"Os mais excitantes contos eróticos"


Marcelo & Sonia 48 Reunião em Familia


autor: MarceloDias
publicado em: 15/05/17
categoria: incesto
leituras: 8044
ver notas
Fonte: maior > menor


Marcelo & Sonia 48 Reunião em Família

Existem momentos em família que são íntimos demais e escondem situações vividas que não devem ser partilhadas com ninguém. Somente com pessoas que tem condição de entender sem julgamentos morais.

Neste texto vou continuar dividindo com os leitores de nossos contos um pouco da nossa intimidade. Nossa filha Renata que já é uma mulher feita, participou de algumas de nossas estórias (Ver contos nº 22, 23, 24, 25, 26 para entender).

Renata casou muito nova com 19 anos se apaixonou por um rapaz da sua idade e com 20 anos se casou. Eu e minha esposa achávamos que ele não era o homem ideal para ela. Mas o que os pais acham, não tem muito valor, quando uma mulher esta apaixonada. Em pouco tempo isso se confirmou, Renata sem percebermos passou a se sentir infeliz e carente e quando isso acontece é porque a rotina diária acabou com o casamento.

Ela conheceu um homem chamado Jorge que era bem mais velho que a seduziu completamente. Ainda casada ela já estava dando para ele. Renata morava em Sp e ele na nossa cidade. Jorge viajava toda semana para São Paulo para comer Renata e passou a exigir que ela se separasse, prometendo que quando ela desfizesse o casamento ele casava com ela.

Renata e o marido nessa época viviam brigando diariamente, ela saiu de casa e veio morar em nossa casa onde aconteceu tudo aquilo que vocês leram nos nossos contos, após a separação ela se casou com Jorge. Durante dois anos foi feliz como nunca tinha sido. Jorge proporcionou a ela tudo que uma mulher pode querer de um homem. Ele tinha uma excelente situação financeira e fazia todas as suas vontades.

Renata sempre teve um temperamento ardente como à mãe, sexo sempre foi o mais importante para ela e Jorge sabia satisfazer Renata na cama. Ela estava feliz ao lado dele quando uma fatalidade desabou sobre a vida dela. Jorge teve um infarto foi internado em estado grave e veio a falecer, deixando Renata viúva.

Jorge só tinha uma irmã chamada Ieda e tinha dividido seus bens em testamento entre as duas, deixando Renata sem problemas financeiros. A morte inesperada do marido deixou Renata muito mal. Ela amava o marido de verdade e passou a ter problemas de depressão. Renata buscou no sexo uma forma de resolver sua dor. Só na cama ela conseguia se sentir feliz, durante um tempo passou a sair à noite para buscar em outra pessoa satisfação para seu corpo carente.

Ieda era muito amiga de Renata, Ieda sempre preferiu as mulheres, tinha 48 anos, era uma mulher alta e magra sem maiores atrativos mais sabia tratar uma mulher na cama. Ieda já tinha comido Renata varias vezes com o consentimento do irmão, as duas sempre se deram muito bem e com a morte de Jorge, ela passou a frequentar mais a casa de Renata tentando fazer ela superar a morte do marido.

Isso durou até Renata conhecer uma amiga de Ieda chamada Simone que mudou a vida dela. Na época Renata tinha 26 anos, Simone tinha 45 anos, era professora universitária, branca, 1,70 altura, 73 kg, era bonita e tinha um corpo maduro e farto que chamava a atenção aonde ela ia, os cabelos pretos cacheados curtos, olhos verdes, lábios grandes, seios fartos, quadris largos, ela tinha 106 de quadril, coxas grossas, a buceta grande com pelos curtos, a bunda avantajada, redonda e arrebitada.

