"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Fui putinha 3 homens ao mesmo tempo


autor: eericaa
publicado em: 20/06/17
categoria: grupal
leituras: 6086
ver notas
Fonte: maior > menor


Olá a todos! Meu nome é Jéssica, tenho 39 anos, casada, mãe de um filho, morena, falsa magra, 1,68m de altura e me considero bonita, já que atraio bastante os olhares masculinos. Vou contar a vocês algo que me aconteceu há uns dois anos.
Vou começar falando do Júlio. Ele era um homem sério, casado, maduro, moreno, alto, e eu fazia negócios com ele o tempo todo. Ele, juntamente com sua esposa, era um excelente cliente da minha importadora, empresa que herdei do meu pai.
Eu já tinha dado para o Júlio várias vezes, e fiz questão de contar para o Mário, meu esposo. Nós temos uma relação interessante. Eu posso sair com outros homens, mas ele não pode sair com outras mulheres. É o nosso acordo e ele aceita numa boa, pois eu sei recompensá-lo com sexo bem gostoso.
E o mais gostoso disso tudo é que meu marido me incentiva a realizar as minhas fantasias. Mas eu tenho que contar tudo pra ele, nos mínimos detalhes. Porém, essa experiência que vou narrar ele não sabe de jeito nenhum, e vai ficar no mais absoluto segredo.
Dentre todos os meus clientes, o Júlio era o que se destacava mais, por suas habilidades nos negócios. Eu tinha reuniões com ele o tempo todo, em seu escritório, no meu, ou simplesmente em algum restaurante ou café. Assim, nesse dia, quando ele me convidou para tomar um café com ele, eu não imaginei a loucura que ia acontecer.
- Jéssica, vamos tomar um café amanhã? Preciso tratar alguns assuntos com um cliente novo! E como ele também está interessado nos seus produtos, eu imaginei que seria bom você estar presente! - ele me falou ao telefone.
Concordei e marcamos a reunião para as 05:00hs da tarde do dia seguinte. Os dois iam passar no meu escritório e me pegar. Porém, nesse dia foi uma correria danada e eu queria muito passar em minha casa, tomar um banho e trocar minha roupa por algo mais informal.
- Júlio, eu sei que já está em cima da hora... mas eu queria muito ir em casa antes de me encontrar com vocês! - liguei para ele e expliquei tudo.
- Tudo bem, Jéssica... isso muda um pouco os planos, mas não tem nenhum problema! - ele falou e conversamos uns minutos mais. No final ficou combinado que eles me pegariam em minha casa às 08:00hs da noite.
Tomei um banho bem relaxante e me vesti de forma bem casual mesmo: uma blusa de alcinha, mostrando pequenos detalhes do meu sutiã, calça bem apertada e por baixo uma minúscula calcinha, bem enfiada na racha da bunda. Eu nem estava pensando em transar, só queria ficar à vontade e deixar o Júlio e seu novo cliente bem à vontade também.
Assim que o Júlio me ligou para avisar que já estava me esperando na portaria do prédio, eu me despedi do meu esposo Mário, do meu filho, da babá e desci para encontrá-lo.
- Jéssica, este é o Thiago, o novo cliente do qual lhe falei! - o Júlio disse assim que entrei no carro dele, no banco de trás. Cumprimentei o Thiago com um beijinho no rosto e percebi o quanto ele era charmoso, alto, forte e cheiroso.
A conversa do Thiago era muito agradável e logo ele começou a me elogiar muito, coisa que eu adoro, pois sou o tipo de mulher que gosta de ser admirada e paparicada o tempo todo. Enquanto o Júlio dirigia, eu e o Thiago travamos uma ótima conversa.
- Jéssica, antes de irmos a algum lugar eu preciso passar no aeroporto pra pegar um grande amigo meu que está chegando da Espanha... ele já deve estar chegando... podemos passar lá? - o Júlio perguntou e eu concordei. A essa altura o Thiago já tinha passado para o banco de trás pra ficarmos mais juntinhos.
Ao chegarmos ao aeroporto veio a surpresa desagradável. Não havia um único lugar para estacionar. Me ofereci então para ir até a área de desembarque e pegar seu amigo. Fizemos um cartaz com o nome "Allan" e, enquanto o Júlio e o Thiago ficaram no carro, eu fui sozinha para a área de desembarque aguardá-lo.
