"Os mais excitantes contos eróticos"


NÃO POSSO SER DE UM SÓ!


autor: Amora
publicado em: 20/06/15
categoria: hetero
leituras: 4948
ver notas
Fonte: maior > menor


Não vou mentir, poderia até parecer que meu namoro com Jorge era perfeito, apesar de me sentir bem com ele eu tinha enormes conflitos em minha cabeça, Jorge era a pessoa que me ouvia e me dava conselhos fraternais em um momento da vida que me perdia nas minhas safadezas, transava com homens e mulheres, e ainda tinha uma atração física inexplicável por um jovem de 17 anos!
Com todas essas duvidas Jorge sem duvidas era meu porto seguro, porém não confrontava nada e nem ninguém, evitava Jennifer afinal namorava o avô dela, não atendia Michel ou qualquer outro homem que tinha me envolvido, com Mallu conversava apenas sobre trabalho, happy hour só com o Jorge.
Mas não da para se esconder dos problemas para sempre...
E meu problema chegou a portaria do prédio as 15 horas de um sábado, quando atendi o interfone e o porteiro me avisou que Michel estava lá embaixo um frio subiu pela minha espinha, e um suspiro seguido de alguns segundos de silêncio até minha resposta afirmativa ao porteiro após perguntar pela segunda vez se ele poderia subir.
Ao abrir a porta me deparei com Michel de bermuda tactel e camisa regata branca, lindo como sempre os braços de fora o deixava mias gostoso e irresistível, nos encaramos por alguns segundos, demorei para falar para ele entrar, sem trocarmos nenhuma palavra, Michel tirou a mochila que carregava nas costas, colocou ao lado da porta já dentro do apartamento, quando eu pensei em falar algo, Michel se aproximou e me beijou.
Aquela boca que me fazia cometer loucuras, segurei em seus braços, afastando sua boca da minha, falei para ele, "Para, para, para!", mas a essa altura seus beijos já desciam do meu pescoço até meus seios!
Michel me empurrava em direção ao sofá, eu estava confusa, sabia que tinha de parar aquilo mas não tinha forças para interromper, pois a atração que eu tinha por ele era maior!
Ele me colocou no sofá e ainda não havia dito uma palavra, apenas deslizava sua boca pelo meu corpo, beijava minha barriga, começou a tirar meu shorts, eu estava de olhos fechados delirando com sua boca, que beijava minha xaninha por cima da calcinha, que delicadamente foi colocada de lado, para que sua língua invadisse minha grutinha!
Ao abrir os olhos notei que a porta estava aberta, pedi para ele parar pois a porta estava aberta e alguém poderia passar e nos ver! Ele então parou de me chupar e levantou, mas ao invés de ir fechar a porta, Michel abriu sua bermuda e sacou seu pau de cabeça roxa, com uma de suas mãos ele segurava seu mastro de quase 20 cm e com a outra segurou minha cabeça conduzindo a até seu membro, ele forçava minha cabeça eu tentava sair dali mas com isso acabou criando um movimento de vai vem e Michel assim fodia minha boca, quando ele aliviou sua mão de minha cabeça, eu pude parar de chupar seu pau que estava uma delicia, mas precisava alertar novamente sobre a porta a berta e o risco de algum vizinho passar e nos ver ali.
Mas Michel parecia não se importar com a porta aberta e falaria sua primeira frase desde que havia aparecido em minha frente, "Deixa ela aberta, se alguém ver, vai saber que você é minha!"
Michel então segurando sua pica, deitou se por sobre meu corpo e me penetrou, tentava a todo custo conter meus gemidos, mas um outro escapava, e quando eu gemia, Michel falava no pé do meu ouvido, "Tá gostando é?!", e no meio dos meus gemidos eu respondia que estava, mas sempre que tinha uma oportunidade eu olhava em direção a porta para ver se ninguém passava por ali, e quando eu relaxava e gemia Michel tornava a perguntar "Tá gostando, eu tava com saudades de você, você tava com saudades de mim?! Logico que estava com saudades daquele meu jovem safado gostoso! Só não queria assumir para mim mesmo.
Quando relaxei para valer e esqueci a porta, meu orgasmo chegou rápido mas intenso, assim que passou a sensação do orgasmo, passei a beijar o rosto de Michel e a implorar para ele me inundar com sua gala e este incentivo parece ter dado certo que rapidamente meu moreninho gostoso me preencheu toda!
Depois que gozou Michel levantou se para então fechar a porta e eu levantei e fui para o banheiro e tranquei a porta, lá comecei a chorar e depois fui tomar uma ducha para tentar entender tudo oque acontecia comigo e depois teria de sair de lá e ter uma conversa seria com Michel.
Ao sair do banheiro Michel me aguardava deitado na cama manuseando seu mastro, pedi que ele se vestisse e fosse até a sala para termos uma conversa.
tentei não florear muito e fui direto ao assunto, disse que estava namorando, Michel se revoltou alterando a voz comigo, me pedindo uma explicação, mas se eu não conseguia nem explicar para mim mesma oque acontecia, como poderia dar uma explicação a ele.