As duas se conheceram numa festa na casa de Ieda e Simone ficou enfeitiçada por Renata. Nossa filha puxou a mãe tem um corpo maravilhoso e Simone não conseguiu ficar indiferente aos encantos de Renata que correspondeu aos seus olhares, ficaram trocando olhares cheios de desejo até Simone pedir a Ieda para ser apresentada a sua cunhada. As duas não se largaram mais a festa toda, já se olhavam sem disfarçar o desejo que sentiam, quando foram ao banheiro juntas com a porta fechada se beijaram na boca pela primeira vez, a mão experiente de Simone procurou a buceta de Renata e ali naquele banheiro ela gozou com o dedo grosso de Simone enterrado na buceta. Saíram da festa de mãos dadas já como namoradas e foram para casa de Renata, onde Simone comeu Renata na cama dela.

Simone era experiente, dominadora e mandona na cama, depois desse dia se tornou dona de Renata. Nossa filha recuperou a alegria de viver. Simone mudou para a casa dela. Eu e minha esposa apoiamos as duas, a única coisa que importava era ver Renata feliz.

Fomos a São Paulo para conhecer Simone e foi um encontro maravilhoso. Simone nos tratou muito bem e soube nos cativar vendo o jeito amoroso que ela tratava nossa filha. Ela era seria, educada e simpática, logo descobriríamos que na intimidade Simone era bem diferente.

No Natal combinamos que Renata e Simone passariam o natal em nossa casa. Era uma oportunidade de nos conhecermos melhor. É sobre esse encontro que trata esse texto.

Preparamos a casa para a chegada das duas, Sonia já tinha praticamente decidido tudo sobre a ceia de Natal e esperávamos ansiosos a chegada das duas. Elas tinham combinado que chegariam na nossa casa no dia 23 pela manhã.

No dia 23, véspera de Natal, as duas chegaram cedo na nossa casa. Sonia estava descalça e usava um vestido fino de alça muito curto que deixava suas coxas grossas nuas, eu usava bermuda e camiseta. Renata estava linda com uma calça legging grudada no corpo, um bustiê e tênis, a calça justa marcava seu corpo mostrando as coxas grossas, a buceta farta e a bunda enorme. Simone usava um conjunto, blazer azul marinho com uma calça bege muito justa. Seu corpo gostoso de mulher madura encantava quem olhava. Ela tinha os seios fartos, as coxas muito grossas, a buceta bem grande e uma bunda exagerada igual a da minha esposa.

Ficamos na sala conversando, Renata ficou sentada no colo de Simone e depois saiu do colo dela e sentou no colo da mãe, no meio da conversa Renata falou para Sonia que queria falar com ela, fala meu amor, Sonia disse. Só nos duas, ela disse. Simone sorriu e falou que era coisa de mãe e filha, pelo comentário percebi que ela sabia o que Renata queria falar com Sonia.

As duas foram abraçadas para o nosso quarto. Eu fiquei na sala sozinho com Simone que me encarrou e veio sentar do meu lado, agradeceu por termos aceitado a relação delas, falei que nos que agradecíamos por ela fazer tão bem a Renata e que nos a considerávamos da família. Simone deu um sorriso, pegou na minha mão, trouxe até os seus lábios e beijou, senti o molhado dos lábios dela na minha mão. Eu adoro você e a Sonia. Eu dei um sorriso e disse, nós também adoramos você. Continuamos conversando e nos conhecendo melhor, esperando Sonia e Renata terminarem sua conversa.

Sonia e Renata foram para o quarto e sentaram na cama. Renata abraçou Sonia e beijou-a na boca, não existiam mais pudores entre as duas. Você agora é casada. Sonia disse, Renata riu, eu sei, a Simone sabe de tudo, nós não temos segredos, ela gosta que eu seja assim. O vestido tinha subido deixando as coxas de Sonia inteiramente nuas, Renata acariciou as coxas grossas dela quase tocando a buceta, Eu to com saudade, ela falou, de que? Sonia perguntou, voce sabe, Renata disse, da minha buceta? É deixa eu chupar, ela pediu, Sonia não resistiu ao assedio de Renata, abriu as coxas, o vestido subiu todo, mostrando a buceta, ela usava uma calcinha preta que cobria toda a buceta.

