"Os mais excitantes contos eróticos"

 

PUTINHA DO PAPAI E MAMÃE SAB


autor: THECOACH
publicado em: 04/03/16
categoria: incesto
leituras: 50823
ver notas
Fonte: maior > menor


PARTE 3


Agora vocês sabem como foi minha iniciação sexual. Virgem até os dezoito anos por causa da vigilância cerrada que meu pai exerceu, me mantendo intocada a base de palmadas e cintadas. Pouco antes dos dezenove anos papai me estuprou, eu gostei e virei sua putinha com a concordância da mamãe que é do tipo que acha que marido é o dono da casa e de tudo que está ali dentro...
Mas que ninguém fique chocado, ou pior com pena de mim. Eu adorei que papai me pegou e hoje com vinte anos tenho meus paqueras e dou minhas escapadinhas mas amo meu pai, adoro ser sua putinha e minha iniciação apesar de violenta foi linda para mim. Tenho uma tara, um feitiche em particular; Não dispenso uns tapas ou até umas cintadas na bunda antes do sexo, e para isso só confio no papai, o impoluto Dr. Delço! Acho que o costume do papai de me bater pelas minhas falhas de comportamento quando eu era mais jovem tem algo a ver com a minha tara, psicologicamente falando, mas não me importo muito com isso, se me dá prazer eu gosto!
Em casa papai me cobre satisfatoriamente, tenho sexo quase todos os dias, não sei e não quero saber se papai ainda transa com a mamãe. O sexo com papai é ótimo, já estou acostumada com tudo, tive um bom mestre, um tutor sexual de confiança que mesmo sendo um pouco bruto não deixa de ser meu pai, me sinto segura assim.
Mas papai é homem de várias mulheres, adora novinhas...nada a ver com pedofilia, papai advogado respeitado na cidade não é otário, gosta das novinhas depois dos dezoito anos, fica na média nos vinte anos mesmo, e montou comigo uma verdadeira arapuca infalível para pegar suas meninas. Ardiloso, inteligente e sem escrúpulos papai identifica pais que tenham filhas novas na faixa de idade que lhe interessa, se desconfia que exista incesto melhor ainda. Instruida por papai eu me aproximo da garota visada, pode ser no cursinho,na academia ou no clube.Faço amizade com a garota, torno-me íntima e forço frequentar sua casa.Somos pacientes, eu e papai não queremos espantar as incautas. Sempre temos mais de uma em vista e na medida em que me torno bem intima na casa de minhas amigas, quando já posso passar uma ou outra noite dormindo na casa delas eu inicio devagar um jogo de sedução com os pais delas. Homens de meia idade ficam bobinhos quando novinhas estão por perto, ainda mais dando mole. Muitos doutores, empressários e homens com cargos importantes cairam no meu charme de novinha gostosa querendo experimentar homens mais velhos...eles caem feito patinhos, se acham gostosos! Depois que me comem e abusam de mim de todas as formas papai entra em cena apavorando os safados:
-Você comeu minha filha...agora eu quero papar tua filhinha!
Nada é dito as claras mas se o cara negar sabe que papai pode acabar com a moral dele na cidade, eles sempre cedem e entregam as filhinhas queridas para o abate!
Minha obra prima foi quando dei para meu tio lá em Curitiba, ele ainda teve a coragem de contar tudo em um conto que publicou como ficção ( PROBLEMAS - COMENDO MINHA SOBRINHA.). Dei gostoso para o titio Tiago ( muiiito gostoso por sinal) e depois papai comeu minha priminha Mariangela, aquela vadia muito gostosinha que também costuma dar para o pai dela.
