"Os mais excitantes contos eróticos"


Marcelo & Sonia 13 – Lenita e Almeida


autor: MarceloDias
publicado em: 22/05/16
categoria: traição
leituras: 6878
ver notas
Fonte: maior > menor


Marcelo & Sonia 13 – Lenita e Almeida

Depois que Sonia contou para Alda e Neiva que eu sabia que eles comiam minha esposa, nossa amizade aumentou, Alda e Sonia ficaram mais amigas. Sonia ia quase todo dia sozinha na casa de Alda e as duas iam nuas para cama. Quando Neiva estava em casa metia a vara em Sonia sem pena, Eu e Sonia fomos varias vezes na casa deles e os dois comeram Sonia na minha frente.
Eu e Sonia sempre fomos pessoas muito sérias e não dávamos motivos para que nossos amigos e parentes desconfiassem que, na intimidade, gostávamos de nos envolver com outras pessoas. Só que as coisas vão acontecendo sem que possamos evitar. Sonia acabou tendo outro envolvimento com pessoas próximas de nossa família.

Nossa filha Renata casou muito nova e mudou para São Paulo, estava casada há mais de dois anos. Há quase um ano não íamos a São Paulo. Minha esposa falava com ela quase todos os dias por telefone. Numa das vezes que conversaram por telefone, Renata falou que ela e o marido iam passar uma semana em nossa casa para resolverem alguns assuntos. Renata perguntou se os tios do marido podiam ficar em nossa casa. Sonia me consultou e, como nosso apartamento é grande, achei que não tinha nenhum problema.

Eles vieram no domingo de tarde. Renata, Fabio, seu marido, Almeida e Lenita. Renata com 24 anos tinha mudado estava com jeito de mulher. 1.68 m de altura, 65 kg, branca, cabelos alourados, lisos e curtos, olhos claros, lábios cheios, seios grandes e duros, quadris largos, coxas bem grossas, tinha puxado a mãe, a bunda era exagerada como a da mãe. Fabio, o marido era alto e muito magro, Os tios eram um casal maduro; mais velhos que nós. Almeida tinha 50 anos, 1.76m altura, 87 kg, cabelos curtos grisalhos, rosto largo, grandão, forte e peludo. Lenita tinha 48 anos, 1,68 altura, 79 kg, cabelos pretos cacheados e bem curtos, rosto redondo, olhos escuros, lábios grandes, gordinha e gostosa, seios fartos, quadris grandes, coxas muito grossas e a bunda redonda e farta. Usava um vestido estampado, acima dos joelhos bem justo que realçava o corpo roliço.

Eu e Sonia conhecemos Almeida e Lenita no casamento da nossa filha, nossa intimidade com eles era nenhuma. Colocamos Renata e Fabio no quarto em frente ao nosso e Almeida e Lenita ficaram no quarto ao lado. Eles foram para seus quartos e desfizeram as malas, Sonia preparou um lanche. Minha mulher estava linda, usava um short de malha colado no corpo e uma camiseta branca, que realçava seu corpão delicioso.

Lanchamos num clima descontraído e ficamos conversando, eu, Fabio e Almeida ficamos no sofá conversando. Sonia na mesa com nossa filha e Lenita, Renata usava um short colado no corpo e uma camiseta curta; Lenita, um vestido de malha curto que deixava suas coxas muito grossas nuas. Renata deixou as duas conversando e veio sentar ao lado do marido. Lenita tinha um jeito serio. Mas, se deu bem com minha esposa, as duas conversavam rindo, vi que Lenita falava com Sonia e segurava sua mão e minha esposa deixava. As duas foram para a cozinha e Lenita abraçou minha esposa cheia de intimidade, voltaram trazendo sanduíches e nos serviram. Sentaram de novo sozinhas na mesa e ficaram conversando. Só algum tempo depois, Renata foi ficar com elas.

Passava das 23 horas quando fomos dormir. Fabio falou que ia sair cedo com Renata para resolver alguns assuntos e depois do almoço ia sair com os tios para conheceram a cidade. Falei que eles podiam ir comigo quando eu fosse trabalhar. Lenita falou que eles iam ficar descansando esperando Renata e Fabio.

Todos foram para seus quartos. Eu e Sonia tiramos a roupa, deitei nu e Sonia ficou só de calcinha. Ela se lembrou de levar lençóis para eles se cobrirem se fizesse frio. Colocou uma camisola fina e bem curta que mostrava a calcinha, pegou os lençóis. Você vai ao quarto deles assim? Ela riu. Eu vou só entregar os lençóis. Disse, saindo do quarto. Sonia bateu no quarto de Renata e entregou o lençol e depois bateu na porta do quarto do casal. Lenita abriu a porta completamente nua, sem nada.