Renata sentou no chão no meio das pernas dela e beijou a buceta por cima da calcinha, suas mãos puxaram a calcinha deixando Sonia despida, sua buceta estava enorme, Renata enfiou a cara na buceta e chupou com vontade, Sonia segurou Renata pelos cabelos e enterrou seu rosto na sua buceta, ela chupou com devoção, fazendo Sonia gemer, foi uma chupada demorada que deixou minha esposa completamente doida, sua buceta escorria abundantemente, melando os lábios grossos da filha. Sonia gozou na boca quente de Renata.

As duas se abraçaram e se beijaram, ficaram com os corpos colados curtindo aquele momento intenso. Sonia quebrou o silencio entre as duas. Era isso que você queria falar comigo? Renata sorriu, não, eu queria te pedir uma coisa intima, posso? Sonia olhou Renata nos olhos, o que? Queria que você desse para a Simone como deu para mim. Sonia a olhou seria, a Simone é tua mulher, ela sabe que você esta me pedindo isso? Renata olhou Sonia de um jeito safado, sabe, ela sabe de tudo entre nos, ela acha você gostosa, é doida para comer você. Sonia sentiu uma quentura na buceta quando Renata falou aquilo para ela, É isso que você quer? Renata olhou Sonia nos olhos, é disse. Se é isso que você quer eu dou, eu deixo ela me comer, você sabe que eu nunca te neguei nada. Renata sorriu, eu sei que você nunca me negou nada, por isso você é especial para mim.

As duas se beijaram, Sonia vestiu a calcinha e despiu o vestido, já que é assim que você quer, ninguém precisa andar de roupa. Renata riu e tirou a roupa ficando só de calcinha. Sonia e Renata voltaram para a sala só de calcinha.

Eu e Simone olhamos surpresos, quando as duas entraram na sala só de calcinha, Simone olhou com desejo o corpo farto da minha esposa. Sonia cinicamente se dirigiu a Simone. Eu falei com a Renata que aqui em casa nos ficamos à vontade, eu fico de calcinha e meu marido de cueca, nos somos família e não precisamos mudar nada quando estamos juntos.

Simone sorriu, eu acho ótimo em casa eu e a Renata ficamos nuas. Renata sentou no colo de Simone e beijou ela na boca na nossa frente. Eu perguntei o que as duas tinham conversado, minha esposa riu e disse que era coisa de mãe e filha.

Simone foi até o quarto que elas iam ficar do lado do nosso e saiu do quarto praticamente nua com um bustiê que realçava seus seios fartos e uma calcinha preta minúscula, ela era muito gostosa, suas coxas grossas, a buceta enorme e o rabão grande prenderam nossa atenção.

Fui intimado a ficar só de cueca e tive que obedecer. Sonia tinha deixado a comida pronta e almoçamos na sala, foi um almoço onde colocamos vários assuntos em dia, Simone tinha uma conversa agradável que tornava tudo muito leve. Sonia fez café e trouxe para mesa, Simone ajudou servindo todos nos. Ela pegou sua xícara e descaradamente sentou no meu colo, acomodando sua bunda grandona em cima do meu pau que endureceu só de sentir a pressão da sua bunda. Eu abracei sua cintura e fiz ela sentir meu pau duro. Ela sentiu a dureza do pau na bunda e ficou brincando com minha esposa falando que adorava o sogro dela.

Quando terminamos Simone ajudou minha esposa a tirar a mesa e as duas foram para a cozinha, estavam só de calcinha, Sonia estava lavando os pratos e Simone se aproximou e encostou a buceta no bundão dela, beijando Sonia no pescoço. Eu senti o cheiro da tua buceta na boca da Renata, minha esposa sentiu ela esfregar a buceta na sua bunda, gostou, Sonia provocou, adorei, você tem um cheiro delicioso, a Renata falou que você vai dar a buceta para mim. Sonia ficou doida escutando aquilo, você quer, ela provocou, quero, me dá, eu estou louca para te comer Simone pediu, dou, de noite eu vou dormir com vocês e você vai comer minha buceta, ela vai ser toda tua. Simone fez ela virar e beijou Sonia na boca com paixão, ela correspondeu, Simone enfiou a mão por dentro da calcinha acariciando a buceta da minha esposa, eu estou doida para te fuder, disse beijando Sonia na boca, fode, eu quero dar para você, Simone ficou com a mão dentro da calcinha dela com o dedo enterrado na buceta, sentindo a quentura da buceta nos dedos, quando as duas se separaram viram Renata parada na porta, ela sorriu e saiu deixando as duas sozinhas.

