"Os mais excitantes contos eróticos"


Balada do Prazer


autor: Mayers
publicado em: 15/05/17
categoria: hetero
leituras: 1871
ver notas
Fonte: maior > menor


Sou Loiro, 1,75, olhos castanhos claros, tenho 27 anos, casado. Mas o que vou descrever agora se passou quando eu tinha 20 anos de idade e estava na faculdade.

Eu tinha contato com muitas pessoas, foi então que eu e um grupo de amigos resolvemos fazer uma balada.

Chego a grande noite e eu tinha convidado uma menina de outra cidade que eu estava ficando para vir a festa. A galera chegou na festa, fomos ao camarote regado de bebidas e comidas, era pagode, dançamos muito, rimos, brincamos e tiramos fotos, lá pelas 3 da manha, com quase todos bêbados, o camarote foi se esvaziando, sobrando lá apenas eu e a minha ficante, já alterados da bebida e um pouco mais a vontade começamos a nos beijar. Ela estava de vestido claro, curto e com um enorme decote, que a noite toda eu não parava de olhar. Os beijos foram ficando mais quentes e fortes, os nossos corpos se esfregando, ela chupava minha língua e minhas orelhas e eu chupava o seu pescoço e puxava o seu cabelo na parte da nuca, ela soltava gemidos, então de repente ela para tudo, olha no meu olhe e fala:

Ela: Você esta me deixando com muito tesão, estou louca para cometer uma loucura.
Eu: Eu também estou louco de tesão.
Ela: Então vamos sair daqui.
Eu: Não posso, tenho que esperar acabar a festa (era um dos organizadores), mas tive uma ideia, você disse loucura né?
Ela: Sim.

Me afastei dela, fui até o segurança e dei uma nota de R$ 100,00 a ela e disse, ninguém mais entra aqui.
Voltei para ela, fiz mais um copo de Whiskey e energético e disse para ela:

Eu: Vamos fazer uma loucura??
Ela: Claro, a onde?
Eu: Aqui mesmo.

Beijei ela, e já levantei o seu vestido, ela relutou, e então eu disse, estão todo lá em baixo, e ninguém mais entrar aqui, somos só eu e você.
Ela então aceitou a ideia, e levantou um pouco mais o vestido e se virou, me mostrando aquela calcinha preta enfiada no meio da deliciosa bunda dela.
Eu fiquei louco.

Meu pau já duro, fui por tras dela, puxei o cabelo, peguei nos peitos dela que estavam sem sutiã e então ela foi rebolando, uma das minhas mãos desceu até a sua buceta, quente, úmida e latejando, ela gemeu.

Então eu tirei meu pau para fora, a musica de pagode tocada e o segurando espiava.
Rocei o meu pau babando na bunda dela. Tinha uma poltrona, puxei mais para o escuro, sentei ela na ali e chupei a sua buceta, nossa que sabor delicioso. Ela gemia, puxava o meu cabelo, arranhava meu pescoço e rebolava na minha cara. Então ela me afastou, falou para eu ficar de pé e tirar o meu pau para fora, ela pegou nela, e de um vez só, colocou todinho na boca, quase gozei, mas segurei. A sensação de estar todos lá em baixo, dançando e bebendo e a gente ali em cima fodendo, ela inexplicável. Ela chupa bem gostoso, mas eu seguei o seu cabelo, coloquei uma mão no seu queixo e eu fodia a boca boca, metido tudo..fundo e depois tirava até a cabeça e batia com ele na cara dela. Ela então disse:

Ela: Me come, me fode....

Betei ela de quatro, e soqui, ahh soquei o meu pau todo nela, puxava o cabelo dela, dava tapa na bunda e as vezes ficava eu parado, e ela mexia, rebolada, socava, ela mesmo se fodia.

Ficamos ali por alguns minutos, até que eu sentei na poltrona, então ela veio e se sentou em cima de mim, esfregando o grelo na minha barriga com o meu pau lá dentro da buceta dela. Eu chupava os peitos dela e ela rebolava gostoso.

No ouvido ela me dizia:
Ela: Ai que pau gostoso, duro. Isso me fode, me arromba seu pauzudo.
Sem contar os gemidos.

Eu segurei na bunda dela, abrindo o máximo que pude, peguei um dedo, fiz ela lamber e cuspir, e então levei ele na entradinha do cuzinho dela, ela gemeu alto, e acelerou a metição.
Repeti, peguei o dedo, fiz ela cuspir e chupar de novo, do que dessa vez eu não iria levar até a entradinha, eu ia meter ele no cuzinho dela.
Então eu meti, ela gemeu e disse no meu ouvido, fica assim pro resto da noite toda.. quero gozar muito assim com esse dedo no meu cu.
Então eu disse: GOZA pra mim sua vadia, putinha de balada.

Não demorou muito, ela gozou no meu pau, deixando ele escorrido de gozo.
Então eu peguei ela e disse, agora é minha vez, me faz gozar.

Se ajoelhou e começou a chupar o meu pau, metia tudo na boca até as bolas, sugava, beijava, lambia, chupava até que eu gozei muito na boca dela...
Ela engoliu tudo.

A gente então saiu da festa, e fomos cada um com um carro para o meu apartamento. La a gente tomou um banho, fodemos no banho e na cama mais umas 3 vezes até amanhecer o dia, dormimos até ela acordar e ir embora.

Delicia de noite.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.