"Os mais excitantes contos eróticos"


Marcelo & Sonia 44 - Caso de Família


autor: MarceloDias
publicado em: 13/01/17
categoria: lésbicas
leituras: 9031
ver notas
Fonte: maior > menor


Marcelo & Sonia 44 - Caso de Família

Às vezes vivemos situações que nunca imaginamos, minha família e a da Sonia é grande, eles nos acham um exemplo e nem sonham com o tipo de vida que levamos, se soubessem ia ser um escândalo na família, você sabe que quando a família e os amigos ficam sabendo dessas coisas, todos querem jogar pedras na gente. Imagina se eles descobrem que minha esposa é puta na intimidade, íamos ter que romper com a maioria dos nossos parentes.

A mãe da Sonia está muito idosa, ela tem uma irmã e dois irmãos, dos quais um já faleceu. O Tio Pedro é o mais novo, sempre morou no Nordeste, em Recife, com a primeira esposa teve dois filhos que são adultos e casados atualmente, ele ficou viúvo, com 58anos e casou de novo com a esposa atual que tinha 42 anos, e uma filha com 9 anos na época. Eles estão casados há 11 anos, Tio Pedro tem agora 68, está ainda conservado, a mulher dele se chama Vera e tem 52, você não diz que ela tem essa idade toda, a filha Luciana está com 19 anos, todos a chamam de Lucinha.

Tio Pedro é um homem alto, 1,89, gordo, meio calvo, rosto grandão, pela idade está bem, mas nada atraente, Vera é baixinha, um pouco gordinha, tem 1,63 de altura, os cabelos pretos bem curtos, o rosto redondo, os olhos castanhos, a boca grande, ela é toda roliça, os seios são fartos, os quadris largos, tem 110 de quadril, as coxas são grossas, a buceta grande e peluda, a bunda bem redonda e carnuda. A filha Lucinha, tem 1.73 altura, magra, esguia, corpo de mulher e muito gostosa, cabelos alourados nos ombros, rosto fino, lábios grandes, tem peitão igual à mãe, cinturinha de garota nova e os quadris bem acentuados, a buceta pequena e a bunda bem empinada.

Nós fomos no casamento deles há 11 anos atrás, e não tivemos muita intimidade com a Vera, a filha era uma criança ainda com 9 anos. Ficamos de nos falar depois, acabou que ficamos sem nos ver durante muitos anos, um ano ou outro Tio Pedro ligava no Natal, a mulher dele nunca falava com a gente. Agora, muitos anos depois, ele ligou, falando que conseguiu nosso telefone com um parente e ia na nossa cidade passar o fim de semana, assim sem intimidade nenhuma, nem perguntou se podia ficar na nossa casa, foi falando como se fosse ficar. Minha esposa não podia dizer não porque ia criar assunto para muita fofoca, a Sonia não deixou o Tio ficar na casa dela, essas coisas.

Na sexta estávamos dormindo e toca o telefone às 5,15 da manhã, era o Tio Pedro falando que estava no aeroporto e pediu para pegarmos eles. Nem combinou nada antes de vir e nem perguntou se podíamos, tomamos banho rápido, colocamos qualquer roupa, pegamos o carro e fomos, eu vesti uma camisa, bermuda e tênis, Sonia vestiu correndo uma blusa de alcinha, uma bermuda legging a cima do joelho, bem colada no corpo e uma sandália baixa. No caminho ela percebeu que a bermuda estava indecente demais, ficava grudada no corpo, ela tem a buceta grande e fica aquela coisa cheia entre as pernas, dá para ver o tamanho da buceta e como ela tem a bunda muito exagerada fica daquele jeito, quando ela passa os homens ficam olhando e tem dias que não é para não chamar a atenção.

Chegamos no aeroporto e eles estavam esperando, ficaram olhando minha esposa, vi que olhavam sua roupa, não falaram nada, foram gentis, nos abraçamos, trocamos beijos no rosto, a Vera abraçou Sonia, ela usava um vestido de alça, marcado na cintura, estampado que ia acima dos joelhos, ela falou que minha esposa era muito bonita. Sonia sorriu e falou que ela também era uma graça, ficou aquele dengo entre as duas. Eles estavam com duas malas de rodinhas, levamos para o carro e fomos para nossa casa.

Eles entraram, mostramos a casa, o quarto deles e o outro que a filha ia ficar. Eles se fecharam nos quartos a filha saiu descalça com um top e um shortinho de malha grudado no corpo, fiquei olhando como ela era gostosa. O casal veio para a sala, ele com uma calça esportiva e uma camiseta, ela com um vestido de alça amarelo que ficava largo no corpo e bem curto, confesso que fiquei olhando as coxas dela, sabe quando a roupa e meio larga e você fica olhando querendo ver mais do que a roupa mostra. Sonia foi para a cozinha fazer café da manhã para eles, Vera foi atrás falando que ia ajudar, minha esposa ficou preparando o café e conversando coisas de família com ela, Sonia ficou com a mesma roupa, Vera ficou olhando o corpo dela,Sonia estava preparando os pães que tínhamos comprado no caminho, quando Vera falou baixinho, você tem um bundão, minha esposa ficou sem graça e sem saber o que dizer, ela era mulher do Tio e as duas não tinham nenhuma intimidade,Vera riu, não fica com vergonha, você tem a bunda enorme, essa tua roupa mostra o tamanho da tua bunda toda. Sonia olhou para ela, eu tenho bunda grande desde garota, Vera sorriu, você é muito gostosa, a minha bunda é grande mais nem chega perto da tua, a tua é exagerada. Ela falou descaradamente.