Ficamos os quatro na sala bem à vontade conversando. Sonia falou que precisava ir na rua comprar umas coisas que faltavam. Eu tinha deitado em um sofá e Simone só de calcinha e bustiê no outro. Renata disse que ia e Simone falou que estava com preguiça. Então vamos só nos duas, nos compramos o que falta e tomamos um café, deixa eles descansando, Sonia disse para Renata.As duas se arrumaram e saíram deixando eu e Simone estirados nos sofás.

Logo que elas saíram,sentei no sofá e Simone veio sentar do meu lado, tinha ficado um clima entre nos desde que ela sentou no meu colo. Eu estava só de cueca e ela de calcinha. Ela me olhou e pegou na minha mão trazendo até seus lábios, beijou minha mão, abracei seu corpo e minha boca procurou a dela, ela correspondeu, nos beijamos na boca com vontade, Simone acariciou meu peito e sua mão desceu segurando meu pau duro por cima da cueca, ela sentiu a grossura, sua mão entrou na cueca empunhando a pica, colocando para fora e me masturbando. Seu corpo escorregou para o chão e sua boca beijou a pica, aos poucos sua boca grande foi engolindo o pau todo, chupando com vontade, engolindo tudo, sua boca mamava gostoso, me fazendo gemer, ela tinha a boca quente e macia, sabia chupar gostoso, sua boca passeava pela pica, levantei e ela continuou sentada mamando, fodi sua boca com força, falei que ia gozar, ela manteve o pau atolado na boca até meu leite grosso jorrar forte na sua garganta.

Ela levantou e me abraçou me beijando na boca, me fazendo sentir meu próprio gosto, acariciei sua buceta, ela estava encharcada, quero fuder você falei apertando e abrindo sua bunda grandona com as duas mãos, meu dedo grosso acariciou seu cu quente, me dá esse cu gostoso, eu estou doido para comer o teu rabão pedi, dou, eu dou tudo que você quizer, ela disse.

Tirei minha cueca e ela a calcinha, ficamos nus. Peguei Simone pela mão e a levei para o nosso quarto, ela se deixou levar estava doida para tomar no cu.Entrei no quarto encostando ela na parede e cravando a pica na buceta, sua buceta se abriu igual uma flor, ela gemeu com o pau todo na buceta, sua buceta era quente como a da minha esposa, fodi sua buceta socando tudo, ela se abraçou ao meu corpo com o pau enterrado, deixando eu meter na sua buceta, aguentando tudo na buceta, gemeu descontrolada dando a buceta.

Simone me puxou e ficou de joelhos na beira da cama,oferecendo à bunda, peguei um tubo de gel e passei no pau, encostei nela por trás com o pau duro e sua bunda se abriu, o pau encostou no cu, segurei ela firme e empurrei, ela gemeu quando a vara entrou, aaaiii Marcelo mete tudo no meu cu, fode tua nora toda, seu cachorro, eu sei que você esta doido para me fuder, fode minha bunda, enfia pica no meu rabo, eu estou doida para dar para você, ela pediu com a voz tremula. Não tive pena, soquei com força, cravando tudo no rabão dela.

Meu pau entrava e saia, Simone empinava o bundão todo para trás, deixando eu atolar tudo no seu cu, quanto mais eu metia mais ela gemia, ela gemeu alto, fora de si, gozou tomando no cu, continuei metendo, deixando seu cu cada vez mais aberto, Simone gemia como uma vagabunda, seu cu dilatou com facilidade recebendo o pau todo na bunda. Eu metia tudo, estava quase gozando quando ela gozou de novo com o pau cravado no cu. Só então enchi seu rabão de leite grosso, quando tirei escorreu pelas coxas dela.

