"Os mais excitantes contos eróticos"

 

UMA ESPOSA ADORÁVEL.


autor: Thecoach
publicado em: 15/04/17
categoria: hetero
leituras: 2858
ver notas
Fonte: maior > menor




Kitty está acabando seu banho matinal, eu terminando de fazer a barba. Mesmo com o vapor da ducha que faz eu limpar o espelho a todo instante eu ainda posso ver a silhueta da minha adorável esposa no box do chuveiro. Eu amo essa mulher! Assim que ela desliga o chuveiro eu apresso minha barba e ainda pego ela saindo do banho, dou um abraço e um beijo apaixonado, ergo ela e coloco-a sentada no balcão ao lado da pia, abro suas pernas e me enfio entre suas coxas, ela todinha molhada me parece fresca e deliciosa. Minha língua penetra entre seus lábios na xana toda molhada. Eu mostro minhas habilidades que ela conhece tão bem e logo estou torcendo minha língua no clitóris, saltado e durinho disparando seu primeiro orgasmo. Ela geme toda chorosa, agarra minha cabeça e me puxa enquanto força seu quadril contra meu sexo. Ela quer ser penetrada e tem urgência, eu não a decepciono, enterro tudo enquanto ela trava a respiração e depois suspira terminando em um longo gemido, essa é sua "assinatura" que eu conheço tão bem. Gozamos juntos como sempre e estamos então prontos para as agruras do dia a dia...

Meu nome é Douglas, tenho trinta e cinco anos e sou casado com a Cristina de trinta e um. Eu trabalho como engenheiro de projetos em uma grande construtora e ela como supervisora de vendas em uma multinacional produtora de softwares. Estamos casados a onze anos, doze dentro de dois meses. Não temos filhos por opção, temos uma vida social bem intensa, gostamos de nos divertir, viajar e de vez em quando sair na noite. Nossa situação financeira é confortável e nós dois somos aquele tipo de casal que todos adoram, sabe, "foram feitos um para o outro", eu concordo! No sexo somos felizes, realizados e encontramos muita cumplicidade.

Eu sou moreno alto. Tenho um bom físico cultivado desde jovem, principalmente na natação. Ainda hoje frequento ao menos uma vez por semana a academia. A Kitty já é mais fanática. Academia cinco vezes por semana, faça sol ou faça chuva, no inverno ou no verão...Em compensação ela aos trinta e um anos tem um corpo de parar o trânsito, altura mediana, pele morena como o pecado e uma bundinha perfeita, bem desenhada, redondinha e durinha. Seus seios são médios para grande, também bem feitos e quando ela esta nua os mamilos bem pontudinhos apontam para o céu de onde ela veio, com certeza!

Minha esposa tem muito bom gosto para se vestir, mostra o necessário, nem mais, nem menos e realmente faz uma bela figura, mesmo porque na profissão dela isso é essencial.

Não tenho porque reclamar da vida, emprego satisfatório, esposa perfeita. Nenhuma preocupação de imediato na vida, só deixar o tempo passar aproveitando a vida e as surpresas boas que aparecem, bom...Isso até recentemente.

Semana passada quis o destino pregar uma de suas peças, por acaso e sem intenção alguma eu acessei uma conta de email da Kitty, conta que eu nem sabia da existência, mesmo porque nossas contas são abertas, até usamos as mesmas senhas em todas nossas contas sejam compartilhadas ou pessoais. Mas essa conta eu não conhecia. Eu estava pronto para sair da conta sem a mínima curiosidade quando me deparei com um email com o assunto "PEGOU"? Bom eu quando fui abrir para ler vacilei um pouco, mas vendo que era da Merci, amiga íntima e companheira de trabalho da minha esposa eu fiquei realmente curioso e desconfiado. Tudo que aconteceu depois disso na minha vida foi bem agitado. Não digo se foi ruim ou bom, mas com certeza as coisas mudaram lá em casa, eis o email:



De: Merci.

Para: Kitty

Assunto: PEGOU?