Sonia ficou calada, ela sorriu, se o teu Tio me escuta falando isso para você, ia brigar comigo, ficou aquele clima, Sonia ficou sem saber o que falar, ela continuou, eu sou tia, posso falar assim com você, não posso? Sonia disse que podia. O que ela ia falar. Minha esposa preparou o café todo sem ela ajudar, Vera falou que ia ajudar mais ficou apenas conversando, só ajudou a levar as coisas para a mesa da sala, sentamos para tomar café, Sonia ficou sentada do meu lado, de frente para Vera, a filha cheia de frescura, eu não gosto disso, não como aquilo, Tio Pedro ficou com uma conversa chata de família, que a mulher tinha que zelar pela moral do lar, uma chatice só. Eu não curto conversa assim. A filha deles que é prima da minha esposa, ficava chamando Sonia de tia, a mãe falou que minha esposa não era tia dela era prima, ela não se contentou, pediu para minha esposa se podia chamar ela de tia, Sonia falou que podia.

Vera ficou o tempo todo encarando Sonia, quando o olhar das duas se encontravam, Vera sorria para ela de um jeito safado, Sonia percebeu logo que a tia estava olhando ela com outros olhos, viu que a tia estava dando em cima dela. Ao mesmo tempo que aquilo incomodava, deixava ela excitada, Sonia sentiu sua buceta molhada, ficou sem saber o que fazer. Ela não queria olhar para Vera e quando via já estava olhando. Ficou aquele clima na mesa entre as duas.

Saímos da mesa do café e minha esposa como empregadinha deles tirou a mesa e arrumou a cozinha, sem que ela e a filha ajudassem, as duas ficaram sentadas na sala conversado comigo. Quando Sonia veio para a sala falei para sairmos de carro para conhecer a cidade. A filha adorou, eles falaram que iam tomar um banho e se arrumar para sairmos, foi cada um para seu quarto.

Eu e Sonia fomos para o nosso quarto, tomei banho primeiro, homem sempre faz tudo a jato, Sonia ficou separando roupas, bijuterias, maquiagem, aquelas coisas de mulher. Sai do banho e me arrumei rapidamente, quando sai do quarto minha esposa tinha entrado no chuveiro. Ela saiu nua do chuveiro, estava nuazinha, a porta do quarto fechada, quando a porta se abriu, Vera entrou sem bater ainda com o mesmo vestido e fechou a porta, ficou olhando, Sonia nua, comendo ela com os olhos, se aproximou, Sonia estava entre o armário que fica na parede e a cama. Você é muito gostosa, falou, colocando a mão na bunda da minha esposa e encostando Sonia no armário, não foi suave foi meio bruto, Vera encostou o corpo no dela, Sonia disse não, tentando afastar o corpo dela, deixa de frescura, ela falou tentando beijar minha esposa com a mão na buceta dela, não faz isso Tia, Sonia pediu. Ninguém está vendo, estou doida para te pegar, eu quero tua buceta. Sonia sentia a mão dela na sua racha, os dedos acariciando seu bucetão, minha esposa não resistiu, aceitou o beijo dela, as línguas se esfregaram, se chupando, num beijo molhado, a saliva se misturando, Vera se afastou um pouco e subiu o vestido até acima da cintura, estava sem calsinha, Sonia pode ver pela primeira vez sua buceta peluda, Vera encostou Sonia com força no armário e colou a buceta na dela,os pelos dela se esfregaram na buceta lisa da minha esposa.

Vera beijava Sonia de um jeito bruto, chupando os lábios dela, os dedos grossos invadiam a buceta, fudendo minha esposa, Sonia gemia com o dedo grosso da Tia enterrado na buceta. Vera abaixou e beijou a buceta dela. Sonia se encostou no armário e se abriu toda deixando a Tia chupar sua buceta enorme. Ela ficou mamando, chupava com fome, Sonia segurou a cabeça dela e enterrou a cara dela na buceta, aaaiii Vera eu vou gozar, aai minha buceta me chupa, aaaiii eu to gozando.....Sonia gozou encostada no armário do quarto. Vera levantou e abaixou o vestido,beijando Sonia na boca, minha esposa correspondeu ao beijo dela, Vera falou que ia querer mais, quando a Tia virou para ir embora, Sonia segurou a mão dela, as duas se olharam, Sonia abraçou a Tia procurando os lábios dela, as duas se beijaram como duas loucas, um beijo demorado cheio de desejo, as bucetas se esfregaram de novo,quando se soltaram, Vera foi embora deixando Sonia nua e toda melada entre as pernas.

