"Os mais excitantes contos eróticos"


Marcelo & Sonia 02 - As Amantes


autor: MarceloDias
publicado em: 20/05/16
categoria: lésbicas
leituras: 11901
ver notas
Fonte: maior > menor


Marcelo & Sonia 02 – As Amantes

Para você entender, leia a primeira parte antes.

Depois que Gerci saiu fiquei na sala sem saber o que fazer, estava excitado e com ciúmes. No fundo, eu sempre quis tudo aquilo que tinha visto. Resolvi ir ao quarto, parei na porta, Sonia estava sentada na cama nua, chorando, fiquei admirando seu rosto lindo e o corpão maravilhoso dela, o peito farto, os mamilos grandes e bicudos, as coxas bem grossas.

Sentei do lado dela, ela me olhou e abaixou a cabeça, eu segurei o rosto dela e fiz ela me encarar, por que você fez isso? Perguntei, não sei, eu ia contar para você, fui deixando para depois e você acabou vendo tudo, ela falou com tristeza. Por que não me contou? Eu já tinha falado para você, que tinha vontade de ver você com outro e você não aceitou, lembra. Ela me olhou, lembro, eu nunca tive desejo por outra pessoa, mas depois que você falou aquilo, me deixou confusa e excitada, eu não conseguia parar de pensar no que você queria que eu fizesse, mais ficava com vergonha de falar com você, acho que aconteceu com ela por causa disso.

Naquele dia que eu peguei você e ela de calcinha aqui no quarto, você já tinha dado para ela. Sonia me olhou, já falou de cabeça baixa, há quanto tempo que ela está comendo você, perguntei. Tem mais de três meses! A olhei nos olhos, foi ela que cantou você, perguntei. Foi mais eu fui a culpada, não resisti e deixei acontecer. Você não vai me querer mais, ela perguntou, eu a abracei e beijei na boca, ela correspondeu. Nos beijamos demoradamente, nossas bocas se grudaram com paixão. Você acha que eu vou te deixar, eu não queria que fosse assim, eu amo muito você, queria que você tivesse me contado, mais eu gostei de ver, você com ela. Vi que você gosta de dar para ela. Ela me cortou nervosa, Gosto mais não é amor, eu gosto do sexo, entende? Eu amo você, você é tudo para mim, sempre foi. Ela disse tentando controlar o choro.

Me conta como foi que começou, sem medo do que eu vou pensar, pedi. Eu conto, ela disse: você viu como foi que começou, ela veio morar aqui, ficamos amigas, saiamos juntas, íamos ao shopping e às vezes almoçávamos fora em algum restaurante, ela era muito carinhosa, eu gostava do jeito que ela me abraçava e ficava me beijando no rosto, gostava de andar de mãos dadas com ela no shopping, no começo era só amizade mesmo, ai começamos a ir ao banheiro juntas, eu mijava na frente dela e ela na minha frente, ela ficava me elogiando, falando que eu era linda, que me achava gostosa, que minha buceta era linda, que eu tinha uma bunda maravilhosa, ficava falando que minha bunda era enorme. Eu gostava quando ela ficava falando aquilo, gostava que ela visse minha buceta e de mijar na frente dela, gostava de ver ela mijar na minha frente, aquilo foi mexendo demais comigo amor, quando ela vinha aqui em casa a gente sempre ia ao banheiro juntas e mijávamos uma na frente da outra, ela já me dava selinhos quando chegava aqui em casa e quando ia embora ficava me agarrando meio que na brincadeira, passando a mão na minha bunda e eu deixava.

Uma noite, estávamos aqui em casa, você tinha viajado a trabalho e ficamos de calcinha vendo TV na sala, ela me confessou que gostava de mulher e antes de vir morar aqui, vivia com uma mulher em outra cidade, elas brigaram e essa mulher a trocou por outra, ela ainda gostava dela e resolveu morar em outra cidade, para ficar longe dela, ela foi me cantando, falou que sabia que eu era casada e amava você mais sentia desejo por mim, que gostou de mim desde que me conheceu, que era doida para me comer, me beijou na boca e eu correspondi, não consegui resistir, foi me agarrando, me beijando, passando a mão no meu corpo todo. Pegando na minha boceta, eu fui me entregando toda.

Gerci me levou para o nosso quarto e me comeu na nossa cama, ela dormiu aqui em casa, me chupou toda, da cabeça aos pés, Sonia contou e segurou no meu pau, viu que ele estava duro, aconteceu do jeito que você viu quando chegou, depois desse dia, ela quase todo dia vem aqui quando você esta no trabalho, eu na hora não resisto mais depois me sinto culpada, eu estava tomando coragem para contar para você. Eu a beijei na boca, Sonia me abraçou segurando meu pau duro por cima da calça. Você quer continuar dando para ela? Minha esposa me olhou seria, se você deixar, quero, ela falou. Eu deixo você sabe que eu deixo, eu só quero que você me conte tudo sem esconder nada, quero que você confie em mim, eu sempre quis ver você com outro.