Mais recentemente trabalhei a filha de um advogado importante conhecido do papai.Mais velha que eu, Fernanda já tem vinte e tres anos é muito bonita com cabelos loiros e olhos azuis. É alta com longas pernas e bunduda do jeito que papai gosta. Ele levantou os dados necessários e não errou. Me aproximei dela no clube, fui levando e em menos de seis meses éramos amigas para sempre. Eu comecei a dormir na casa dela e ela na minha em fins de semana alternados. Trocamos confidências e ela me a confessa que seu pai come seu cúzinho quando pode, digo que acho o pai dela gostoso e que já estou com vontade de dar o cú para ele, sei que ela vai contar isso para o pai, é assim que funciona. Depois deixo as coisas andarem por sí. Logo o Dr. Mário, o pai da Fernanda, começa a me rodear, armo a arapuca e um dia a oportunidade surge. Sei que Fernanda está viajando com a mãe e me faço de boba, apareço na casa da Fernanda no início da noite:
-Boa noite Dr Mário! A Fernanda está?
Ele me come com os olhos, sou uma morena de cabelos castanhos longos, tenho seios um pouco maiores que médios e longas pernas com coxas mais grossas. Me visto geralmente mostrando bastante, gosto de jeans justos e mini blusas, mas hoje mal intencionada estou de tope, mini saia e saltos, para matar mesmo! O homem com segurança e esperto:
-Ela está viajando, mas acho que você sabe disso. Não quer entrar um pouco?
Eu entro e ele não me dá muito espaço, fica segurando a porta me obrigando a roçar nele. Me indica o sofá e ofereçe bebida, eu aceito só um refri. A coisa rola fácil, logo ele está sentado a meu lado e sem pudores enche as mãos de peitinhos mesmo por cima de meu tope. Alisa minhas coxas e atrevido enfia a mãozona entre minhas pernas. Estou molhadinha, sim sou fácil mesmo, e isso o deixa bem excitado. Ele começa bem desajeitado a arrancar minhas roupas e eu facilito antes que ele rasgue tudo. Não me faço de difícil em momento algum, sou sincera e os coroas apreciam isso. Fico só de calcinhas e eu mesma tiro as roupas dele, deixo-o de cuecas e percebo o pacote volumoso, arranco o pauzão para fora e me assusto.O negócio é grande e grosso,aposto que o safado tomou viagra quando foi buscar a bebida. Ele me força ficar de joelhos:
-Chupa Flavinha...hoje você é minha putinha!
Aceito o pauzão e chupo com gosto, primeiro lubrifico o bicho com minha saliva, passo a lingua por toda a extensão,capricho na cabeça inchada bem vermelha e com as mãos brinco com as bolas enormes apertando-as suavemente, usando bem a lingua circulo a cabeça enquanto vou punhetando devagar. Enfio a pontinha da lingua no furinho do pau e percebo aquele licorzinho já pingando. O coroa quase goza e pede para parar, me levanta aperta e chupa gostoso meus peitos, aperta com muita força mas eu aguento:
-AIIIHHIII...devagar gostosão, não seja mau assim...
Ele parece não me escutar, afasta minha calcinha para o lado e mete os dedos em minha bucetinha encharcada, tira os dedos e leva a própria boca em seguida ofereçe o dedo para que eu chupe. O cara é safadinho mesmo, eu gosto e ele também:
-Chupa minha putinha, você não me engana...minha filha te entregou, sei que você gosta de dar o cúzinho...
Tenta tirar minha calcinha, eu mesma tiro e jogo longe, ele me deita no sofá com almofadas de maneira que minha bunda fica empinada, meu sexo depravadamente exposto. Felizmente ele é cuidadoso e tem na mão um tubo de KY. Começa enfiando um dedo no meu cúzinho, vai lubrificando bastante até injetar bastante KY dentro do meu rabinho. Passa a me penetrar com dois dedos, mexe para os lados e torce girando os dois dedos, dói um pouco mas nada sério, estou acostumada...
Percebo que ele se prepara para fazer meu rabinho, lubrifica bem o pauzão e começa o sacrifício.Ele demonstra ter experiência, sem afobação aponta para a entrada e vai forçando devagar, a coisa vai entrando, eu facilito, tenho prática também, vou rebolando e abrindo bem as nádegas com as mãos, de repente a cabeça passa, solto um grito inevitável e o doutor Mário enfia o resto sem dó...não reclamo, é assim mesmo que gosto:
AIIHHHIIIII...que gostoso seu safado! Gosta de comer cú de novinha não é?
