"Os mais excitantes contos eróticos"


Marcelo & Sonia 026 -Seduzida e Comida 1


autor: MarceloDias
publicado em: 01/06/16
categoria: traição
leituras: 7923
ver notas
Fonte: maior > menor


Marcelo & Sonia 026 – Seduzida e Comida pelo Amante da filha 1

No dia seguinte, Sonia e Renata se arrumaram para ir à casa de Jorge. Sonia colocou um vestido bem justo e curto que deixava suas coxas grossas nuas e realçava demais seus quadris largos e o tamanho exagerado da bunda, Renata colocou um vestido decotado e muito curto, que mal tapava seus seios grandes e duros, mostrando suas coxas muito grossas e a bunda grande e redonda.

Renata estava ansiosa e nervosa, doida para ver Jorge. Sonia preferiu ir cedo na casa dele porque achou que seria mais discreto. Despediram-se de Edna e desceram, Sonia pegou o carro e seguiram para a casa de Jorge. Ela estacionou em frente ao seu prédio. Jorge morava num prédio de luxo, em frente à praia. Na portaria, Renata falou que ia ao apartamento de Jorge, o porteiro falou que podiam subir, subiram nervosas no elevador, era a primeira vez que Renata ia na casa do amante, todas as vezes ele tinha comido Renata em motéis.

Jorge morava no 401, saíram do elevador e tocaram a campainha. Jorge abriu a porta, era um homem maduro, alto, forte, calvo, rosto largo, usava uma blusa bege e uma calça social, ele sorriu, tinha um olhar firme. Sonia ficou olhando para ele, sentiu uma atração forte só de olhar para ele, viu como ele ficou parado olhando sem cerimonia, o corpão das duas, Renata abraçou Jorge na porta beijando sua boca sem se importar com a presença da mãe. Ele a abraçou pela cintura puxando o seu corpo contra o dele, ele afastou sua boca dos lábios de Renata e só então falou com Sonia, se cumprimentaram, ele se aproximou e beijou Sonia no rosto, a Renata falou que você era linda, ela tem toda razão, dá para ver que ela tem a quem puxar. Sonia sorriu e agradeceu, ele fez as duas entrarem fechando a porta.

O apartamento era grande, luxuoso e bem decorado, com um portal de vidro de frente para o mar que dava para uma varanda grande. Ele as conduziu para um jogo de dois sofás perto da janela, sentou com Renata num dos sofás, Sonia sentou no outro de frente para eles. Renata abraçou seu corpo, beijando ele na boca, Sonia viu como a língua de Renata procurava a dele, cheia de desejo.

Ele olhou para Sonia e viu que ela olhava calada sem dizer nada e sorriu. Sonia sorriu para ele, ela está doida por você Jorge, disse. Eu sei, ela sabe que eu quero ela só para mim. Renata beijou ele na boca, eu já sou tua, minha mãe sabe que você é meu macho. Jorge sorriu para Sonia, eu quero agradecer por estar do nosso lado, a Renata falou que você entendeu a nossa situação. Sonia encarou seu olhar forte, entendi Jorge, eu quero que a minha filha seja feliz, espero que o envolvimento de vocês seja sério. Ela está doida por você, largou o marido para ficar com você. Jorge olhou Sonia nos olhos, ela já é minha, eu mandei ela largar o marido, Sonia. Ele não é homem para ela, Renata beijou Jorge, minha mãe sabe de tudo amor, eu contei tudo, ela sabe que eu sou tua mulher e que você está me comendo. Renata falou como uma puta, Jorge acariciou seus cabelos, a Renata precisa de um macho, não daquele marido que ela tinha e ela sabe que eu dou o que ela gosta. Sonia sorriu, e o que ela gosta? perguntou provocando, querendo ver até aonde ele ia com aquela conversa. Jorge olhou Sonia nos olhos, pica, Sonia, muita pica, é disso que tua filha gosta e eu faço ela sentir o que uma mulher quer na cama e o marido dela não dá.