Sonia demorou para se arrumar, colocou um vestido branco, justo e curto, no meio das coxas euma sandália de tirinha. Ela saiu do quarto e nos encontrou esperando por ela na sala. A garota usava um vestidinho curtinho e um tênis feminino de pano. Ficamos esperando Vera, ela saiu toda arrumada do quarto, com um vestido estampado largo e curto, as coxas lindas dela ficavam nuas. Ela olhou para Sonia, sabe, mulher depois que come e olha para outra. Ficou aquela troca de olhares. Depois que comeu minha esposa no quarto, Sonia já não evitava o olhar dela, sorria se oferecendo. Ela percebeu que Sonia tinha gostado de dar para ela, aquilo foi o começo da putaria entre as duas.

Descemos todos juntos, peguei o carro e fomos os homens na frente e as mulheres sentadas atrás, Sonia sentou no meio entre as duas, as três de vestido curto e as coxas toda de fora, fomos conversando, as três mulheres sentadas atrás com os corpos colados, Sonia sentia o quadril e a quentura da coxa das duas nas suas coxas. Vera descaradamente colocou a mão na coxa de Sonia. As duas trocavam olhares safados, sabe aquela coisa intima entre duas mulheres que ninguém percebe. Não sei de onde Tio Pedro tirou isso, acho que ela deve ter falado, ele falou que a Lucinha tinha adorado minha esposa, ela foi carinhosa pela primeira vez, Lucinha beijou o rosto da Sonia e falou que adorava ela, a garota encostou a cabeça no ombro da minha esposa e colocou a mão em cima da coxa como a mãe, Sonia não disse nada, Vera viu e ficou calada. Sonia sentiu sua buceta melada com a mão das duas nas coxas, elas ficaram com as mãos como se fosse carinho, intimidade, sei lá. Eu rodei muito de carro e fui mostrando a cidade para eles.

Paramos num restaurante muito bom no centro, estava vazio, sentamos os cinco numa mesa no canto perto da janela e pedimos uma entrada, Sonia ficou sentada entre as duas, ficamos conversando, pedimos os pratos e estávamos nos deliciando, quando Sonia sentiu a mão da tia por baixo da mesa, nas coxas, Vera ficou acariciando as coxas grossas de Sonia, ninguém percebeu nada. Aquilo deixou minha esposa tensa e excitada, o vestido era justo e bem curto, Vera foi subindo o vestido e colocou a mão na buceta, Sonia sentiu a mão quente da tia na buceta, quando foi no banheiro Sonia estava com a calcinha melada, parecia que ela tinha mijado na calcinha.

Na sobremesa a Lucinha ficou toda cheia de dengo com Sonia, chegou à cadeira para perto da minha esposa e ficou beijando ela no rosto, Lucinha abraçou Sonia e ficou com a mão na coxa dela, ficava falando baixinho, adoro você Tia, Sonia ficou sem saber o que fazer, olhou para mãe e viu que Vera via a filha assim com ela e não falava nada.

Ficamos umas duas horas no restaurante, comendo e conversando, Sonia e Vera se olhavam com desejo. Sonia estava doida para ir para a cama com Tia e dar a buceta para ela, estava completamente seduzida por ela. Saímos do restaurante e rodei pela cidade, paramos em alguns lugares para eles conhecerem. Sempre que Sonia entrava no carro, ficava no meio das duas e Vera e Lucinha ficavam com a mão nas coxas dela.

O dia passou e anoiteceu, fomos voltando para casa, já passava das 20 horas, A Lucinha dormiu no ombro da minha esposa com a mão na coxa dela, Vera ficou com a mão na outra coxa, Eu dirigia conversando com Tio Pedro, Vera desceu a mão para o meio das coxas de Sonia e acariciou por dentro, Sonia abriu as coxas e deixou ela pegar no seu bucetão que estava doido por um carinho.

Eu dirigia o carro conversando com meu tio, as três mulheres iam atrás, a filha dela dormindo no ombro da minha esposa, Sonia com as pernas abertas e a tia acariciando sua buceta. Vera trouxe a mão de Sonia para o meio das pernas dela, o vestido subiu mostrando a calsinha branca, ficava aquele volume que a boceta faz, Sonia pegou na boceta dela pela primeira vez, no quarto ela só deu para a Tia, as duas ficaram se acariciando por cima das calcinhas,a buceta dela era macia, e farta, enchia a mão, quando Sonia pegava.

Chegamos no nosso prédio naquele clima, as mulheres desceram se ajeitando e a garota veio cheia de sono abraçada em Sonia, grudou na cintura dela e veio cheia de dengo, falando que adorava minha esposa que queria passar as férias da faculdade com ela.

