"Os mais excitantes contos eróticos"


Esposa de respeito que deu o cuzinho


autor: Ibida
publicado em: 19/06/17
categoria: traição
leituras: 5106
ver notas
Fonte: maior > menor



Eu não tinha a intenção em da o cuzinho, mas aconteceu e encheram meu cu de leite e acredite senti as golfadas... Houve um dia em que pequei uma amiga dando uma mamada no pátio da casa dela e não era o marido dela e fiz um barulho no portão ela olha e logo tentou limpar a boca e falei que ia embora, ela foi atrás de mim enquanto o carinha saiu rapidinho de lá e quando ela me alcançou falou pra eu ter calma íamos conversar, e ela disse que dava no jardim e quando entrava em casa o marido dela nem desconfiava e que iria me apresentar e deixaria dar umazinha com ele.
_Tu és doida eu não faço isso, thau... E dias depois ela sair de ferias com o marido, e numa saída da faculdade encontro ele quase frente casa dela e quis conversar e falou que morava fora do país que estava num intercambio de biologia e vem um chuvisco e ele convida a entrar no pátio da casa de minha amiga e aceitei e ficamos encostados na árvore e logo acontecem papos sobre minha amiga.
Ele pega minha mão passa por cima da calça dele e logo tiro e ele logo recoloca e apesar de nunca ter traído meu marido eu estava excitada e fiquei alisando e disse... Eu vi teu pau naquele dia é grande né?
- Se quiser eu deixo você pegar, e me levou pro outro lado da árvore e o muro assim de fato quem passasse não poderia ver nós dois lá.
_ Tu és maluco sou casada não posso fica pegando em rola sabia?
- Já que estamos aqui e ninguém tá vendo eu deixo vai pega.
Ele desafivelou o cinto e pôs minha mão no zíper da calça dele, sou uma esposa recatada, mas eu queria senti o peso e por isso desabotoei a calça dele e pus a mão e sentir dura e o punhetei levemente. É pesado disse eu.
E ele fez força pra me abaixar, mas eu disse não posso sou casada, mas ele forçar levemente meu corpo pra baixo e dessa vez me agachei e mamo e bati-a no rosto no estilo pirulito que bate e bate e digo pra ele deixar amolecer, pois queria sentir um prazer intimo meu.
Quando a senti mole me agacho e a fiz endurecer na boca e fiz isso por saber que deixa amolecer teria na segunda chupeta gotas de esperma na cabeça... A mulher sente prazer em sentir o semém do homem e não sou excensão.
E como eu estava num lugar que ninguém me via eu podia dar a boceta e por isso me levantei e desabotoei minha calça junto à calcinha até os joelhos e falei, põem na minha boceta e bombar. Que demais ele bombeando na gulosinha que vendo um cacete duro trata de deixa agasalhada e eu ia gozar bombeando a boceta no pau dele e senti-lo gozando enchendo minha xotinha.
E como recatada sem ninguém sabendo o que ela esta fazendo por que não dar a bundinha? E falei... Come o cuzinho? Eu não vou fazer nada pra impedir e me viro de costa pego no pau e encosto na entrada do meu furinho... A cabeça passa e o buraquinho ardeu, mas e começa a cair pingos de chuva me incomodando.
Pego ele pelo pau e caminhamos pelo jardim até ao pátio e a frente da casa favorecia a situação: o muro é baixo com plantas do lado de dentro. É verdade que em pé alguém poderia ver nos dois, e pus minha mochila no chão e deitei, a calça atrapalhava, mas não ia tirar toda e foi na boceta pra mais uma gozada e logo eu viro de costa numa posição submissa oferecendo o cuzinho e o que era chuvisco vira chuva torrencial e ninguém na rua e pra completa cair um trovão e cai a energia elétrica e no silêncio dessa escuridão sou uma casada numa casa desabitada deitada de bundinha pra cima. Era se como aquele homem tirasse proveito da situação me puxasse pra lugar desabitado me deitasse à força e por isso meu cuzinho ia ser arrombado e o pau dele abriu meu furinho e tentei me sair, mas ele segurou firme e meteu à cabeça e contrair as pregas como se não deixasse, mas a potência do pau viril abriu o buraquinho e quando sinto que já não havia como impedi entrada, eu já não possuía modos de impedi-lo.
E aquele homem arrebentou as pregas do meu cu e foi quando aparece uma pessoa na frente da casa e ele tapou com a mão minha boca, pois eu estava pronta a gritar não aguentando ele enfiar a cabeça do pau... Momento esse que ele para e eu sentia meu cuzinho latejar arder e naquele silêncio com uma pessoa do lado de fora sem perceber o que ocorria, eu contraia o cuzinho apertando fortemente o pau dele.
E falei bem baixinho... Vai que ele não esta vendo, mete que eu aguento e no ultimo ato enfio dois dedos na xotinha a me masturbar e dei uma metida pra trás e entraram mais da metade e aperte novamente as pregas no pau dele.
E aquele transeunte inoportuno foi embora e nervosa e excitada arrebitei a bunda e passei a as duas mãos pra trás simulando como se eu estivesse pressa com as mãos nas costas e passo as minhas próprias estocadas e ele arfando como um touro raivoso ariou totalmente o peso do corpanzil em cima de mim...
Forçando meu corpo frágil de mulher ao chão e sem consegui contrair ar pregas eu estava entregue e ele foi alargando por completo entro tudo e nessa eu era uma esposa recatada recebendo tudo no cu... E ele foi enchendo meu rabiquinho e ele forçar a entrada e goza as últimas golfadas de porra e sem negar apenas disse... Oh... Oh. Não tenho como negar o prazer das golfadas a adentrar o cuzinho.
