"Os mais excitantes contos eróticos"

 

UM CORNO INVEJADO.


autor: thecoach
publicado em: 29/08/16
categoria: traição
leituras: 53274
ver notas
Fonte: maior > menor




Meu nome é Vinícius mas todos me chamam de Vini, tenho trinta e oito anos e sou casado com a Isabela de trinta e dois, somos casados a doze. Posso dizer que somos felizes no casamento, somos liberais e sempre tivemos uma relação bem aberta no sexo. Desde noivos somos adeptos da troca de casais e quando fiquei noivo da Isabela meu sogro o Rudolf na maior cara de pau me abriu o jogo dizendo que era muito feliz no seu casamento com a mãe da minha noiva. Atribuiu a alegria de um casamento de quarenta anos com a Érika,minha sogra,ao swing! Ele diz que é a rotina que mata o amor e extermina a atração sexual do casal. Meu sogrão é o presidente de um clube muito especial em Blumenau nossa cidade. Um clube de campo em uma chácara maravilhosa que é na verdade um agradável clube de swing, onde os sócios escolhidos com muito critério pagam uma alta mensalidade para usufruir de um local muito especial, seguro e agradável.
Embarquei com alegria na vida excitante que meu próprio sogro sugeria. A Isa não precisou nem ser convencida, estava esperando por isso, então mesmo antes do casamento eu já tinha visto minha noiva transar com vários homens e meu sogro mostrou saber das coisas, cada vez eu me sentia mais atraído pela Isabela. É claro que eu também aproveitei e me diverti muito, transei com muitas novinhas, lourinhas como a minha Isabela enquanto seus maridos ou noivos comiam minha futura esposa. E claro que transei com muitas coroas espetaculares, o sexo deixa as mulheres gostosas Que vida gente! Se isso é depravação sou culpado e caminho sorrindo para o inferno!
Quando eu e a Isa nos formamos na faculdade, nos dois engenheiros arquitetos o casamento foi marcado. Foi uma festa inesquecível, nossa felicidade e das famílias animou um dia inteiro comemorações, bebedeiras e comilança. Danças e brincadeiras pareciam durar para sempre e num ritmo alucinante escapamos para nossa lua de mel. Passamos a noite de núpcias em um luxuoso hotel em Floripa, no outro dia seguimos para S.Paulo e na noite seguinte para New York. Uma semana inteira nos EUA. Claro o sogrão pagou tudo. Foi maravilhoso, eu e a Isabela éramos pura felicidade e nosso amor já muito forte atingiu o nível de paixão, nos acostumamos a fazer sexo por horas, nus e agarradinhos podíamos ficar quase a noite inteira, muitas vezes comigo dentro dela só sentido um prazer intenso, cúmplice e capaz de conectar nossas almas. Até hoje nossa lua de mel está em nossas mentes...foi lindo!
Mas a vida não é só prazer,contas precisam ser pagas e somos todos escravos do trabalho. Recém formados poderíamos demorar a encontrar trabalho, boas posições no mercado, mas não foi assim. Meu sogrão com seus contatos turbinados pelo clube de swing em pouco tempo resolveu o problema. A amizade resultante das atividades da troca de casais funciona, em tempo recorde eu e Isa tínhamos bons empregos em boas construtoras da região. Desnecessário dizer que tanto eu como ela já conhecíamos parte das diretorias das construtoras. Eu já tinha comido a esposa do diretor financeiro da empresa onde consegui emprego, claro que ele comeu a Isa também...Minha esposa foi trabalhar em outra construtora onde ela já conhecia metade da diretoria...se é que vocês me entendem! Mas no trabalho e na vida social tudo é muito discreto, os não iniciados jamais suspeitam de algo, a troca de casais é uma coisa para gente inteligente, discreta e que sabe separar as coisas. E respeito! Muito respeito é a regra. O fato de eu ter transado com as esposas de alguns gerentes e diretores na empresa jamais deu motivo para alguma intimidade imprópria no serviço. Isabela tratava seus superiores com todo o respeito e sem intimidades e recebia o mesmo tratamento de volta,mesmo já tendo fodido muito com eles. No clube um diretor podia meter seu cacete na boca de minha esposa, mas no serviço mantinha distância,respeito e o tratamento era de Sra Isabela para Dr Fulano...