Revoltado Michel saiu de meu apartamento, quando fui atrás dele, ele já havia pego o elevador, e quando cheguei na portaria do prédio ele já havia sumido na rua.
Por horas tentei ligar para ele, estava aflita e preocupada já era quase onze horas da noite quando ele voltou, demonstrando está um pouco mais calmo ele pediu uma explicação, mas novamente não tinha nada que eu falasse que o fazia entender, que eu tinha o direito de conhecer outras pessoas e me apaixonar por ela!
Depois de muito bate boca, falei que ele dormiria aquela noite em meu apartamento e quartos separados e que logo pela manhã ele iria ter de ir embora, pois meu namorado estaria vindo para um almoço em família, Michel então perguntou por que eu não o apresentava como um parente meu, respondi que a família de meu namorado sabia quem ele era, apesar da insistência em saber quem era a família de meu namorado não revelei quem de fato eram eles.
Após nossa conversa fui me deitar, mas no meio da madrugada Michel foi me fazer uma visita em minha cama, ele deitou se ao meu lado nú e começou a roçar seu pau em minha bunda eu pedia para ele parar, mas aos poucos fui ficando excitada e comecei a punheta lo, Michel abaixou meu shorts do baby doll que eu vestia e me penetrou de ladinho, ele me fodia fortemente e com uma mão puxava meus cabelos e com a outra segurava meu seio e as vezes o soltava para me dar tapas na bunda, quando Michel estava próximo de gozar ele tirou seu mastro de mim e punhetando ele esporrou na entradinha de meu cuzinho!
Virei para ele e disse que eu ainda não tinha gozado, ele falou que não seria problema e que me faria gozar, então ele me virou me beijou a boca e desceu para chupar minha xaninha melada!
Eu gemia feito louca, porém demorei mais do que o normal para gozar!
Michel já havia se recuperado e logo depois que eu gozei, ele me fez virar de novo e me posicionou de quatro, me penetrando e arrancando fortes gritos de prazer!
Eu recebia tapas e pedidos para rebolar a bunda, a safadeza que faltava em Jorge sobrava em Michel, quando ele anunciou que iria gozar não pensei duas vezes e me virei para receber toda aquela porra quente em minha boca!
Michel após gozar caiu exausto e dormiu, eu sentindo aquela porra na boca fiquei pensando como seria a manhã seguinte e meu encontro com Jorge.
Quando acordei, Michel me aguardava na cozinha já pronto para partir, sem saber oque fazer e com medo de nunca mais ver ele, eu o agarrei e comecei a beija lo e pedir que não fosse embora e que eu encontraria uma solução para nós dois!
Quando Jorge chegou não o deixei subir e pedi para Michel me esperar até a noite.
No almoço eu estava distante de todos ao meu redor, meus conflitos me impediam de sorrir ou me distrair.
Quando a noite caiu disse a Jorge que estava com dor de cabeça e que naquela noite não queria dormir com ele, sempre respeitador e atencioso Jorge não achou mal nenhum, me deixou em meu prédio e foi para o hotel que sempre se hospedava.
Em meu apartamento Michel me esperava com a solução que disse que teria, porém não havia conseguido pensar em nada.
Após comermos uma pizza e fingir que nada acontecia lá fora e que eu não tinha problemas nenhum, fomos nos deitar como um casal, eu esperava que Michel me procurasse naquela noite como havia feito na madrugada passada, porém ele não me procurou.
Então comecei a acariciar seu peitoral e desci até seu membro, Michel não soltava uma palavra, sentei na cama e então abocanhei seu membro, ele apenas soltava pequenos suspiros, parei olhei para ele e perguntei se estava bom, ele apenas fez um pequeno sinal de afirmativo com a cabeça, perguntei se ele queria me comer, ele apenas limitou se a dizer "Se você quiser!"
Sua indiferença me deixava brava mas mesmo assim montei em cima dele e comecei a cavalgar, mas derrrepente a imagem de Jorge veio a minha cabeça, aquilo me incomodava e a frieza de Michel ajudava a piorar as coisas!
Cansada de cavalgar e na esperança de Michel se animar e começar a me foder com vontade me posicionei de quatro, mas Michel parecia me estocar sem vontade, os pensamentos em Jorge também me atrapalhavam, minha ultima cartada então foi virar para Michel e pedir para ele comer meu cuzinho, finalmente Michel se animou, porém eu ainda não estava relaxada o suficiente para gozar, pensava em Jorge a todo instante, Michel a cada estocada parecia estar mais animado.
Quando percebi que não conseguiria relaxar para ter prazer o suficiente para gozar, decide apelar, peguei um vibrador e enquanto Michel me penetrava o cú eu brincava com o vibrador em minha xaninha, me proporcionando um orgasmo arrebatador, assim que Michel gozou quem desabou e dormiu fui eu!



ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.