"Os mais excitantes contos eróticos"

 

Matando de prazer - Morena ôn


autor: mestredoorgasmo
publicado em: 26/04/16
categoria: hetero
leituras: 57621
ver notas
Fonte: maior > menor


Sempre tive sorte em transporte público...

O ônibus seguia lotado para o bairro cheio de trabalhadores e eu era um deles, espremido perto da primeira porta de saída, até que em uma parada uma morena embarca. Com seus 20 aninhos toda perfumada em roupa de academia, magra, porém com um corpo definido e bundinha arrebitada redonda, com seus 1,72, cabelos longos, pelo morena lisa e olhos de felina não há quem não a observasse.
Seguiu em minha direção, já que havia uma pequena brecha entre meu corpo e o corrimão da escada. Com certeza havia se interessado em minha pessoa pelo olhar que trocamos assim que nos vimos, tenho 1,81, loiro e branco de olhos verdes. de tipo físico forte entroncado, mas não marombado. Se encostou de lado na barra em minha frente pedindo licença.
- Disponha moça.
assim iniciamos nossa conversa, há pessoas que você logo vê que amam o prazer do bom sexo logo de cara e já fui desenvolvendo o diálogo para o flerte, já que era daquelas mulheres que todos queriam mas não sabiam como conversar.
ela sempre me analisava de cima a baixo discretamente, não conseguia esconder que gostou do que via, assim como eu. Em muitos momentos o ônibus sacoleja a levando a se esfregar em meu corpo, enquanto conversávamos sobre nós, até que mais uma pessoa iria atravessar o corredor o que a obrigou a ficar de bunda para mim.
Enquanto o indivíduo abençoado bloqueava o espaço dela, o ônibus saiu em arrancada atirando forte aquela bundinha em direção à minha cintura, que se esfregaram com gosto. A calça social deixava evidente o volume do meu membro que bateu dividindo seu rabinho até o começo das suas costas. Depois dessa e encoxada gostosa ela logo veio se desculpando e logo emendei.
- não se desculpe moça, eu que peço perdão pelo incômodo.
- ah.. Não foi incômodo de forma alguma.
com aquelas palavras e sorriso safado no rosto ela me olha com cobiça, continuamos conversamos, e de repente depois de toda a conversa excitante e encoxadas, ela percebe que perdeu o ponto de descida. Eu já deveria ter descido também à alguns pontos atrás,e vou junto.
ela brincou que era bom ter um macho para proteger ela naquele percurso, e que era minha obrigação levar ela na academia, já que eu havia seduzido sua atenção. Ela já havia falado que era solteira e não tinha encontrado ninguém que havia valido a pena.
- Não me leve a mal, mas estou louco pra te dar um beijo de verdade.
- convencido, só porque é você é pegavel um beijo eu deixo.
Nem ao menos terminou de falar e agarrei ela pela cintura com o braço esquerdo, no meio daquela rua deserta e apertei seu corpo no meu enquanto minha mão direita entrava e entrelaçava seu cabelo pela raiz, segurando sua cabeça enquanto ela se pendurava com os braços em meu pescoço, lhe dei um beijo safado tirando seu fôlego, ela ficava nas pontas dos pés, enquanto eu inclinava meu pescoço para aproveitar seus lábios apertando e acariciando suas costas na minha direção.
Me deliciei com aquela boca com gosto de bala, ela pendurada no meu pescoço, arranhava meu couro cabeludo e me beijava sedenta,Eu a suspendi do chão e depois de um longo beijo percebo sua falta de ar,terminei mordendo seus lábios e soltei seu cabelo descendo as mãos pelas costas e bunda a permitindo pisar no chão com o pé inteiro.
Continuei abraçando-a enquanto ela recuperava o ar, a morena tinha um olhar de indecisão mas a vontade louca de transar. Um olhar de quem não faz um sexo decente à um bom tempo.
- que tal você se atrasar para a academia um pouco e passar na minha casa rapidinho? Ai já te levo a academia.
- Não sei não, ta com cara de que vai me atacar.
- Jamais te atacaria, minha casa é logo ali na segunda esquina, toma uma água pelo menos.
Fomos rapidinho instigando um ao outro, logo em casa eu abro a porta e lhe digo que as damas entram primeiro, e ela segue à frente me olhando de lado bem tarada rebolando sensualmente, nem ao menos entramos na sala e já fui por costas pegando seu cabelo, juntando a cintura dela com meu braço e beijando seu pescoço, ela estremeceu e não resistiu a pegada, usando suas mãos agarrou minha cintura e empinou o rabinho com força na minha pica.
sua bunda encaixando em meu pau e sem tempo já fui arrastando ela de costas no sofá. Sentei puxando-a, com ela sentada no meu colo no estofado, tirei sua blusinha preta e sutiã e chupei suas costas agarrando seus seios, ela impaciente se levanta, achei que ela iria fugir, mas na verdade estava morrendo de vontade e arranca minha camisa sedenta, me beijando e logo com pressa quase rasga minhas roupas, enquanto arranco as dela freneticamente deixando somente sua calcinha preta.
Meu pau já havia saído sozinho da cueca, ela abaixa minha cueca completamente, e ajoelha admirando meu cacete duro latejando, e o agarra com vontade e sede, chupando e batendo uma ao mesmo tempo, depois torcendo e girando a língua com um desejo intenso. Uma chupada deliciosa, ela lambia todo da base até a cabeça acariciando as bolas, me encarando com aqueles olhinhos puxados de Índia tarada e cabelos pretos lisos espalhados naquele rostinho moreno liso.