Fiquei lá em pé, parada e segurando o cartaz. Não demorou muito e um homem lindo veio sorrindo em minha direção. Era o Allan. Nossa! Quando ele chegou mais perto de mim eu pude perceber os olhos dele nos meus enormes seios, que estavam a ponto de saltarem da minha blusa. Que tarado!
Fomos para o hotel no qual o Allan ia ficar. Novamente fui no banco de trás do carro, conversando animadamente com os três. O hotel era um lugar muito agradável e luxuoso. Me senti uma rainha naquele ambiente.
- Pessoal, o que vocês acham de tomarmos algo no bar do hotel? - o Júlio falou e todos concordamos.
Nos sentamos no bar do hotel e começamos a conversar. Com o Allan eu falei um pouco de negócios e ele se mostrou muito interessado. Logo trocamos nossos cartões de visitas. A partir daí o tom da reunião mudou completamente e passei a ser o centro das atenções.
Fui muito elogiada, tanto pelo Allan quanto pelo Thiago, e o Júlio só observando e colocando mais lenha na fogueira. Nossaaaa! Os dois sabiam mesmo como conduzir uma conversa de modo a me falar coisas atrevidas de forma implícita. Fui ficando excitada sem perceber. Logo senti minha buceta ficar muito úmida.
Aqueles três machos ali comigo, revezando em comentários sobre a minha beleza, meus olhos, minha boca, etc, era algo completamente novo para mim. Fui ficando com tanta vontade de meter que, disfarçadamente, eu passava a mão entre minhas pernas e apertava a minha xoxota levemente, quase tendo um orgasmo ali mesmo.
Depois de bebermos bastante e desfrutarmos daquela conversa muito agradável e cheia de insinuações, o Thiago sugeriu que a gente comprasse uma garrafa de uísque e fôssemos terminar de bebê-la em seu apartamento, que era perto dali.
- Não sei, Thiago... eu e três homens em um apartamento! Isso não vai dar certo! - falei brincando e todos caímos na gargalhada.
Compramos o uísque e, depois do Allan finalizar os procedimentos de check-in no hotel, a gente foi direto para o apartamento do Thiago. No trajeto eu fui no banco de trás com o Thiago, e não escapei de levar umas dedadas dele na minha buceta. Sorte que não sou uma mulher vulgar, senão a brincadeira já teria começado no carro do Júlio mesmo.
Chegamos no prédio do Thiago e subimos para o seu apartamento. No elevador eu levei uma encochada bem discreta do Allan e senti o pau dele duríssimo encostar na minha bunda. Os três homens estavam com tanto tesão por mim que seus olhos brilhavam. "Jéssica, sua louca... já vai meter chifre no marido de novo!", pensei enquanto eles me levavam para o abate.
Entramos e o Thiago já foi apagando todas as luzes. Adorei aquilo, pois a única luz que entrava agora era a que vinha da sacada.
- Vou ao banheiro, tá? - falei para eles e me dirigi ao banheiro. Lá eu fiz xixi, lavei minha xoxota calmamente e a deixei bem perfumada. Quando voltei para a sala eles foram ao banheiro um de cada vez.
Enquanto eles iam ao banheiro mijar e provavelmente lavar suas rolas, eu coloquei uma música bem romântica e peguei mais bebidas na geladeira. Logo eu estava dançando com eles, revezando. Nessa hora os três aproveitaram para me apertar bem contra seus corpos e ficaram me falando saliências no pé do ouvido.
Meu deussss!! Três homens cheirosos e safados, e eu ali no meio deles, dançando, rebolando e sentindo como suas varas estavam duras e grossas. E aí os beijos começaram a acontecer. Um por um eles beijavam a minha boca e eu correspondia loucamente, deixando eles chuparem minha língua atrevida.
Naquele momento eu percebi que eu estava prestes a viver uma experiência nova e muito excitante, e que me assustava um pouco, já que eu nunca tinha ficado com mais de um homem ao mesmo tempo. Mas agora não tinha mais como voltar atrás, eu só torci para que eles fossem bons amantes e me tratassem com carinho.
