"Os mais excitantes contos eróticos"


CRUZEIRO DAS LOUCAS PARTE 2


autor: Amora
publicado em: 11/04/15
categoria: aventura
leituras: 3709
ver notas
Fonte: maior > menor


Continuando minha aventurazinha, depois da noite maravilhosa que tive com Paulo, dei uma descansadinha em minha cabine e depois fui me encontrar com minhas amigas para o cafe da manhã.
Durante o cafe o papo não poderia ser outro além de oque cada uma havia aprontado na noite passada, Malu continuava a mais atrevida, contando como havia sido a performance dela e de seu parceiro eu e Ju falamos mas sem muitos detalhes, já Carol apenas comentou que havia conhecido um rapaz e que queria muito poder ficar com ele novamente pois achou ele muito interessante, comentou também que esse rapaz de nome Wilian tinha um amigo que tinha me visto e se interessado por mim, mas que ela não tinha conseguido falar comigo e essa foi a deixa para Malu falar mais besteiras.
"Também ela se arrumou com o negão" falou Malu olhando para mim se referindo a Paulo e emendando uma pergunta, "Confessa que ele deve ter acabado contigo né?" fazendo com que todas na mesa rissemos, ela ainda insistiu que eu respondesse agora com a ajuda de Carol e Ju pedindo q eu respondesse.
Fiz um sinal de afirmativo com a cabeça encerrando ali aquele papo.
Após o cafe fomos nos trocar para ir a piscina, mas alguma coisa parecia não estar legal com a Carol, que desde que saimos do restaurante até a chegada a cabine não abriu a boca pra falar nada.
Na hora de colocar o biquini não pensei duas vezes e coloquei o dourado minusculo que a malu havia me presenteado, após a transa com Paulo me sentia mais segura comigo mesmo a ponto de que por mais escandalazo que fosse o biquini não me importaria, pedi que Carol amarrace para mim a parte de cima e então percebi um rostinho muito triste dela.
Perguntei a ela oque estava acontecendo e com cara de choro me respondeu " Fiz uma besteira ontem e estou me sentindo suja agora". "Mas oque fez para você esta se sentindo suja" perguntei a ela.
Quase chorando já Carol começou a me contar tudo, "Sabe o rapaz que falei que conheci ontem e que estava com um amigo que se interessou por você, então eu curti muito o papo dele" interrompi e perguntei "Dele quem, o rapaz que se interessou por mim ou o rapaz que você ficou".
"O rapaz que fiquei, então curti muito ele mas o amigo dele atrapalhou muito, por que como ele ficou no vacuo ficava toda hora chamando ele para eles arrumarem 2 mulheres uma pra cada".
"Entendi" falei "Calma que o pior esta por vir", falou Carol.
"Quando percebi que ele iria me dispensar, falei meio que sem pensar meio que no impulso que queria dar pra ele".
Dei uma gargalhada e falei, "Para de ser boba, você já é uma mulher não tem que se preocupar com essas coisas, você tem curtir o momento".
"Você não entende, deixa pra lá", Carol ja quase chorando falou.
Pedi desculpas e insisti que ela terminasse a historia.
Após alguns minutos em silencio Carol voltou a falar, "Ele aceitou né, falou pra nos irmos ate aqui na nossa cabine", com uma cara de como assim você trouxe o cara até nossa cabine ouvi ela me surpreender mais.
"O amigo dele veio acompanhado nos, só que pensei que quando chegasse aqui ele iria embora, mas ele não foi e entrou com nos dois na cabine, perguntei ao Wilian oque o amigo dele queria ali, mas ele falou para não esquentar que ele so queria ver, fiquei meio sem entender meio com medo mas permeti que aquilo tudo continuasse e me deixei envolver e em determinado momento eu ja estava nua com os dois me beijando e passando a mão em mim".
Eu não sabia oque falar e unica coisa que pensei foi em dar um abraço em Carol que começou a chorar e disse que se sentia um lixo de pessoa.
Enxuguei suas lagrimas e falei "Levanta a cabeça não deixe que isso estrague sua vida" e em seguida a curiosidade tomou conta de mim e perguntei se ela havia gostado.
Carol balançou a cabeça fazendo um sinal de que sim e em seguida falou para mudarmos de assunto.
Alguns minutos depois o quarteto estava formado de novo na beira da piscina apreciando e sendo apreciada por olhos gulosos eu me sentia uma rainha com meu pequeno biquini dourado despertando olhares de homens e mulheres, alguns olhares que repudiavam e outros que aprovavam.
Em pensamento queria que Paulo me visse ali pegando um sol, me levantei para derrepente tentar avista lo ou que ele me encontra se e me levasse novamente para sua cabine para mais uma vez transarmos como loucos.