Sonia me apertou contra ela, eu não vou mais esconder nada de você, eu amo você, Marcelo. Eu queria ver vocês duas juntas, poder ficar olhando você e ela. Eu falo com ela, Sonia disse, você acha que ela vai aceitar, perguntei. Acho, ela gosta muito de você, gosta mesmo e sempre falou que se eu contasse para você, ela tinha certeza que você ia gostar de saber que eu era mulher dela. Posso ligar para ela, ela deve estar preocupada. Eu peço para ela deixar você ver. Se eu pedir ela deixa, ela gosta de mim e não vai querer parar de comer a tua mulherzinha, Sonia disse rindo para mim. Posso ligar? El pediu, liga, falei.

Sonia ligou, Alô, Gerci, não querida está tudo bem, você pode descer para nos conversarmos, eu estou esperando você, um beijo. Sonia me olhou, ela vai descer para falar com a gente. Eu beijei Sonia na boca com paixão, ela correspondeu e colocou a minha mão na boceta dela, sente como eu estou molhada só de contar para você. A boceta estava toda melada.

Sonia colocou uma calcinha bem pequena rosa e eu acabei de tirar a roupa e vesti uma bermuda. A campainha tocou, Sonia me olhou, é ela, vem disse, fomos para sala ela só de calcinha, eu de bermuda e sem camisa, Sonia foi abrir a porta, era Gerci, usava o mesmo vestido de antes, de alça e bem largo um pouco acima dos joelhos. Ela entrou e Sonia fechou a porta, Gerci ficou olhando minha esposa só de calcinha, Sonia a beijou na boca, ela correspondeu. Eu estava perto do sofá, Sonia pegou ela pela mão e veio até onde eu estava.

Gerci me olhou seria, eu sorri para ela, Gerci, eu e a Sonia conversamos e ela me contou tudo, você pode continuar vindo aqui em casa, quando eu não estiver, eu não quero que você se afaste da Sonia. Ela gosta demais de você e eu também gosto, você faz bem para ela. Ela sorriu. Poxa, Marcelo pela tua reação, pensei que você não ia aceitar que bom que você entendeu, você viu como nós duas nos entendemos bem na cama.

Nos olhamos nos olhos: eu gostei de ver minha esposa do jeito que eu vi, se oferecendo toda para você. Minha mulher abraçou Gerci, beijando ela no rosto e se esfregando no corpão dela. O Marcelo foi muito legal querida, ele queria ver nós duas juntas, eu não quero mais esconder nada dele. Ele já sabe de tudo. Gerci beijou Sonia na boca, Você sabe que eu não sou nem um pouco tímida Sonia, se você não ficar com vergonha dele ver. Eu vou adorar provocar o teu marido, ela disse rindo. Você aceita, Sonia perguntou, abraçada ao corpo dela, ela beijou Sonia de novo com a mão no bundão farto da minha esposa, aceito querida, ela afastou Sonia e veio até onde eu estava e me beijou de leve os lábios, você vai dividir tua esposa comigo. Ela perguntou me provocando. Vou. Ela agora e nossa.

Gerci sorriu e subiu o vestido até a cintura, estava sem calcinha, as coxas dela eram grossas e a boceta muito grande, não era depilada como a da minha esposa, era inchada e um pouco peluda. Ela sentou no sofá na nossa frente com o vestido todo levantado, as pernas abertas mostrando a buceta, se exibindo para nos. Gerci encarou Sonia, passando a mão na buceta, mostrando para ela. Minha esposa olhava fixamente para a boceta dela, vem querida, mostra para o teu marido que você gosta de buceta, agora você não precisa mais esconder dele que adora chupar uma boceta.

Sonia me olhou e eu deixei ela perceber no meu olhar que aceitava os desejos dela. Ela andou até Gerci e ajoelhou no meio das pernas dela, sua boca procurou a buceta da amiga. Ela beijou o bucetão. Gerci segurou a cabeça dela com as duas mãos e enterrou o rosto dela no meio das suas coxas, Sonia esfregava a cara na buceta dela, chupando. Gerci forçava a cabeça dela contra sua buceta, gemendo alto.

Eu olhava com desejo segurando a vara dura dentro da bermuda. Olha Marcelo como tua mulher adora a minha buceta, olha como ela chupa com vontade. Chupa meu bem, mostra para ele que você é doida pela minha buceta. Gerci esfregava o rosto dela na sua buceta, Sonia não tirava a boca, chupava com gosto, dava para ver que ela adorava fazer aquilo. Seus lábios grossos se esfregavam na boceta de Gerci.