Me sentei no sofá e o Allan e o Thiago se sentaram comigo, um de cada lado, e o Júlio ficou em pé na minha frente, com uma cara de tarado, observando seus amigos me beijando, me alisando e me tocando em todas as partes. Não demorou muito e eles começaram a tirar a minha roupa lentamente, uma peça de cada vez.
Quando eu estava só de calcinha o Allan e o Thiago caíram de boca nos meus seios, chupando, beijando e sugando os meus biquinhos, que estavam completamente durinhos. O Júlio não quis ficar no prejuízo e veio beijar minha boca. Nossaaaa!! Que delícia!! Abri minhas pernas e novamente recebi várias dedadas na minha buceta, ainda protegida pela minha calcinha.
- Fiquem em pé... os três aqui na minha frente! - falei e eles ficaram em pé, me olhando com suas caras de safados. Comecei a desabotoar e abrir o zipper de suas calças. Os três cacetes saltaram para fora, duros e completamente eretos. Cheirei as três rolas e elas estavam deliciosas.
Eu adoro cheiro de pica. Adoro pegar o pau e ficar passando ele no meu rosto, nos meus lábios, e ficar dando batidinhas com ele nas minhas bochechas. Fiz assim com os três machos. Brinquei e punhetei suas picas lentamente, até começar a chupar um por um.
Me deliciei com as três varas, em especial a pica do Allan, que era bem maior e mais grossa que as demais. Chupei e babei até perceber que eles estavam quase gozando na minha boca. Depois me levantei e fiquei também em pé no meio deles, e comecei a tirar o restante de suas roupas.
Novamente os três me agarraram com muita vontade. Enquanto eu me virava para tirar a camisa de um, o outro me agarrava por trás e me encochava, beijando meu pescoço e apertando meus seios.
- Seus taradosssss... eu vou acabar com vocês! - gemi e falei quando eles estavam nus e o Júlio finalmente tirou a minha calcinha.
- Vem cá... fica de quatro... assim, minha querida! - o Thiago falou e foi me ajeitando de quatro no sofá. Fiquei bem empinadinha e ele veio por trás. Depois de dar uns beijinhos na minha bunda ele encaixou a cabeça da rola na minha entradinha e empurrou, de uma só vez.
- Ohhhhhhhh... que delíciaaaaaa... que pau gostosooooo... ahhhhh...!! - gemi como uma cadelinha quando ele me segurou firme pela cintura e engatou bem fundo na minha xoxota, que a esta altura estava muito melada e escorregadia.
- Ahhhhhh... que buceta gostosa, Jéssicaaaaaa... rebola essa bunda, putinha safada! - o Thiago falou e me apertou ainda mais. Soltei gritinhos de prazer e rebolei minha bunda na rola dele, querendo uma penetração ainda mais profunda.
- Cara... essa mulher é gostosa demais! - o Allan falou e se ajeitou por baixo de mim, voltando a chupar os meus seios, enquanto o Thiago bombava em mim igual um desesperado. O Júlio se sentou do meu lado e ficou beijando a minha boca.
Três machos lindos, safados e cheirosos. Um me pegando de quatro e fazendo um vai-e-vem delicioso na minha xana. Outro deitado debaixo de mim chupando e sugando meus peitinhos. E finalmente o Júlio mordendo os meus lábios em beijos cada vez mais ardentes. Não aguentei.
- Ohhhhhh... meu deusssssss... meu deussssss... vou gozarrrrr... vou gozarrrr...! - gritei desesperada e fui atingida por um orgasmo avassalador. Empurrei a bunda de encontro ao pênis do Thiago e chorei de tanto prazer. Gozei tanto que babei na boca do Júlio, que não parava de me beijar.
- Agora é minha vez! - o Allan falou e me fez ficar de barriga pra cima no sofá, toda escancarada. Senti o pau enorme dele deslizar pra dentro de mim até o talo.
- Ahhhhhhhh... isso, meu macho gostosooooo... mete nessa buceta... mete, cachorrooooo...!! - falei para provocá-lo ainda mais.
Enquanto o Allan metia na minha perereca eu segurei o pau do Júlio com uma mão e fiquei batendo uma punheta pra ele. Na mesma hora puxei a pica do Thiago em direção à minha boca e comecei a chupá-lo.