"Ainda bem que sempre tomo banho após o serviço"
-Delícia de pau, mas eu quero mesmo que me coma gostoso.
Então ela veio de bunda para sentar em meu colo, porem a joguei no sofá.
- ta doido? Não quer transar me avise.....
- Quieta! Agora é minha vez de te chupar
Então afastei com pegada as pernas dela,e arranquei a calcinha dela apertando as coxas e as pernas dela no processo, aquela xaninha pequena estava toda molhada, e não perdi tempo, já caindo de boca na sua xota cheirosa e aparadinha, com minha língua engolindo ela toda nas primeiras lambidas, comecei a chupar sedento e depois de forma circular seu clitóris ,enquanto meus braços subiam e apertavam gostoso seu corpo até chegar nos seus seios médios os apertando e acariciando os mamilos.
Ela enlouquecia de tesão pedindo mais, segurando o topo do sofá, gemia feito louca tentando se conter e não gozar, mas acelerei o ritmo das chupadas agarrando ela ainda mais forte contra minha língua. O que resultou em um orgasmo delicioso, a xaninha sofria espasmos junto com os músculos do corpo dela.
- nossa, gozei gostoso nessa língua deliciosa.
Olhei bem safado para ela só para amedrontar e retruquei.
- quem foi que disse que acabou, essa lambidinha foi preliminar.
Agarrei ela novamente a prensando no sofá, levantando suas pernas com uma mão e comecei a chupar freneticamente em círculos seu clitóris e ao mesmo tempo penetrei sua xaninha lambuzada, com meus dedos masturbando seu ponto G, o que a fez enlouquecer novamente movimentando sua xota na direção de minha boca.
OOOHH...AHAHAH...NOOSSSA..MEU DEUS!! QUE GOSTOSO!!!
Então veio o desespero, e ela não conseguia se conter, uma sensação diferente do que ela já havia sentido. Estava gozando loucamente perdendo o controle do corpo,arranhando o estofado tentando se segurar firme, se remexia de forma que atrapalhava, então a apertei ainda mais firme no sofá e aumentei a velocidade das chupadas e estocadas dos dedos.
-AHHHHHHH SEU CACHORRO!! DELICIAAAHH...NOOSSSA!!!
Ela berrou alto estremecendo e perdendo a voz, seu corpo tremia em espasmos fortes, e suas mãos e unhas cravadas no sofá.
- ta pensando que acabou india safada? Nem comecei ainda!
me levantei e a peguei no sofá meio bamba, coloquei de quatro e dei uma chupadinha naquele rabinho gostoso. Logo ela estremeceu toda, mas estava louco de vontade então enfiei tudo de uma vez naquela bucetinha apertada pegando forte aquela bundinha arrebitada, meu pau entrou até o útero dela, tão pequena e gostosa era aquela morena que comecei a foder bem rápido de início, soltando a mão direita daquele rabinho e agarrando seu cabelos, e torcendo sua cabeça para minha direção. Fodia gostoso puxando seu corpo e o dobrando, dando uns tapinhas fortes e gostosos naquela bundinha redonda.
Ela gemia forte de tesão, e as batidas fortes no meu pau naquela xota me excitavam à penetrar mais rápido ainda. Começei a masturbar seu cuzinho ao mesmo tempo com a mão esquerda, e ela já estremecia gozando e perdendo a força, sentia aquela bucetinha contrair de desespero, mas eu não parava enquanto ela gemia gritando.
-AH..AH..AH..AH..AHH!!!..AHHHH!! AH DELÍCIA!! FOODE GOSTOSO SUA TARADA!!.
- VAI SAFADA!!!GOZA DE NOVO NO MEU PAU!
Ver se aquela academia estava valendo a pena.
Ela tinha um orgasmo atrás do outro e começava a suar de tanto gozar, ai ela me implorou para acalmar um pouco.
- vai me matar.. não vou conseguir aguentar outra, goza logo safado..
Então me sentei do lado, e ela logo chegou lambendo meu pau e respirando, em seguida veio de costas para mim, encaixou sua xana e começou a pular na minha rola batendo aquela bundinha gostosa. Pulou bem rapidinho, ate que eu perdi a paciencia, agarrei aquele rabinho e comecei a bombar mais rápido ainda e forte para gozar, estava todo duro feito aço contendo aquela vontade imensa de gozar até que ela já não aguentava mais e gozou mais uma antes de mim.
Gritou de prazer e na hora suas pernas bambearam perdendo suas forças, agarrou as minhas pernas cravando a unha e sentando trêmula, senti algo quente descendo pelas nossas pernas mas não liguei, quando vi que ela ia desabar, tirei ela do meu pau me levantei segurando a ejaculação, ela já havia caído de joelhos, e a peguei agarrando o cabelo e a pondo de cara com meu cacete prestes a explodir, com a voz suave me implora.
- goza bem gostoso na minha cara tesão, mas no cabelo não por favor .
Então logo começou a jorrar porra em esguichos na direção da sua boca, escorrendo pelos seios a lambuzando toda, ela fraca batia uma e chupava meu pau sugando cada gota, ordenhando e enchendo a boca.
Ela sorriu acabada cheia de porra engolindo o resto da boca, depois a levantei e percebi que ela havia urinado no chão, ela pediu desculpas morrendo de vergonha enquanto eu a levava abraçada para dar banho.
-Nossa, que delícia.. Fazia quase oito meses que eu estava na seca, e na minha vida inteira nunca tinha transado com um homem nessa intensidade. Que experiência deliciosa, e nem ao menos sei seu nome.
- quer manter assim em sigilo morena?
- Não, Sou Carol, muito prazer em conhecer você moço delicioso.
- O prazer é todo meu...




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.