Eu abaixei do lado delas e fiquei olhando de perto minha esposa chupar aquela boceta enorme. Gerci comandava, segurava Sonia pelos cabelos, exigindo que Sonia fizesse como ela queria. Ela me encarava, provocando, olha como ela chupa bem Marcelo, aprendeu rápido, nunca tinha chupado uma buceta, eu não preciso nem pedir quando venho na tua casa, ela que pede para chupar. Esta vendo a piranha que você tem em casa. Gerci segurou Sonia firme pelos cabelos e fez ela me olhar, fala para o Marcelo que você gosta de chupar buceta, Sonia me olhou, seus olhos eram desejo puro, eu adoro querido, adoro chupar uma boceta, sou doida pela buceta dela.

Gerci falava gemendo, o que dava mais tesão e que Gerci era experiente e o jeito vulgar que ela falava, deixava eu e minha esposa ainda mais loucos, ela fazia de propósito. Ela afastou minha esposa e levantou, vem meu amor, vamos para a cama de vocês, Sonia foi na frente com o bundão empinado, Gerci pegava na bunda dela apertando as nádegas fartas. Ela deu um tapão forte no rabão de Sonia que gemeu Aiiiiiiiii porra. Gerci me olhou e sorriu. Eu vi que aquilo era normal entre as duas e que Gerci batia na bunda dela. Ela adora isso Marcelo. Adora um tapão na bunda, ela deu outro tapão na porta do quarto, Sonia reclamava mais deixava.

Entraram no quarto se beijando na boca, Sonia tirou a calcinha e deitou nua na cama, Gerci acabou de tirar o vestido e deitou em cima dela. As duas se agarraram, se beijando com loucura, Gerci tinha o controle, dominava minha esposa, dava para perceber que Gerci mandava nela na cama e Sonia era submissa a ela. Gerci chupou os peitões dela, chupava com força, colocava o mamilo grande e bicudo todo na boca, mamando forte, Sonia segurava a cabeça dela e gemia quase chorando, Sonia abriu as pernas e Gerci acariciou a buceta dela, seus dedos grossos invadiam a buceta da minha esposa, ela chegava a colocar três dedos na buceta, Sua boca desceu beijando a barriga de Sonia até chegar na buceta, Sonia implorou ansiosa pela boca da amiga, chupa minha buceta, Gerci, me chupa toda para o meu marido ver, ela pediu.

Gerci beijou a buceta dela, sua boca se enterrou toda entre os lábios grossos da buceta da minha esposa e sua língua comprida e vermelha invadiu aquela flor linda, fazendo Sonia gemer alto, ela rebolava, esfregando a buceta na boca de Gerci, implorando para ela enfiar a língua nela, segurava a cabeça de Gerci e se esfregava com força, como se quisesse que a cabeça entrasse toda na sua buceta, Gerci chupou demoradamente a buceta dela, Eu vi minha esposa gozar duas vezes na boca daquela mulher, seu corpo tremia todo, cada vez que ela gozava.

Gerci fez Sonia virar e ficar com o bundão todo para cima, a bunda dela era exagerada e arrebitada demais, as nádegas eram fartas, ela abriu a bunda deixando o cuzinho exposto, Sonia gemeu quando ela abriu, sabia o que ela ia fazer, Sua boca beijou o cu, envolvendo o buraco delicado e rosado de minha esposa. Ela grudou a boca no cu e chupou de um jeito forte.

Sonia empurrou o rabão para trás, se oferecendo toda e gemeu de um jeito desesperado, aquilo deixou Sonia completamente descontrolada, Gerci chupava forte, eu só escutava os gemidos enlouquecidos de Sonia. Gerci enterrava o dedo todo nela e começou a bater forte no bundão dela, No quarto o único som eram os tapões na bunda e o desespero de minha esposa gemendo, mais ela em nenhum momento, pediu para a amiga parar. Percebi que ela gostava daquilo. Sonia gozou mais uma vez e ficou deitava na cama entregue, sem fazer nenhum movimento, completamente esgotada.

Gerci sorriu, levantou e foi até onde eu estava e me beijou no rosto, eu retribui, gostou, ela perguntou, demais, adorei o jeito que você tratou minha esposa e ver ela submissa se abrir toda para você comer, falei. Naquela noite Gerci dormiu em nossa cama, eu comi Sonia na frente dela, enrabei minha esposa na frente de Gerci e me deliciei vendo Sonia se entregar toda para ela.

Gerci passou a frequentar nossa casa, quase não dormia mais na sua casa. Comia minha esposa todo dia, Sonia virou mulher dela, eu e ela nos tornamos muito amigos.

Continua








ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.