Eu, uma casada e com certeza desejada em muitas masturbações de machos e agora acabava minha pose de recatada, meu cuzinho se enchia de porra. Agora tentem imaginar o que senti com dedos na boceta apertava o cuzinho molhado com esperma e foi assim minha masturbação... Apertando um cacetâo com as pouquíssimas pregas que eu achava que ainda tinha eu estava igual a uma vagaba dando a saborosa argola numa casa desabitada...
E logo refeita me levantei puxando a calcinha e abotoando a calça e passei os dois dedos nos lábios dele e dei um beijo nele e isso era como um selo de acordo do silêncio entre vitima e acusado... Ele acende um cigarro e dei uma tragada. E assim como se combinasse que tudo foi feito com meu consentimento me despedir num longo beijo e na saída da casa como mulher casada e cuidadosa olho os lados e corri pra casa.
Com medo de o meu marido chegar antes de mim.
Uma vez lá fui direto pra cama tirando a calça e calcinha e me jóquei na cama.
Esse foi meu erro, pois eu deveria ir logo ao banho, pois sem notar que havia deixado à porta aberta entra meu marido e eu não sabia que ele já estava em casa e pior ele me viu deitada nuazinha na cama e pior ainda ele entrou já sem roupa.
Deitando em cima de mim e logo pondo o pau na minha boceta e ele sentiu cheio de porra e disse amor o que é isso porque tá assim? Tentei alegar que era muita excitação por ele, mas ele tirou o pau da minha boceta e meteu direto no meu cuzinho e passou facinho facinho.
E vocês acham que ele me ralhou? No inicio ele parou e tirou em ficou em pé e disse fique paradinha e ficou em silêncio, mas depois ele deitou em cima de mim se esfregando no meu corpo e dizia... Sempre tive o desejo de como seria de comer depois que tu deste pra outro e nunca disse por medo, mas sabia que um dia tu ias dar pra outro, confessa foste pra motel?
_Não amor que isso?
Então você deu na rua amorzinho foi isso né? Não vou de ralhar diz... Diz pro teu marido diz... Pois eu estou vendo que entrou tão facinho no cuzinho. Claro que tentei negar tudo, mas como se cheguei a casa com a boceta cheia de porra e como negar o gosto de gala na minha boca, pois ele me beijava ardentemente e pra selar ele enfiou por atrás.
E entrou sem dificuldades e pra piorar quando ele tirou do cuzinho meteu na boceta como se tirasse a prova dos noves e fazia o lindo e divino som de chec, chec chec...
Então no carinho dele comigo dizia que gostou e queria saber quem foi. E claro sempre neguei, mas pelo jeito não havia como esconder, e acabei revelado que fiz mais foi só uma vez e que ele não conhecia o rapaz e além do mais ele nem morava no país que só estava de passagem.
E já tinha saído da cidade e meu marido passou a me surpreender ao passar de noites na cama e começar com papos... Você tem medo que eu faça alguma coisa mais vamos fazer de conta que eu acredito ele não mora no Brasil, mas me conta mais detalhes. E quando eu achei que não teria mais supressa eis que ele vem com ideias de puta e corno.
... E teus amigos tem algum que você quisesse se tiver eu posso até deixar. E o carinho dele comigo era tanto que na hora do almoço ele me olhava e fazia carinho eu abaixava os olhos meio envergonhados pelo carinho.
Mais o que destaco era na cama, era tanto carinho e dizia sempre, você já deu dar de novo que eu deixo e depois você me conta como foi e a insistência era tanta que ele mesmo sugeriu... Olha no f.book. Um que de agrada posso até deixar. E depois de muita insistência passo a mostrar fotos de amigos e lá ia ele ver até sugeri... O que acha desse. E esse? E eu sempre podo um defeito.
Até que ele disse. Vou escolher três que você diz serem de confiança. E nesse momento sei muito bem qual ele ia apontar mesmo fechando os olhos dizendo que ia escolher as escuras foi nítido que ele já tinha um o “escolhido”.
E vi que ele gostou de me comer daquele jeito e sem saber descobri a vontade oculta dele, a vontade dele era que eu desse. E se o marido quer a mulher com certeza pode dizer sim.
E combinamos assim... Eu sairia com ele e encontraria o “escolhido” numa praça com poucas pessoas a frequentar e uma vez lá desafivelei o cinto do preferido do meu marido e bati uma pra ele e meu marido ficou no carro e rapidamente me agachei e chupei e com o pau na boca virava o rosto olhando na direção do carro, pois tínhamos um acordo se ele quisesse desistir era só tocar a buzina.
Mais o silencio se dava na região e assim mais tranquila mamei, mas vinha em minha direção, uma família, e me levanto encostando meu corpo ao dele pra não deixa que passassem por perto e visse o que estava fazendo e terminei batendo punheta pra ele que gozou jatos de porra na grama.
E tudo isso aconteceu com meu amigo encostado numa árvore a uns dez metros do nosso carro com meu marido escondido dentro, e espero o amigo ir embora e caminho limpando os lábios e entro no carro e meu marido foi logo me beijando dizendo me amar.
E se eu quisesse poderia levar pra casa e ele ia ficar escondido. Eu sinto excitação e vou convidar mesmo um amigo pra ir a casa me comer. E tem problema nisso? Não... Pois assim é melhor por que não tem intervalo, é só um sair é só abri as pernas e espero meu amado vir me comer.
...Maísa Ibida Aoi...




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.