Fizemos a vida social, conquistamos o bom apartamento, casa na praia e bons carros. Na parte profissional, competentes e bem apadrinhados em pouco tempo fomos promovidos a gerentes nas nossas empresas. A vida seguia fácil,nosso casamento cada vez mais sólido e só não tivemos filhos porque a vida de casal sem filhos é um absurdo de prazerosa! Somos trabalhadores responsáveis, muito elogiados e realmente levamos nossas responsabilidades profissionais a sério. Mas nunca relaxamos na diversão. Muitas viagens passeios e diversão não podem faltar. O clube de swing é frequentado sempre, somos conhecidos e disputados pela nossa juventude, nossos relacionamentos sociais e claro pelo sogrão, o presidente fundador do clube. Todos querem comer a filha do presidente, eu vou de reboque! Isa é uma mulher sensacional, o tempo só melhora o corpão dela. É alta, loira natural e de olhos azuis, uma "catarina alemoa" típica. Uma pele muito branca, pernas bem torneadas e dois coxões bem brasileiros . A bunda da Isa é de parar o transito, uma bunda muito bem feita, redondinha, dura e que realmente chama a atenção dos homens. Os seios são de médios para grandes, mamilos salientes e auréolas delicadas e rosadas. O estilo no geral é de mulherão, uma cavala diriam os deselegantes...Com tudo isso é sucesso certo em todo lugar, os homens, logo os casais estão sempre nos cercando, não só no clube, mas em todos os lugares. Eu acho muito bom e excitante.
Depois de uns dez anos de casados, da vida louca com muita festa e diversão o sexo, pelo menos da minha parte começou a mudar. Eu continuei tendo uma intimidade muito gostosa com a Isa, sexo diário e intenso, além é claro do clube onde tudo podia acontecer, me marcou uma suruba onde nos juntamos em quatro casais e três homens pegaram a Isabela juntos, foi loucura pura, a primeira DP de minha esposa, a imagem dela penetrada no rabinho na bucetinha e com um pauzão na boca nunca saiu de minha mente, um tesão mesmo. Para completar os três eram bem dotados, eu presenciei minha amada berrar de prazer, se acabar de gozar em múltiplos orgasmos, levei ela para casa destroçada, mas depois de um bom banho que eu mesmo dei nela não dispensei fudê-la com gosto, ela adorou e me agradeceu muito...
Mas como eu dizia, minhas preferências no sexo foram mudando, a verdade é que começei a gostar demais de ver minha esposas sendo fudida. Eu mesmo reparei na mudança quando em troca de casais relaxava com a esposa do cara e preferia ver os machos fuderem minha esposinha amada.No clube se espalhou a fofoca de que eu estava ficando com ciumes depois de velho, mas não era isso, o fato verdadeiro era bem pior. Meu prazer agora era ver a Isa tomar ferro, gemer no pau dos outros e levar porra por todo o corpo, principalmente naquela boquinha linda só dela. Quando comecei a sentir vontade de beijá-la quando tinha porra de outro macho pelo rosto e na boca percebi que a coisa era séria.
Isabela não ligava nada, no sexo ela sempre foi liberal e meio porra loca. Talvez por ter sido criada por meu sogrão depravado e minha sogra que não fica atrás. Na verdade Isabela me confessou logo depois do casamento que perdeu o cabacinho com o próprio pai com aprovação da mãe! Uma família legal, não acham?
Aos poucos fui abrindo o jogo com a Isabela, continuei tendo um sexo gostoso com ela mas não escondi que quando um macho estava em cima dela eu sentia muito prazer, ela até tomou isso como um elogio, sei lá! Mas na verdade começou a me provocar, agora fazia questão de me ter por perto quando transava com outros, segurava na minha mão,pedia para ser beijada por mim e mandava eu olhar bem de perto o pau dos machos entrando e saindo de seus buraquinhos. Uma vez chupando um cacete enorme mandou eu ficar com o rosto pertinho e entre uma chupada e outra me beijava, quando o cara gozou ela engoliu e logo me beijou com gosto ainda forte de porra na boca. Eu amei isso e ela percebeu. Na próxima ela repetiu a mesma coisa com outro cara, mas claro, quando o cavalo gozou ela com a boca recheada de leitinho de macho me beijou e com a língua me passou a maior parte da porra. Eu aceitei...meu treinamento para corno de verdade estava começando! Minha esposa também aceitou bem a situação,talvez porque na nossa intimidade nosso sexo continuou gostoso como sempre.