Em casa,falei que ia fazer um lanche para nos mais tarde e fui para o quarto, meu tio e Lucinha foram para o deles, Sonia ficou na sala sozinha com Vera que abraçou ela por trás e se encostou na sua bunda enorme, ela sussurrou no ouvido de Sonia, você tem um rabão, eu quero fazer um carinho no teu rabo, você deixa. Ela falou grudada no bundão dela, depois eu deixo, aqui não eles vão ver. Sonia se me soltou dela com medo de alguém vir para a sala, quando ia saindo, Vera segurou a mão dela, fica sem calcinha e beijou Sonia na boca.

Sonia foi para o quarto, eu tinha acabado de tomar banho e estava deitado nu. Sonia tomou um banho delicioso e saiu toda cheirosa, ela deitou nua do meu lado e me contou tudo que tinha acontecido entre ela e a Tia. Acabei adormecendo. Sonia colocou um vestido mais largo e curto, e ficou descalça e sem calcinha como Vera tinha pedido.

Sonia foi para a sala, Pedro e Vera estavam fechados no quarto, escutou o chuveiro ligado, estavam no banho. Ela Sentou na sala e ligou a TV, ficou sentada sozinha, Lucinha saiu do quarto e veio para sala, estava com um vestido bem curtinho de alcinha e descalça. Ela sentou do lado de Sonia, ficaram conversando e Lucinha foi se chegando, ficou de joelhos no sofá e abraçou minha esposa, beijando ela no rosto, eu adorei a senhora, falou beijando Sonia no rosto, eu também adorei você meu amor, Sonia disse abraçando a cintura dela, ela deitou no colo de Sonia de lado e se abraçou nas suas pernas.

Sonia ficou acariciando os cabelos dela, alisando as suas costas e desceu até a bunda, Lucinha beijou as coxas de Sonia, o vestido da garota tinha subido e dava para ver a calsinha enfiada na bunda, Sonia alisou as coxas dela, Lucinha não falou nada, ficou quieta, deixando Sonia passar a mão pelas coxas dela.

Sonia escutou o barulho da porta abrindo e tirou a mão das coxas dela. Vera veio para sala com um vestido estampado bem curto, chegou no sofá falando, agora quem vai sentar com a Sonia sou eu. Lucinha saiu do colo de Sonia, Vera sentou do lado de Sonia, a garota foi na cozinha, Vera foi logo perguntando, esta sem calcinha? Estou, Sonia disse.

Nem deu tempo de falar mais nada, Eu e Tio Pedro chegamos na sala nesse momento. Sonia foi para a cozinha preparar um lanche para nós, fui igual uma empregadinha, agora nem estava mais ligando, queria mais ser empregadinha da tia. Fez um lanche bem legal e colocou na mesa da sala, todos se serviram, foi delicioso.

Espalhamo-nos nos sofás da sala e ficamos vendo um filme Na TV que estava começando. Todos ficaram vidrados no filme, Sonia sentou do lado da Tia, eu deitei no chão, Tio Pedro ficou deitado no canto do sofá e Lucinha numa poltrona perto da TV.

No meio do filme, Vera levantou e foi até a filha, olhou para Sonia e falou que estavam todos dormindo. Vera pegou Sonia pela mão e levou minha esposa para o nosso quarto. Sonia se deixou levar, estava querendo.

Entraram no quarto, Vera fechou a porta e foi subindo o vestido de Sonia, deixando ela nua, Sonia abraçou a Tia, se esfregando nela, Vera beijou os lábios grossos de Sonia, foi um beijo chupado, molhado, beijo de puta. Ela levou Sonia para a cama e fez minha esposa ficar de joelhos com a cara no lençol.

Sonia estava melada, sua buceta escorria, Vera beijou o bundão dela e esfregou a cara nele, abriu as nádegas e beijou o cu, Sonia gemeu desesperada quando ela chupou, sentia meu cu se contrair na boca dela, aquela quentura deliciosa. Sonia deitou de bruços, Vera continuou chupando o cu, falando que Sonia tinha um rabo enorme, que o cu dela era gostoso de chupar, que ela tinha um cuzão, que ficou doida pelo rabo da minha esposa quando viu ela no aeroporto, aquilo deixou Sonia maluca, Vera chupava o rabão exagerado de Sonia com o dedo enterrado na buceta dela, Sonia falou que ia gozar, seu corpo estremeceu todo, ela gozou de bruços dando o rabão para a Tia

Vera deixou Sonia largada na cama e voltou para sala. Quando Sonia voltou para a sala, encontrou eu e a Tia conversando, Tio Pedro e garota ainda dormiam. Eles acordaram um bom tempo depois, Lucinha foi para o quarto dela cheia de sono e meu tio foi com minha tia para o quarto, já era mais de meia noite. Eu e Sonia fechamos a casa e fomos para o quarto.

