"Os mais excitantes contos eróticos"


A festa - garçom ( parte 1)


autor: casada_safada
publicado em: 20/10/16
categoria: hetero
leituras: 2585
ver notas
Fonte: maior > menor


- Vamos amor, ou chegaremos tarde demais; disse ao terminar de calçar minhas sandálias e dar a última olhada no espelho.
- Só estou terminado o no da gravata e desço. Ele gritou do andar de cima.
Estávamos de saída para um open house, mas não um qualquer, os donos do apartamento tinham gasto aproximadamente 1 milhão e meio só com a reforma. O cara é podre de rico e amigo do meu marido.
Eu vestia um vestido preto bem colado na altura dos joelhos com um generoso decote, um colar lindo e cabelos soltos até a cintura. Como sou bem branquinha caprichei no batom vermelho e olhos pretos, o que realçou bem meus olhos verdes.
Meu esposo não ficou pra trás, com um lindo termo e gravata vermelha, seus olhos azuis sempre chegavam primeiro em qualquer ocasião.
Assim que chegamos o valet levou o carro e a recepcionista nos direcionou ao elevador privativo da cobertura.
Eu velava apenas minha carteira e Carlos ( meu marido) uma garrafa de Veuve Clicquot, minha champanhe preferida, para presentear o casal.
Os donos da casa vieram nos receber, e que recepção, e que apartamento, e que garçons...
Isso mesmo, garçons.
A mulher do cara foi até uma agência de modelos para contratar os garçons da festa, e eu amei a ideia. rsrsrs
Cada um mais gato que o outro, além é claro dos convidados, todos muito elegantes.
Na festa, regada a muito champanhe, wiske e canapés, o blues soava agradável aos ouvidos, juntamente com as conversas e risos carismáticos.
Flertei com alguns garçons e percebi que outras mulheres faziam o mesmo.
Em certo momento da festa precisei ir ao banheiro, avisei ao Carlos que nem me deu muita atenção, pois estava " focado" demais em uma conversa sobre negócios.
E lá fui eu em busca do toalete.
Me perdi naquele apartamento gigante até que acabei entrando na suíte do casal.
Nossa, como fiquei sem graça em ter atrapalhado o que parecia ser uma discussão.
- Oi, tudo bem? Estou procurando o toalete, desculpa.
- Imagina, disse a mulher. Olha, você vira à esquerda duas vezes e desce as escadas, lá é mais escondido e não deve ter ninguém na fila, aquela é a ala da minha filha.
- Poxa, muito obrigada.
Sai em disparada, já estava ficando apertada.
Enfim achei o banheiro, lindíssimo por sinal. O piso era de um mármore rosado e os detalhes da pia e banheira em dourado.
Nunca me senti tão rica fazendo xixi, num sanitário com design super arrojado.
Assim que abri a porta dei de cara com um dos garçons que tinha observado antes. Ele me segurou pelo braço e me empurrou de volta para o banheiro.
-Ei, o que é isso, vai com calma. Disse levantando a voz.
- Calma coração, não pensei que a gata fosse assim tão arisca.
- Ah!!! É você mesmo que eu estava de olho. Andou me seguindo?
-Claro, não pude deixar de reparar em você e nesses peitoēs lindos; disse já aproximando a boca do meu pescoço.
Eu não disse mais nada. Ele me encostou na pia e subiu a mão pela minha coxa, até me apertar a bunda, enquanto me beijava bem devagar.
Sua boca desceu pelo meu colo, até bem perto do tecido vestido e do generoso decote.
Desci as alças do vestido ficando com os seios a mostra, e ele, bem, ele perecia um menino que tinha visto peitos pela primeira vez.
Ele os apalpou com muito carinho, tentando acomoda-los em suas mãos, depois os juntou e lambeu, e lambeu muito. Sugou os biquinhos já rijos de tesão.
Às vezes ele parava e observava-os, como se quisesse guarda-lis na memória.
Ele não havia tocado em mais nada, só nos seios, e estava completamente excitado.
Eu não queria parar a brincadeira, mas, precisava voltará para a festa, estava tempo demais sumida.
- Calma bezerrinho. Disse puxando-o pelos cabelos e trazendo-o para minha boca.
- Loira, que tesão esses peitos hein. Disse ainda me acariciando deliciosamente com as duas mãos.
- Eu preciso voltar a festa e você aí trabalho, consegui dizer entre beijos e mãos boba.
- Eu não posso sair agora, olha como estou. Ele disse apontando para o volume de sua calça.
Nessa hora minha vontade era de abaixar e chupar aquela rola que parecia ser deliciosa, mas me contive e sai, deixando-o no banheiro.
Voltei a roda que meu marido estava e ele nem pereceu ter sentido minha falta, me deu um selinho e me abraçou pela cintura.
A madrugada chegou bem rápido , já passava de 1h da manhã e já havíamos bebido além do permitido para dirigir, ele mais do que eu.
Quando vejo , aí meu lado está o garçom gato.
- Aceita mais uma taça de champanhe senhora ? Disse sem disfarçar, olhando diretamente meus seios.
- Não, obrigada. Disse sem dar muita atenção.
- Algo mais que possa fazer pela senhora?
Minha nossa... O bezerro quer mamá, pensei.
Pela atenção que meu marido me dava naquela noite, quase disse: "- sim, vamos ali pra você me chupar", mas não podia, tive que decepcionar o bezerrinho.
- Não, obrigada mais uma vez, já estamos de saída.
Pela cara, ele não ficou muito contente.
Olhei para Carlos e chamei para um lugar mais privado.
- Amor, vamos embora?
- O que ?... Por quê? Ele disse alterando um pouco a voz.
Tive que dizer um pouco de verdade.
- Toda essa bebida que tomei me deixou com tesão, e estou precisando de sexo, aquele selvagem.
- Você está estranha. Onde esteve aquela hora que sumiu da festa?
- Fui ao toalete ué, eu te disse. - Agora vamos pra casa, e eu dirijo.
- Coisa nenhuma, ele disse dando um passo pra frente e tropeçando nos próprios pés.
- Viu aí, é melhor eu levar o carro e não vamos discutir.
Vi logo que teria que apagar meu tesão de outra forma...


Continua...

Como ficou um pouquinho grande vou publicar em duas partes.
Espero que gostem e comentem. Bjs






ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.