Ficamos deitados abraçados nos beijando, nunca imaginei que ia acabar na cama fudendo minha nora. Foi tudo rápido demais e acabamos adormecendo abraçados, quando acordamos Sonia e Renata já tinham voltado, as duas nos viram na cama e nós deixaram dormindo, quando acordamos e saímos do quarto, estava apreensivo com o que tinha acontecido. Mas Renata correu para os braços de Simone e as duas se beijaram na boca. Vi que não tinham ciúmes e uma aceitava qualquer envolvimento da outra. Sonia me beijou e sussurrou no meu ouvido, gostou da Simone, eu beijei o rosto dela, ela é deliciosa, Sonia riu, eu vou provar de noite, falou com um sorriso safado no rosto.

Deixamos as duas na sala namorando e fomos para o nosso quarto, Sonia me contou tudo que aconteceu no quarto e que Renata tinha pedido para Sonia dar para Simone, falou que parou num café e na conversa Renata contou que Simone tinha um amigo que comia Simone. Esse homem era casado e tinha um pau enorme e quando ia na casa delas comia as duas juntas. Aquilo me deixou com um tesão doido.

Naquela noite a janta foi Delivery, o entregador deixou tudo por volta de 20 horas, jantamos bem à vontade, as mulheres só de calcinha exibindo os seios e eu de cueca, depois ficamos bebendo na sala, eu sabia que Sonia ia dormir com Simone e Renata. O clima entre as três foi esquentando na proporção que as taças de vinho iam ficando vazias.

Sonia perdia a linha quando bebia, ela e Simone trocavam olhares cheios de desejo,Simone e Renata cochichavam entre si como se combinassem algo. Tocava uma música suave e Sonia levantou e tirou Simone dos braços de Renata. As duas se abraçaram só de calcinhas e começaram a dançar agarradinhas. Eu e Renata olhávamos cada um sentado num sofa. Simone acariciava o pescoço de Sonia, os corpos colados se esfregavam, uma sentindo o calor da outra, roçando as bucetas por cima das calcinhas. Renata só de calcinha me olhava e alisava a buceta por cima do pano na minha frente, eu olhava fascinado sua buceta grandona.

Sonia e Simone se beijaram com desejo, o beijo suave de Sonia encontrou o beijo bruto de Simone que chupou seus lábios, fazendo Sonia gemer, se entregando toda. Simone se afastou um pouco pegando Sonia pelos cabelos com força, se transformando em dona da minha esposa, ela levou Sonia pelos cabelos em direção ao quarto dela sem falar nada com nós dois, Sonia foi calada. Na porta do quarto Simone deu um tapão forte na bunda enorme de Sonia, aaiii Simone, ela gemeu. Simone deu outro tapão ainda mais violento arrancando um gemido descontrolado de Sonia. Eu e Renata sabíamos que Simone ia comer Sonia.

As duas entraram no quarto e Simone fechou a porta. Renata me olhou e sorriu, ela levantou e veio sentar do meu lado, me abraçando, meu braço envolveu o corpo dela trazendo ela ainda mais para perto de mim colando nossos corpos. Escutamos calados o som dos tapas e os gemidos de minha esposa.

Renata e eu estávamos praticamente nus, eu de cueca e ela apenas com uma calcinha minúscula, seus seios estavam duros com os mamilos inchados de tesão. Estávamos tomados pelo vinho e pela cerveja. Minha mão acariciou suas coxas grossas, ela deixou e virou o rosto para mim com um sorriso safado, sua boca procurou a minha, nos beijamos na boca, minha língua se esfregou na sua língua macia, nossas salivas se misturaram. Renata acariciou meu peito descendo a mão até meu pau duro, ela abaixou a cueca e segurou o pau, masturbando meu pau, segurando minhas bolas, seu corpo se curvou e sua boca procurou meu pau, ela tinha a boca quente, gostosa, molhada, ela foi engolindo o pau, me deixando louco, ela chupava e lambia, beijava o pau e tornava a abocanhar até seus lábios envolverem o cabo grosso da pica. Renata ficou mamando, sem presa, sua boca babava meu pau todo, sua saliva escorria, fui tirando minha cueca e ficando completamente nu, enquanto ela chupava com prazer.