Eu dei o próximo passo, arrumei dois caras na firma para comerem a minha mulher! O Felipe e o Bruno. Não queria ficar só no clube, onde era uma troca, comer a esposa dos outros é gratificante, mas eu queria outras experiências, achei que era uma fase, queria era ver só os machos comendo minha Isabela, ansiava por assistir outra DP, queria apreciar minha esposa penetrada por dois machos. Os dois caras eram gerentes na construtora como eu, os dois discretos e educados, Felipe solteiro e o Bruno separado. A abordagem foi fácil, somos todos discretos, mas todo mundo sabe na empresa e na cidade o que acontece no clube, quem participa e quem come quem...Quando contei a novidade para a Isa ela ficou radiante, está sempre pronta para coisas novas. Rapidamente marquei para o próximo sábado no nosso apartamento o encontro cheio de segundas intenções.
No dia marcado, no início da noite os convidados chegaram. Já conheciam a Isabela, é claro e em pouco tempo todos estavam a vontade, bebendo e rindo bastante. Depois de uma hora de papo solto fui dirigindo a conversa para passeios,praias de nudismo, clubes de swing e deixando claro e aberto o caminho para o assunto evitado ser encarado. O Felipe se mostrava ansioso, comia a minha esposa com os olhos descaradamente, o Bruno um pouco nervoso só bebia, acho que era primeira vez dele...
Como eu e minha esposa não fazemos cu doce, me levantei coloquei uma música legal, abaixei as luzes e convidei minha mulher para dançar,no meio da sala em frente aos dois machos muito interessados agora. Eu e Isabela dançamos agarradinhos, se pegando e se beijando sem pudor algum. Aos poucos fui passando as mãos na bunda dela, apalpei seus seios e até meti a mão entre suas pernas por baixo da saia! Depois fui tirando as roupas da minha amada, peça por peça, devagar e sempre dançando ou simulando dançar, quando deixei ela só de calcinha e sutiã, duas peças minúsculas muito sensuais chamei o Felipe:
-Venha Felipe, venha dançar com minha esposinha...
Ele não vacilou um segundo, estava esperando pelo convite. Agarrou a Isa e continuou onde parei, já foi beijando e apalpando minha mulher na boa! Logo estava com a mão dentro da calcinha e pela reação da Isa estava tocando no grelindo dela, já se podia ver a calcinha molhada. Eu resolvi acelerar as coisas:
-Bruno meu amigo...que tal ficar mais a vontade, pode ir tirando as roupas...eu conheço minha mulher, é bom estar preparado...
Ele atendeu meu pedido e foi se soltando logo. Só de cueca entrou na dança e foi por trás da Isa, de cara encheu as mãos nos peitos dela e liberou o Felipe que logo começou a se livrar das roupas. Com os dois de pinto duro apontando nas cuecas fizeram da minha esposa um sanduíche bem sacana. Minha esposa espremida entre dois paus grandes e duros ainda olhou para mim e sorriu, sabia que eu estava adorando aquilo!
Em pouco tempo fomos todos para o quarto principal, levamos as bebidas e as roupas foram ficando pelo caminho, segui atrás com os copos e o balde de gelo pisando na calcinha no sutiã e nas cuecas, Bruno levou a garrafa,queria beber para acreditar no que acontecia...