Amiga! Eu te vi saindo da sala de suplementos depois do almoço. Depois o Marcelo atrás saiu com a maior cara de satisfeito...me conta tudo. (Merci)


REPLY:

Fica na tua Merci, não foi nada, eu só fiz um boquete rapidinho. (Kitty)


REPLY:

Só um boquete???? Sua puta!!! Mas você não se contenta com o maridão, aquele gostoso, não quer mais, eu quero. E limpou a bagunça ou deixou a sujeira toda lá? (Merci.)


REPLY:

Não teve bagunça, eu engoli tudinho e não foi pouco. Foi gostoso...(Kitty)


REPLY:

O que????? Você engoliu sua vaca! Mas você me falou que nunca engoliu do teu marido, tem nojinho...(Merci)


REPLY:

Mas o Marcelo é especial, eu engoli e pronto! Agora vamos trabalhar um pouco. (Kitty)



Bom nessas horas é preciso calma, disse o corno! Não, não foi como me senti, na hora. Eu muito centrado comecei a repassar toda a caixa de emails dela, e fui descobrindo a uma verdade que eu nunca poderia nem sonhar.

Eu conhecia bem o Marcelo, ele também é supervisor e colega da minha esposa na firma. O sujeito é até parecido comigo, moreno alto, corpo bem cuidado e muito educado. É casado com a Eduarda, somos amigos e frequentamos a casa um do outro. Costumamos sair juntos as vezes de noite. A Merci também frequenta nossa casa, solteira e namoradeira sempre brinca comigo dizendo que quando a Kitty me jogar fora ela quer o bagaço...

Os emails que eu li me contaram uma história impressionante. Não existia ainda nenhum email do Marcelo...cara esperto! Mas entre a Merci e a minha esposa as coisas eram bem detalhadas. Merci curiosa como ninguém e a Kitty não decepcionando a amiga, quem sabe fazendo um pouco de inveja, pelo bem ou pelo mal eu pude saber por tabela toda a verdade sobre a minha Kitty , suas sujeirinhas com o amante e fiquei abismado com a facilidade dela em levar essa vida dupla justamente porque nosso sexo era diário, as vezes com repeteco e ela decididamente não tinha o comportamento de alguém que estava traindo o marido. Bom, minha experiência nesse campo era zero, mas ...

Naquele dia mesmo quando eu voltei para casa a Kitty como sempre já tinha chegado e estava preparando nossa janta, eu demoro muito do meu serviço até em casa, ela sempre chega antes. Eu cheguei agora sabendo coisas que eu nem desconfiava antes e fui recebido como sempre, nada demonstrei é claro, apenas agarrei ela, coloquei-a sentada no balcão ergui sua saia e afastei de lado sua calcinha...Ela se apressou em justificar:

-Eu preciso de um banho amor...Acabei de voltar do trabalho.

Eu ignorei e meti a língua na xana dela, não achei nada estranho...Não sei o que eu esperava, mas sabendo que ela chupou outro homem eu estava curioso, só em pensar que ela engoliu a coisa do outro cara me deixou puto da vida, mas eu soube me guardar...Fiz ela gozar só usando minha língua, fui um pouco bruto com os dedos, três de uma vez...uma raivinha me dominava, depois comecei a beijá-la como nunca beijei, queria sentir algum sabor diferente para confrontar ela, mas nada. No entanto meu pau ficou muito duro e realmente querendo trabalhar então eu meti sem dó, bombei rude, rápido enquanto ela gemia, quase gritando agarrada na minha cabeça e apertando com força meu pescoço. Eu fodi a Kitty com vontade, não foi a primeira vez que tratei ela assim, nem a primeira vez na cozinha, mas desta vez meu psicológico era outro. Depois que gozamos e conseguimos recompor a respiração ela perguntou:

-Que aconteceu amor? Você está tão diferente...

Eu desconversei fácil:

-Comigo nada, mas você é um problema...Cada vez mais gostosa!

Ela sorriu:

-Você é mesmo um amor...Agora eu realmente preciso de um banho.

Eu pego na mão dela e digo:

-Então vamos juntos amor.

Ela se mostra preocupada com as panelas no fogão, eu desligo tudo e digo:

-Pronto, sem desculpas, vamos para o banho!

