"Os mais excitantes contos eróticos"


O Prazer é meu, vizinha!


autor: Liriel
publicado em: 08/12/15
categoria: hetero
leituras: 78209
ver notas
Fonte: maior > menor


Me mudei recentemente para um condomínio próximo ao centro. O apartamento é bem aconchegante, com janelas grandes de vidro para deixar o ambiente bem iluminado, do jeito que eu gosto.
Acostumada com casa térrea, não perdi o hábito de andar semi nua de um cômodo para outro. Acredito que isso já seja uma característica minha.

Na primeira semana no novo lar, cheguei do trabalho bem mais tarde que o comum, exausta! Joguei minha bolsa, chave, celular no sofá, abri a cortina e as janelas de vidro da sacada para arejar e aliviar o calor infernal, que fazia mesmo naquele horário. Tirei minha roupa pelo caminho e fui correndo para o banho.
Como esqueci a toalha, fui com o corpo molhado para o quarto e me sequei. O calor era demais, que nem pensei em me trocar. Como havia dito, isso sempre foi um hábito meu.

Fui para a sala normalmente, coloquei uma música tranquila, mas com uma levada gostosa e comecei a organizar minhas coisas arriscando algumas dancinhas de acordo com o ritmo.
Passo meu olhar para a janela e vejo o vizinho de condomínio, do prédio à frente me observando. Moreno, não era do tipo sarado, mas estava no ponto para mim. Sem contar que de longe pude notar o tamanho do seu dote.
Discretamente avanço dois passos para confirmar o que estava vendo. Sim, ele está se masturbando enquanto me olha.

Travei por dois segundos por conta da surpresa. Mas a euforia do susto se transformou em tesão e me deixou muito excitada. Continuei a minha rotina, fingindo que nada tinha acontecido e passei a me exibir um pouco mais. Mudei a música, fiz uma dança suave e ainda sim sexy, como se fosse um convite. Eu queria conhecer o responsável por provocar aquela sensação em mim.

Começo a passar hidratante no corpo, para me exibir mais. Contorno cada centímetro e dou ênfase nos seios, na bunda e no interior das coxas. Então, vejo que meu vizinho se apóia na grade com a cabeça para cima e goza. Me olha com um sorriso de canto e entra. Fecho as cortinas, me toco antes de dormir pensando nos movimentos de sua punheta.

No outro dia, cheguei abrindo as janelas ansiosa para ver meu admirador e não encontrei nada a não ser os vidros da sacada fechados com cortina. Em todo caso, deixei tudo aberto como de costume e fui tomar banho.
Ao terminar, minha campainha toca e visto apenas um roupão para não demorar a atender. Pelo olho mágico, consigo reconhecer meu vizinho... Sem camisa. Abro a porta e ele entra sem nem ao menos ser convidado, claro ele sabe que o convite foi feito na noite anterior.
Meus olhos fazem um check up de cima a baixo. Noto seu corpo, seus braços, suas mãos grandes, suas coxas naquela calça de moletom azul marinho e o volume evidente de seu mastro, que me fez salivar de tesão.

- Eu precisava te conhecer! - ele disse.

Sem resposta, beijei aquela boca com vontade enquanto uma de suas mãos passeava pela minha cintura e descendo para a minha bunda. A outra mão abria o meu roupão com urgência. Fui guiando até o meu quarto, deixando sua roupa pelo caminho.
Ele me faz sentar na beira da cama, colocou seu membro para fora e passou suavemente pelo meu rosto. Encostou em minha boca como se estivesse procurando minha língua... Isso só provocou a minha vontade de abocanhar aquele pau delicioso. Lambi das bolas a cabeça... Ele segurou firme meus longos cabelos, fazendo movimento de vai e vem. Senti que ele estava prestes a gozar, pois seu pau latejava dentro da minha boca. Antes disso ele me empurrou na cama e lambeu meu clitóris com movimentos circulares. Seu dedo alisava a minha boceta, como se ele estivesse explorando seu novo brinquedo.

Ele chupou gostoso até eu implorar pelo seu pau rígido dentro de mim. Então ele me puxou e com um tapa na bunda me virou de quatro com a cabeça encostada na cama.
Meu vizinho me torturava ainda mais passando a cabeça de seu pau bem leve na minha xaninha. E eu pedindo:

- Mete gostoso! Enfia tudo dentro de mim... Não me tortura. Quero sentir esse caralho delicioso!

Então, ele mete firme, mete gostoso alternando a velocidade. Ele me virou de frente, abriu minhas pernas e me beijou. Nossas línguas se encontram num desespero só... Meu vizinho meteu mais rápido, segurando meus seios. Meu gozo é denunciado através de um gemido intenso. Logo em seguida, sinto seu pau latejar em mim... Meu vizinho goza durante o movimento de vai e vem dentro de mim, enquanto alisa o bico do meio seio.

- O prazer é todo meu, vizinha!

Transamos a noite inteira...



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.