"Os mais excitantes contos eróticos"


Marcelo & Sonia 19 - Patroa & Empregada


autor: MarceloDias
publicado em: 28/05/16
categoria: lésbicas
leituras: 19062
ver notas
Fonte: maior > menor



Marcelo & Sonia 19 – Seduzida Pela Empregada

Sonia depois que se envolveu com Sílvio, assumiu definitivamente a condição de puta casada, Sílvio passou a frequentar discretamente a nossa casa e Sonia ia para cama com ele, Sílvio metia pica nela! Essa situação tornou o meu relacionamento com minha esposa mais forte. Sonia toda noite queria pica, me procurava cheia de fogo, durante o dia Sílvio ia lá em casa e castigava o rabão dela, Sonia era enrabada sem pena, ela se entregava toda para ele, Alberto ia pelo menos uma vez por semana na nossa casa e passava a noite na nossa cama.

Nesses dias Sonia era comida durante o dia por Sílvio e dava para Alberto de noite. Isso durou um bom tempo, aos poucos, as coisas foram mudando. Sílvio foi transferido para outro estado e mudou do nosso prédio e a relação com Alberto foi esfriando. Todo envolvimento liberal acaba depois de um tempo e minha esposa gostava de emoções novas.

Depois que Alberto e Sílvio pararam de frequentar nossa casa, combinamos de preservar a nossa vida, evitando levar pessoas em casa. Sonia sempre teve medo de Sílvio falar para alguém do nosso prédio que comia minha esposa, apesar dele ser discreto e nunca ter feito nada que nos prejudicasse. Nós tivemos empregada até nossa filha casar, depois que ela casou queríamos ficar sozinhos para ter mais liberdade. Combinamos de contratar uma empregada, mesmo sabendo que a presença dela na casa, iria nos impedir de ter envolvimento com outras pessoas. Só que depois que você se envolve com outras pessoas, não consegue mais parar. A mulher, depois que dá fora do casamento, acostuma, perde o controle, não consegue mais se contentar só com o marido, fica querendo ser comida, doida para dar. Sonia já tinha confessado para mim, que sentia mais excitação quando dava na minha frente, gostava de dar para mim arrombada e, o fato de eu saber que ela tinha sido comida, a deixava com mais vontade.

Contratei uma agencia e deixei a escolha para Sonia, nos queríamos uma mulher madura, de bom nível que cuidasse da casa. A agência mandou varias candidatas. Sonia não gostou de nenhuma. Continuou recebendo as candidatas enviadas todas as manhãs. Uma manhã ela recebeu uma senhora chamada Edna, ela tinha 51 anos, muito conservada, um pouco mais alta que minha esposa, tinha 1,68 de altura, 87 quilos, negra, toda grande, feia, não era bonita, tinha um jeito um pouco masculinizado, apesar de ser dessas mulheres grandes e gostosas, usava uma blusa branca justa, uma calça de malha fina, vermelha, colada no corpo e uma sandália branca. O cabelo era preto, crespo e muito curto, o rosto redondo, as feições fortes, os olhos grandes, o nariz largo, a boca grande com lábios muito grossos, o pescoço largo, braços grossos, seios fartos, tinha seios 48. Os quadris muito largos, maiores que os de Sonia (ela tinha 113 de quadril), as coxas eram muito grossas, a calça grudada no corpo, mostrava o tamanho exagerado da boceta, ela tinha a boceta muito grande e cheia, a bunda era avantajada, redonda, gorda, tudo nela era grande.