Eu deitei nu e Sonia só de calcinha, estava quente. Ficamos conversando, Sonia me contou tudo que tinha acabado de acontecer no quarto, falou que estava doida para dar gostoso para a Tia.. Falei que amanhã nos íamos passar o sábado na piscina do condomínio, já tinha combinado com Tio Pedro, falei que Sonia podia subir com a Tia para o apartamento e dar para ela que eu segurava meu tio na piscina até elas voltarem.

Dormi abraçado com minha esposa, Sonia acordou um tempo depois, levantou, fez xixi, o relógio marcava 3 horas da manhã, ela abriu a porta do quarto, a casa estava toda apagada, Sonia estava só de calcinha e descalça, saiu do quarto e quando passou na porta do quarto que seus tios estavam, viu que a porta não estava fechada, estava um pouco aberta. Viu o tio deitado so de cueca e a tia do lado dele nua.

Ela ficou olhando da porta, achou que a tia estava dormindo e foi para a cozinha pegou uma garrafa de água na geladeira, estava bebendo, quando a Tia entrou nua na cozinha, ela viu Sonia só de calcinha e veio encostando ela na pia, as bucetas se grudaram, Vera beijou Sonia com fome, sua buceta se esfregou na buceta da minha esposa por cima da calcinha. Suas mãos apertaram o bundão com força, Sonia gemeu manhosa, estava doida para dar para ela. Sonia puxou Vera pela mão, abriu a porta da cozinha que dá na área de serviço e levou a Tia para o quarto de empregada que tem uma cama de solteiro.

O quarto e sem janelas, quente e apertado, as duas ficaram no escuro sem acender a luz. Vera tirou a calcinha de Sonia e levou ela nua para a cama, as duas deitaram abraçadas, se beijaram como duas desesperadas, Vera chupou os peitos, mamou os bicos duros, chupando com força, fazendo Sonia soluçar, chupa minha buceta, Sonia pediu. Vera chamou ela de piranha, cachorra, falou que ela era vagabunda. Sonia disse que Vera que deixava ela assim.

Vera pegou Sonia pelos cabelos e encarrou ela, Sonia não aguentou pediu para Vera dar na cara dela, ela deu, Sonia gemeu quando levou o primeiro tapão na cara, Vera deu outro, Sonia chorou quando a Tia deu o terceiro tapão. Vera desceu beijando a bariga da minha esposa, Sonia se abriu toda, sua buceta estava quente, a Tia chupou o bucetão melado de Sonia, as duas estavam fechadas naquele cubículo escuro, Sonia gemia como uma cadela, se arreganhado toda, deixando Vera chupar sua buceta com força, Vera cuspia na buceta, sua boca deixava Sonia maluca, Sonia gozou gemendo alto, Vera continuou chupando. Sonia esfregava a buceta na cara dela, sentia a boca da Tia, comendo sua buceta, Sonia gemeu quase chorando, falando que ia gozar de novo, Vera segurava a bunda enorme de Sonia, acariciando seu cuzinho, Sonia gemeu quando o dedo entrou todo no cu, seu corpo estremeceu ela gozou pela segunda vez. Quando Vera tirou a cara da buceta dela, as duas se abraçaram, estavam muito suadas, o quarto não tinha janelas e era muito quente.

Ficaram aos beijos na cama, esfregando as bucetas, o mel que escorria da buceta da minha esposa deixou a cama toda babada, ficou uma mancha grande. Vera estava com medo do marido acordar e dar pela falta dela. Levantaram e Sonia vestiu a calsinha, por sorte estava tudo quieto, as duas se abraçaram no meio da sala, Vera nua e Sonia de calsinha, se beijaram cheias de tezão, beijo de mulher, gostoso, macio. Cada uma foi para o seu quarto.Sonia estava saciada, seu corpo tinha acalmado, estava leve, minha esposa sempre fica assim quando goza.

De manhã acordamos passava das 9 horas, eles vieram para sala e Sonia preparou um café delicioso, sentamos todos a mesa e nos deliciamos, o clima estava bem leve, ficamos na mesa mais de uma hora. Quando terminamos, Sonia tirou a mesa e arrumou a cozinha, ficamos na sala, sentados nos sofás conversando.

Quase meio dia, falei para irmos para a piscina passar a tarde. Fomos cada um para seu quarto colocar uma roupa. Minha esposa colocou um biquíni, mas comportado por causa do Tio, a parte de cima, não esconde muito seus peitos e a parte de baixo e de amarrar e mesmo tapando bem a buceta dá para ver que a buceta dela é grande, mostrando o rabão enorme dela. Ela colocou um roupão de amarar na cintura. Eu coloquei uma sunga e uma camiseta. Tio Pedro colocou uma sunga e uma camiseta grande, Vera foi com um biquíni estampado, comportado, e por cima uma saída de praia de amarar na cintura, mesmo assim dava para ver como ela é gostosa. Lucinha colocou um biquíni branco bem indecente, a parte de cima cobria so os bicos e a parte de baixo entrava toda na bunda, nessa idade tudo fica maravilhoso.