Ela soltou o pau e ainda sentados sua boca procurou a minha, me fazendo sentir meu gosto em sua boca. Eu sempre quis isso, disse, eu sei, eu vou te dar o que você quer, disse fazendo ela levantar e ainda sentado tirei sua calcinha, deixando ela nua, sua buceta era toda lisa, grande como a da mãe, linda demais, passei a mão na sua buceta, sentindo seu mel encharcar minha mão, deitei no sofa e fiz ela deitar de costas para mim, abraçando ela por trás, meu pau estava inchado de tão duro, ela esfregou a bunda grande no pau e ele encaixou na boceta, mete, ela pediu. Meu pau forçou e sua buceta se abriu, segurei ela firme por trás, ela gemeu alto quando cravei a pica na buceta, meu pau entrou todo, Renata sussurrou, me come gostoso, eu sempre quis dar a buceta para você, fode minha buceta, ela pediu, empurrando o corpo para trás, querendo mais pau na buceta.

Fiquei abraçado nela por trás com o pau cravado na sua buceta melada, ela gemia rebolando e aguentando meu pau todo na buceta. Eu escutava o barulho dos tapas e os gemidos de Sonia no quarto.

Perdemos a noção do tempo, eu metia forte na buceta por trás, beijando o pescoço dela, deixa eu botar na tua bunda, pedi, deixo, faz o que você quiser, me come toda, ela pediu. Vamos para o quarto, falei, fazendo ela levantar, fomos de mãos dadas para o meu quarto. Estava doido para fuder aquele rabão grandão que ela tinha.

Entramos no quarto e levei Renata para a cama, ela me beijou me abraçando sua mão procurou o pau, segurando com vontade, me deixando ainda mais doido, ela ajoelhou na cama e virou me oferecendo sua bunda grandona, peguei um tubo de gel na mesinha, fiquei de joelhos atrás dela e abri suas nádegas deixando o gel escorrer melando o cu, espalhei deixando seu furo todo lambuzado, encostei o pau no cu, ela se entregou toda, deixando meu pau forçar, seu cu delicioso se abriu como uma flor, bota no meu cu, ela pediu, gemendo, sentindo o pau entrar, segurei firme nos seus quadris e cravei tudo, ela gemeu alto aguentando tudo.

Castiguei o bundão dela metendo forte, ela ficou doida, seu cu se contraia apertando o cabo grosso do pau, aaaiiii mete tudo, aaaiii meu cu, que pau gostoso, enfia, fode meu cu, ela pedia, deixando eu meter tudo. Renata gozou com o pau enterrado no cu, chorava baixinho, empurrando o bundão para trás, querendo tudo no cu, continuei fudendo metendo e tirando daquele bundão quente, quando mais eu metia mais ela queria, seus gemidos foram ficando mais intensos, ela rebolava empurrando a bunda contra o pau, aaaiiii eu to gozando ela falou baixinho gemendo.

Meu pau continuou enterrado fudendo o cu quente dela, eu estava nas últimas mais me segurava prolongando ao máximo aquele momento, sentia meu pau todo dentro, não consegui mais me conter e gozei com a pica enterrada naquela bunda grandona.

Meu corpo desabou sobre o dela, nossos corpos se esfregaram, o pau saiu perdendo a ereção, ela me abraçou, sua boca buscou a minha, nos beijamos na boca, nossos corpos ainda insatisfeitos ficaram unidos, sua buceta quente queria mais pau, não demorou meu pau endureceu e procurou o calor da sua buceta, entrando todo, fazendo ela gemer e se arreganhar toda querendo pica, meti forte, fazendo ela soluçar, sua buceta se abria toda para receber o pau até o cabo, pedindo para eu meter tudo. Renata gozou desesperada, abraçada no meu corpo, seu corpo tremulo deixou meu corpo gozar nela mais uma vez.