- Que delícia de boca, Jéssica... chupa bem gostoso essa rola, minha safadinha! - o Thiago falou ao sentir minha boca quentinha e molhada em seu pau.
- Ohhhhhh... mete, Allan... meteeeeee... nossaaaaa... enfia bem fundo nessa buceta... mete tudo nela... ahhhhhhhhhh...!! - eu falava, com o pau do Thiago na minha boca. Um calor foi subindo pelas minhas pernas e gemi como uma gatinha no cio, gozando pela segunda vez, com a pica do Allan atolada dentro da minha xoxota gulosa.
Fiquei muito mole depois do meu segundo orgasmo, mas o Allan não queria me soltar de jeito nenhum e pediu pra eu ir por cima dele. Como sou uma mulher muito obediente, fiz isso de imediato. Ele ficou sentado no sofá e eu sentei em seu pau, de frente pra ele. Enquanto eu cavalgava na pica do Allan eu masturbava e chupava o Júlio e o Thiago.
A sensação de ter três homens ao mesmo tempo estava me levando a um nível de excitação muito alto. Eu gemia e gritava de prazer, me sentindo uma verdadeira puta. E os três começaram a me chamar de putinha safada, vadia, mulher de corno e outras coisas que fico até com vergonha de dizer.
O engraçado é que as palavras deles não me ofendiam, pelo contrário, o calor do sexo a quatro e a forma como eles falavam me deixavam ainda mais louca, com a buceta pegando fogo, querendo cada vez mais rola dentro de mim. Subi e desci bem gostoso no pau do Allan, beijando sua boca e chupando o Júlio e o Thiago.
- Allan... come essa buceta, seu safado... mete nessa perereca gulosa, mete... arromba ela com esse pau gostoso... tarado... comedor de mulher dos outros...!! - falei e me deixei cair por cima do Allan, gozando pela terceira vez. O prazer foi tanto que mordi ele todinho, deixando sair lágrimas em meus olhos, não de tristeza, mas de alegria por estar fodendo tão deliciosamente.
Meu deusssss!! Eu já tinha chegado ao terceiro orgasmo e nenhum deles tinha gozado ainda. Comecei a ficar com medo de não aguentá-los.
- Caralhoooo... eu vou comer é esse cuzinho! - o Júlio falou enquanto eu ainda continuava montada no Allan e recebendo carícias do Thiago em meu rosto e cabelos.
Fechei meus olhos e me deitei no ombro do Allan, muito fraca. Senti o Júlio encostar a cabeça do pau na argolinha do meu cue fazer pressão, mas não entrava de jeito nenhum. Eu já tinha feito sexo anal algumas vezes, inclusive com ele.
- Júlio, você sabe que não sou muito rodada aí atrás, amor... sem lubrificante acho que não vai entrar! - falei baixinho.
- Eu tenho lubrificante anal... espere aí! - o Thiago falou e correu até o seu quarto, enquanto o Júlio ficou passando os dedos gentimente na portinha do meu ânus. Quando o gel anal chegou, ele passou um pouco em seu pau e depois por fora e por dentro do meu buraquinho. Meu deussss!! Que gel mágico! Senti meu cuficar quentinho e pulsando de desejo.
- Vem, Júlioooooo... enfia esse pau no meu cú... bem fundo... fode ele, fode!! - falei e comecei a rebolar no pau do Allan novamente. O Júlio não perdeu tempo e enfiou a pica lentamente no meu ânus, me segurando firme pela cintura. O pau dele foi entrando cada vez mais, até que senti nossos corpos ficarem coladinhos.
- Ohhhhhhhhh... que loucuraaaaaa... meu deussssssss... que gostosooooo... fode... me fode todinhaaaaaa...!! - gemi e fiquei presa entre o Júlio e o Allan e chupando o pau do Thiago. Era a minha primeira dupla penetração e eu estava adorando. Quando um pau entrava na buceta o outro saia do meu cue vice-versa, numa cadência maravilhosa.
- Que cuzinho gostoso, moçada... depois vocês vão ver como o cudela é gostoso!! - o Júlio falou e começou a meter com força no meu rabo. O Allan não perdeu tempo e ficou bombando na minha buceta, de baixo para cima.