Descemos para a piscina, nosso condomínio tem 4 blocos, dois na frente e dois atrás, cada bloco tem garagem no subsolo, entre os blocos, tem um jardim e um parque de crianças. Atrás dos últimos blocos tem uma área jardinada e uma piscina infantil e uma piscina grande de adulto. Nós fomos para lá, estava vazio àquela hora, tem muito morador que não freqüenta, eu e minha esposa só tínhamos ido lá 3 vezes.

Ficamos nas espreguiçadeiras, eu e Tio Pedro juntos e as mulheres mais separadas, eu e Tio Pedro logo começamos a beber cerveja e Lucinha ficou na piscina o tempo todo, Sonia entrou um pouco na piscina com a tia, quando saíram ficaram conversando sozinhas, Sonia falou para subirem juntas e deixarem eles na piscina. Vera deu um sorriso safado, está querendo dar. Aquilo mexeu com Sonia, ela segurou a mão da Tia, estou, to doida para dar a buceta para você, só nos duas em casa, você me come tão gostoso, eu fico doida Tia. Vera olhou Sonia nos olhos, gostou de dar a buceta para a tia, gostei, você me fudeu gostoso, to louca para dar a buceta para você, Sonia disse bem descarada, vamos subir, a tia vai dar um trato nesse bucetão. As duas levantaram, Sonia colocou o roupão e Vera a veste dela. Sonia falou comigo que eu ia em casa com a tia ajeitar umas coisas.

Subiram juntas, Sonia estava ansiosa, doida para dar para ela, as duas entraram em casa, Sonia fechou a porta, Vera tirou a saída de praia e ficou só de biquíni. Sonia abriu o roupão e ficou de biquíni também, Vera fez Sonia virar e abriu o laço da parte de cima do biquíni, os peitos ficaram soltos, estavam duros, os bicos estavam inchados de tezão, Vera abriu os laços da parte de baixo e deixou Sonia completamente nua. Vera agarrou Sonia no meio da sala, as duas se beijaram como doidas, Vera passou a mão no rabão da minha esposa e deu um tapão forte nele, Sonia deu um gritinho e levou outro tapa bem forte, seu bundão estremeceu todo, ela virou o rabo para ela e levou outro tapa forte na bunda.

Vera levou Sonia para o quarto pelos cabelos, minha esposa entrou no quarto apanhando na cara, a mão dela esquentou a cara de Sonia, deixando ela fora de si, ela pedia para a Tia dar na sua cara, falava para Vera que era puta, a Tia foi dando so na cara dela, Sonia pedia para Vera dar porrada nela, Sonia se abraçou ao corpo da Tia e pediu para chupar a buceta dela.
Vera segurou Sonia pelos cabelos e as duas se olharam com desejo, quer chupar minha buceta? Quero, eu to doida para chupar tua buceta, Sonia disse. Vera abriu a parte de cima do biquíni, os seios dela não são caídos, os mamilos são grandes iguais os da minha esposa, ela tirou a parte de baixo, mostrando a buceta peluda com os pelos curtos, aparados, os lábios grandes, Vera puxou Sonia para cama, deitaram abraçadas, nuas, se beijando na boca, Sonia chupava os lábios dela, sua boca desceu beijando o corpo da Tia, chupando seus peitos fartos, mamando os bicos grandões, Vera gemia, Sonia continuou descendo beijando a bariga, Vera se abriu, oferecendo a buceta, Sonia beijou a buceta, esfregando a boca, Vera estava muito melada, a buceta dela escoria, Sonia chupou com vontade, ela rebolava, esfregando a buceta na cara de Sonia, gemendo desesperada. Vera gozou completamente fora de si.

Ficaram abraçadas com as bucetas grudadas. Vera então se apossou do corpo de Sonia, ela comeu Sonia na sua cama, fez Sonia ficar de joelhos com o rabão enorme para cima e os peitos e a cara na cama, ela abriu a bunda e colocou a boca no cu e foi deixando a saliva dela nele, Vera cuspia e ficava espalhando com o dedo, Sonia ficou doida, ela foi passando o dedo no cu, Sonia gemia, aos poucos ela foi botando o dedo todo, ela botou dois, depois três dedos, Sonia gemia igual uma cadela, completamente alucinada. Vera fez Sonia virar e abrir as coxas, dando a buceta para ela, Vera beijou a buceta e chupou, Sonia gemia esfregando a boceta na boca da Tia. Se tivesse alguém em casa ia escutar. Sonia estava sendo comida pela Tia, quando viu a filha dela parada perto da cama, Lucinha estava de biquíni, com a mão na buceta, olhando a mãe chupar a buceta da minha esposa.
Como isso aconteceu. Eu estava na espreguiçadeira com Tio Pedro bebendo e conversando e tinha deixado a camiseta, a carteira e as chaves da casa, em cima da mesa perto das nossas espreguiçadeiras, eu e Sonia sempre andamos cada um com sua chave. Eu entrei na piscina com meu tio. Lucinha viu as chaves e tinha visto Sonia subir com a mãe. Ela pegou as chaves sem falar nada subiu.

