"Os mais excitantes contos eróticos"


Horas extras no motel


autor: Carolzita30
publicado em: 21/05/17
categoria: traição
leituras: 3803
ver notas
Fonte: maior > menor


Esse é  meu primeiro conto verídico.
Meu nome é Fernanda(fictício) tenho 30 anos, sou chefe de setor em uma fábrica, sou casada a 8 anos, sempre me dediquei ao meu marido, vivíamos em lua de mel, nunca havia traído sua confiança.
Tudo mudou, comecei ter vida paralela quando arrumei amante durante 1 ano.
Eu estava sujeita a tudo e qualquer situação no trabalho, afinal eu sou mulher, eu comandava 30 homens e 15 mulheres, mas certo dia me apaixonei por um novato que acabara de chegar no meu setor, seu nome é Daniel. O rapaz era educado, simpático e sério, nunca imaginei que o levaria pra cama, eu estava encantada. Com o passar dos meses viramos amigos pessoais fora da empresa, conversamos por mensagens, curtiamos fotos um do outro, descobri que ele não tinha namorada e nem era casado, aquilo mexeu comigo.
Em 6 meses de amizade, convidei ele pra sair na sexta-feira depois do expediente, combinamos de ir em barzinho onde eu frequentava, iríamos com alguns colegas de trabalho, tomamos cerveja, por força maior eu dei um beijo nele, aquilo foi surpresa pra ele e surpresa para os colegas, depois do barzinho fomos embora, eu pensei naquilo e como seria nossa relação profissional. No sábado liguei pra ele, convidei para sairmos novamente, ele aceitou mas estava cabuloso em relação a mim. Dessa vez fiz uma surpresa, passei pelo barzinho e fomos a um motel, ele achou estranho, mas eu estava afim de sexo com ele, eu estava louca, apaixonada por ele, guardei o carro na garagem e entrei no quarto, ele ficou em duvidas, o levei pro quarto, tirei toda minha roupa e pedi que ele esperasse deitado na cama, fui ao carro e me vesti de chefinha, calçei uma sandália salto alto, voltei no quarto e fui tirando a roupa dele, deixei ele pelado.
Percebi que ele já estava excitado, seu pau estava duro, comecei chupar, lamber, fiz garganta profunda, ele deixou-se levar e quando notei eu estava dominada por ele. Passamos a fazer 69, ele era muito quente, chupava minha buceta, passava o dedo e tocava siririca em mim, eu me contorcia de tesão, eu chupava seu pau com emoção, mas não aguentava por sentir sua língua em meu grelo, nos levantamos, eu disse que brincaríamos de chefinha, eu mandava ele obedecia, o danado me agarrou, tirou minha fantasia deixando-me de sandálias e nem me deixou brincar, o danado me virou de costas, ergueu minha perna e chupou mais uma vez minha buceta, ele pegou uma camisinha, colocou em seu pau e introduziu em mim, fazia um vai e vem gostoso em mim, começou a beijar minhas costas, segurou meus cabelos e metia cada vez mais rápido, eu gemia alto, ele falava o que a chefinha mandou fazer, foram 10 minutos de meteção naquela posição, caímos na cama, nos beijamos, ele pediu que eu deitasse na cama que iríamos fazer papai e mamãe, ele introduziu novamente seu pau na minha buceta e meteu com vontade, eu fazia caretas, ele fazia vai e vem loucamente, segurava em meus peitos, caiu sobre mim e me beijava, eu dizia que estava tudo gostoso, ele metia mais e mais, começamos a nos banhar em suor, nossos corpos pingavam e escorria muito suor, mas ele não parava, cerca de 15 minutos depois, ele me botou de 4 e disse que ia ter anal, eu nunca tinha feito nem com meu marido, ele lambeu meu cuzinho e percebeu que eu era virgem, ele lubrificou meu buraquinho e retirou a camisinha e disse que a primeira vez tinha que ser pra eu sentir o couro a couro, eu fiquei apreensiva e com medo, eu recuava, ele cuspiu no meu cuzinho e no seu pau, me agarrou na cintura, e foi colocando, eu comecei a chorar, ele foi introduzindo aos poucos até a medida que entrasse o possível, eu estava chorando, ele deixou pra mim me acostumar, aquilo foi me acalmando, ele foi carinhoso, foi passando a mão nas minhas costas, tocando siririca e disse que ia fazer o vai e vem, ele começou devagar e foi aumentando, quando eu estava totalmente tranquila, ele meteu rápido, eu gemia, gritava, ele segurou-me pelos cabelos e metia a ponto de fazer barulho daquele bate coxa, aquilo me deixou mais excitada. Paramos um pouco, estávamos exaustos e molhados de suor, ficamos fazendo papai e mamae, devagar e nos beijamos.
Eu queria cavalgar, fomos pro chão, ele deitou, abri as pernas e sentei com a buceta naquele pau, sem camisinha mesmo eu pulava, rebolava, como eu estava de sandálias salto alto, coloquei meus pés em seus joelhos, ele me ajudou se movimentando, ele segurava meus seios, até que sem resistir ele retirou seu pau da minha buceta e gozou na entrada dela, gememos de prazer, ele bateu com o pau na minha buceta, batia na entrada dela, aquilo elevou meu tesão, fomos tomar um banho, nos pegamos novamente, saímos do box molhados e ele me deitou na mesa, abriu minha pernas ficando de frente, introduziu aquele pau molhado, começou a meter, eu gemia, estávamos molhados, de repente ele anunciou que ia gozar, retirou o pau e gozou na minha boca, aquilo foi maravilhoso sentir o leite quentinho dele, ele me beijou, dividimos a porra quentinha dele até que eu engoli. Decidimos voltar ao banho, saímos e nos vestimos, fomos embora do motel, eu o elogiei e disse que amei nossa noite. Ele rasgou elogios e disse que estava disponível para aquele trabalho.
Deixei ele próximo de sua casa, fui embora.
Na segunda-feira o vi, me imaginei com ele novamente, mas tivemos mais aventuras, até que 1 ano depois ele foi demitido e perdi contato.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.