"Os mais excitantes contos eróticos"


A garota do bar


autor: CherryBomb162
publicado em: 29/07/17
categoria: lésbicas
leituras: 16807
ver notas
Fonte: maior > menor


Ela foi meu efeito borboleta, estava no lugar certo na hora certa e causou um furacão na minha noite tão monótona.

Era uma sexta à noite e eu estava entediada, então resolvi ir no bar de sempre, o meu favorito.

Aquele lugar falava por si próprio, tinha uma pegada rock anos 90 e o ambiente era incrível. Eu conhecia aquele bar como a palma da minha mão, mas naquela noite tinha algo de diferente lá, uma garota, ela.

Ela estava encostada no balcão, usando uma camisa jeans com um botão aberto e uma calça preta que se encaixava perfeitamente em seu quadril. Nas mãos,uma lata de Miller e nos lábios um cigarro de palha. Uau, como ela era linda, fiquei ali na minha mesa bebendo meu rum e a apreciando de longe. Tudo nela me atraía, suas curvas, seu sorriso, sua risada, o cabelo curto que ela de vez enquanto dava uma arrumada na franja jogando pro lado.

Após ficar ali por um bom tempo, nossos olhares se cruzaram, e então ela deu um sorriso malicioso na minha direção, e eu retribui. Então veio caminhando na minha direção e se sentou na minha mesa.

- Vi que seu copo está vazio, pedi para que trouxessem outra dose pra você. Prazer, Emma.

- Ah, obrigado! - Respondi sem jeito. - Me chamo Louise. Ei, Emma,esse bar é praticamente a minha segunda casa, estou sempre por aqui, porém nunca te vi, é nova por aqui ou algo assim?

- Bem, nova na cidade não, eu só não costumava frequentar aqui.

- Imaginei, se eu já tivesse te visto antes por aqui, com certeza me lembraria, não é todo dia que a gente esbarrava com uma garota tão linda como você! - Disse eu tentando jogar charme. Ela agradeceu sorrindo e completou :

- Eu também me lembraria de você se já tivesse a visto antes, você tem um belo par de olhos castanhos intensos e uma beleza de tirar o fôlego.

Ficamos ali por um tempo conversando, nossa conexão era surreal, mas não nego, a maioria do tempo eu prestava mais atenção em seus lábios do que em sua fala. Após acertar a conta e ter boas horas de conversa, puxei ela até o banheiro, eu já não me aguentava mais. Tranquei a porta e apaguei as luzes, assim dando nela um beijo longo,molhado e quente. Então ela me pegou no colo me colocando na pia enquanto apertava minha cintura e me beijava, minhas pernas estavam entrelaçadas em seu quadril. Suas mãos passeavam pelo meu corpo me incendiando e as minha pelo seu corpo me permitindo sentir o que o jeans escondia. Ficamos um tempo lá e então ela me convidou para ir ao seu apartamento. Chegando lá, fomos direto para seu quarto, era um quarto "clean", branco, com uma cama de casal, uma prateleira com livros, discos de vinil e um vitrola. No criado mudo ao lado de sua cama, um abajur e uma foto sua em um show de sua banda favorita.

-O acha do som da Joplin? Seria uma boa pedida pro momento?- ela perguntou sorrindo.

-Aquela mulher era incrível! É uma ótima pedida!- Eu respondi.

Então ela colocou o vinil na vitrola, e a primeira faixa era "Summertime" da Janis Joplin.

Então ela se virou,sorriu mais uma vez e deu um beijo no meu pescoço me empurrando contra a parede.

Quando olhei em seus olhos, eu pude ver, ali estava tudo que eu mais desejava, ela.

Então nossos sorrisos se misturaram em um beijo molhado, do tipo que tira o fôlego e te faz implorar por mais.

Um simples desejo se tornou necessidade. Eu precisava daquilo, dela. Ela olhava em meus olhos, um olhar selvagem, penetrante e que instigava, um olhar capaz de decifrar o que cada centímetro do meu corpo estava pedindo.

Seu corpo colado no meu me mantinha imóvel na parede enquanto uma de suas mãos segurava meu cabelo e a outra decifrava meu corpo em meio a tapas e arranhões que causavam arrepios.

O gosto forte de cigarro com cerveja em seus lábios me fazia nunca querer parar de beija-lá.

Eu estava em seu colo rebolando lentamente ao som de Janis Joplin ( agora tocava " Cry Baby")enquanto ela tirava meu vestido me deixando apenas de calcinha.

Suas mãos deslizavam pelas minhas costas até chegarem na minha bunda, então ela a apertou e deu tapas fortes e de um jeito provocante ela agora brincava com a renda da minha calcinha ameaçando tirá-la o que me fazia dar suspiros de desejo.