Lucinha entrou no apartamento, escutou os gemidos da porta e foi direto no nosso quarto, Sonia e Vera nem escutaram ela entrar. Quando viram ela estava parada do lado da cama de biquíni com a mão na buceta, olhando a mãe chupar a buceta da minha esposa.

Sonia ficou apavorada quando viu. Vera sentou na cama, não ficou nem um pouco assustada, ela não vai falar nada, disse calmamente. Eu não vou contar nada Tia Sonia, a garota falou calmamente, ela continuava olhando com desejo corpo nu da minha esposa e acariciando a buceta, Sonia estava deitada toda aberta, ela via como Lucinha olhava para a buceta dela, deixa eu chupar, Lucinha pediu. Vera estava sentada do lado de Sonia com a mão nas coxas dela sem deixar minha esposa fechar as pernas, a buceta estava toda exposta, deixa ela chupar, Vera pediu, Deixa eu chupar, Lucinha pediu toda meiga.

Lucinha abriu a parte de cima do biquíni, os peitões dela ficaram nus, duros com os bicos grandes, ela sorriu e tirou a calcinha do biquíni, ficou nua, tinha um corpo lindo, a buceta pequena, ela veio e sentou na cama, Sonia ficou entre ela e a tia, Lucinha colocou a mão na parte de dentro da coxa, a buceta estava quente, Lucinha se inclinou e beijou a buceta, Sonia sabia que a filha da puta ia comer ela.

Lucinha colocou a mão em cima da buceta, deixa eu chupar Tia, Sonia olhou para Vera, que sorriu, deixa ela chupar. Sonia olhou para Lucinha, você quer a buceta da tia? Quero, Lucinha falou baixinho, chupa meu amor, Sonia mandou, a garota deitou no meio das coxas de Sonia, minha esposa estava doida, Lucinha beijou a buceta, estava escorrendo, a boca quente grudou na buceta, Sonia gemeu desesperada quando sentiu o calor da boca da garota, Lucinha se fartou na buceta da minha esposa.

Sonia gemia descontrolada, Lucinha sabia chupar buceta de mulher, falava que Sonia tinha buceta grande, que a buceta da minha esposa era enorme, que ela queria chupar a buceta da Tia desde que chegou.

Sonia prendia a cabeça de Lucinha com as coxas e deixava a garota mamar sua buceta. Vera ficou deitada do lado de Sonia, olhando a filha comer a buceta da minha esposa e se masturbando, Lucinha continou chupando a buceta de Sonia, metia a boca com vontade no bucetão dela, seus lábios estavam molhados do mel que escorria da buceta.

Sonia foi ficando cada vez mais excitada, Lucinha fazia ela chorar baixinho, ela soluçou falando que ia gozar, seu corpo foi ficando tremulo e ela gozou na boca da garota. Lucinha não largou a buceta, continuou se deliciando, comendo Sonia. Luci subiu pelo corpo da Tia, se abraçaram, Sonia beijou a Lucinha na boca, a garota se entregou, seus lábios chupavam os lábios de Sonia, as bucetas se esfregaram. Lucinha deu o peito para Sonia, oferecendo o bico duro, Sonia mamou os peitos dela, Lucinha ficou doida, chupa minha buceta pediu.

Vera ajudou a filha a deitar do lado de Sonia e abriu as coxas dela, mãe e filha se beijaram na boca, Sonia foi direta para o meio das pernas dela e beijou a flor melada de Lucinha.

A garota ficou completamente fora de si quando Sonia chupou a buceta dela. Ela esfregava a buceta nos lábios da minha esposa, Lucinha gozou gemendo, ela mesma foi virando sem Sonia pedir, oferecendo a bunda. Vera abriu as nadegas expondo o cuzinho, o buraquinho era redondinho e delicado e estava arrombadinho, Sonia beijou o cu, Lucinha gemeu alto, falou que sentia tezão no cu, Sonia falou baixinho, você gosta de dar o cuzinho? Falou na frente de Vera, gosto, eu adoro dar a bunda, Sonia chupou o cuzinho dela, Lucinha ficou fora de si, implorava para Sonia chupar o cuzinho dela, ela mesma que virou querendo a boca de Sonia na buceta.

Vera ficou deitada do lado da filha, Lucinha ficou abraçada a mãe toda aberta, gemendo e dando a buceta para Sonia, os gemidos dela foram ficando mais fortes e Lucinha gozou na boca da minha esposa. As três ficaram deitadas, Sonia no meio delas, as duas acariciando a buceta da minha esposa, Vera e Luci chuparam juntas a buceta de Sonia, as duas chupavam com fome, as bocas se encontravam na buceta melada, Sonia gozou sendo chupada por mãe e filha.
Ficaram na cama, os corpos misturados, uma se esfregando na outra, antes de descerem, elas colocaram os biquínis e desceram

Elas desceram já passava das 17 horas, Sonia tinha ficado mais de três horas em casa com elas, eu e Tio Pedro estavamos bebendo e ele nem deu pela falta delas, perguntei se Tio Pedro queria subir, ele não quis, estava adorando ficar ali, piscina e cerveja quem não gosta.