Ficamos deitados abraçados, Renata ficou deitada com as coxas abertas, acariciando a buceta, seu cheiro de fêmea impregnou o quarto, ela trouxe meu rosto até sua buceta melada exigindo minha boca, chupei aquele bucetão babado, sentindo o gosto do seu mel, ela gemeu se esfregando, cada lambida arrancava um gemido, Renata gozou soluçando, suas mãos me puxaram para ela me abraçando, acabamos adormecendo.

No quarto ao lado, Simone entrou levando Sonia pelos cabelos e fechou a porta. Simone foi dominada pela nora, sentiu mais uma vez a mão dela na bunda, estremecendo suas carnes, deixando ela doida, Sonia empinava a bunda deixando ela bater, chorou quando Simone deu na sua cara.

As duas se abraçaram e se beijaram na boca com paixão, Sonia acariciou o corpão de Simone descendo a calcinha, deixando ela nua, botou a mão na buceta, acariciando o bucetão da nora e enterrando o dedo na sua racha úmida. Simone gemeu sentindo o dedo fuder sua buceta.

Sonia levou Simone para a cama, deitaram abraçadas, se beijando, Sonia continuava com o dedo cravado na buceta dela, deixa eu chupar tua buceta, pediu, chupa, me come gostoso, Simone respondeu completamente entregue, minha esposa beijou seu pescoço e sua boca desceu beijando os seios duros dela, os mamilos estavam inchados, Sonia mamou com força, deixando ela fora de si, Simone abriu as coxas, oferecendo a buceta, Sonia olhou fascinada a buceta da nora, sua boca beijou os lábios melados da buceta, num beijo intimo cheio de desejo, chupando com vontade. Simone enlouqueceu quando sentiu a boca da sogra engolindo sua buceta. Ela segurou nos cabelos de Sonia e enterrou a cara dela na sua buceta.

Simone se entregou aos carinhos de Sonia, ela se arreganhou dando a buceta, deixando Sonia lamber sua racha melada, seus gemidos foram ficando mais intensos e ela gozou na boca quente da sogra, Sonia continuou chupando sem tirar a boca da buceta, Simone afastou seu rosto e virou o corpo deitando de bruços na cama com o bunda para cima, ela jogou as duas mãos para trás e abriu suas nádegas, se oferecendo, gemeu quando sentiu a boca quente de Sonia beijar seu cu.

Simone se derreteu sendo chupada no cu, sentia seu cu sendo devorado, beijado, lambido e chupado, ela gemeu, chorando baixinho, sussurrando, completamente sem controle, aaaiiii Sonia, chupa meu cu, você faz gostoso demais, eu fico louca, chupa, aaaiiii eu vou goza, puta que pariu, eu to gozando, seu corpo ficou tremulo e ela gozou dando a bunda, sentia a boca gostosa da sogra chupando sua intimidade.

Ela se virou, trazendo Sonia para seus braços, se abraçaram e suas bocas se uniram num beijo apaixonado, as línguas se esfregaram, misturando as salivas, seus corpos se esfregaram, as bucetas se uniram meladas e quentes, Sonia sussurrou no seu ouvido, me come, me fode toda, Simone deitou por cima dela, suas bocas se chuparam, num beijo molhado, seus lábios desceram passeando pelo corpo de Sonia, beijando, lambendo e chupando cada pedaço. Sonia se abriu toda, entregando a buceta, gemeu quando a boca quente de Simone beijou a buceta, sua buceta estava melada, escorrendo abundantemente.

Simone enfiou a cara na buceta, comendo a sogra, Sonia gemeu desesperada, prendendo sua cabeça entre as coxas, enterrando a cara na buceta, chorou quando Simone chupou com força. Aiii meu amor, chupa minha buceta, me chupa toda, eu quero tua boca na minha buceta, me fode gostoso, você já comeu a Renata me come também, ela pediu, esfregando o bucetão melado nos lábios da nora.

Simone chupou demoradamente sua buceta, Sonia gozou soluçando na boca da nora, enterrando a cara dela na sua buceta, ela choramingava sendo comida, dava sem pudor para nora, aos poucos ela foi perdendo a noção de tudo, dava a buceta gemendo e chorando baixinho, o dedo grosso da nora invadia sua buceta, deixando sua flor melada larga.