Sonia ficou olhando surpresa seu corpo farto, ela era muito gostosa, os seios volumosos, as coxas tremendamente grossas, a boceta muito grande, Lenita sorriu para ela, viu que Sonia olhava para sua boceta. Eu trouxe lençóis para se vocês sentirem frio… a porta estava aberta e Sonia viu Almeida deitado na cama só de cueca, o corpo dele era grande e peludo. Sonia ficou perturbada vendo Lenita nua na porta do quarto, Lenita beijou Sonia no rosto. Obrigada, eu sempre sinto frio de madrugada, você é um amor. Sonia continuou olhando para seu corpo, não conseguia parar de olhar o corpo nu daquela mulher, viu que Lenita também olhava para o seu corpo.

Sonia sorriu e se despediu. Voltou para o quarto e deitou do meu lado e me contou tudo. Eu a olhei nos olhos… querida, eles são tios do marido da nossa filha e não conhecemos eles direito. Minha esposa me olhou séria. Eu sei amor. Ela me abraçou e acabamos pegando no sono.

Sonia acordou no meio da noite, me olhou dormindo, tinha ficado excitada vendo Lenita nua quando foi no seu quarto. Escutou algo no corredor, eram duas da manhã. Levantou, estava só de calcinha, colocou a camisola pequena, abriu a porta, a casa estava apagada, fechou a porta e foi até à sala… parou na porta da cozinha e viu Lenita bebendo água encostada na pia de costas para ela, estava só de calcinha com uma blusa de alça que cobria os seios grandões e deixava a barriga nua. Sonia ficou olhando sua bunda grande.

Ela viu Sonia parada na porta e sorriu. Estou sem sono, disse. Eu também estou sem sono, Sonia falou se aproximando pegando um copo e se servindo com a garrafa que ela usava. Viu que Lenita olhava descaradamente seu corpo, todos estavam dormindo e as duas estavam sozinhas na cozinha só de calcinhas. Você é muito linda, Lenita disse, Sonia sorriu, você também é linda. Lenita olhou Sonia nos olhos, Você tem a bunda grande. A Renata teve a quem puxar, Sonia riu. Você também tem bunda grande como eu, disse. Tenho mais a tua é maior. Lenita pegou na sua bunda, apertando as nádegas grandonas. Sonia deixou, Lenita encarou Sonia acariciando seu bundão, beijando Sonia no rosto, sua boca procurou os lábios grossos de Sonia, beijando ela na boca, Sonia não resistiu, correspondeu ao beijo, as línguas se esfregaram, fazendo Sonia perder a razão, nós somos casadas, você é tia do meu genro, Sonia sussurrou, Eu sei meu bem, ninguém precisa saber, você gosta não gosta? Ela falou olhando Sonia nos olhos. Gosto! Sonia disse. Meu marido sabe que eu gosto de mulher, o Marcelo sabe? Ela perguntou. Não! Sonia mentiu. Lenita sorriu de um jeito safado para ela. Nem precisa saber! Sua mão tocou a boceta de Sonia por cima da calcinha, Sonia gemeu quando sentiu a mão de Lenita na boceta.

Lenita enfiou a mão dentro da calcinha, pegando na boceta, abrindo os lábios grossos, Sonia se abraçou ao seu corpo, esfregando a boceta na sua mão, Lenita fodeu a boceta de Sonia com os dedos enterrados. Seu dedo invadia a boceta e saia molhado, Lenita beijava Sonia enterrando o dedo na sua boceta, sentia Sonia rebolar, gemendo. Eu vou goza na tua mão! Sonia falou. Goza meu bem, que boceta quente, goza gostoso goza, Lenita continuou metendo o dedo todo na sua boceta. Sonia gozou na mão de Lenita e as duas ficaram abraçadas, se beijando.

Lenita acariciava a bunda grandona de Sonia, apertando, sentindo as carnes dela encherem sua mão. Sonia se entregou ao seu beijo, sua saliva se misturou a da mulher, as duas se abraçavam roçando as bocetas por cima das calcinhas. Sonia se afastou, Lenita segurou sua mão. Voltaram para o quarto, abraçadas e na porta do quarto, Lenita abraçou Sonia novamente e beijou sua boca cheia de tesão, passando a mão no seu rabão. Sonia sorriu e beijou Lenita no rosto, depois agente conversa mais, disse se afastando.

Cada uma foi para o seu quarto. Sonia deitou inquieta, sabia que tinha feito uma loucura, sentiu medo de Renata descobrir que Lenita tinha comido ela. Agora não dava para voltar atrás. Sua buceta continuava melada, escorrendo doida pelos carinhos de Lenita, Sonia acabou dormindo.