Ficamos ali, Sonia sentou com Vera mais afastada, a Tia falou para minha esposa não me preocupar com a filha dela, ela já era adulta e não ia contar nada, Vera se abriu com Sonia falou que sempre foi bi e logo que casou o marido broxou, ela sempre teve muito fogo e passou a preferir as mulheres, Lucinha sempre soube que ela curtia mulheres, as duas se protegiam, Vera tem um caso com uma amiga em Recife que freqüenta a casa delas e a filha se apaixonou por essa amiga que passou a comer a filha também. Vera e a filha sempre foram muito carinhosas uma com a outra e depois disso, a Lucinha passou a ficar querendo intimidades com ela, ficava abraçando ela, se esfregando, querendo, acabou que as duas foram para cama e tem dias quando o marido sai que a amiga pega as duas.

Sonia subiu de novo sozinha com a Tia, passava de 18 horas, Vera levou Sonia para o quarto e fudeu minha esposa de novo. Sonia deu a buceta para a Tia, gozou com a buceta arreganhada, quando saíram da cama, passava das 21 horas, cada uma tomou banho no seu quarto, eu subi com Tio Pedro e Lucinha quase as 22 horas, falei para jantarmos fora, nos arrumamos e fomos de carro num restaurante perto de casa. Saímos do restaurante passava de meia noite.

Chegamos em casa Tio Pedro foi logo dormir, estava meio alto, Vera foi com ele. Eu fui para o quarto marido. Sonia falou para Lucinha que ia trocar de roupa, posso esperar você aqui, ela perguntou toda meiga, Sonia de um sorriso, pode querida, eu já volto, Sonia foi no quarto trocou de roupa, colocou um vestido bem curto e não colocou calsinha, eu olhei minha esposa toda gostosa, não disse nada. Sonia foi para a sala, Lucinha estava no sofá, ela ficou olhando para minha esposa e sorriu, levantou e as duas se abraçaram.

Sonia pegou na mão dela e levou Lucinha para o quartinho de empregada nos fundos, onde ela tinha dado para a Tia, entraram e Sonia fechou a porta, Lucinha abraçou o corpo dela, beijando ela na boca, Lucinha subiu o vestido e pegou na buceta grandona de Sonia, eu adoro tua buceta, você tem a buceta grande, Sonia beijou a boca gostosa da garota, gostou da minha buceta. Você já comeu minha buceta, eu já dei a buceta pra você. Lucinha falou que tinha comido, pediu para comer de novo, ela tirou o vestidinho e a calsinha, ficou nua para Sonia.

As duas deitaram nuas, Lucinha beijou Sonia na boca e chupou seu corpo todo, Sonia gozou igual uma cadela, Lucinha continuou chupando, fazendo Sonia virar e abrir a bunda enorme para a garota chupar. Sonia chorou sentindo a boca quente de Lucinha no cu, ela gemia, chorando baixinho. Sonia gozou sendo devorada pela boca faminta da garota. Sonia beijou Lucinha e sua boca desceu beijando a boceta, a garota se abriu toda, chorando e gemendo, sendo comida por Sonia, ela mesma virou e deu o cuzinho, Sonia chupou, deixando ela doida, o cu estava bem arrombado, Sonia perguntou quem tinha deixado o cuzinho dela assim arrombado, ela falou que tinha um coroa que ela dava pra ele. Que ele tirou o cabaço dela da buceta e do cuzinho. Perguntei se a mãe dela sabia, ela disse que a mãe sabia de tudo, ele era amigo do Tio Pedro. Lucinha se entregou toda para Sonia, as duas saíram suadas do quartinho, o relógio da cozinha marcava 4,10 da manha, cada uma foi para o seu quarto.

No domingo acordei já passava das 10 horas, ficamos todos na sala conversando. Vera e o marido queriam que eu e Sonia fossemos visitar eles, falei que brevemente iamos visitar eles em Recife.

No domingo não rolou mais nada. So quando Sonia estava se arrumando no quarto para levar eles no aeroporto, Vera entrou já arrumada, estavam sozinhas no quarto e ela beijou Sonia na boca com a mão na buceta dela. Ela falou que queria comer minha esposa no Recife. Nos levamos eles no aeroporto e eles voltaram para casa.





ver comentários

Aviso:

Todos os comentários aqui exibidos são de inteira responsabilidade do comentarista. O site Clímax Contos Eróticos deixa claro nas suas normas que manifestações de pedofilia, racismo ou de qualquer outro teor ilícito serão banidas, assim como seus autores. Publicações ou comentários ofensivos aos demais membros poderão ser removidos.

Faça um comentário:



Sua nota para este texto:

Quero receber email sobre novos comentários.