Quando Sonia abriu a porta e viu aquela mulher grandona, ficou olhando para ela fascinada pelo tamanho dela, se sentiu atraída pelo corpo farto e pelo olhar dela. Edna sorriu e Sonia a mandou entrar, Sonia usava um vestido leve, justo e curto, que mostrava as coxas grossas. Sentaram no sofá e ficaram conversando, Sonia falou do trabalho, Edna contou que morava com uma irmã casada, Sonia perguntou se ela era casada, ela falou que não, Sonia não parava de olhar para o corpo dela, não queria olhar, mas, não conseguia. Seu olhar insistia em passear pelo corpo dela, a boceta enorme da mulher atraia o olhar de Sonia, Edna foi simpática e em poucos minutos, as duas se falavam como se já se conhecessem. Edna eu gostei muito de você, se você aceitar, a vaga é sua, ela sorriu: Eu aceito dona Sonia, minha esposa segurou as duas mãos dela, você não precisa me chamar de dona Sonia quando estivermos sozinhas, querida, só quando tiver alguém de fora, quando estivermos só nós duas, pode me chamar de Sonia, ela sorriu: Está bem, Sonia! Combinaram o salário e acertaram que ela dormiria na casa com folga no domingo. Ela falou que ia na casa da irmã pegar suas coisas e voltava no dia seguinte de manhã. Sonia a levou na porta e segurou a mão dela, olhando ela nos olhos. Estou esperando você amanhã, falou beijando ela no rosto, Edna beijou o rosto dela e olhou Sonia de cima a baixo, eu vou gostar de trabalhar para você, gostei muito de você. Ela disse. Sonia sorriu, eu também gostei muito de você, nós vamos ser muito amigas, Sonia disse. Ela foi embora deixando Sonia completamente envolvida por ela.

Edna, sem sabermos, seria responsável por tudo de novo que aconteceria em nossas vidas! Sonia nunca mais foi a mesma depois que a conheceu, apesar de continuarmos cada dia mais apaixonados. De noite Sonia me falou que tinha acertado com Edna, pelo jeito que ela falou de Edna, percebi que ela estava afim dela. Você esta interessada nela, não esta? Perguntei. Ela sorriu, estou amor, ela disse, confessou que tinha gostado demais dela, eu brinquei, eu sei do que você gostou, ela riu. Vai com cuidado, você não sabe se ela gosta de mulher. Falei por falar, sabia que quando Sonia se interessava por uma mulher ela não iria desistir só porque eu falei.

No dia seguinte Edna chegou bem cedo, eu tinha saído para o trabalho, Sonia abriu a porta, usava um vestido curto, Edna estava com um vestido bem largo acima dos joelhos e com uma mala grande. Sonia sorriu e beijou-a no rosto, levou-a para o quarto que ficava nos fundos, Edna colocou suas roupas no armário, Sonia mostrou a casa para ela e ficaram sentadas no sofá, falando do trabalho, Sonia estava encantada, Edna era experiente e percebia o interesse de Sonia. Ela era discreta, mas não era indiferente ao corpão da minha esposa. Sonia percebia o jeito que Edna olhava para ela. Edna foi para a cozinha e começou a trabalhar.

Naquele primeiro dia, Sonia aos poucos foi conquistando Edna. Ela foi para o quarto e despiu o vestido, foi na cozinha só de calcinha, Edna ficou olhando o corpão dela, quando ela entrou. Os seios dela estavam nus, duros, com os mamilos grandes inchados. Sonia sorriu para ela. Eu gosto de ficar a vontade em casa, você se importa se eu ficar assim? Ela perguntou. Edna sorriu, não, eu não ligo você é linda, ela disse, olhando a bunda farta de minha esposa. Sonia sorriu e se aproximou dela, segurando a mão dela, quando nós estivermos sozinhas se quiser pode ficar a vontade também. Não precisa ficar com esse vestido quente, disse. Edna a olhou, se você quiser, eu tiro, Sonia segurava a mão dela, tira, nós somos amigas, estamos sozinhas, eu quero que você se sinta à vontade aqui em casa. Edna tirou o vestido e ficou só de calcinha, os seios dela, apesar da idade, ainda eram duros, os mamilos enormes e bicudos, o corpão dela era farto, sua pele negra brilhava, a calcinha bege mostrava o tamanhão da bunda e a boceta exagerada que ela tinha.