Acordei cedo e me arrumei. Sonia acordou em seguida, botou um vestido e colocou o café na sala. Renata e Fabio saíram do quarto prontos para irem comigo, tomamos café. Renata usava uma roupa muito colada no corpo, indecente, parecia uma piranha vestida daquele jeito, uma blusa fina e decotada, parecia que os peitos grandões iam pular para fora da blusa e uma calça legging que mostrava as coxas muito grossas, a boceta ficava exposta, dava para ver como a boceta era grande, Lenita e Almeida ficaram no quarto dormindo. Sonia me beijou e não me contou nada do que tinha acontecido entre ela e Lenita. Só de noite, Sonia contou tudo que aconteceu.

Saímos e Sonia deixou a mesa pronta e foi para o nosso quarto, tirou a roupa e ficou nua, estava distraída quando Lenita entrou sem bater na porta, estava so de calcinha e descalça, os seios grandões nus. Ela viu Sonia nua, fechou a porta e sorriu. Eu vi que eles saíram, falou. Saíram! Sonia disse. O Almeida esta dormindo, eu vim terminar o que começamos ontem, falou sorrindo de um jeito safado para minha esposa. Sonia olhava fascinada seu corpão maravilhoso. As coxas muito grossas, a calcinha branca cobrindo a boceta enorme. Ela encarou Sonia, abraçando ela pela cintura, beijando Sonia na boca que correspondeu ao beijo, abraçando seu corpo com desejo.

As bocetas se esfregaram! Você é gostosa demais, Lenita disse passando a mão na boceta nua, Sonia beijou seus lábios, pegando na sua boceta por cima da calcinha. Tua boceta é grande, Sonia sussurrou. Ela olhou Sonia nos olhos. Gostou da minha boceta, provocou. Gostei é maior que a minha. Lenita riu. Eu tenho a boceta grande, a tua também é grande. Você gosta de boceta grande, ela continuou provocando, gosto eu não consigo resistir, você é gostosa demais, Sonia enfiou a mão dentro da calcinha, botando a mão na sua boceta quente Fala que você gostou da minha boceta. Sonia estava doida por ela. Gostei Lenita! Sua boceta é linda demais, deixa eu chupar. Pediu. Você quer chupar minha boceta? Quero amor, deixa. Me da tua buceta, Sonia pediu, você gosta de chupar boceta, não gosta? Lenita provocava Sonia deixando ela mais doida. Gosto Lenita! Tua boceta me deixa doida, Sonia falou acariciando seu bocetão. Ontem quando você foi levar o lençol no meu quarto e me viu nua, você ficou olhando para minha boceta, não ficou? Fiquei! Eu fiquei olhando para tua boceta, eu não queria olhar, mas, não consegui me controlar quando vi voce nua, deixa eu chupar. Sonia ficou pedindo. Você sabia que eu ia te pegar? Sabia Lenita, eu vi que você ficou me olhando quando estávamos na sala conversando. Eu estava doida para dar para você! Sonia confessou, beijando Lenita com paixão. Deixa eu chupar, Sonia pediu de novo, acariciando sua boceta. Você vai fazer tudo que eu mandar, Sonia beijou o rosto dela. Eu faço, você não conta para ninguém. Lenita sorriu! Ninguém vai saber.

Sonia ajoelhou e abaixou a calcinha, deixando Lenita nua. Sonia beijou a boceta, Lenita segurou sua cabeça e enterrou a cara de Sonia na sua boceta. Sonia chupou a boceta de Lenita com paixão, esfregando os lábios grossos no seu xerecão. Lenita gemia alto, esfregando a boceta na sua cara. Lenita levou Sonia para nossa cama ainda desarrumada, deitou abrindo as coxas grossas, oferecendo a boceta farta para Sonia, minha esposa beijou a boceta, Lenita segurou seus cabelos com brutalidade, enterrando a cara da minha esposa na sua boceta. Sonia chupava descontrolada, prendendo os lábios grossos na boca, mordia fazendo Lenita gemer. Aaaiiii cachorra! Assim machuca, disse segurando Sonia pelos cabelos e dando um tapa forte na sua cara. Sonia mordeu de novo e levou outro tapa forte na cara. Ai Lenita, bandida, você esta dando na minha cara. Lenita fez Sonia olhar para ela. Estou, você esta mordendo só para apanhar na cara, eu sei quando uma mulher gosta de apanhar na cara. Sonia beijou sua mão. Você gosta de apanhar na cara? ela perguntou, Gosto, Sonia confessou, Lenita sabia que Sonia queria ser dominada. Gosto! Estou doida para apanhar de você. Me bate, dá na minha cara. Sonia pediu quase chorando.