Entramos no quarto muito animados, eu me sentei numa poltrona de canto que eu já tinha instalado com segundas intenções mesmo. Felipe muito sem cerimonia já colocou minha esposa de joelhos e foi metendo o pau na boca da Isabela. Minha esposinha abocanhou o pauzão ao mesmo tempo em que agarrou o pau também grande do Bruno. Enquanto chupava o Felipe punhetava o Bruno. Minha mulher é uma chupeteira de primeira, quando eu comecei namorar já percebi que ela sabia chupar bem, trabalha no membro todo, não esquece nada e dá atenção as bolas também, sabe engolir um cacete até senti-lo na garganta, mesmo que seja enorme. Tem muita habilidade ao lidar com a cabeça do pau, a parte mais sensível, é delicada e usa a linguinha de uma maneira toda sua, mantem contato visual, olho no olho, e isso é muito excitante, muito gostoso mesmo e o Felipe logo descobriu isso, ficou doidinho e quando gozou descobriu também que ela engole sem cu doce, mostra prazer em tomar o leitinho de macho, a vitamina das putas...
Isabela nem respirou direito e já estava com o pau do Bruno na boca, o cara foi ao espaço, acho que nunca ganhou uma chupeta assim e percebi que foi o que bastou para ele mudar de atitude,estava meio apagado mas depois de gozar na boquinha da minha esposa ficou mais ao nível do Felipe, um porra loca tarado...
Logo minha esposa mais linda do que nunca puxou os dois machos pela mão e levou-os para a cama, Felipe talvez um pouco alto soltou:
-Vamos lá Bruno , vamos fazer essa putinha gemer!
Bruno sorriu amarelo e beijou minha esposa com carinho enquanto Felipe caiu de boca na xaninha bem raspadinha da Isa, realmente minha esposa tem uma bucetinha linda, bem rosinha e alta, os grandes lábios são perfeitos como uma pequena bundinha e escondem um grelinho saliente e durinho. Enquanto um dava o trato legal na bucetinha o outro mais delicado beijava os seios o rosto e a boca da minha esposinha que gemia alto dominada pela língua do Felipe, percebi quando ele se dedicou mais ao grelinho, Isabela começou a gritar e a tremer com mais intensidade, o primeiro gozo veio escancarado como ela costuma fazer, goza sem pudor e sem se conter, não tem porque mesmo...
Minha mulher nos braços dos dois soube se portar, manteve os dois machos ocupados e satisfeitos, mas Felipe o macho alfa sempre comandando não dava folga, acabou de dar um bom oral e já agarrou suas pernas, abriu bem e ergueu para o alto, pediu para o Bruno segurar as pernas da minha esposa bem abertas e para o alto. Tive uma linda visão, Isabela com as longas pernas muito abertas e bem esticadas deixou a bucetinha e o cúzinho bem expostos, Felipe já segurando o cacete duro olhava tudo aquilo com visível prazer, estava pronto para penetrá-la, então me aproximei, para mim é um momento importante, ver um pauzão entrando na buceta da minha esposa é algo muito especial, não sei dos sentimentos de outros homens, outros maridos, mas eu recomendo, arranje um bom comedor e entregue sua esposa para ele, depois me conte!
Felipe meteu no seu estilo, como um cavalo sem muito cuidado e de uma vez. Isa gritou e quando eu percebi aquele pauzão sumindo para dentro da minha amada eu quase gozei na cueca. De imediato o macho começou a bombar, pegada forte e cadenciada, a fêmea dominada gemia, gritava e se contorcia toda, Felipe foi o Felipe:
-Vamos putinha! Aguenta um pauzão de verdade na buceta! Vamos Bruno! Segura bem as pernas da vagabunda!
Tudo isso isso faz parte de sexo intenso e sei que a Isabela adora... Me afastei e voltei para a poltrona no canto do quarto. Fiquei curtido minha esposa gemer no pau do comedor, que som excitante...minha cueca toda melada confirma.