Mas não foi oque aconteceu, ouvi uma voz feminina me chamar era Marlene uma antiga cliente que acenava com as mãos me chamando, fui ao encontro dela e seu marido Alvaro os dois estavam com uma menininha de 4 anos uma gracinha.
Naquele momento meu biquini me incomodava fiquei totalmente sem graça, afinal de contas eram duas pessoas que so me viam vestida com roupas sociais, Alvaro um homem branco alto me olhava das pontas dos dedos dos pés ate o fio de cabelo, Marlene era uma galega muito bonita mas já não estava na forma de quando a conhecia anos atrás assim como Alvaro que ja tinha a famosa barriguinha de chopp.
Após aquela conversa inicial de como vai tudo bem que coincidencia nos encontrar aqui né, Marlene fez uma pergunta que mudou o semblante de seu marido, " E ai tá de ferias com o maridão?", com um sorriso amarelo respondi que não que estava com umas amigas e que havia me separado.
Alvaro que já me secava olhou com uma cara de que se pudesse me comeria ali mesmo, para quebrar o clima sem graça após minha resposta perguntei sobre o filho deles que já deveria estar um moço.
"Está por ai" respondeu Marlene, Alvaro por sua vez já quis conversar mais queria contar que estavam fazendo um cruzeiro em familia por que Junior seu filho acabar de fazer 18 anos iria morar em outro estado por causa da faculdade, Marlene já percebendo o assanhamento do marido decidiu encerrar por ali nosso reencontro.
Voltei para o lado de minhas amigas e uns 30 minutos depois Alvaro chegava acompanhado de seu filho para apresentar a mim e minhas amigas.
Junior era um rapaz bonito e logo deu uma investida em Carol sem sucesso, Alvaro por sua vez tentava a todo custo ter um papo comigo mas sempre que começava a perguntar algo mudava a pergunta e as coisas ficavam meio sem nexo.
Decidi me levantar e quando fiz isso minha cintura ficou na altura dos olhos de Alvaro que estava sentado de frente para mim, falei que iria ali e já voltava, isso foi um sinal para que Alvaro viesse atrás de mim, mas na verdade oque eu queria é que pai e filho saissem dali.
Longe de seu filho e das meninas Alvaro passou a ser mais ousado dizendo que o divorcio havia sido bom pra mim pois estava muito mais bonita e sensual (na verdade ele queria dizer gostosa), falou também que o Marlene ter ficado gravida foi um acidente e que seu casamento não estava bom e queria experimentar coisas novas conhecer pessoas diferentes.
Aquele papo estava me deixando sem graça então decide falar que precisava ir ao banheiro, reparei por um vidro que quando me virei de costas Alvaro colocou sua mão por cima da sunga e apertou seu pau.
Dentro do banheiro sentada no vaso fui dar uma coçadinha na minha amiguinha e a coçadinha transformou em carinho em seguida.
Fiquei ali me tocando, lembrando da transa com Paulo e derrepente me veio na cabeça as coisas que Carol me contou, fiquei imaginando dois homens comendo aquela ninfetinha, aqueles pensamentos me fizeram gozar deliciosamente.
Na saida do banheiro encontrei Marlene, fiquei sem graça novamente mas ela veio falar comigo sobre sua filhinha mas antes que conseguisse terminar de falar sobre a filha, avistou Alvaro e seu filho conversando com minhas amigas.
"Não tem jeito esse Alvaro ele é igual um cachorro na coleira, que quando solta sai correndo igual doido e quando alcança não sabe oque fazer", "E ainda arrasta o filho" concluiu Marlene.
Como agora o assunto era outro Marlene passou a falar das crises que havia passado em seu casamento e que ainda passa.
Elogiando sobre minha boa forma, comentou que precisava voltar para academia e em meio a risos me confidencio algo.
"Preciso ir para uma academia de verdade mesmo, por que a que eu falava que ia para o Alvaro nunca exestiu!" " Ao inves de ir para academia eu ia pra casa de um instrutor que conheci na academia".
"Vamos lá salvar suas amigas", falou Marlene após me contar de seu casinho extra conjugal e no meio do caminho me perguntou, " Você chegou a trair seu marido?"
"Não" respondi a ela.
"Sua boba, homem pra dar valor tem que levar chifre", falou em meio a risos.
Ao chegarmos proximo aos cinco Marlene falou para Alvaro, "Vamos que as meninas são muito novas pra conhecer o viagra", sem graça Alvaro se despediu, mas Junior continuou ali e Marlene também não deixou escapar o filho.
"Vamos filho ai tem muita areia para seu caminhãozinho!", retrucando oque Marlene disse Malu imendou " Fala para sua mãe que o caminhão
é novo e faz varias viagens!" sem graça o menino respondeu com um "é é", mas também saiu dali.
Tempos depois saimos da piscina para ir almoçarmos e depois descansar um pouco.
