"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Queria pau e ganhei pau e buceta


autor: nady
publicado em: 06/01/17
categoria: grupal
leituras: 6224
ver notas


Bem, vamos lá.
Este é meu quarto conto e espero que gostem.

Me chamo Nady, tenho 28 anos. Sou loira, cabelos longos, magérrima, peitos pequenos e bumbum redondo e empinadinho.

Essa história trata da quarta putaria que fiz. Já contei como foi com o cara do Orkut, com o gordinho do Facebook e com o japonês do Tinder. Agora vou contar como eu e uma amiga demos pra dois caras na balada... demos e nos pegamos... haha

Tenho poucos amigos na minha idade. A maioria já construíra famílias. Anos pra cá venho fazendo amizade com pessoas mais jovens. E assim foi com Samira. Nos conhecemos através de amigos. Samira é morena, 17 anos se não me engano na época dos fatos, peituda... uma boca carnuda, igual das atrizes pornôs. E uma bunda de dar inveja.

Certo dia, resolvemos ir para uma balada sertaneja. Coloquei um vestido preto, salto preto, calcinha minúscula e preta e fui rumo a putaria. Samira vestia um tomara que caia branco e uma legging branca tbm... bem marcadinha na buceta.

Confesso que não queria saber de beber e dançar: queria era um pau pra me comer.

E assim fomos. Na balada, nada de homens interessantes. Então resolvemos beber para aproveitar a balada. Dois amigos se aproximaram. Não demos bola. Para espantar esses pé no saco, dissemos que eramos namoradas.
- Quero ver você dando uma linguada na boca da sua namorada- um deles disse para mim.
Demos risada. Minha amiga se aproximou, pegou na minha nuca e me beijou. E que beijo. Adoro um pau grosso, mas ao sentir a língua molhada daquela novinha de 17 anos na minha boca me deu um puta tesão. Continuamos o beijo. Nos soltamos e demos risada. Os rapazes riram também. Eles foram até o bar e trouxeram bebida e ali ficamos.

Já no auge da bebedeira, quis ir embora. Minha amiga pediu para irmos ao banheiro. Chegando lá, a novinha safada levantou meu vestido e lambeu meu bumbum.
-Sah... sua doida. O que está fazendo.
-Tava louca pra fazer isso- disse ela.
Nos beijamos de novo. Banheiro vazio... aproveitamos para percorrer nossas mãos pelos corpos. Peguei nos peitos da Sah. Ela gemeu. Não hesitou, baixou a parte de cima do meu vestido e chupou meus seios. Eu de frente para o espelho me deparava com a cena: eu de seios de fora e uma novinha com o bumbum empinado chupando-os. Fiquei molhada.
-Preciso sentar num pau,. Sua língua é uma delicia, mas preciso de uma pica dentro de mim- disse para Sah.
-Nady posso ser melhor que eles-disse a novinha enquanto penetrava sua língua em mim- vamos embora com eles,se é isso que queres..
-Nossa novinha... adoro ver você chupando minha bucetinha. Nenhum homem me chupou assim antes. Mas quero que eles vejam.
Me recompus e fomos atrás deles.

Entramos os quatro no carro: nós atrás e eles na frente. Do nada, a Sah diz:
-Que vontade chupar um melzinho.
Nesse instante levanto meu vestido, coloco a micro calcinha de lado. Abro as pernas. Ela vem e mete aquela linguinha devagar. Vai aumentando o ritmo. Eu gemo alto.
O carro para. Olho pra frente e vejo os dois caras com os paus de fora. Loucos que tesão.
Sah para de me chupar. Um deles pula pra tras. Eu pulo pra frente, formados os casais.

Sento no banco da frente, abaixo a calcinha e abro as pernas. O cara que esta ao meu lado é um novinho, pintudo, gostoso. E sabe chupar, me chupou deliciosamente.
No banco de tras sentia um vai e vem. Sah já tinha um pau em sua buceta.
-Quero um pau dentro de mim também- disse eu para o novinho.
Pulei no colo dele, que já estava com o pau latejando. Sentei naquela pau. Enquanto cavalgava naquela rola grossa, via minha amiga de quatro. Ela dava o cuzinho. Meu tesão aumentava.
-enfia o dedo no meu cuzinho vai.
E o novinho obedeceu. E ele ali, cavalgando num pau, penetrada com dedinhos no cu e com a visão da minha amiga dando o cu... foi maravilhoso. Gozei primeiro. O novinho gozou depois. E Sah ali, incansável dando o cuzinho.
O cara que comia a Sah gozou. Ela no entanto não.

-Nady vem me satisfazer, vem.
-Sah quer que eu faça o que?
-Abre as pernas pra mim. Quero te chupar, chupar buceta me faz gozar. Mas também quero que você me chupe.
Assim fiz. E que chupada. Ela lambia meu grelo... devagar... depois rápido. Sempre molhadinho. Eu delirava. E ela ali chupando. Sem se cansar, como se eu fosse um pote de sorvete que saciaria-te por dias e dias. E chupava... lambia... eu gemia... ela gemia... e os rapazes olhavam, não tinham mais forças, somente olhavam. Eu retribuía as chupadas... metia a língua ferozmente naquele grelo gostoso.
Aquela língua delicia em mim, me chupando como um homem nunca chupou... eu me sentindo a puta mais gostosa da terra. Nada de dedo, só língua. Língua na frente, atrás. Rápido, devagar. Molhando, secando. Assim gozei. Sah também.

Espero que tenham gostado desse conto.
Aceito opiniões, sugestões e elogios nos comentários ou pelo email historiasdenady@gmail.com




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.