Eu continuo a rebolar enquanto cada vez fica mais gostoso...levar no cú é bom e eu demonstro que gosto, os homens adoram isso, quando a mulher gosta e sendo uma novinha os safadinhos se derretem, comem na nossa mão.... Enquanto meu rabo recebe o que merece eu me masturbo, judio de meu grelinho e gozo logo, começo a tremer e gritar muito mas o coroa mantém socando, fala besteiras me xinga e soca, soca e soca mais:
-Toma no rabo! Vai vagabunda...goza...rebola sua puta gostosa...quem te ensinou a dar o rabinho...foi papai...FOI?
Eu resolvo provocar:
-Diz aí doutor Mário, fale a verdade...meu cúzinho é melhor que o da Fernanda?
Ele dá uma rápida paradinha, percebo que ele não gostou que eu sei disso, e volta a bombar agora com mais força:
-Espertinha...não fale da minha filha...não fica bem. E não me chame de doutor Mário, sou teu amor, teu macho ou pode me chamar de papai que eu gosto...
Mas é um tarado mesmo esse doutor:
-Então mete forte PAPAI!
Em pouco tempo gozo de novo e já estou cansada, o cara continua bombando só pode estar entupido de viagra. Começo a não suportar mais o castigo, já gozei várias vezes estou ofegante e a posição está desconfortável.Vou amolecendo e sinto o pauzão entrando e saindo do meu cúzinho já começando a assar meu rabo e até arranhar um pouco. Quando o doutor goza agradeço ao meu diabinho da guarda, o velho berra enquanto sinto a porra quente invadir minhas entranhas. Ele tira o cacete ainda duro vai para o banheiro e me deixa jogada no sofá, exausta e derrubada. Meu cú dói e expulsa porra que escorre pela minha bucetinha e coxas.
Minha missão estava praticamente cumprida, o velho nem tocou na minha xaninha e me deixou alí na sala muito tempo sozinha, quando voltou já recomposto perguntou se eu queria passar a noite com ele e eu aceitei é claro, afinal papai me liberou para isso.
Tomei um bom banho e depois fomos juntos para a cama, os dois pelados e o pai da Fernanda apagou logo. Pela manhã bem cedo sou acordada sendo bolinada, não sei porque velho acorda tão cedo. Acordou disposto me vira de bruços e mete novamente no meu rabinho, ainda estou doída de ontem mas ele não quer saber. Ofereço minha bucetinha na esperança de aliviar meu rabinho, ele resmunga:
-Meu negócio é cuzinho de novinhas...aguenta aí putinha ...depois eu pego o hipoglós para você...
Quanta gentileza não acham? O cara é um cínico mesmo!
E eu aguento e não acho ruim...aproveito o melhor que posso e de novo o nobre doutor leva uma eternidade para gozar, acho que o negócio dele é mesmo judiar o cúzinho das novinhas. Quando acabamos tomo banho me arrumo e dou um tchauzinho para meu novo amante...até parece; Ele nem imagina o que o espera...
Duas semanas depois eu já contei tudo para a Fernanda sou detalhista e elogio o pai dela cuidando para vender melhor ainda meu pai:
-Olha Fernanda...teu pai é um safadinho gostoso! Adorei dar o rabinho para ele mas o papai também sabe fazer legal um cúzinho... e ainda chupa e fode uma bucetinha com categoria.
Conto para Fernanda que meu pai sabe de tudo, digo que ele não ficou brabo mas quer revanche:
-Ele quer te comer Fernanda...pode falar para teu pai e prepará-lo.
Fernanda se finge de preocupada mas está na cara que a vadia está louca para conhecer meu pai, mais uma que o doutor Delço vai traçar...
E assim foi, os caras rateiam e esperneiam mas acabam entregando suas princesinhas para meu papai. Geralmente eles tem muito a perder, não querem comprometer o casamento, a família e a posição na sociedade. Resumindo são pessoas de bem e não querem escandalos, na verdade safados pervertidos que pagam o preço por suas alegres aventuras correndo atrás das novinhas.



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.