Após um cochilinho a tarde fui sair da cabine e tomei um susto com oque vi, Alvaro saia da cabine de Malu e Juliana.
Fiquei um pouco chocada mas nem me abalei so queria saber com qual das duas safadas ele tinha transado, mas não iria perguntar mais tinha quase certeza que foi com Malu que ele tinha pulado a cerca.
A noite tinhamos uma baladinha para ir, fui vestida com um macaquinho tomara que caia azul, Ju estava com um vestidinho branco curtissimo, Malu estava de shotinhos jeans e colan preto e Carol de saia jeans e mini blusa.
Eu estava doidinha pra encontrar com Paulo de novo, Malu e Ju estavam cheias de segredinhos e Carol estava anciosa para achar Wilian com ou sem seu amigo.
Carol então me incluiu na sua caça, rodamos a boate do navio inteiro e nada de Wilian e seu amigo, cansada de procurar parei no barzinho para beber um drinque e lá conheci Matheus, 24 anos cabelo meio bagunçado corpinho de atleta, ficamos ali no bar mesmo conversando e eu estava eletrica parecia eu o homem ali, sempre que eu tinha uma oportunidade passava a mão no corpo atletico de Matheus.
Quando nos beijamos uma de suas mãos estava em minha cintura e então a peguei e coloquei em minha bunda, nesse momento minha bucetinha ferveu dentro da minuscula calcinha que estava usando.
Apesar de meio devagar seria com ele que mataria minha vontade aquela noite, sugeri ir a um lugar mais tranquilo e ele falou de ir até o bar da piscina, falei "Por que não em sua cabine?" Meio surpreso respondeu que poderiamos ir lá sem problemas.
Andamos muito e conversamos pouco até chegar a sua cabine que era de classe mais barata e por isso bem pequena, aquela situação me fazia me sentir uma putona e isso me excitava muito.
Dentro de sua cabine começamos a nos beijar e se despir, seu pau não era grande e sua pegada passava longe comparado a Paulo.
Matheus me deitou em sua cama e com a boca tirou minha calcinha e em seguida começou um delicioso sexo oral, me fazendo se contorcer de prazer eu gemia alto e puxava o pelos cabelos para me beijar a boca e eu perguntava "Quem é sua puta?" Ele apenas sorria e não respondia e assim empurrava sua cabeça de encontro a minha amiguinha.
Meia hora de um sexo oral delicioso e la estava eu gozando loucamente.
Satisfeita já, percebi que Matheus estava ancioso pra me penetrar, decide dar uma chupadinha nele para deixa lo no ponto e então comecei primeiramente na pontinha da cabeça em seguida descendo com a lingua a extensão de sua pica ate as bolas fiz esse movimento por 5 ou 6 vezes, depois com as mãos espalmadas passei a esfregar suas bolas e ele a foder minha boca com sua pica e derrepente seu pau explodiu num gozo abundante dentro de minha boca me fazendo ate engasgar.
Me levantei para me limpar mas ele me puxou e passou a me beijar a boca toda gozada.
Após dez minutos se beijando seu pau ja estava duro querendo me invadir pedi para ele colocar a camisinha e vir em cima de mim num frango assado, ele não falava nada e eu não estava tendo prazer o suficiente para gemer, decide então cavalgar em cima dele oque aumentou mais meu prazer, passei a gemer e pedi para que ele me desse tapas oque ele não fez então eu passei a dar tapas em seu rosto e pedi que me fudesse com força dessa forma não demorei a ter outro orgasmo.
Mas Matheus continuava ali me fudendo sem parar, ficar montada sobre ele ja estava me cansando além do mais ja havia gozado a pelo menos a uns 10 minutos e ele nada e então pedi que pegasse de 4 imaginando que ele gozaria mais rapido mas não foi oque aconteceu alguns minutos depois meus joelhos ja doiam e pedi que mudassemos de posição novamente deitei de bruços empinei um pouquinho e ele me penetrou doloridamente, minha amiguinha já estava ardendo quando após um tempo finalmente Matheus gozava.
Estavamos totalmente molhados de suor pedi para usar o banheiro e tomar um banho ele se propos a tomar banho comigo, mas imaginei que ele iria querer me comer no chuveiro também então sem pensar falei "Preciso tomar um banho e sair daqui rapidinho se não meu marido vai sentir minha falta".
Matheus olhou com cara de assustado e disse "Ok vai lá."
Num banho rapido pensei no que acabara de dizer eu deveria ta louca mas dane se ja tinha falado mesmo.
Após o banho dei lhe um beijo de despedida e falei que tinha adorado a noite (mentira só gostei do sexo oral!).
Sai da cabine e fui procurar por uma de minhas amigas, mas no meio do caminho ao passar pelo bar da piscina um argentino (que não lembro o nome) me chamou.