No box do chuveiro eu brinquei bastante com ela, mas não estava lá para brincadeiras. Quando ela estava toda alegrinha eu segurei meu pau de novo bem duro e olhando ela bem nos olhos:

-Chupa amor!

Ela vacilou um segundo antes de se ajoelhar mas aceitou a missão! Que maravilha, ela sabe chupar, sempre soube, aquela boquinha linda com meu pauzão arreganhando ela é uma visão estimulante, eu meti fundo, talvez ela tenha percebido que eu estava meio áspero porque me olhou com um pouco de estranheza no olhar. Então eu fui muito sacana. Não avisei que estava pronto para gozar como sempre faço. Pelo contrário, quando explodi segurei na nuca dela com os meus dedos entrelaçados puxando sua cabeça, enterrei até o fundo da garganta e mandei ver! Juro que o olhar dela me deu pena, mas apenas por segundos, depois aproveitei:

-Engole amor!

Fiz ela engolir tudinho e depois limpar meu pau. Foi a primeira vez que ela engoliu tudo. Eu já tinha tentado isso antes, mas ela sempre escapava e cuspia, desta vez ela só me olhou surpresa, meio quieta e desconfiada:

-Você está bem estranho hoje querido...

Eu retruquei:

-Bom... é a primeira vez que você engole, então eu acho que a estranha aqui é você...

Depois nós dois rimos disfarçando, cada um com seus motivos. Naquela noite fizemos amor novamente, mas isso não era anormal, sexo para nós nunca foi regulado.

Nos dias seguintes eu trabalhava acompanhando os emails da conta delas. Merci e Kitty ficavam o dia todo trocando figurinhas, e todo dia tinha pelo menos um que dizia algo envolvendo o Marcelo. Alguns foram realmente muito reveladores:



De: Kitty

Para: Merci

Assunto: Morra de Inveja

Hoje eu e o Marcelo fomos atender um cliente, na volta no estacionamento bem lá no fundo no escuro ele me comeu, acredita? Ele tirou o pintão lindo e eu sentei de boa! Aquilo dentro de mim me deixou louca...(Kitty)


REPLY:

PUTA! PUTA! PUTA! Vem cá, o que está acontecendo? Chupa, engole tudinho e agora leva pau na pepeka? Tenho pena do Douglas. Me conte, o que o Marcelo tem? Pau grande? É bom chupador? Meu Deus! Você está apaixonada?


REPLY:

O pau do Marcelo é igual ao do Douglas e meu marido chupa bem melhor que ele. Paixão mesmo só pelo meu Do ...Mas não sei...o Marcelo é especial , não sei explicar...(Kitty)


REPLY:

Sei! O Marcelo é especial, teu marido um gostoso e você uma putinha. (Merci)


REPLY:

Vai cuidar da tua vida vai! rsrsrsrsr (Kitty)



O Marcelo é especial? Essa desgraçada me paga! Quando eu acessei esse último email eu estava no escritório, na firma e não consegui mais me concentrar. O dia se arrastou, lento e desagradável, eu lá pelas três horas não aguentei eu fui até o banheiro bater uma, a raiva, a surpresa e tudo junto me deixaram com uma excitação anormal, eu me aliviei mas não foi o suficiente.

