"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Amor de irmã


autor: italiano
publicado em: 26/09/17
categoria: incesto
leituras: 3180
ver notas
Fonte: maior > menor






Tudo aconteceu a vários anos atrás, e o que se desenrolou a pouco tempo começou a alguns anos.

Éramos adolescentes, ela com seus 17 anos já, branca, cabelos pretos, seios médios para grandes, bundudinha, queimada de sol. Vou chamá-la de Bruna.

Eu, apenas um garoto de meus 15 anos, e como todo garoto em fase de crescimento, todo desengonçado.

Bruna já namorava com um garoto da vizinhança, o Jair.

Papai trabalhava fora e mamãe fazia os afazeres de casa.

Estavamos de férias e mamãe teve que sair com papai logo cedo, e iriam ficar fora o dia todo.

Ficamos eu e bruna. Logo após o almoço, Bruna me procurou e perguntou se podia falar comigo, eu disse sim, então ela falou que tinha vontade de uma coisa, mas ninguém podia saber, e se ela podia confiar em mim.

Eu disse que podia sim confiar, pois erámos irmãos, ela sorriu e saiu correndo em direção ao quarto de nossos pais, e poucos segundos depois volta com uma revista pornô que meu pai guardava ( ele tinha várias ).

Bruna me trouxe e abriu numa página, onde mostrava uma foto grande de pagina inteira, mostrando um homem fazendo sexo oral em uma mulher.

Sem pudores me perguntou – Você sabe fazer igual? Sou virgem ainda, Jair nem sequer me tocou, mas estou com muito tesão hoje, você sabe o que é tesão?

Eu já de pau duro, respondi - Claro que sei Bru,sei sim.

- Pois então , você poderia fazer em mim? Te recompenso depois, mas ninguém pode saber, promete?

Ela foi falando essas palavras e já sentando meia deitada de frente para mim no sofá.

Me aproximei e ela foi logo levantando a saia, era a primeira buceta que veria na minha frente ao vivo, olhei pra ela e sorri.

Bruna foi baixando a calcinha, e foi aparecendo uma linda buceta, rosada, depiladinha , linda de se ver.

Aproximei minha boca e fui dando beijinhos na testa da bucetinha dela, ao mesmo tempo ela foi se ajeitando e aos poucos fui aprendendo como chupar uma buceta, seu cheiro de femea entrava pelas narinas, sentia seu gosto maravilhoso, logo estava chupando e lambendo, passava a língua em seu grelinho, em círculos, descia até a entradinha da buceta, ia até o cuzinho e voltava, Bru se contorcia toda, e se ajeitava cada vez mais, de modo que fazia com que eu me concentrasse no ponto onde dava mais tesão.

Estava uma delicia aquilo, ela estava gostando e eu também, ela se contorcia de tesão , gemendo forte, até que suas pernas estremeceram e ela apertou minha cabeça entre suas pernas e explodiu num gozo onde engoli todo seu melzinho. Ela suava, e estava de pernas moles, coloquei meu pau pra fora e quis colocar na xota dela, mas ela não deixou, dizendo ser virgem ainda, e que guardaria para o casamento.

Mas me fez sentar ao lado dela, disse ter sido maravilhosa essa experiência, e que por hora seria só uma punhetinha mas que um dia minha recompensa seria maior.

Bru bateu a punheta mais gostosa da minha vida, e depois de alguns minutos gozei em sua mão, que em seguida, passou meu leitinho em seus peitos, tomamos banho e nos recompomos.

Alguns anos se passaram, nunca mais falamos no assunto, Bruna casou e eu também, eramos dois irmãos normais, porém Bruna agora era um mulherão, seios lindos ,bunda maravilhosa, corpo de violão.

Alguns poucos meses atrás, o marido da Bru teve que viajar a serviço, e como moravam num lugar mais afastado, me ligaram perguntando se eu não poderia ir dormir na casa dela por segurança.

Por ser minha irmã, minha esposa não só consentiu, como incentivou uma vez que éramos vizinhos de meus pais.

