mamando minha taca e eu bolinando ela por baixo fez com que ela tivesse mais uns dois orgasmos. A coloquei naquela posição de frango assado e comecei a penetrá-la, aumentei a aceleração dos movimentos e quando eu estava quase gozando, parei. Deitei-a no sofá e ela subiu no meu caralho e começou cavalgar loucamente, estava fora de si, pensei que não iria mais parar de gozar. Quando o orgasmo dela acabou a peguei pelos cabelos levei até a janela que estava entreaberta, ela ficou com aquele rabinho empinado.

Comecei fodê-la violentamente. Quando percebi que eu iria gozar a joguei no sofá, meti o pau na boca dela e gozei delirando. Ela tentou se desvencilhar mas já estava muito fraca de tanto gozar. Espirrei vários jatos dentro da boquinha dela. Ela quase engasgou e fez menção que iria cuspir. Então a segurei pelos cabelos e gritei que engulisse, ela resistiu um pouco, mas dei alguns tapas em seu rosto e ela obedeceu engolindo tudo. Mandei ainda que chupasse meu pau para limpar o resto, ela obedeceu. Deixei-a jogada no sofá e fui tomar banho. Quando saí do banho ela estava lá, imóvel, do mesmo jeito, vesti uma roupa e saí. Quando retornei ela não estava mais, depois disso ela ainda não veio fazer faxina aqui em casa ainda. Não vejo a hora de vê-la novamente.

Se você é diarista ou empregada doméstica e já teve alguma experiência com seu patrão, me escreva. oliveira3891@hotmail. com



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.