Quando cheguei em casa a tardinha já quase escurecendo a Kitty já estava lá a muito. Encontrei ela como sempre na cozinha e logo senti o cheiro da lasanha que ela sempre faz quando quer me agradar. Ela pelo visto tinha tomado banho e estava maravilhosa com um shortinho bem curto e uma regata agarrada. Estava cheirosa e toda jovial. Ficamos conversando, namorando e se beijando até a lasanha ficar pronta. Eu estava morrendo de tesão mas me segurei para a noite. Quando fui tomar banho antes de me deitar aproveitei e fui fuçar no cesto de roupas sujas que fica no banheiro. Acertei em cheio, bem no fundo estava a calcinha que ela usou no dia, uma tanguinha maravilhosa toda marcada de sêmen seco, deve ter escorrido muito mesmo para a calcinha ficar do jeito que estava, raiva? Não! Eu cheirando a pequena peça de rendas preta só fiquei com mais vontade de pegar minha esposa. Na cama ela me esperava, nada, absolutamente nada dava a menor pista de que ela tinha fodido a tarde com outro. Ela tinha o mesmo olhar de sempre para mim, amoroso, desejoso e pronta para se entregar. Nesta noite eu a fodi com todas minhas forças, fui um animal na cama e usei ela, fiz da minha esposa uma fêmea , coube a ela acatar minha agressividade sexual, servir de anteparo para minha raiva e minha excitação com tudo aquilo e claro, ela se saiu muito bem. Eu lambi e chupei todo seu corpo, fui nas mais particulares intimidades dela e conspurquei-a todinha. Quando meti minha língua no cu ela ela estranhou, nunca fiz isso antes. Estranhou mas não refugou, pelo contrário, pediu mais e eu meti um dedo no anus dela fazendo-a gritar ao mesmo tempo que rebolava e aprovava minha ação:

-AHIIIAHIIIII! SIM! Isso mesmo...faz assim Do, come meu rabinho...Aiiiiii!!!

Na hora eu pensei, " vamos deixar para outra noite", vou deixar ela doidinha hoje, quero levar ela lá em cima e depois puxar a escada. Usei a língua de novo metendo no cuzinho até deixar ela descontrolada, depois como sempre meti meu pau na xana e me surpreendi, ela estava apertadinha de tanta tesão, eu meti bem fundo colocando ela em posição de frango assado, bombei duro como se minha vida dependesse disso. Cada estocada que dei fez ela gritar alto e não parei de foder mesmo ela tendo gozado mais de três vezes, na verdade deve ter sido uma série de multi orgasmos, só então eu descarreguei minha carga levando ela a "entrar em curto". Quando acabei de fodê-la Kitty estava destruída, tremendo toda e gemendo baixinho. Dormimos logo em seguida, os dois suados e cheios de esperma pelo corpo. Pela manhã ela veio logo cedo se insinuando, virou sua bunda para mim e pediu:

-Eu quero que você me coma por trás, meu rabinho amor, acho que ontem você mereceu.

Então eu cometi um pequeno erro:

-Isso vai ser um acontecimento especial amor...vamos deixar para a noite, quero todo o tempo para receber esse presente tão especial...

Ela mostrou um beicinho mas ficou feliz. Demos uns amassos e fomos trabalhar, cada um para sua firma. Mas eu não tinha ideia de como deixei ela atiçada...

Às dez da manhã uma surpresa perturbadora. Algo que levou tudo para outro nível, como se isso fosse possível... Ela recebe um email do próprio Marcelo, pela primeira vez ele deixa uma prova do crime:



DE: Marcelo

Para: Kitty

Assunto: Obrigado.

Você esteve maravilhosa no estacionamento ontem querida. Me deixou louco! Amor...Paixão! Beijo (Marcelo)


REPLY

Eu que agradeço, teu pau fez bem para minha pepeka, ela estava precisando. Mas vamos ver até onde você está comigo: Se quiser comer minha bunda hoje me leva no motel no horário do almoço...Vai encarar? (Kitty)


REPLY

Você tem certeza???? Eu estou dentro! SIM! SIM! SIM! Te pego na nossa lanchonete ao meio dia em ponto. (Marcelo)


REPLY

Estou molhadinha e meu rabinho está beliscando. (Kitty)



Eu tive uma confusão mental na hora. Que fazer? Ela estava louca para dar a bunda, não queria esperar até a noite, que safada afobada...Fiquei quase uma hora pensando, me torturando e o serviço parado...Então liguei, telefonei para minha doce Kitty:

-Alô...Amor? Olha, eu vou estar na região do teu escritório no almoço, vamos almoçar juntos?

Ela demora uns segundos para responder, dúvidas ou consciência pesada?

-Eh...na...não vai dar amor, Tem um cliente sabe, muito importante e já foi marcado pelo Marcelo a uma semana...não posso cancelar. Mas você é um amor pensando nisso...e...eu estou esperando o que você me prometeu para nossa noite especial. Um beijo!