Sonia olhou Jorge sem graça, percebeu que ele era um homem fino, educado mais era grosso no jeito de falar, viu que ele falava com ela daquela forma de propósito. Sonia se sentia atraída pelo jeito que Jorge falava com ela. E como você pretende conduzir as coisas, Jorge, você é amigo dos pais do marido dela, ele sorriu, eu não me preocupo com isso, eu vou respeitar o que você pediu depois que sair a separação, ela vem aqui para casa morar comigo. Eu falei com a Renata que se ela largasse o marido, que eu assumia ela, eu já sou o seu dono. Renata o abraçou, beijando seus lábios. Você sabe que desde que eu te conheci você manda em mim. Eu faço tudo que você quer, disse submissa, Sonia percebeu que Jorge dominava completamente Renata. Só então entendeu que Renata estava realmente nas mãos dele, não era um caso passageiro.

Sonia viu que Renata se abraçava nele, seu vestido tinha subido mostrando a calcinha, deixando suas coxas muito grossas nuas, ela colocou a mão dele nas suas coxas quase na buceta, Jorge falava com Sonia acariciando as coxas grossas de Renata. Eu não sou moralista e apoio você, sei que você vai fazer a Renata feliz. Ele sorriu, espero que seu marido aceite tudo como você, ele disse. As mulheres entendem melhor, os homens são mais desconfiados, mais ele vai entender, ele sempre me deixa decidir as coisas da Renata, Jorge olhou para Sonia, estou gostando muito de você, Sonia, acho que vamos nos dar muito bem, Sonia sorriu, eu tenho certeza, minha esposa percebeu que Jorge olhava seu corpo todo, sentiu um calor tomar conta do seu corpo. Eu vim aqui com a Renata para ninguém desconfiar de nada, eu acho que você e ela precisam matar a saudade. Jorge sorriu, Renata levantou, tinha entendido o recado da mãe, vamos no quarto amor, minha mãe espera aqui, não espera? Ela falou olhando para Sonia. Espero, meu bem, Sonia levantou e abraçou Renata, pode demorar bastante, eu espero.

Jorge levantou também e pegou na mão de Renata, você não se importa de ficar sozinha, disse. Sonia sorriu, não me importo, eu quero que a Renata aproveite bastante, ele sorriu, fica à vontade, pode pegar o que quiser, ver TV… Sonia olhou ele nos olhos, eu só quero que você apague o fogo dela, você não sabe como ela está precisando, falou rindo. Jorge riu, pode deixar que quando ela vai para cama comigo, eu apago completamente o fogo dela, ele disse levando Renata para o quarto.

Sonia ficou na sala, olhando o mar. Estava nervosa, o jeito íntimo que tinha conversado com Jorge, a deixou excitada demais. Só de imaginar que Renata estava no quarto dando para aquele homem, deixava Sonia cheia de desejo. Andou pela casa, foi na cozinha, voltou para sala ficou olhando os moveis, parou no corredor que dava para os quartos, as luzes estavam apagadas, andou até o meio do corredor, viu que a porta do quarto que eles estavam estava semiaberta, do corredor, escutou Renata gemendo alto, gemido de quem está sendo comida, o som de um tapa forte, fez seu corpo estremecer, Renata gemia, escutou o som de vários tapas e os gemidos de Renata a cada tapa. Aproximou-se mais da porta entreaberta, aai Jorge, ai minha bunda, aai você esta me arrombando toda, teu pau é enorme, ai ai ai me fode toda, fode, bota tudo amor, eu estou com saudade amor, aaiii aiii você bota na minha bunda sem pena, aaai me bate, Jorge, mete porrada na minha bunda. Sonia escutou aquilo tudo encostada na parede, seu corpo estava quente e tremulo, sentia a buceta molhada e uma vontade doida de ir na porta do quarto e ver Renata dando para ele, mas sentiu medo de ser vista por eles, se afastou, voltou para sala, foi até a varanda e ficou olhando o mar.