Estavam em um grupo de 5 bebendo me convidaram para tomar uns drinques com eles, eu aceitei por que achei o rapaz que me chamou muito charmoso.
Sabia que não poderia beber muito para não perder a noção afinal de contas esta no meio de cinco homens desconhecidos era um grande perigo, mas para mim com risco calculado.
No inicio tudo normal, mas lá pelo 4º copo meu espanhol (que não é dos melhores) já se misturava com ingles e portugues, na 6º rodada já era presa fácil para os hermanos que passavam a mão descaradamente em meu corpo.
Quando já não tinha defesa ali, Ju apareceu para me salvar, sobre protestos do grupo Juliana me tirou do bar e me levou até a porta da boate, aonde estavam Alvaro e Junior.
Bebada e sem entender oque acontecia, Alvaro falou para Ju "Meu anjo é melhor levarmos ela daqui né?"
O que, como assim meu anjo? Perdi alguma coisa é!
Juliana respondeu que seria melhor mesmo e então Alvaro fez uma brincadeirinha com Ju pegando a no colo falou, "Vamos minha princesa para debaixo de seus lençois"
Tinha certeza bebi de mais!
Com Ju em seu colo, Alvaro falou para Junior, "Vamos filho conduza essa dama em segurança"
Junior olhou para mim e fez menção de me pegar e olhando para ele falei.
"Nem pense nisso".
Chegando na porta de nossas cabines Ju foi entrando na dela e eu fui tentar entrar na minha coisa que não consegui. Tive que entrar com os 3 na cabine.
Me deitei na cama de Malu por enquanto que Alvaro e Ju começavam um esfrega esfrega em baixo dos lençois.
Junior ficou sentado em uma poltrona assistindo tv, mas pouco tempo depois foi deitar ao meu lado, tentei expulsa lo mas ele não saiu.
Sem noção me virei de costas para Junior´que apenas de cuecas passou a se esfregar em minha bunda e beijar meu pescoço, aquilo começou a me atissar mas ainda sim fazia jogo duro.
Me virei de frente para ele, Junior passou a tentar a beijar minha boca.
"Sai você é muito novo pra mim" falava para ele em vão.
"Só um beijinho vai!" implorava Junior, enquanto esfregava seu membro ja totalmente duro em minha coxa.
Sempre afastava meu rosto em suas tentativas.
Até que falei "Se te der um beijo você para de me perturbar?"
Sim foi sua resposta e em seguida ganhando um selinho, "Quero um beijo de lingua dessa sua boca gostosa!" falou Junior.
Então passeia a beija lo (apesar de bebada senti que o beijo tava bom).
Do outro lado ja ouvia se os gemidos de Ju.
Junior interrompeu o beijo na boca e passou a beijar meus seios, neste momento ja estava praticamente entregue, passei a punheta lo enquanto Junior abaixava meu tomara que caia e passava sugar meus seios por completo.
Junior começou então a esfregar minha amiguinha que já estava molhada porém ardida ainda me arrancando gemidos.
Me vendo naquela situação começou a falar "Coroa safada deixa o novinho te fuder!", "Tia gostosa do c@#%!"
Já entregue aquela situação ele subiu por cima de mim e posicionando seu pau entre meus seios e começou a fazer um vai e vem excitante.
Depois ele subiu mais e enfiou sua pica em minha boca, virando se em seguida para começar um 69 delicioso.
Com aquela pica atolada em minha boca, decidi brincar com meu dedinho na portinha de seu cú. Seu primeiro instinto foi tentar sair daquela situação mas em seguida ele relaxou e passou a arriscar ate umas reboladas.
Aquilo era totalmente novo e excitante pra mim!
Dessa forma gozei demoradamente.
"Vem me comer!", falei pouco depois de gozar.
Me virei e posicionei me de 4.
Quando aquele pau entrou minha danadinha começou a arder com os movimentos.
Ainda anestesiada com efeito dos drinques do bar da piscina, virei minha cabeça para traz e olhando para Junior falei, "Come meu cú!"
Mais que de pressa Junior tirou seu mastro que era fino e comprido da minha chaninha e posicionou na minha portinha dos fundos, depois de uma cuspidinha pedi que fosse devagar, mas ele não me atendeu.
De uma vez só me penetrou fazendo me ver estrelas.
Ele me fodia deliciosamente e as unicas frases ditas por nós eram: "Ãin meu cúú", "Puta que cú gostoso safada",
Enquanto eu gemia ele anunciou que iria gozar.
Senti seu pau inchar dentro do meu buraquinho e preenchelo todo com sua gala juvenil.
Exausta da noite dormi e não vi nem Junior ou Alvaro sair do quarto e nem quando Malu entrou e deitou se ao meu lado.

Gente eu sei que ficou meio comprido mas espero que tenham gostado.... por que ainda tem mais!.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.