No dia combinado sai do serviço, e fui para a casa da Bru, quando cheguei , esta já me esperava, dei um beijo em seu rosto como sempre, fui para o quarto de hospedes e guardei minhas coisas, tomei um banho e coloquei uma bermuda e camiseta.

No jantar , tomamos vinho, e conversávamos amenidades, então a maninha resolveu lembrar deste episódio, e conversamos a respeito, me disse que naquele dia estava com muito tesão, e estava cansada de tocar siririca, foi quando ela teve a idéia.

Comentei que aquela foi minha primeira buceta e que fiquei com muito tesão por vários dias seguidos, onde chegava a doer as bolas, e muitas punhetas bati por sua buceta.

Ela riu, pediu desculpas mas explicou que era virgem na época e não podia fazer mais nada por mim, mas que lembrava da promessa de um dia me recompensar.

Acabamos o jantar e a ajudei com a louça, Bru disse que ia tomar um banho, e assim o fez, eu por meu lado sentei na sala para ver um pouco de tv, escutei quando ela saiu do banho e foi para o quarto do casal, alguns minutos se passaram e ela me chamou ao seu quarto.

Me levantei e caminhei ao quarto, quando cheguei a visão era maravilhosa, ela estava nua, deitada na cama de bruços, pernas semi abertas , olhou para mim e deu um sorriso, e me mostrou o criado mudo, o qual tinha em cima, varias camisinhas e gel lubrificante, entendi de pronto qual era a intenção e qual seria a tal recompensa.

Retirei mina roupa, deitando-me a seu lado, comecei a beijar seu pescoço e fui descendo, passando por suas costas e chegando a sua bunda, levantei levemente seu quadril e beijava e sugava sua bunda e sua buceta, que agora não era mais virgem e pude enfiar a língua com vontade, novamente ela se contorcia de tesão, meu pau duríssimo, doido para entrar naqueles buraquinhos, mas primeiro teria meu premio.

Coloquei uma camisinha e o lubrificante gel, coloquei bastante em minhas mãos e lubrifiquei bem seu cusinho, ela pediu para ir com calma, e que era virgem ali, havia guardado só para mim.

Lubrifiquei e com os dedos fiquei brincando, primeiro um, onde ela soltou um suspiro quando entrou, em seguida dois e depois três, fiz com que se acostumasse, ela rebolava em meus dedos, gemia de prazer , retirei os dedos e apontei meu pau para aquele furinho virgem, fui forçando de leve, ela parou e empinou mais a bunda, aos poucos foi entrando, passando a cabeça e foi indo até sumir todo, ela gemia baixinho agora, como curtindo cada centímetro que entrava.

Aos poucos começamos os movimentos de entra e sai, ficando cada vez mais vigorosos, em pouco segundos eu fodia minha irmãzinha que gemia agora com vontade falando coisas entre os gemidos, - Me come mano, fode gostoso meu cu, é só teu, guardei pra você, o Jair já quis, mas a primeira vez é sua, fode, come.....

Explodiu num gozo magnifico, estremecendo toda, mas não parei , continuei bombando com vontade, até que gozamos juntinhos. Cai a seu lado na cama, e ficamos nos beijando.

Poucos minutos se passaram e meu pau estava duro novamente, ela chupou com vontade, deitou de costas e abriu a as pernas, sim era sua buceta agora o premio, passeia cabeça do pau em sua entrada e sem esforço escorregou para dentro até o fim.

Metemos a noite toda, e desta vez, na buceta já era sem camisinha, então gozei em suas entranhas.

Deitamos e descansamos um pouco, mas iniciamos um 69 delicioso, e gozamos novamente um na boca do outro.

Dormimos e dia seguinte, acordei com um belo boquete onde novamente gozei em sua boca.

Foram 4 dias de muito sexo em toda sua plenitude com minha irmãzinha, até que seu marido voltou de viajem.

Depois disso , sempre que ele viaja, minha irmãzinha pede que eu vá dormir em sua casa para protege-la, e sempre assim o faço,

Pois amo minha irmãzinha.













ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.