Não conseguia parar de lembrar dos gemidos de Renata e do jeito vulgar que ela falava dando para ele, pensou em como Renata era como ela, gostava de sofrer num pau grande e gostava de apanhar quando dava. Voltou para sala e acabou não resistindo e foi no corredor, agora não escutou nenhum som vindo do quarto, a porta continuava entreaberta, sem conseguir controlar o desejo de ver os dois, se aproximou silenciosamente da porta, ficou parada na entrada, o quarto era grande com uma cama de casal enorme, Jorge estava em pé, nu, o pau dele era enorme como Renata tinha dito, grande e grosso, Renata estava nua ajoelhada, mamando seu cacetão enorme, Sonia ficou olhando fascinada a pica grandona e grossa, ele tinha o pau exagerado, Renata chupava a pica com vontade, beijando, esfregando os lábios, Sonia sentiu uma quentura na buceta, sem perceber sua mão foi subindo o vestido, tocando a buceta por cima da calcinha, ela não conseguia parar de olhar o pau de Jorge.

Renata abocanhava o pau, sua boca ia até o meio da pica. Sonia ficou admirando a pica enorme daquele homem, entrando e saindo molhada da boca de Renata. Quando Sonia deu por si, viu que Jorge olhava para ela, seu olhar encontrou o dele, ela ficou paralisada parada na porta com o vestido levantado e a mão na buceta, seu olhar desceu até sua pica, Jorge viu que Sonia olhava com desejo para seu pau. Ele sorriu de um jeito safado para ela, tirando o pau da boca de Renata, mostrando o tamanho para Sonia. Ele sabia que seu pau era grande e gostoso. Vem Sonia, entra, vem ver como a Renata gosta de pica. Sonia ficou parada sem conseguir parar de olhar sua pica enorme. Renata de joelhos segurava a pica grossa, masturbando o pau. Ela olhou para a mãe parada na porta e sorriu, viu como Sonia olhava para o pauzão do seu amante.

Renata levantou e andou nua até Sonia, ela abraçou a mãe, se encostando toda nela e beijou seus lábios grossos, pegando na sua mão e levando ela pela mão até Jorge, Sonia se deixou levar, sentiu a mão de Jorge envolver sua cintura, trazendo ela para o corpo dele, Sonia sentiu seu corpo encostar-se às suas coxas. Renata a olhou nos olhos e levou sua mão até o pau dele, fazendo Sonia segurar, não Renata, ela sussurrou, sentindo sua mão envolver a pica grossa e dura. Pega, sente como é grande, Renata disse. Não Renata, ele é teu macho, Renata beijou o rosto da mãe, eu não ligo, você esta querendo, eu sei. Ela falou beijando o pescoço de Sonia. Eu estou querendo, sim, só que não é certo. Renata olhou Sonia nos olhos, entre nós não existe mais isso.

Renata encostou seu rosto no dela, sua boca procurou os lábios grossos de Sonia, que correspondeu ao beijo. Ela segurava o pau enorme de Jorge, masturbando sua pica grossa… Sentiu a mão de Jorge acariciando sua bunda grandona, pegando na suas nádegas fartas por cima do vestido. Renata foi abrindo seu vestido e fazendo ele escorregar pelo seu corpo, deixando ela só de calcinha, Sonia ficou praticamente nua na frente deles, com a calcinha minúscula que mal cobria sua buceta enterrada mostrando sua bunda enorme, sentiu a mão de Jorge pegando na sua bunda grande, apertando sua bunda carnuda, Sonia encarou Jorge e beijou sua boca, sentindo os lábios dele envolverem os seus, e sua língua procurando a dela, Sonia correspondeu ao seu beijo, se beijaram com paixão, Sonia sentia Renata segurando na sua bunda, apertando, acariciando, ela se entregou ao beijo de Jorge, segurando seu pau grosso com firmeza..

Renata virou seu corpo, abraçando Sonia, as duas se beijaram na boca, Sonia abraçou seu corpo, sua buceta se esfregou na de Sonia por cima da calcinha. Renata foi tirando sua calcinha, ajudada por Jorge, deixando Sonia completamente nua, Renata abriu as nádegas exageradas de Sonia com as duas mãos, Sonia sentiu o dedo grosso e melado de cuspe de Jorge acariciando seu cu. Aí Jorge, assim eu fico louca, ela gemeu. Jorge não disse nada, enterrou o dedo todo no cu, Sonia empinou o bundão deixando. Você gosta, tua bunda é enorme, a Renata tem a bunda grande mais a tua é exagerada. Você gosta de dar a bunda, não gosta. Ele provocou. Gosto, Jorge, eu gosto de dar para pica grande como a tua, Sonia confessou fora de si. Sentindo seu dedo todo no cu.