Lenita deu na sua cara, os tapas foram se seguindo, deixando Sonia maluca. Sonia beijava a boceta de Lenita, submissa. Lenita puxou Sonia para o seu colo e beijou Sonia na boca, estavam aos beijos na cama. Quando a porta do quarto abriu e Almeida entrou nu. Sonia olhou assustada para ele e desceu o olhar até o pau. Era grande maior que o meu e muito grosso. Lenita a beijou. Meu marido sabe que eu estou comendo você, eu não escondo nada dele, deixa ele comer também, ninguém vai saber. Ele veio para a cama, Lenita acariciava a boceta de Sonia. Ele encarou Sonia, vem eu sei que você esta querendo pica, ele disse.

Sonia não resistiu e segurou o pau, sentiu a grossura na mão. Ele estava de joelhos na cama e trouxe sua cabeça para a pica. Sonia esfregou os lábios no cabeção. Almeida gemeu forçando ela engoliu. Sonia mamou o pau grosso. Lenita acariciava seus cabelos dela, Almeida fodia a boca gostosa de Sonia, Lenita enterrava o dedo todo na boceta da minha esposa, Lenita abriu suas coxas, Almeida montou nela, metendo a vara grossa na sua boceta. Sonia gemeu, sentiu a pica arrombando a boceta, abraçou Almeida, deixando ele cravar a pica toda. Ele meteu forte, sem pena, Sonia enlouqueceu dando para ele, se abria toda para ele meter, gozou dando a boceta, Almeida continuou metendo.

Lenita abraçou Sonia, beijando ela na boca, ficaram de joelhos na cama abraçadas, Lenita segurava seu rabão, abrindo suas nádegas fartas e acariciando o cu, Sonia gemia cada vez que sentia o dedo da amiga . Lenita foi passando cuspe, encharcando o cu, metia seu dedo todo. Sentiu Almeida abraçar ela por trás, Lenita mantinha suas nádegas enormes abertas, sentiu a pica grossa forçar o cu. Deixa meu marido comer teu rabão, Lenita pediu. Sonia não disse nada só gemeu, quando a pica entrou, beijou Lenita na boca, empinando a bunda, deixando Almeida comer. Ele enterrou tudo, Sonia chorou tomando no cu, agüentou tudo no cu, chorando. Almeida fodeu seu rabão, Lenita beijava Sonia, incentivando ela a dar para ele. Sonia gemia manhosa, Lenita deu a boceta para ela chupar. Sonia chupou demoradamente tomando no cu. Lenita gozou desesperada vendo o marido meter o pau grosso no rabão de Sonia. Almeida continuou comendo, Sonia gozou soluçando, sendo comida sem dó. Almeida não aguentou mais e gozou enchendo de leite o rabão de Sonia.

Ficaram deitados, abraçados, Sonia completamente envolvida pelo casal, beijava Almeida na boca, acariciando a pica. Almeida ainda comeu a boceta de Sonia na frente da esposa sem presa, metendo forte, deixando Sonia descontrolada. Ficaram namorando na nossa cama, Sonia chupou a boceta de Lenita na frente de Almeida. Tiveram que parar com medo que Renata e Fábio voltassem e pegassem eles na cama.

Almeida e Lenita foram para o quarto deles, Quando Sonia saiu do banho, Renata e Fabio já tinham chegado. Eles saíram com os tios para conhecer a cidade. Cheguei do trabalho de noite, tomei um banho, fiquei na sala conversando com Fabio e Almeida, Sonia e Lenita ficaram conversando sozinhas. Renata olhou as duas conversando. Tia, a senhora gostou da minha mãe, só da atenção para ela. Lenita riu, Gostei, esta com ciúme da mamãe? Eu e ela vamos continuar amigas depois que eu voltar para São Paulo. Já falei para ela que quando ela for a Sampa com o Marcelo, vai ficar na minha casa. Não na sua. Renata riu. As duas vieram ficar conversando com a gente com medo de chamar a atenção.

Todos foram dormir Sonia já tinha me contado tudo. Falou que tinha falado para Lenita que ia no seu quarto depois que todos dormissem, que eu quando pegava no sono não acordava mais. Eu só de saber que minha mulher ia ser comida no quarto ao lado do nosso, senti um tesão doido e, mesmo sabendo que aquilo era arriscado, não falei nada. Eu queria que ela fosse dar para eles, queria que Sonia voltasse para a nossa cama toda arrombada.

Na continuação vou contar como Sonia deu para Lenita e Almeida a semana toda e as consequências disso tudo. E o fim de semana que passamos num hotel num feriado prolongado.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.