Eu fiquei pasmo, então ela queria dar a bunda para o Marcelo no intervalo do almoço e para mim só à noite. Na verdade o outro teria a prioridade! Eu e minha esposinha já tínhamos tido relação anal antes, ou melhor, fizemos algumas tentativas mas como ela não se sentia confortável isso não fazia parte das nossas brincadeiras usuais, ontem minha língua deve ter despertado novas vontades nela, e o outro iria aproveitar o que eu o marido, tinha começado.

Outro email só apareceu à quatro da tarde e eu nada fiz para a firma neste tempo todo. Eu estava me tornando um inútil preso à vida da minha safada esposa e seu amante. O email:



DE: Merci

PARA: Kitty

Assunto: Almoço


Onde você almoçou hoje, te procurei, você sumiu...(Merci)


REPLY

Eu almocei com o Marcelo, foi gostoso. (Kitty)


REPLY

VC e o Marcelo? Olha amiga, está dando bandeira. Onde vocês comeram? (Merci)


REPLY

No Motel...Ele comeu minha bunda! (Kitty)


REPLY

Como assim? O que você fez sua louca? (Merci)


REPLY

Eu deixei ele comer meu cu! Tá difícil até de me sentar...Vou ter que desenhar para você entender? (Kitty)


REPLY

PUTA! LOUCA! (Merci)


REPLY

Fuiiiiiii...tenho mais o que fazer....



Eu resolvi parar de trabalhar mais cedo, aleguei indisposição e me mandei para casa. Cheguei antes da Kitty, tomei um banho e fui esperar ela tomando um uísque com gelo e pensando na vida. Ela chegou toda esbaforida e achando estranho eu já estar em casa. Disse que tive uma dor de cabeça e vim mais cedo, mas que a dor de cabeça já tinha sumido...Minha esposa queria tomar banho logo então fazia o possível para escapar dos meus braços:

-Calma amor...depois...tudo bem, depois...eu estou toda suada.

Soltei ela, esperei pacientemente o longo banho que ela tomou, aguardei o jantar ajudando e batendo papo com ela. Jantamos conversando sobre assuntos variados, nossos empregos, passeios planejados e até fui mais longe:

-E o Marcelo? Como ele está? Convide ele com a Eduarda para jantar com a gente, faz tempo que eles não vem, ou então marque uma saída com eles juntos, que tal sexta à noite?

Ela me olhou sondando, meio séria meio preocupada...Então sorriu, deve ter concluído que eu não sei de nada, é óbvio, como eu poderia saber? Me respondeu tranquila:

-Claro amor, eles são um casal bem interessante, eu gosto de trabalhar com o Marcelo, ele é muito competente no que faz...Vou convidá-los.

Naquela noite eu peguei minha esposa de jeito na cama, fui direto no traseiro dela, provoquei, botei ela de bruços na cama, fiz ela abrir bem as pernas e fui para cima:

-Promessa é dívida amor, vamos resolver essa pendência, já faz tempo da última vez que tentamos, não?

Ela só resmungou:

-Hummm...Hummm

Fui metendo devagar, meu pau muito duro não teve dificuldade alguma. O cu dela estava meio inchado, um pouquinho aberto ainda, mas eu fingi que não vi nada. Eu usei muito lubrificante, muito mesmo, mas ela estava toda arranhada na região e coitada não podia me negar nada hoje. Ela foi uma heroína, eu um carrasco, meti sem dó. Ainda fechei as pernas dela com meus joelhos depois que a cabeça da minha rola passou. Eu queria a coisa bem hardcore se é que me entendem...

Eu bombei e segurei meu gozo por quase meia hora. Ela pedia arrego o tempo todo, gemia, choramingava e agarrava os lençóis no desespero. Eu com pena diminuí o ritmo e enfiei meu braço por baixo conseguindo estimular seu grelo, me abaixei e comecei a tranquilizá-la com palavras doces no seu ouvido:

-Eu te amo tanto meu amor...Você é tudo para mim, seu corpinho é meu tesão...olha meu pau como está duro, você sente? Me sente bem lá dentro amor? Quando eu gozar quero deixar meu pau a noite inteira dentro de você amor...Não está doendo muito não é?