- Ohhhhhhhhhhhhh... safadosssss... cretinos... vocês não tem dó de mim não?... ahhhhhhhhh... estão me rasgando todaaaaa... a-a-a-cho que vou... acho que v-v-v-vou... - gritei e tive outro orgasmo, sentindo meu cupulsar e apertar o pau do Júlio. Deus do céu! Era a primeira vez que eu gozava com uma piroca no cue outra na buceta.
- Chega... chega... não aguento mais!! - falei e saí do meio dos dois. Minha xoxota estava dormente e eu precisava me recuperar.
- Mas eu não comi seu cuzinho ainda! - o Thiago protestou.
- E nem vai, amorzinho! - falei e dei um beijo na boca dele. - Por enquanto só o Júlio! Meu cunão é pra todo mundo não... talvez um dia!
Falei isso e caímos na risada. Em seguida começamos a conversar e a beber. Nessa hora eles voltaram a elogiar o meu corpo, minha boca, cabelos, buceta e bunda. Eu via nos olhos do Thiago e do Allan a vontade que eles estavam de meter no meu cuzinho igual o Júlio tinha feito. Mas eu não ia deixar eles meterem no meu buraquinho tão facilmente. Eles iam ter que merecer.
Eu já tinha me esquecido completamente do meu marido. Eu tinha falado pra ele que eu só ia tomar um café com um cliente e que não demoraria a voltar para casa. Assim, fiquei na dúvida se eu deveria ligar pra ele ou não. Quando finalmente decidi ligar o Thiago me puxou pela mão.
- Vamos todos para o quarto agora! - ele falou e fiquei acesa novamente, tanto que larguei o celular no sofá e fui com os três para a cama. Mal entramos no quarto e eles já foram me deitando na cama e partindo pra cima de mim.
Em segundos senti como os três beijavam a minha boca e chupavam meus seios. Logo um deles começou a lamber minha rachinha, que já estava ficando completamente melada.
- Ohhhhhhhhhhhhh... deusssss... que delíciaaaa!! - falei ao sentir uma língua bem atrevida no meu grelo.
Que loucura!! Os três machos foram trocando de posição e chupando minha buceta cada vez mais gostoso, até que não aguentei mais e gozei na boca de um deles, e foi justamente na boca do Thiago. Ele adorou o presente e veio pra cima de mim, beijando meus lábios pra eu sentir o gosto da minha xoxota.
Nisso vi o Júlio punhetando o pau e me olhando com cara de tarado. Imaginei que ele ia querer meter no meu cuzinho de novo. Mas dessa vez ele veio por cima de mim e meteu na minha buceta, num papai-e-mamãe delicioso.
- Ohhhhhhhhhhhh... Júliooooo... te amo tanto, meu bem!! - falei e cruzei minhas pernas na cintura dele e o puxei pra mim.
Nessa hora esquecemos do Thiago e do Allan e nos entregamos a um momento de paixão, só entre nós dois. Meu deussss!! Como eu gostava de dar para o Júlio.
- Mete, amor... mete bem gostoso na sua putinha, mete... agora é sua vez de me comer do jeitinho que você gosta, tá? - falei baixinho no ouvido dele.
- Não... não... volta!!! - falei desesperada quando o Júlio, depois de bombar mais um pouquinho, tirou o pau da minha xoxota e saiu de cima de mim. Puxa vida! Eu estava prestes a gozar com ele.
- Não quero gozar ainda, Jéssica! Deixa eles te comerem mais um pouco! - ele falou.
Nossaaa!! Fiquei muito chateada e abri a boca para xingá-lo, mas não tive tempo. O Thiago veio por cima de mim e cravou a pica com tanta força na minha buceta que vi estrelas. Fui penetrada deliciosamente enquanto o Allan já trazia a rola para a minha boca novamente. Chupei muito no pau dele, só interrompendo a mamada para gemer e recuperar o fôlego.
- Fode, Thiagooooo... fode bem gostoso, meu bem... mete tudo nessa buceta, mete... meu deussssss... que delíciaaaaa... vou gozar de novoooo... nãoooooo... vou gozarrrrrr...!! - soltei o pau do Allan e me agarrei fortemente ao Thiago, beijando sua boca loucamente e gozando na pica dele. Nessa hora procurei o Júlio pelo quarto, pra ele me ver gozando, mas ele não estava.