Ele Virou seu rosto e beijou-a na boca. Renata pegou um tubo de creme em cima da cama e deu para ele. Jorge foi passando, deixando o cu melado. Preparando o rabo enorme da minha esposa para levar pica. Ele e Renata levaram Sonia para a cama, ela ficou de joelhos no meio da cama com o rabão empinado, Jorge montou nela, Sonia sentiu o cacetão grosso encostar no cu. Ele a segurou firme e foi metendo, Sonia gemeu desesperada quando o pau entrou. O cabeção grandão foi arreganhando o cu. Jorge foi metendo tudo, Sonia sentiu o pau entrando, comendo seu rabão enorme, Renata olhava acariciando a buceta, sentindo um prazer doido em ver Jorge metendo na bunda exagerada da sua mãe. Sonia gemia baixinho, aguentando a vara grandona. Jorge não teve pena, Sonia chorou quando ele botou a pica toda no seu cu, arrombando seu bundão. Jorge a segurava firme cravando tudo no cu, deixando Sonia fora de si.

Ela empinava o rabão aguentando tudo no cu. Chorava, falava que estava doendo mais deixava ele enfiar tudo. Aaai meu cu, puta que pariu, Jorge, ai ai ai você mete tudo, aai você é bruto demais, aai como dói, caralho, aaai filho da puta você esta me arrombando toda, você arrombou a Renata agora esta me arrombando. Sonia sentiu sua mão na bunda, sua bunda enorme estremeceu toda, ela gemeu alto, ele deu outro tapão, foi batendo com força no seu bundão, seu corpo estremecia a cada tapa violento que ele dava em sua bunda. Sentia seu pau enorme enterrado na bunda. Seu cu apertava o cabo grosso da pica.

Renata subiu na cama e beijou Sonia na boca, Sonia correspondeu ao seu beijo, gemendo manhosa, sentindo a pica enorme do amante da filha toda no cu. Aai Renata ele esta botando tudo no meu cu, está me deixando larga. Sonia falou, eu sei, você esta aguentando tudo, sua boca beijava Sonia, Jorge metia tudo no seu bundão, eu quero ver ele comer tua bunda, você dá para eu ver? Sonia pediu. Dou! Você quer? Quer ver eu dar a bunda para ele? Renata perguntou. Quero! Você deixa eu ver? Renata olhou para ela, completamente transtornada, deixo, eu vou dar, eu deixo você ver eu dar a bunda, ele agora esta comendo nós duas.

Jorge metia cada vez mais forte em Sonia, o pau entrava todo, sem que o rabão dela conseguisse resistir, Jorge tinha deixado o cu largo. A pica grossa tinha arrombado Sonia. Ela sentia sua cravada forte, Sonia chorava tomando no cu, doida, completamente fora de si, tinha perdido a razão, aaaiiii Jorge você esta desgraçando minha bunda, como dói, eu fico louca assim, mete tudo no meu cu, cachorro, por isso que a Renata é doida por você. Aai ai ai. Meu cu, aai eu vou gozar, mete tudo para eu gozar, eu quero gozar com teu pau todo no cu, aai que delícia, eu estou quase gozando, aai puta que pariu, que pau enorme… eu vou gozar aaai eu eu estou gozando....gozeeeiiiiii… Sonia sentiu seu corpo estremecer e desabar sobre a cama.

Jorge continuou montado nela com o pau enterrado, comendo seu rabão. Seu corpo grudou no dela com o pau todo dentro, ele gozou, enchendo seu rabão de leite, Sonia sentia o pau todo dentro, pulsando, enchendo ela com a seiva grossa do macho da filha, ficaram os três deitados na cama, abraçados se beijando….......
Continua…




ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.