Sonia ficou olhando o corpo dela, ficaram se admirando, uma olhando o corpo da outra, Sonia não teve coragem de se oferecer mais, apesar de estar doida por Edna, tinha acabado de conhecer ela. Aquele começo de intimidade foi o início de tudo, Edna continuou trabalhando, no começo da tarde Sonia falou para ela se arrumar que iam almoçar e passear no shopping, Sonia colocou um vestido de alça justo e curto e Edna um vestido curto, que escondia um pouco seu corpo gostoso de mulher madura.

Sonia foi com ela de carro até um shopping perto de casa, ela queria agradar Edna. Almoçaram juntas num restaurante, Edna adorou, eu nem estou parecendo sua empregada, estou parecendo sua amiga, ela disse para Sonia que riu, você é minha amiga, eu estou considerando você assim, a não ser que você não ache que somos amigas Sonia falou rindo. Edna sorriu. Claro que somos amigas, eu estou adorando o jeito que você esta me tratando. Sonia segurou a mão dela em cima da mesa, você gosta de ser paparicada, ela falou rindo, Edna riu! Gosto, ela disse, então vai se acostumando que quando eu gosto de uma pessoa, eu adoro fazer todas as vontades. Edna segurou a mão dela, eu vou cobrar, disse, olhando Sonia nos olhos, Sonia sorriu, pode cobrar.

As duas saíram do restaurante de mãos dadas, entraram em várias lojas, de mãos dadas. Nós duas, andando assim no shopping, de mãos dadas, vão pensar que você é minha mulher, Edna disse. Sonia sorriu, eu não me importo nem um pouco, você se importa? Edna riu, eu não ligo para o que os outros pensam, Sonia, Vou adorar que pensem que você é minha mulher, eu estou adorando andar com a minha patroa linda assim de mão dada. Sonia comprou algumas roupas para ela, dois vestidos bem finos e curtos, duas calças de legging, duas blusas e algumas calcinhas bem pequenas, tamanho GGG. Edna adorou, percebeu que Sonia estava fazendo de tudo para agradar ela. Voltaram para casa no final da tarde. No estacionamento, no carro, Edna sentou do lado dela e antes de sair, ela olhou Sonia nos olhos, Obrigada, Sonia! Adorei teus presentes, ela segurou a mão de Sonia e aproximou o rosto do dela, beijando Sonia de leve nos lábios, Sonia sorriu e beijou os lábios dela, correspondendo. Se beijaram com desejo, Sonia sentia sua língua ser chupada pela boca quente de Edna, os lábios se separaram, elas ficaram se olhando com desejo, Eu vou querer que você agradeça assim todo dia, Edna riu, se você deixar, eu agradeço, Sonia riu, você sabe que eu deixo. Falou ligando o carro.

Eu já estava em casa quando elas chegaram e só então conheci Edna e entendi porque minha esposa estava doida por ela, Edna era o tipo de mulher que agradava Sonia, minha esposa nunca ligou muito para beleza, mais uma mulher mais velha, grande e gostosa como Edna tirava ela do serio. Edna foi muito simpática comigo, fiquei conversando com ela na cozinha e aproveitei para falar sobre Sonia com ela. Minha esposa gostou muito de você, Edna, ela fica muito sozinha em casa, espero que vocês se deem muito bem, ela precisa muito de uma amiga. Edna sorriu, nós vamos ser muito amigas, eu gostei muito dela e do senhor. Eu sorri, pode me chamar de Marcelo, combinado. Edna riu. Está bem Marcelo. De noite na cama Sonia me contou tudo que aconteceu no shopping, eu não tinha mais nenhuma dúvida, sabia que Sonia ia virar mulher de Edna.

No próximo vou contar como aconteceu a submissão de Sonia e como Edna se tornou a sua dominadora.




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.