Felipe aguentou mais de quinze minutos de foda rude, Bruno largou as pernas da Isa que foram então contidas pelo próprio Felipe que empurrou forte judiando minha mulher, levou suas pernas para junto dos seus seios e aumentou o ritmo das estocadas, foi o que bastou, mais uma vez os gritos de gozo escandaloso encheram o quarto e só então o macho fodedor gozou, urrando como um animal, e logo metendo o pau todo babado na boca da Isabela, não deixou nem a mulher respirar um pouco...terminar seu orgasmo. Logo que Felipe mostrou sinais de exaustão, Bruno excitado com tudo que presenciou e já tendo esperado muito tempo forçou minha esposa a ficar de quatro na beira da cama, ela empinou o rabo e ficou derrubada na cama com a cabeça enterrada no travesseiro, braços soltos espalhados. Bruno meteu aos poucos na bucetinha que ainda escorria porra do Felipe, segurando forte nas ancas tirava e metia devagar, aproveitando ao máximo, como a xana já estava alargada ele tirava tudo para fora e metia até os bagos de uma vez. Aos poucos a Isabela voltou a gemer, baixinho no início mas demonstrando muito prazer. Bruno ficou assim por um bom tempo, depois sem tirar deitou minha esposa de bruços, fechou suas pernas e continuou bombando, agora com a buceta mais fechada pela nova posição, pelos gemidos e gritinhos da Isabela ela gostou da posição. Felipe por seu lado tentava meter o pau na boca da Isa, meio difícil por ela estar de bruços mas ele forçou a cabeça dela para trás e não quis saber, meteu na boca e começou a usar como buceta, isso abafou um poucos os gemidos que tanto aprecio mas me proporcionou uma cena melhor, dois machos literalmente fudendo minha mulher amada, aquele monumento de mulher...tão gostosa que não me permito comer sozinho!
Bruno surpreende e quando goza dá um banho de porra na Isabela, muita porra mesmo, tanto que até atinge o Felipe:
-SEU FILHO DE UMA PUTA! Toma cuidado Bruno, tá me tirando desgraçado!
Joguei uma toalha para o Felipe e outra para minha esposa, os dois se limparam do jeito que deu mas eu sugeri:
-Todos para o chuveiro!
Nosso box do chuveiro é grande, mas ficamos os três homens apertados com a Isabela no meio, foi uma brincadeira divertida que melhorou muito quando fomos para a hidro, minha esposa chupou os três e relaxamos bastante. Todos de roupão fomos para a sala beber umas bebidinhas espertas e eu pedi pizza. Quase duas horas depois um olhou para o outro e todos perceberam que era hora de voltar para o quarto. Já foi todo mundo largando o roupão na sala mesmo, menos eu que não teria muita utilidade no quarto...Eu ansiava por ver minha esposa em mais uma dupla penetração, estava muito excitado, até comecei a me masturbar por baixo do roupão...
De início o Felipe já muito senhor de si foi deixando claro que o rabinho era dele, mas Bruno surpreende mais uma vez:
-Calma Felipe...eu fui paciente, mas não vou perder esse rabinho lindo por nada, a bundinha da Isa é minha!
Felipe já engrossou e quis fazer valer sua vontade,mas minha esposa não é uma qualquer:
-Meu rabinho é do Bruno!
Beijou a boca do Bruno devagar num beijo de amantes e olhando para o Felipe:
-Felipe meu amor, você é um macho muito gostoso mas muito afoito, ainda não confio em você para entregar meu cúzinho...tenho que cuidar das coisas do meu marido. Foi até onde eu estava me beijou com amor e falou no meu ouvido:
-Quero você no meu lado agora...esses dois vão me fuder,vão me arregaçar toda mas eu quero sentir você bem pertinho, também quero ver do que você é capaz por mim...
E assim foi, Felipe se deitou de costas na cama e a Isabela começou a cavalgá-lo com vontade, ficaram nisso um pouco quando o macho puxou a fêmea para junto do seu peito e gritou:
-Vamos lá Bruno, mete no cu da vagabunda, arregaça o rabo da cadela!
Eu sentei na cama ao lado da minha esposa querida segurando sua mão, dedos entrelaçados mostrando nossa intimidade e amor. Bruno pega o KY que eu lhe dei e lubrifica bem o rabinho da Isa, enfia primeiro um dedo no cúzinho dela e vai metendo lubrificante para dentro, depois mete dois dedos e a Isabela solta um gritinho mas tolera bem, ele vai torcendo os dedos enterrados no buraquinho quente até que tendo certeza se prepara para meter a sua estaca já em ponto de aço. Bruno mostra experiência e competência, vai metendo com jeito e cuidado, quase carinhoso. Quando a cabeça passa mais um gritinho da Isa é ouvido, mas agora o prazer é bastante claro. Minha esposa aperta minha mão, me olha com amor e morde os lábios enquanto Bruno enterra o resto do seu pauzão no rabinho dela. Cu e buceta preenchidos ela demonstra a todos o prazer que sente. Se contorce,treme, geme e grita:
-Me fodam seus cachorros, vamos seus viados...quero ser fodida de verdade...METAM FORTE!