Ela não quis passar recibo, sei lá por que:

-Só um pouquinho amor, mas eu aguento...Quero te dar prazer...fode meu rabinho fode, amor.

Foi uma noite longa, eu fiz questão de foder ela por trás duas vezes, fiz ela chupar meu pau até me esgotar totalmente e quando dormimos depois do banho o dia quase amanhecia. Durante o dia com certeza seria duro aguentar o sono no trabalho.

Por dois dias não apareceu emails na conta secreta da Kitty. A surra de pica que eu dei nela deve ter acalmado seu fogo, o cu arrombado pelo amante depois por mim deve ter contribuído para isso. Mas quinta feira o Marcelo se manifesta:



DE: Marcelo

PARA: Kitty

Assunto: ?

Por que está me evitando Kitty? Só porque vamos jantar na tua casa no sábado?(Marcelo)


Reply

Que nada, está tudo bem...e lá em casa juízo heimm, muito cuidado...(Kitty)


Reply

Eu tive algumas ideias para hoje querida. Acho que você precisa um calmante, anda meio nervosa...Tenho algo para você lá no estacionamento, meu carro está lá naquele lugarzinho nosso...bem escurinho. Te encontro lá em quinze minutos. (Marcelo)


Reply

Do que você está falando? Agora está meio difícil eu sair daqui. (Kitty)


Reply

Má menina! Não sabe obedecer...Me encontre lá, preciso aplicar umas palmadas na tua bundinha, eu estou pensando nisso à dias. Teu marido já fez isso com vc? (Marcelo)


Reply

Hummmm...olha só ele! Todo poderoso! Gostei e já estou descendo senhor! E não, meu marido não me pune porque eu sou muito boazinha com ele...(Kitty)


Reply

Prepare a bundinha! (Marcelo)


Reply

uiiiii...uiii...uiii (Kitty)



Era mesmo só o que faltava, mas devo reconhecer que o Marcelo sabia enfeitiçar minha esposa. Queria espancar ela, na bunda como uma menininha sapeca merece e conseguiu convencê-la sem dificuldades Nunca fiz isso com ela, a ideia me pareceu ótima e mais uma vez ele teria a primazia. Fiquei como um garoto, meio perdido esperando ver se alguma mensagem retornava. E bem no fim do expediente não fiquei decepcionado:



De: Merci

Para: Kitty

Assunto: KD VC?

Onde você está? (Merci)


Reply

Estou no banheiro com uma tolha molhada na bunda...(Kitty)


Reply

O que? VC se sujou?


Reply

Não sua boba. Eu voltei a pouco lá do estacionamento. Fui encontrar de novo o Marcelo lá, ele resolveu me dar uma surra na bunda. Mandou eu erguer a saia, abaixou minha calcinha e me colocou nos seus joelhos. Que mão pesada ele tem! Minha bunda está toda vermelha, cheia de marcas, a mão dele é enorme. Mas foi tão bom, fiquei toda molhadinha. (Kitty)


Reply

Não sou mais tua amiga, não te conheço e espero que o DO veja isso hoje, como você vai esconder dele? LOUCA! (Merci)


Reply

Bom hoje a noite acho que vou ter uma dor de cabeça muito forte e vou dormir cedo. Acho que vai levar uns dois dias para meu marido ver a minha bunda...(Kitty)


Reply

Tchau louca! (Merci)




Quando cheguei em casa encontrei um bilhete da minha esposa na cozinha:

"Estou com uma dor de cabeça terrível. Tomei um remédio forte e vou dormir até amanhã. Beijão amor, sou tua!"

