"Os mais excitantes contos eróticos"


Marcelo & Sonia 05 - Arrombada


autor: MarceloDias
publicado em: 20/05/16
categoria: traição
leituras: 10557
ver notas
Fonte: maior > menor


Marcelo & Sonia 05 - Arrombada

Continuação.

Sonia voltou para sala nua e sentou de frente no colo de Edir com as coxas abertas. Tinha tirado a calcinha e se mostrava toda para nós dois, Edir abraçou ela pela cintura e ficou acariciando a boceta dela. Ela sorriu para mim e sua boca procurou a dele, beijando ele na boca.

Ficaram se beijando na minha frente, o pau dele endureceu logo. Edir chamava ela de gostosa e ficou acariciando o seu bundão enorme, vi que ele acariciava o cu, quando ela falou. Teu dedo é grosso. Ele beijou ela no rosto. O maridão já comeu esse bundão? Ele provocou, já, ela disse beijando o seu pescoço. Foi ele que tirou o cabaço desse cuzinho? Ele continuou provocando. Foi, ela dizia manhosa. Só ele meteu nesse cuzinho. Ele provocava, Só, ela disse gemendo, sentindo o dedo dele acariciar o cu. Dá ele para mim também, dá, deixa eu estourar o teu cuzinho, deixa. Ele pediu. Teu pau é muito grande, eu não vou aguentar. Ela disse. Vai… você aguenta. Você aguentou tudo na boceta. Você está doida para dá a bunda, não fica com vergonha, Ela ficava negando, mas eu vi que ela estava doidinha para dar. Eu conhecia minha mulher. Vai doer muito, ela perguntou sabendo que ia doer. Vai, vai doer sim… Mas você vai querer mais depois, deixa eu comer tua bunda. Teu marido esta doido para ver você dando a bunda para mim. Olha como teu cuzinho esta piscando quando eu boto o dedo nele. Dá esse rabão pra mim dá. Eu to doido para comer teu cu. Deixa.

Sonia me olhou. Você deixa amor? Eu dar a bunda para ele? ela perguntou, falando como uma puta comigo. Deixo, querida, deixa ele comer. Eu levantei e peguei ela pela mão, Sonia saiu do colo dele e me abraçou, me beijando na boca. Eu segurei no bundão dela, apertando as nádegas grandonas dela, abrindo o rabão e acariciando o seu cuzinho delicioso. Deixa ele comer teu rabão querida, eu quero ver você aguentar o cacetão dele todo no cu. Ela me beijava! Estava doidinha para dar a bunda.

Edir olhava nós dois se masturbando, seu pau estava duro e inchado! Você não esta querendo dar? Perguntei para ela. estou, mas, estou com medo, não, to aguentando Marcelo estou doida para dar minha bunda para ele. Sonia confessou, Vamos para o quarto para você dar o bundão para ele. Eu ajudo você, puxei ela pela mão, levando ela para o quarto.

Sonia se deixou levar, Edir veio atrás, Peguei um tubo de KY na mesa do lado da cama e beijei Sonia na boca, ela viu o tubo na minha mão, eu fiz ela ficar de joelhos na beira da cama com o bundão virado para nos dois, abri suas nádegas grandonas e espalhei o KY pelo seu cuzinho rosado e fechadinho, Edir olhava com desejo, do meu lado, com o pirocão duro, pronto para meter nela. Fui enterrando o dedo, ela gemeu quando meu dedo entrou todo no cuzinho, fui encharcando o cuzinho dela com o KY, já colocava três dedos no seu cuzinho, sentia o cu apertar meu dedo, quando eu tirava seu cuzinho ficava piscando.

Deixei Edir se colocar atrás dela. Ele me olhou, me encarando, guia meu pau para o cuzinho dela, encosta a pica no cu da sua esposa para eu comer, ele mandou. Eu segurei sua pica grossa, senti o tamanho exagerado do pau na minha mão. Era duro! Fiquei masturbando o pau. Ele segurou as nádegas dela com as duas mão, abrindo, expondo o cu lindo de Sonia. Eu guiei o pau e encostei no seu cuzinho. O cabeção forçou. Ela gemeu quando sentiu o ferro forçar. Ele foi empurrando e o cu foi se abrindo, Sonia gemeu alto, ele continuou forçando, e o cabeção foi invadindo aquele cu maravilhoso, desaparecendo! Sonia gemia, ele segurava as ancas dela com firmeza e ia enfiando a vara. Sonia gemeu desesperada quando o começo do pau entrou. Ele segurava ela com força sem deixar ela sair, foi cravando a pica nela, metade da rola grossa daquele homem entrou no cu da minha esposa, ela ficou descontrolada, ai ai ai ai Edir ta doendo, teu pau é enorme, ta me arrombando toda, aaaaiiiiii! Edir não teve pena, Ela acabou caindo sobre a cama com o bundão para cima com ele montado nela, a pica grossa cravada no seu bundão farto, Ele aproveitou e segurou ela firme e enterrou tudo no cu, Sonia chorou quando a pica entrou toda.

Aquilo me deixou ainda mais doido. Eu sabia que ela estava sofrendo muito, Edir não teve pena dela, meteu tudo, Sonia chorava, tomando no cu, mas aguentava a rola grossa. Aaaiiiiiiii ai ai Edir eu estou arrombada, ai meu cu, puta que pariu, aai que pica ai como teu pau é grande… Eu não aguento, você esta desgraçando meu rabo. Aaai esta doendo demais aaaaai aaai filho da puta você esta me arrombando toda… aaai amor ele esta botando tudo, dói pra caralho… aaaaaaahhhAaai iiiii ai Marcelo ele botou tudo não botou… Eu abaixei do lado dela e beijei os lábios dela… Botou querida o pau dele entrou todo deixa ele comer deixa, aguenta tudo, mostra para mim que você aguenta o pau dele todo no cu, fiquei incentivando. Ela continuou chorando baixinho levando ferro na bunda.

Edir continuou montado nela, metendo no seu rabão. Ele tirou e abriu as nádegas me mostrando, o cu estava largo, dilatado, muito vermelho, tinha ficado aberto no diâmetro do seu pau. Ele fez Sonia ficar de joelhos na cama e mandou eu colocar mais lubrificante, passa no pau ele pediu, eu deixei escorrer pela vara dele e espalhei para ele. Coloca no cu da tua mulher, ele mandou, eu encostei o pauzão na entrada do cu e ele empurrou, segurando nos seus quadris, o pau entrou todo, Sonia gemeu desesperada, aaai meu cu que pau enorme, você mete tudo caralho, ela gemeu. Aaai amor, eu vou goza tomando no cu, ela disse, seu corpo tremeu todo e Sonia gozou de um jeito doido, completamente fora de si.

Edir continuou castigando aquele rabo enorme, metendo forte nela, dava para escutar o corpo dele se chocando com o dela e os gemidos sofridos de minha esposa sendo comida. Edir tirou o pau do cu e me olhou, eu vou gozar Marcelo ele disse, eu segurei no pau dele e punhetei com força e a porra grossa e farta jorrou, atingindo a bunda de Sonia. Ela se deixou cair na cama arrasada e eu fiquei acariciando seus cabelos, Edir foi para o banheiro e tomou um banho demorado, quando saiu, Sonia tinha adormecido. Deixamos ela dormir e ficamos na sala conversando.

No próximo – vou contar como foi a noite entre nos três e o sábado e o domingo que passamos juntos sem Gerci.







ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.