Eu já estava exausta e não aguentava mais nada. Mas o Allan queria mais. Em segundos ele se deitou na cama e me puxou pra cima dele. Me sentei em seu pau e fiquei cavalgando bem rápido mesmo, pra fazer ele gozar e assim eu ter que lidar com um homem a menos. Nisso o Júlio entra no quarto todo sorridente.
- Ei, onde você tava, amor? - perguntei, olhando pra ele por cima do meu ombro.
- Fui ao banheiro! - ele respondeu e já foi se ajeitando atrás de mim novamente. Coloquei minhas mãos para trás e abri a minha bunda, esperando ele enfiar de novo no meu cuzinho.
- Júliooooooooooo... que loucura é essa?!?! - falei e comecei a rir. Ele estava enfiando na minha buceta, já ocupada pelo pênis do Allan. Que safadeza era aquela! Minha xoxota estava esticada ao máximo, com duas picas dentro dela ao mesmo tempo.
- Essa mulher gosta é de rola mesmo, meus camaradas! - o Thiago falou e enfiou o pau na minha boca de novo, me segurando forte pelos cabelos. Gemi como uma louca e babei muito no pau dele, enquanto o Júlio e o Allan enfiavam ao mesmo tempo na minha já castigada buceta. Foi demais pra mim.
- Nãooooooooo... nãooooooo... não quero mais, Júlio... não aguento mais... ahhhhhhhhhhh.... seus taradosssssss... vou gozarrrrrrrr... estou gozandooooooo... de novoooooooo... uhhhhhhhhhhhhhhh... - falei ao mesmo tempo que o pau do Thiago escapou da minha boca e eu dei uma mordida na coxa dele. Gozei sem qualquer puder, xingando os três de todos os nomes que eu lembrei.
- Ahhhhhhhhhhhh... deixem eu descansar um pouco... por favor...!! - falei quando o Júlio tirou o pau da minha buceta e enfiou lentamente no meu cu. O que era uma dupla penetração na xoxota virou uma deliciosa DP de buceta e ânus. Os dois revezaram metendo bem fundo mesmo, me levando a um prazer que eu nunca imaginei que fosse possível.
Senti minha boca seca de tanta sede e, mesmo montada no Allan e com o Júlio metendo na minha bunda, eu estiquei o meu braço para pegar um copo de cerveja que estava na mesinha ao lado da cama. Bebi a cerveja de um gole só, tamanha a sede que eu estava.
Nesse momento eu percebi que, pelo movimento que fiz para pegar o copo, o pau do Júlio tinha saído do meu rabo. Me deitei novamente sobre o Allan, cujo pênis ainda continuava dentro da minha buceta, e empinei a bunda para o Júlio enfiar no meu cuzinho de novo. Nossa!! Só senti os músculos do meu esfincter cederem e o pau entrar deslizando e abrindo as paredes do meu castigo ânus.
Que dupla penetração mais gostosa. Eu já estava a ponto de gozar novamente quando senti um pau abrindo caminho entre meus lábios. Abri a boca e comecei a chupar.
- Isso, meu bem... chupa bem gostoso a pica do seu macho! - o Júlio falou. Na hora levei um susto. Se eu estava chupando o pau do Júlio, então... quem estava comendo o meu cu era o Thiago.
Que merda! Eu não queria que outro homem comesse o meu cu naquele noite, apenas o Júlio, com quem eu já tinha feito sexo anal antes. E ele sabia muito bem comer o meu buraquinho sem me causar dor. Mas já estava feito. O pau do Thiago estava engatado no meu cuzinho até o talo, e eu não ia pedir pra ele tirar.
Minha preocupação agora era com o Allan. O pau dele era bem maior e mais grosso que os outros dois, e ele com certeza ia querer comer o meu cuzinho também. Claro que eu queria ser "completinha" pra ele também, mas o pau dele me deixava um pouco assustada. Não tive muito tempo para arranjar uma desculpa.