Eu fiz um lanche com o que tinha na geladeira. Assisti alguns filmes e só subi para o quarto próximo da meia noite. Confirmei antes que ela estava mesmo dormindo, não sei se tomou mesmo o tal remédio, acho que não, mas ela dormia pesado, então devagar, bem devagar tirei a coberta de cima dela, ela estava meio de bruços e com muito cuidado fui abaixando o shorts dela. Era folgado, não foi difícil e eu só abaixei até a metade, no traseiro, A bunda dela estava vermelho vivo, era possível ver as marcas da mão com os dedos bem marcados impressos naquela linda bundinha tão bem desenhada. Eu fiquei com muita tesão e por pouco não mordi aquilo tudo que se oferecia na minha frente. Foi quando ela fez menção de acordar, então devagar ajeitei o shortinho sexy e a cobri de novo, ela se virou de lado, resmungou algo e não se mexeu mais. Eu custei a pegar no sono naquela noite.

O fim de semana finalmente chega. Minha ansiedade é enorme e nem sei bem porque. Afinal dificilmente algo pode acontecer, tudo não vai passar de um jogo onde eu tenho todas as cartas e os demais não tem nada. Quando o casal de amigos chega o jogo começa. O Marcelo e a Eduarda formam um casal muito simpático. Somos amigos a muitos anos e só últimamente não tínhamos nos encontrado. O papo vai fácil, a comida foi toda encomendada então a Kitty está livre para fazer sala, Eu converso bastante com o Marcelo, estou fascinado sabendo o que sei e observando ele me tratar tão bem, como um grande amigo mesmo. A Kitty parece a melhor amiga de sempre da Eduarda, come o marido dela e fica assim bem tranquila jogando conversa fora. A noite avança, comemos, rimos e nos divertimos. A sobremesa é servida e depois o café. Eu observo minha esposa e o Marcelo interagindo. É só ela ir buscar alguma coisa na cozinha e lá vai ele ajudá-la, mas da sala a cozinha é praticamente toda visível. Eu vejo leves e sutis passadas de não, coisa discreta de gente educada e cuidadosa. Eu me divirto com o balé dos dois. A Eduarda aparentemente de nada desconfia.

No fim da noite o golpe é dado. O Marcelo anuncia que tanto ele quanto a esposa beberam demais, então vão para casa de Uber e o carro deles vai ficar na nossa garagem de visitantes. Antes de chamar o Uber a minha Kitty com a maior naturalidade do mundo:

-Marcelo...eu quero te mostrar o relatório de vendas do mês, não está pronto ainda mas eu gostaria da tua opinião...pode vir até o escritório?

Ele tranquilo:

-Claro Kitty! Mas se vamos de Uber eu preciso pegar meu computador lá no nosso carro, você pega para mim Eduarda, faz isso amor?

Eu fico pasmo como armaram uma situação com jogada combinada. São mestres! Eu resolvo ajudar:

-Eu acompanho a Eduarda, lá no estacionamento dos visitantes é muito escuro, temos segurança, mas para que arriscar...

Minha adorável Kitty:

-É bom mesmo amor...

Bom eu não sei quanto tempo os dois achavam que teriam juntos e sozinhos. Nós moramos no décimo segundo andar, chamar o elevador e descer uns quatro minutos no máximo, caminhar até o estacionamento dos visitantes no outro lado do condomínio não mais que três minutos, tudo ida e volta quatorze minutos com folga. Bom no máximo ela vai chupar o pau dele...Foi o que pensei comigo mesmo.

Eu e a Eduarda partimos rumo ao estacionamento, o elevador veio logo e lá em baixo eu estava caminhando tão rápido que a esposa do Marcelo pediu:

-Calma Douglas, mais devagar...Eu estou de salto!

Chegando no carro para pegar o computador a Eduarda apanhou um pouco para abrir o carro deles, depois de pegar o tal computador disse que queria pegar um estojo de maquiagem que estava numa pochete no porta luvas, ficou algum tempo meio perdida e depois ainda derrubou a tal pochete no piso do estacionamento, ela estava aberta e o conteúdo se espalhou no chão. Juntei tudo para ela, e finalmente voltamos para a portaria do meu bloco, por sorte o elevador estava disponível e com tudo isso meus cálculos bateram, levamos treze minutos que eu disfarçadamente cronometrei no meu relógio. Até agora eu não sei se a Eduarda se enrolando toda estava "colaborando" com o marido, mas esse pensamento me passou pela cabeça.

Quando entro no apartamento a Eduarda grita:

-Voltamos!