Então ela me pegou no colo e jogou na cama, demos longos beijos quentes, minhas mãos passeavam pelo seu corpo,(e que corpo) enquanto aos poucos fui desabotoando sua camisa. Seus lábios passeavam pelo meu pescoço me enlouquecendo enquanto falava besteiras no meu ouvido eu chupava seus dedos e arranhava suas costas. Então ela começou a apertar minha cintura e subiu arranhando meu corpo até chegar nos meus seios, começando a aperta-los forte e em seguida chupou e lambeu meus mamilos deixando marcas de chupão pelo meu corpo enquanto eu soltava gemidos abafados de prazer e ficava cada vez mais molhada.

Como era esperado, eu já não me continha , eu queria ela, queria que ela me dominasse.

Ali, ela era minha dominadora e eu, sua completa e devota submissa.

O seu olhar ainda era selvagem mas dessa vez também feroz. Eu agora era sua meretriz, quem ela poderia satisfazer a noite inteira.

Então me olhou nos olhos envolvendo meu pescoço em uma de suas mãos apertando com certa força, e com a outra acariciava minha bochecha, então as caricias se transformaram em tapas que me deixavam cada vez mais excitada.

Ela começou então a beijar todo meu corpo e morder de leve, eu estava molhada e tudo em mim implorava pelo toque dos seus lábios, toque que me enlouquecia e me fazia soltar pequenos gemidos de excitação a medida que fluiam pelo meu quadril. Ela começou a me lamber por cima da calcinha, o toque de sua língua úmida sob a renda me fazia gemer de tesão, então ela a tirou, e assim começou a beijar e morder a parte interna das minhas coxas me provocando até chegar na minha vagina a lambendo me fazendo gemer mais.

Então começou chupar meu clitoris, ela chupava de uma forma intensa, com o jeito de quem desejava causar sensações que eu nunca havia experimentado antes, ela queria me ver gritando, gemendo e me contorcendo de prazer enquanto implorava para que ela não parasse, coisa que ela conseguiu fácil. Enquanto me chupava introduziu bruscamente dois dedos em mim fazendo com que eu puxasse com mais força seu cabelo gemesse seu nome.

Aquela garota me enlouquecia e tudo que eu conseguia fazer era implorar para que ela não parasse em meio a gemidos incontroláveis.

Não demorou muito para que ela me fizesse atingir meu ápice e ter um orgasmo. Não satisfeitas, não paramos.

Agora eu estava sentada em seu peito enquanto ela me chupava e lambia de um jeito que fazia meu corpo inteiro incendiar e tremer, meu coração acelerar, e eu gritar de prazer até perder as forças e ter múltiplos orgasmos gozando em sua boca.

Recuperamos as forças por alguns minutos, e aos beijos eu subi em cima dela na cama, colocado dois dedos em sua boca e a apreciando chupa-los. Comecei então a beijar e morder de leve seu pescoço e a lamber sua orelha a deixando ofegante,aos poucos fui beijando todo seu corpo, tirei seu topper e comecei a apertar seus belos seios, médios, firmes e que estavam com o bico bem durinho devido à excitação,em seguida os lambendo e dando leves chupões enquanto ela gemia baixinho.

Lentamente fui descendo pela sua barriga chapada sentindo suas ofegantes respirações dando lambidas e beijos pelo seu corpo a deixando louca e apertando firme sua cintura.

Com a boca desabotoei sua calça e em seguida a tirei. Comecei então a beijar suas coxas, subindo aos poucos, sentindo os leves puxões que ela dava no meu cabelo sinalizando que era pra subir, então por cima da cueca, a beijei e dei lambidas suaves até não me controlar e tirar logo sua roupa. Comecei masturbando-a e em seguida comecei a chupar e lamber seu clitoris enquanto observava com prazer suas mãos puxando os lençóis enquanto as minhas estavam fixas em seu quadril o apertando forte e arranhando.

Seus gemidos eram abafados e tímidos, ela puxava meu cabelo com delicadeza e acariciava meu rosto. A medida que as coisas foram esquentando, toda a sua delicadeza sumiu, dando lugar ao seu lado selvagem, que gemia com vontade enquanto puxava meu cabelo com força. Então a penetrei com força um dedo, depois dois, vendo ela se contorcer e gemer cada vez mais alto meu nome.

Em alguns minutos ela chegou em seu ápice, tendo um orgasmo intenso e gozando em minha boca, enquanto eu a lambia com prazer. Após recuperar o fôlego ela subiu em mim, encaixando nossos clitoris na famosa posição da "tesoura". A medida que íamos nos esfregando, íamos gemendo cada vez mais alto, éramos as duas lisinhas, o que facilitava e aumentava mais ainda o contato dando um prazer intenso. Então eu disse que não aguentaria mais e gozei pela terceira vez aquela noite, ela poucos momentos depois também gozou gostoso. Depois de uma noite gostosa de prazer tomamos um banho quente juntas e bebemos uma garrafa de vinho. Então jogamos conversa fora até adormecer.





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.