Depois de alguns minutos mudamos de posição para que o Allan viesse para a minha bunda, enquanto eu me sentava na vara do Thiago, após ele ir no banheiro e lavar o pau, é claro. Há umas mulheres por aí que deixam o cara tirar do cu e já enfiar na buceta. Eu não sou assim, e me preocupo muito com a minha saúde. Faço sexo sem camisinha, mas nunca deixo o cara tirar do cu e enfiar na xoxota sem lavar o pênis antes.
Quando o Allan começou a enfiar no meu cueu senti como se uma barra de ferro incandescente estivesse me atravessando, mesmo com toda a dilatação que meu ânus já apresentava.
- Ohhhhhhhh... Allan... vai mais devagar, meu bem... está me machucando... Thiago... fica parado até ele enfiar, amor... por favor...!! - falei quase chorando.
Senti muita dor, mas fui acomodando as duas picas com jeitinho, até sentir que o pau do Allan já tinha entrado todo no meu cú, que estava agora todo cheio e esticado. Meu deussss!! Nunca imaginei que eu fosse capaz de aguentar tudo aquilo.
- Hummmmmm... assim... bem devagar, Allan... issooooo... Thiago... pode mexer um pouquinho agora... ohhhhhhhh... está ficando tão gostosooooo...! - falei e eles começaram um vai-e-vem delicioso. Enquanto isso o Júlio ficava passando o pau dele nos meus cabelos e dando batidinhas com ele no meu rosto. Logo voltei a chupá-lo, arrancando gemidos de prazer do meu amante favorito.
Ficamos metendo por mais de uma hora, e eu perdi a conta de quantos orgasmos eu tive. Por várias vezes eu tive a impressão de desmaiar e acordar com os três metendo em mim em todas as posições possíveis. Finalmente decidi que já era a hora de premiá-los por me tratar tão bem.
- Venham... eu sei que vocês querem gozar... podem gozar onde vocês quiserem... menos dentro, tá? - falei e eles concordaram.
O Júlio gozou na minha boca, deixando respingar porra por todo o meu rosto e cabelos. Adorei, e chupei o pau dele até sair o restinho de esperma. O Thiago apontou o pau para os meus seios e gozou neles, me lambuzando toda. E ainda fiz questão de passar minhas mãos na porra dele e espalhar ainda mais pelo meu corpo.
- Agora sou eu... ohhhhhhhh... caralhooooooo...!! - o Allan gemeu e começou a gozar na minha bunda, bem no meu rego. Que delícia! Adorei o esperma dele quentinho bem na portinha do meu cu. Depois ele forçou a cabeça da rola e ela entrou no meu ânus, deslizando pra dentro de mim novamente. Pisquei o cuzinho vários vezes e quase fiz ele desmaiar de tanto prazer.
Muito cansados, nós quatro voltamos para a sala e ficamos bebendo e conversando, enquanto cada um ia ao banheiro se limpar e tomar um banho. O Thiago e o Allan ficaram tão satisfeitos com o encontro que pediram ao Júlio a permissão para anotar o meu número particular e assim ficarem com o meu contato para saírem mais vezes comigo.
Achei engraçado, pois parecia que o Júlio era o meu marido. Mas não falei nada. Ele concordou e passou o meu número para eles. Não me importei muito, pois se eles tivessem pedido a mim, eu teria fornecido. Na verdade eu estava disposta a foder com eles a qualquer momento que eles quisessem.
Depois dessa noite muito coisa mudou na minha vida. Virei uma verdadeira putinha. O Júlio me pediu que eu me tornasse sua sócia em alguns negócios, e com isso eu já fodi várias vezes com ele e outro cliente. Não voltei a ficar com três homens ao mesmo tempo, mas se isso acontecer eu não vou recusar.
O Thiago, sempre que vem à minha cidade, me liga e me convida para sair com ele. Virei sua acompanhante quando ele precisa resolver negócios por aqui. E acabo a noite com o pau dele espetado bem fundo no meu cuzinho. O Allan, por sua vez, se tornou um ótimo cliente da minha empresa e saímos com muita frequência.
Meu marido até hoje não sabe dessa trepada a quatro. Eu conto tudo pra ele, menos essa, pois acho que ele ficaria um pouco chateado ao saber como a mulherzinha dele está safada. Continuo saindo com meus clientes e fornecedores, aguardando o dia que terei coragem para meter com três machos novamente.

Beijos a todos



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.