Não sei...acho meio difícil que ela esteja acobertando o marido enquanto ele come minha esposa, mas nunca se sabe. Ninguém pode me culpar por ser meio paranoico numa situação assim... Minha querida Kitty retorna do escritório, Marcelo vem na frente, sorridente elogia o tal relatório mensal de vendas:

-O teu relatório está excelente Kitty, só é bom relatar melhor aquele negócio perdido, acho bom deixar apenas como adiado, a diretoria vai gostar...

O cara é bom mesmo! Tranquilo, se eu não soubesse o que acontece não teria desconfiado de nada. Kitty vem atrás, não responde nada sobre o comentário do Marcelo, está com o rosto muito vermelho, quieta e pelo menos para mim parece estar meio desconfortável.

Nos despedimos do casal amigo rapidamente, minha esposa ainda oferece mais um café, mas o Uber já confirmou que está agradando, então Marcelo:

-Vocês são fantásticos, precisam nos visitar qualquer dia...vamos marcar. Pego meu carro amanhã cedo ou no almoço...tanto faz.

Minha esposa mal fecha a porta do nosso apartamento e eu a agarro por trás, ela tenta escapar:

-Calma amor...estou exausta, é tarde...quero tomar um banho e ainda tenho que arrumar a bagunça toda na cozinha...

Eu me finjo de surdo! Ignoro totalmente suas desculpas e empurro ela para o quarto, no caminho tiro a blusa dela e o sutiã, ela segura com força a saia enquanto já perde os sapatos pelo caminho. Eu jogo ela na cama e noto que ela está muito nervosa:

-Amor...por favor...me dá um tempo, eu não vou fugir. Segure só um pouquinho o seu pau que logo eu vou cuidar direitinho dele...

Mas eu continuava surdo! De propósito é claro vendo que ela estava com medo do que eu podia descobrir, coitadinha, com certeza os dois traidores deram uma rapidinha, de alguma maneira o Marcelo deve ter metido nela, gozado como um cavalo em menos de treze minutos e a calcinha com certeza estava cheia de sêmen, uma buceta recém fodida jamais pode enganar um marido... Ela estava cada vez mais apavorada percebendo que seria desmascarada a qualquer momento. Eu empurrei a saia para cima, ela fechou os olhos e tentou me puxar para junto dela, eu acompanhei o movimento mas antes tive uma visão rápida da calcinha, chegava a escorrer! Entre suas pernas a bagunça era total Não dei o mínimo sinal de ter percebido alguma coisa, beijei -a com carinho e amor:

-Minha queridinha, estou com muita vontade de você hoje...eu quero entrar em você agora!

Ela ficou quieta, olhos fechados parecia ter desistido, pronta para ser apanhada, mas eu não pretendia seguir esse rumo. Me abaixei e tirei a calcinha dela, aquilo chegou a formar fios de gosma entre a calcinha e a bucetona inchada enquanto se afastava dela, ela chegou a tremer quando sentiu o que estava acontecendo. E eu? Tranquilo, além de surdo estava me fazendo de cego também...Pelo jeito assim que o Marcelo gozou e tirou o pau ela meteu a calcinha por cima de tudo, possivelmente no exato momento em que a Eduarda gritou seu providencial "chegamos" dela.

Meu pau está muito duro, uma rocha e quando eu meto naquela buceta toda melada aquilo desliza fazendo até um barulho característico de coisa ensopada. Eu muito cínico:

-Você está bem molhadinha hoje amor, na verdade está encharcada...

Eu dou algumas bombadas rápidas e minha adorável Kitty começa a relaxar, deve achar que escapou do flagra. Eu aproveito e deixo ela pegar gosto pela coisa, acabou de ser fodida pelo amante e já está rebolando no meu pau com todo amor do mundo...Então eu viro nossa vida de pernas para o ar:

-Sabe Kitty? Na próxima vez em que o Marcelo entrar em você....

Faço uma longa pausa, ela fica paralisada, dura como um cepo. Eu chego a sentir ela esfriando e sua buceta se contrair enquanto seus olhos são arregalados agora, então eu concluo:

-Eu quero estar assistindo...






ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.