As duas se acariciavam, Sonia se arreganhava, deixando sua buceta aberta para a nora chupar como quisesse, Simone fez Sonia virar e deitar com a bunda enorme para cima, sua boca beijou o rabão da minha esposa abrindo suas nádegas fartas, expondo seu cu rosado, me dá esse cuzão, sussurrou, ai aaaiii come meu cu, eu adoro dar o cu, chupa ele todo, Sonia implorou, ela beijou o cu, fazendo Sonia perder a razão, sua boca chupou forte, aaaii meu amor, você esta acabando comigo, que tesão no cu, puta que pariu, eu fico louca assim.

Simone beijou e chupou a bunda da minha esposa, ela foi ficando histérica, seus gemidos se transformaram em choro, ela gozou mais uma vez, Simone não deu descanso, continuou chupando sua bunda e sua buceta ao mesmo tempo, Sonia perdeu o controle, esfregava o rabão aberto na cara da nora, gemendo de um jeito desesperado, parecia que Simone estava matando ela, Sonia gozou mais uma vez, suas forças abandonaram seu corpo.

Sentiu Simone virar ela de frente e envolver seu corpo no dela, Sonia se abraçou ao corpo da nora, as duas se beijaram na boca, sogra e nora unidas carnalmente, uma procurando refugio no corpo da outra, uma sentindo o calor da outra, as bucetas meladas se uniram, se esfregando, misturando o mel. Simone abriu as pernas, expondo a buceta e empurrou a cabeça da sogra para sua buceta, Sonia beijou a buceta dela, sua língua lambeu a racha de cima a baixo, fazendo ela gemer, a buceta se abriu para receber os lábios gulosos da sogra.

Simone estava deitada com as coxas abertas, Sonia estava com a cabeça enterrada na buceta chupando quando Renata entrou nua no quarto e viu sua mãe chupando a buceta de Simone. Ela ficou parada na porta, olhando com desejo e acariciando a buceta. Simone encarrou ela, as duas se olharam com desejo, ela ficou parada vendo, se deliciando com a cena.

Renata andou até a cama e se deitou ao lado de Simone, as duas se beijaram na boca, voce comeu ela? perguntou baixinho. Simone deu um sorriso safado, comi, ela deu tudo para mim, comi a buceta e o cu, ela agora é minha puta como você. Ela deu gostoso para mim, fez tudo que eu queria, Renata escutava beijando o rosto de Simone.

As duas ficaram namorando na cama, se beijando na boca, Sonia continuou chupando a buceta de Simone, via as duas olhando e isso a deixava com mais tesão. Renata ficou abraçada com Simone e abriu as coxas, oferecendo a buceta, Sonia largou a buceta de Simone e sua boca buscou a buceta de Renata que gemeu quando sentiu a boca de Sonia chupar sua buceta.

Renata e Simone se beijavam de um jeito apaixonado, uma engolindo a boca da outra, a boca de Simone beijou os seios duros de Renata, chupando seus bicos pontudos, ela gemia descontrolada e se arreganhou ainda mais trazendo a boca de Sonia, apertando sua cabeça contra a buceta como se quisesse enterrar a cara dela na buceta, chupa minha buceta, ela implorava, sendo mamada.

Sonia chupou a buceta de Renata até as duas a puxarem , ela ficou entre as duas, sentiu o corpo macio das duas se esfregar no seu, Sua boca procurou o calor da boca de Renata, durante o resto da noite Sonia foi comida por Renata e Simone, seu corpo foi todo chupado, ela gozou até não aguentar mais e adormecer entre as duas.

No próximo conto vou contar como foi a noite de Natal em nossa casa. Onde nos reunimos Eu, Sonia, Renata, Simone e um casal amigo, Eudes e Graciete que contribuíram para que tudo fosse muito mais intenso.

Foi uma noite de Natal, sem limites, onde tudo foi permitido e o desejo nos fez perder a razão e viver um momento único em nossas vidas.






ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.