Os dois começam a bombar meio desajeitados pela posição difícil, Felipe o mais prejudicado só xinga mas consegue bombar bem, ele é forte. O Bruno está mais agressivo e castiga sem dó o cúzinho, minha mulher gosta assim, só não liberou para o Felipe porque ele com certeza não teria os cuidados iniciais que o Bruno teve...
Eu estava nas nuvens, minha esposa tomando uma DP, entre dois machos na nossa cama no nosso quarto! E o mais importante, ela estava muito feliz e satisfeita, o prazer de ser fodida assim estava claro para mim e para ela. Beijei sua mão e acariciei seus cabelos, nosso amor é forte e a prova ali estava! Na minha posição eu podia ver o pauzão do Bruno barbarizar o cúzinho e só a visão fazia meu pau latejar molhando toda a cueca. Foi mais de vinte minutos que minha mulherzinha aguentou dois caralhos brutos com categoria como uma adorável puta muito corajosa! Um orgulho para mim...
Os três gozaram feito animais, gritos e urros animalescos, gemidos longos e agoniantes da minha esposa encheram o quarto. Bruno e Felipe gozaram dentro e amoleceram, a noite estava sendo de árduo trabalho...Quando os dois se afastaram eu beijei amorosamente minha esposa, um beijo cheio de cumplicidade e confiança. Ela me olha nos olhos e me diz de uma maneira muito carinhosa:
-Agora me limpe amor...quero sua língua limpando minha xaninha e meu cúzinho...
Diz isso e se posiciona de pernas abertas em posição de frango assado arreganhando sua intimidade toda, buceta e cu a mostra, vermelhos inchados e melados, ainda com muita porra escorrendo saindo das entranhas da minha amada. Eu encaro.
Um desafio novo que não me assusta, beijo novamente minha esposa e me enfio entre suas pernas, a visão próxima e o cheio da vulva e das virilhas me excita, começo a lamber timidamente, sinto o gosto de outros machos, morno e salgado mas a resistência natural é vencida pela excitação e pelo próprio prazer que sinto. A medida em que minha língua trabalha Isabela geme e me agradece ao mesmo tempo:
-Aihhaiiiii...ahiii...que gostoso amor...isso...isso mesmo, limpa direitinho amor...você é minha paixão..obrigada por ser assim querido!
Mas também escuto o Felipe e o Bruno rindo, não sei se estão debochando de mim ou estão satisfeitos com tudo que aconteceu na noite louca que está terminando...
Chupo e limpo bem minha esposinha, capricho no cúzinho aberto todo cheio de porra e deixo lisinho, mesmo assim me demoro no "serviço",me dá muito prazer e percebo que a Isabela amou ser chupada assim. Como agradecimento mais uma vez levo ela a loucura trabalhando com carinho no grelinho gostoso da minha amada. Acabo com ela! Ela tem o último gozo da noite e depois disso fica quase desmaiada. São mais de três horas da manhã, foi uma noite de loucuras, muito prazer e alguma depravação...eu adorei e estou satisfeito. Limpar minha esposa, sentir o gosto de outros machos nela foi a coroação da minha transformação em corno ativo.
Continuamos com nossas aventuras, como marido e mulher temos um relacionamento firme e com muito amor. Eu agora sou um corno assumido e consciente, mas transo legal com minha esposa e ela me respeita. Isabela e eu por tabela temos um relacionamento mais fixo e íntimo com o Bruno, ele é o amante oficial da minha esposa, um cara muito legal e virou meu amigão. O Felipe e outros caras são convidados ocasionais, para fantasias específicas ou um sexo mais depravado quando vem a vontade. Meu sogro faleceu e a Isabela foi eleita presidente do club de swing, ela é muito respeitada e amada pela turma toda, homens e mulheres; Eu sou o corno mais invejado do clube!





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.